Assista Agora

Crítica: Anticristo

A Bruxa de Trier

Érico Borgo
27 de Agosto de 2009

Anticristo

Anticristo

Antichrist
Dinamarca/Alemanha/França/Suécia/Itália , 2009 - 109
Terror

Direção:
Lars Von Trier

Roteiro:
Lars Von Trier

Elenco:
Willem Dafoe, Charlotte Gainsbourg

Excelente
Anticristo
Anticristo
Anticristo

O cineasta dinamarquês Lars von Trier chama Anticristo (Antichrist) de "o filme mais importante de toda a minha carreira". Provavelmente é.

O primeiro terror da carreira do realizador de Dogville e Manderlay é uma espécie de exorcismo terapêutico de uma depressão na qual se encontrava há dois anos, um teste auto-infligido de sua capacidade de dirigir novamente. Mais do que isso, o filme examina ideias e pesadelos de décadas do diretor - que garante inclusive manter um exemplar de O Anticristo, manifesto anti-cristianismo de Friedrich Nietzsche em sua cabeceira desde os doze anos de idade.

A história é dividida em capítulos, outra marca do cineasta: "Luto", "Dor (Caos Reina)", "Desespero (Ginocídio)" e "Os Três Mendigos", além de um prólogo e um epílogo. As cartelas dos episódio surgem sujas, pintadas sobre ilustrações abstratas em giz, contrastando com a absorvente beleza plástica do filme, fotografado por Antony Dod Mantle (Quem Quer Ser um Milionário). Desde a lindíssima abertura, toda em câmera lenta e preto e branco - retratando uma explícita cena de sexo e orgasmo - ao assombroso final, não há qualquer traço das restrições dogmáticas do passado de von Trier. Ele abraça aqui a necessidade do uso de todos os recursos cinematográficos para contar sua história - e chocar o público no processo.

"Chocar", aliás, é uma palavra perfeita para determinar uma das intenções de von Trier com seu filme. Ele consegue realizar o que parecia irrealizável, um torture-porn psicológico de arte. Seria injusto extripar a produção de seus trunfos gore detalhando determinadas passagens aqui, mas fica o aviso que a violência física e psicológica e o sexo são explícitos e fundem-se sempre que podem. É como se O Albergue tivesse um filho com A Professora de Piano...

Chocantes também - ao menos para os padrões do cinema comercial - são as imagens que o filme apresenta (e como as apresenta). Em um determinado momento uma raposa eviscerada toma a tela para falar "caos reina". A cena é risível, mas as risadas que se ouve no cinema são de puro desconforto. Como esse, há vários outros momentos que permanecem sangrados à faca na memória.

No palco estão Charlotte Gainsbourg (A Noiva Perfeita, 21 Gramas) e Willem Dafoe (Homem-Aranha 2, Manderlay), que vivem com entrega corajosa e tocante/revoltante um casal enlutado que se muda para uma cabana isolada depois da morte de seu filho. A pequena edificação, cravada na mata alta, se chama Eden - mas as forças em ação ali estão tão distantes do significado literal da palavra quanto aquele local da civilização.

Homem e mulher - ambos sem nome - mergulham em lamentação ali. Ele tenta salvá-la usando o que sabe, a psicologia. Ela se entrega à dor. As discussões são tão duras e verdadeiras que dá pra sentir-se um tanto sádico acompanhando-as. O sentimento de pesar e cinismo - uma constante na carreira de von Trier - aqui se faz presente como nunca. Segundo Anticristo, não há alento para a humanidade quando tudo o que acreditamos sobre nós mesmos é essencialmente errado.



Galeria de vídeos

Publicidade

Comentários (36)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

André Filipe André Filipe (30/08/2013 12:55:43)   1147 0
sinceramente,vi alguns aki falarem bem desse filme,então baixei na internet,e vou dar minha opnião:

Pense em um filme ruim...agora multiplica esse filme por mil = anticristo!




sem avatar karina (04/06/2013 22:05:02)   1 1
Filme bem ruim,como todos os filmes desse diretor,acho que ele sofre de algum distúrbio ou transtorno psiquiátrico rss,pois a necessidade infindável de querer chocar o telespectador é tenso,todo santo filme é essa pertubação toda.Odiei,atores bons,produção e filme lixo.Ahh e pseudos intelectuais de plantão,caso não sejam psicólogos ou psiquiatras nem venham causar e mimimi.


sem avatar Victor (13/07/2013 01:39:42)   -1 -1
Acabei de assistir o filme, por recomendação de alguns amigos meus, e simplesmente posso dizer que é excelente.

