Assista Agora

Crítica: Um Homem Sério

Os irmãos Coen colocam mais um herói tragicômico sob provação - e vão além

Marcelo Hessel
18 de Fevereiro de 2010

Um Homem Sério

Um Homem Sério

A Serious Man
EUA , 2009 - 104
Comédia

Direção:
Joel e Ethan Coen

Roteiro:
Joel e Ethan Coen

Elenco:
Michael Stuhlbarg, Richard Kind, Aaron Wolff, Fred Melamed, Sari Lennick, Jessica McManus, Peter Breitmayer, Amy Landecker, David Kang, Adam Arkin

Ótimo
um homem sério
um homem sério

"O que eu fiz para merecer isso?" é a pergunta retórica que todo mundo se faz em períodos de provação. No caso dos religiosos, é mais um pedido por clemência. O professor judeu Larry Gopnik (Michael Stuhlbarg) passa todo Um Homem Sério formulando-a para si mesmo, para seu advogado, para os rabinos da comunidade, para os céus. Mas quanto mais questiona mais apanha.

É uma pergunta, ademais, que todo protagonista das comédias de humor negro dos irmãos Joel e Ethan Coen deve se fazer em algum momento. Mas Larry Gopnik não é o grande Jeffrey Lebowski, nem o homem que não estava lá. Para ele, "o que eu fiz para merecer isso?" não é uma pergunta retórica. Como Larry leciona física, com inclinações matemáticas, na cabeça dele todo efeito teve antes uma causa.

Talvez seja, portanto, o primeiro herói tragicômico dos Coen a buscar solução para seu perrengue não com reações, mas refletindo sobre a ação que desencadeou todo o processo - uma reflexão que tem tudo a ver com o momento de crise dos EUA (a bandeira na tempestade no final do filme não poderia ser mais clara). "Tudo é matemática", diz Larry, como se falasse de macroeconomia. Só que ele esquece de considerar que o caos também é um conceito matemático.

Os Coen transferem essa ideia de caos para o roteiro. A sacada estilística da primeira metade de Um Homem Sério está na forma como o filme nos enrola com relações de causalidade que são falsas. Entendemos, a princípio, que a história de Larry se passa em dois tempos (adolescente ouvindo música com fone/adulto fazendo exame de ouvido), mas essa premissa se revela uma armadilha. Em seguida, achamos que os acidentes de carro estarão ligados, mas não estão. Ou será que estão?

Ao embaralhar causas e consequências, os Coen conseguem impor ao seu protagonista um dilema ético puro (já que os fatores externos que influenciariam esse dilema são falsos ou operam sob nonsense). Dependendo do caminho escolhido por Larry, pode vir um castigo definitivo, não mais "de brincadeira". É diante de crises assim que homens tremem, não importa o credo. Como canta o Jefferson Airplane em "Somebody to Love", "quando a verdade se revela mentira, toda alegria interior se vai".

Nesse caso, é estreito enxergar em Um Homem Sério uma sátira ao judaísmo. Na verdade, talvez os Coen estejam fazendo o completo oposto. Ainda que sirvam de piada ao longo do filme, conceitos absolutamente abstratos como tradição e fé (livros na estante, cerimônias, acúmulos de histórias) terminam enaltecidos. "Por favor aceite o mistério", diz a certa altura o sul-coreano ao judeu matemático.

E aí, numa leitura politizada, em sintonia com a referência que os Coen fazem à crise econômica, tradição judaica se mistura com tradição americana. Se o momento histórico pede lições de moral, Ethan e Joel deram a sua.

Assista ao trailer
Assista a cenas

Saiba onde o filme está passando



Publicidade

Comentários (21)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Fábio Fábio (17/06/2012 05:24:32)   -1 -1
Esse viadinho do Hessel nunca faz uma critica justa....se os diretores são conceituados...fudeu...pode ser a merda que for.....kd o Borgo?



Antonio Antonio (30/12/2011 19:52:45)   0 -1
Assisti ao filme hoje e me decepcionou muito. Começa muito bem, mas do meio pro final fica ruim e chato. Várias relações não tem desfecho porque os personagens são deixados de lado, muitas reflexões não tem sentido, sem contar que o principal é um bundão (independente da época ou religião, que cara chato).



nehemias nehemias (17/02/2011 17:29:08)   -1 -1
Tem que estar no clima. E, convenhamos, esse filme é difícil de "descer" para muita gente. Muito pessoal, muito sobre a cultura americana/judaica. Só a mensagem central pode ser levada em conta. É um filme deles em que não se importaram com o que iria dizer sobre. Eu vi duas vezes, mas é mais um desses filmes recentes que a gente esquece muito fácil.

O final brusco não é pra muita gente, novamente. O filme se sustenta em cima de uma piada. Piada essa que mesmo quando descoberta, as vezes não tem muita graça. Enfim.



sem avatar Alexandre (08/02/2011 19:28:29)   0 0
Quando assisti ao filme me prometi voltar ao cinema e ve-lo novamente, e assim o fiz, e mais algumas vezes em dvd para traçar através deste filme, conjugado com a filmografia dos irmãos, toda a mente dos coen (coen's mind em referencia e reverencia ao tarantino's mind). Fiquei por grande tempo desvendando o véu dessa direção grand cinematográfica feita por diversos modos de mostrar um mesmo ideal de vida, de condição humana. Oposto ao caso Tarantino, eles não contam uma história só da mesma forma e diversos filmes, e sim a mesma história de diversas formas em cada filme. Nisso se juntam ao querido Wood Allen como mestres de si mesmo, expondo sua arte com determinação e insistencia, mas sem cansar o público. Isto ainda se repete dentro mesmo de cada filme, quando um mesmo dialogo é repetido por diferentes personagens em diferentes situações, porém mantendo um mesmo ponto de signo da condição.
Mesmo vendo o filme diversas vezes com diferentes olhares, isso só enriquece a mesma direção para onde o olhar corre.
Isso é direção cinematográfica.
Aproveitem!



giuseppe giuseppe (03/02/2011 13:44:06)   59 0
esse filme é uma merda. não entendi nada do começo ao fim. e dificil criar simpatia por um personagem tão bundão quanto o larry e terminar vendo que ele ta pior do que quando começou. o furacão só toma forma quando ele aceita o suborno (spoiler) mas o que isso siginifica? toda ação tem consequencias, certo? mas a mensagem nunca esta clara. o que esse filme seignifica? ou não significa nada?
talvez se você for judeu entenda algo que os coen quiseram dizer. mas o filme se reflete na estoria do dentista: muita expectativa. muitas reviravoltas. muito misterio. mas no fim não é realmente importante. se não é importante... para que perder tempo vendo esse filme?



sem avatar Jhonas Antonio Tavares (24/01/2011 10:15:09)   0 0
...nunca devemos criticar os criticos mas: Heitor vai assitir "Big Brother" ou "A creche do papai"eh mais sua praia...ou melhor! vai ouvir seu CD do "