É incrível como se passam os diálogos do filme, misturando a leveza do tom da voz dos personagens com uma brutalidade regada de sexo e auto-flagelação.

Vejo que muita gente odiou o filme, mas aí que entra a charada: assim como foi escrito na crítica acima este filme não é pra ser odiado ou adorado mas sim para que seja refletido. O filme, realmente, não é muito claro mas isso faz com que pensemos e tentemos entender a lógica desta obra prima.

Na minha cabeça para entender o filme, primeiro precisa entender algumas passagens bíblicas como o jardim do Éden e os três reis magos (ou neste caso os três mendigos)

Reza a lenda o homem foi criado para ser superior a natureza e os três mendigos representam a dor morte e sofrimento. No paraíso (jardim do éden) o homem seria o líder e tudo ao seu redor (animais, natureza) fora criado para lhe servir, até o momento no qual ele infringisse a regra de não comer o fruto proibido. Neste caso os três mendigos apareceriam em sua vida.

O filme retrata exatamente isso quando a mulher no final do filme tem a memória de seu filho caindo da janela, que ela realmente estava vendo o que estava acontecendo, entretanto preferiu continuar transando e ter seu orgasmo (comer o fruto). Consequentemente começa a ter seus ataques de loucura cair em extrema depressão.

O homem cuja consciência não estava abalada e sem culpa, vive sereno o filme inteiro e ainda tenta convencer sua esposa, num experimento de hipnose, para que se imagine na floresta se misturando com a grama (natureza) ou seja ele possui uma visão mais "racional" com um sentimento laico, voltado ao experimental tentando curar a mulher.

Isso fica mais evidente quando a mulher fala sobre o satanas, só que para o marido, é tão mirabolante a ideia que ao escrever no topo da piramide, ele risca e coloca ela, como o principal medo dela mesma, ou seja, esta louca.

Acredito que os três animais, representem os três mendigos... que as garotas no final representem todas as pessoas que sofreram no genocidio.

Enfim é isso. uma obra prima, o tipo de filme que te faz pensar pensa e pensar depois para conseguir montar o quebra cabeça e finalmente entender a história.





Jeremias Alves Jeremias Alves (16/02/2013 02:00:38)   -1 -1
Grande filme, perturbador e intrigante.



Simon Simon (02/02/2013 02:27:07)   7 0
O filme é uma porcaria, desculpe quem gostou, mas não daria 1 ovo pra ele, sinceramente não sei nem se merece uma crítica, no máximo faria uma pras pessoas saberem o que vão assistir... essa é a MINHA opinião, um lixo!



sem avatar Marco (22/08/2012 02:05:46)   0 0
Pseudo-arte. O diretor tenta confundir e chocar quem está vendo para criar uma áurea falsa de profundidade verdadeiramente vazia.

Início interessante, desenvolvimento pobre com cenas bizarras e inverossímeis. Desfecho previsível para o assassinato da mulher pelo marido e, novamente, pseudo-arte para as mulheres subindo o monte...

Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg com talento indiscutível servem de chamarizes para o filme que, na minha humilde opinião, não merece ser estrelado por eles.

Parabéns aos atores, muito admirados por mim e por outros, e pêsames para esse diretor vazio e sem conteúdo.



sem avatar rafael (18/08/2012 22:28:03)   0 0
quando ainda estava na escola,apresentei um teatrinho da bela e a fera onde eu era o gaston.odeio aparecer em publico e no final estava me achando um idiota,ai veio uns meninos e começaram a me bater.nao entendi nada,mas minha professora me explicou que eu cumpri o objetivo.

o filme me deixou inquieto e passei a olhar para minha namorada de outro jeito.



sem avatar Natalie (11/07/2012 20:43:35)   0 0
Na minha humilde e leiga opinião esse filme realmente não é pra qualquer um. É psicologia pura e quem não tem conhecimento prévio, não entende muito bem. Dá pra enteder a história em si, mas o perfil psciológico dos personagens..só estudando. rs Mesmo não sabendo muito sobre o assunto gostei do filme, o conjunto. Com um pouco de esforço dá pra captar a mensagem. rs



sem avatar Patricia Fernandes (23/06/2012 14:42:44)   5 0
O FILME É SUPREENDENTE APESAR DE NAO PODER ASSISTIR TODO ATÉ O FINAL



Leandro Leandro (28/05/2012 13:15:26)   0 0
Filme feito com as entranhas. Belissimamente perturbador. Mas se você gosta dos enlatados de Hollywood e atreveu-se a ver Anticristo, é muito provável que tenha odiado. Aliás, o longa não é para ser amado, odiado ou, até mesmo, indicado e passa por cima de qualquer tabu. Flerta com o psicodelismo e o surreal é só mais uma forma de mostrar ao espectador a complexidade da mente humana, capaz de criar uma infinidade de nuances, a desesperança e a dor caminham lado a lado com o prazer, onde o limbo é o lar da loucura e lhe traga pra dentro quanto mais forte você luta para sair.



sem avatar Rafael (25/01/2012 01:48:36)   0 0
Bem, eu achei o filme bom. Não o melhor ou o mais original e ousado quando o assunto é um profundo mergulho na psiquê humana, mas razoável. Para quem tem estomago fraco, a película é um tanto quanto chocante, e por isso mesmo o filme é bom. Na minha humilde opinião, o que torna difícil a assimilação são nossos valores. Assim como o título da obra de Nietzsche, o filme busca, em certo sentido, colocar nossos valores em cheque: o caos reina, de modo que não há qualquer valor que nos guie quando o assunto é a morte e a vida, principalmente quando a morte é de um filho! Quanto ao Éden, penso que a mensagem seja essa: o caos reina! Há apenas dois animais amedrontados, em um local que mistura realidade e sonho, sem muitas expectativas e que vivem e convivem com a natureza humana tal como ela é, primitiva, violenta, sem máscaras – só há dois impulsos nas personagens – Eros e Thanatos se confrontam de maneira brilhante. De maneira exagerada, Lars von Trier questiona nosso falso moralismo, nossas convicções, nossas certezas, criando um sentimento de culpa no expectador, quase como quem busca nos machucar. Por isso, talvez, o filme seja tão ‘‘difícil’’ para grande parte do público.



Publicidade
sem avatar Murilo (24/08/2011 04:44:09)   40 0
Acabei de assistir o filme e vim aqui comentar, não entendi o porque desses 5 ovos, o filme é um lixo, tenta dar algum sentido naquelas cenas de sexo e pseudo analises e não consegue, não dá explicações e não nos oferece um norte para o psicologico dos personagens.

Como ja disseram, filme p/ pseudo intelectuais falarem que é maravilhoso, quando nem eles mesmos entendem o porque disso...

Lixo, dou uma gema, porque a clara é saudavel e nao merece nem 1 ovo inteiro.



giuseppe giuseppe (26/07/2011 14:19:57)   59 0
preciso ver de novo...



Gabryel Gabryel (30/05/2011 21:41:09)   0 -1
Cara vi hoje o filme, me surpreendeu, de todos os modos, ruins ou bons, em si o filme é legal, cenas boas (não to falanda as de pornografia, muito menos as de violencia), mas o que eu não entendi foi o fim.

SPOILER
________________________________________
Quem eram aquelas mulheres, com as faces borradas? O que elas representavam? Por essas e outras ninguém aqui de casa gostou, e acham que esses cinco ovos, só se forem de codorna.
________________________________________
SPOILER

Enfim, se não tiver o que fazer ou estar com o pé quebrado como eu, veja esse filme.


Leandro Leandro (28/05/2012 13:23:31)   0 0
As mulheres que aparecem no final são todas as que foram mortas durante o feminicidio. Inclusive esteve nas pesquisas da protagonista. Foi justamente por achar que a mulher merecia todo seu sofrimento que embarcou, inconscientemente, numa jornada de autoflagelação.


enio enio (21/05/2011 04:38:11)   10 0
tijolada na mente
tive medo a beça, pausei varias vezes, sem ter coragem d continuar, ha muito tempo q um filme nao me causa isso

agora respondendo aos sabichoes do pedaço abaixo

1 o anticristo sao os 3 animais, q em si personificam a natureza maligna d tudo

2 o filme e a historia da mulher e ela se conclui ao se castrar, anulando assim a causa da morte do filho



sem avatar Paulo (13/08/2011 14:57:22)   0 0
Ja faz um bom tempo que assisti. Gostei bastante do filme, apesar de não lembrar mais de detalhe.

Na minha opinião o anticristo seria o prazer e/ou sexo. Pois, é em nome do prazer que a mulher deixa que o filho morra e durante o filme ela mescla momentos tanto de entrega ao prazer quanto de luta contra ele.

É um dilema muito humano, pois, quantas vezes não somos "dominados" por coisas e situações que nos dão prazer e ao mesmo tempo nos causam mal; ou quando escolhermos situações que dão prazer imediato em detrimento de atitudes que não são prazerosas ou não dão prazer imediato.

Por outro lado, o anticristo também poderia ser a culpa que gera o processo destrutivo na mulher.

E, claro, pode ser também o que disse o Enio.



Vismael Vismael (20/01/2012 17:35:00)   181 -1
1 O anticristo são os 3 animais.

Heim? O antricristo são 3 coisas? Se o cara quer falar de religião, o anticristo deveria ser uma coisa só, não 3. Se foi uma jogada com a coisa da Trindade - Deus, Filho e Espírito, pra mim, falhou ao não esclarecer o mínimo necessário.

2. A história dela se conclui ao se castrar anulando a causa da morte do filho. ??????????
????????????

Assim ela anularia a causa do nascimento do filho. O sexo gera o nascimento da criança, não a morte dela. Não foi culpa do clitóris ele ter morrido, e cortar ele fora não anula nada pq a criança continua morta.

E se o trauma todo era pela morte do filho, pq ela o violentava colocando nele sapatos errados, machucando a criança? Só o q eu vi foi uma mulher extremamente perturbada q maltratava o bebê e o deixou morrer, e como não sabia lidar com a loucura queria resolver tudo na base do sexo e da violência.

Todo esse mimimi de psicologia, ego, anticristo... só vi uma mulher maluca.

Dar uma porrada no pênis do marido e depois ficar masturbando? Não importa quantos simbolismos vcs tentem arrancar disso - a cena é bizarra. Não satisfeita perfura a perna e prende um treco. ???????? PRA Q ??????

"Oh, ela está tirando o Direito do Homem, o Alter Ego, se locomover, frustrando assim o bla bla bla..."

Isso é maluquice! Insano e bizarro!


sem avatar Gian (14/12/2010 21:03:06)   2 1
Todos os tipos de adjetivos ruins já foram dados pelos comentaristas acima... sem dúvida, houve um grave engano nesta crítica.
O filme definitivamente é o lixo dos lixos; não lixo "trash", mal feito, sem recursos; mas lixo sem noção, sem propósito, violência gratuita, fora de contexto. Não posso apontar todos os absurdos, porque em vários trechos, eu "acelerei" o filme, de tão ruim, chato, entediante e absurdo o desfile de cenas de tortura e pornografia na minha frente, totalmente desnecessários.
E não, este não é um filme de terror - que causa medo, pode ser considerado horror - que causa repulsa (não são a mesma coisa para o cinema); referenciar o Albergue, foi algo muito infeliz; filmes gore como Albergue e Jogos mortais, exibem tortura, sangue e tripas, dentro de um contexto; Antichrist, não tem contexto. Lars Von Trier me decepcionou profundamente, pois eu apreciava muito tudo que tinha dedo seu, e me apaixonei por Dancer in the dark e Dogville. Agora, passo longe de uma produção nova qualquer com seu nome.
A première humilhante de Antichrist já prenunciava o que seria feito de sua carreira; infelizmente.
>> Os 10 primeiros minutos do filme são intrigantes e esteticamente maravilhosos; mas a gente esquece disso no decorrer do filme, rapidamente.



sem avatar Mayara (13/10/2010 18:30:01)   3 0
Não perdi meu tempo buscando sentido na pornografia e na vioência desneccessárias. Mais um filme para os pseudo intelectuais aplaudirem em pé e se julgarem mais inteligentes que os outros. Simplesmente horrível. Como já dito aqui anteriormente:insanidade e pornografia desconexas.
Insuportável, doentio e inútil. Não recomendo.


sem avatar Alchimist (30/09/2011 21:41:02)   -7 -3
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

sem avatar Mayara (24/06/2012 19:13:49)   3 0
Exatamente o que eu disse sobre pseudo intelectuais se acharem mais inteligentes que outros. Como vê, você apenas confirmou o que eu disse ao me chamar de "burra".


sem avatar Vagner (13/07/2010 21:00:08)   6 1
Não é feito para estômagos fracos!
"O Caos Reina!!!!!!!!!"



Cleison Cleison (10/06/2010 22:30:10)   73 1
Não tenho concordado muito com as críticas do Erico Borgo (não tenho concordado nada na verdade), mas o filme, certamente, choca... creio que é uma boa interpretação e uma ótima forma de ver este filme foi apontada pelo Pablo Vilaça em sua crítica:

http://www.cinemaemcena.com.br/Ficha_filme.aspx?id_critica=7510&id_filme=6251&aba=critica

Analisar a história pelas suas referências e simbolismos, não pelo gore e pornografia, certamente dão uma melhor interpretação às idéias do diretor.



sem avatar Reginaldo (24/05/2010 11:00:22)   6 1
Discordo e muito com essa avaliação do Omelete, 5 ovos?
como disse o Damasio, pornografia e insanidade, completamente sem noção´. o que fizeram foi pegar uma estória idiota colocar pornografica e muita insanidade em cima e pronto, nasceu esse filme.



Vismael Vismael (16/05/2010 10:13:22)   181 1
Pela primeira vez discordo com tanta força do omelete... kkk

Acabei de assistir o filme e vim dar uma nova lida na críta. Provavelmente nunca mais verei esse lixo na vida.

Chocante, cruel, sádico, perturbador é pouco. O problema é: simplesmente não entendi a mensagem! O q ele passa? Nada, só dor, sofrimento e um personagem com uma perturbação mental q nunca vi antes.

Onde está o tal "anticristo" do título? Não há nenhuma força no Édem, só uma louca levando o marido junto pro mundo insano escrachado e violento. Não entendi as referências e aposto q muita gente tb não. As poucas falas relacionadas ao "oculto" são soltas e fazem menos sentido ainda ditas por um personagem doente mental. Odeio filme q entrega tudo mastigado, mas deixar tudo no ar tb é ruim. (Ou eu tava tão incomodado com o filme q não consegui entender... rsrsrs)

Na boa, dessa vez discordo completamente do Érico quanto à nota máxima. O filme é bem feito tecnicamente, toda a coisa cinematográfica q foi dito e tudo mais, e, sim, parece mesmo uma obra de arte, mas, para mim, daquelas surrealistas onde nada se conclui, nada é dito ou explicado e um monte de gente para na frente do quadro e coloca a mão do queixo admirando, quando na verdade, como eu, tb não entendeu nada.

Fica a penas o choque e a perturbação.


sem avatar Alchimist (30/09/2011 21:43:57)   -7 -3
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

Vismael Vismael (20/01/2012 17:21:42)   181 1
Alchimist. CONVERSE ao menos uma vez comigo. Estude metade do q estudei, ande metade do meu caminho, faça um terço do q já fiz, e volte aqui e me chame de burro.

Cara, vc só entra pra comentar e dizer q eu sou burro, q a Mayara é burra... e coloca entre "aspas". Não ameniza nada... vc tá xingando alguém por nada, sem nem ao menos UM argumento decente.

Não é só pq vc tá na internet q vc pode falar a merda que quiser. Eu coloquei minha opinião, q diverge da opinião do Borgo, mas respeitosamente, jamais direi q o Borgo é burro por postar algo diferente do q eu penso.

É minha opinão, um filme nojento, opressivo, doente e desconexo.

"Ah, quando ele ejacula sangue significa q a fonte da vida está jorrando a morte. Ah... quando as sementes caem da árvore significa o filho caindo..."

Dane-se todo esse simbolismo! É ruim! Ruim de assistir, ruim de entender. Encher o filme de imagens agressivas e ficar filosofando em cima, tentando achar arte é ridículo. Ainda q tenha um propósito, ainda q tenha um significado, achei péssimo de assistir.

Quer q eu mostre minha cultura? Acha q quem discorda de vc não tem cultura?

Bom, melhor ser burro então, q ser um bossal arrogante q só sabe xingar todo mundo pra parecer intelectual.


Publicidade
Damasio Damasio (11/05/2010 16:36:17)   1 1
Cara.. não acredito que tem gente que gostou desse lixo...
Insanidade e pornografia desconexar....


sem avatar Alchimist (30/09/2011 21:46:26)   -7 -1
Você é da mesma tribo do Vismael? Tribo grande essa.


marcelo marcelo (08/05/2010 20:12:02)   4 1
filmes como anticristo tem que ser vistos justamente por serem pertubadores , pra nos lembrar que existe um tipo de cinema que ainda foge do comercial e permanece como dizem " filme de autor " , vale a conferida , é pertubador , é angustiante , é escencial e imperdível ...



sem avatar Caroline (16/04/2010 01:32:35)   0 0
Perturbador. Teve um determinado momento do filme em que eu precisei parar de assistir para respirar e assimilar o que estava acontecendo.



gabriel sDm gabriel sDm (12/04/2010 19:32:05)   3 2
Sentimento e Brutalidade.




Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.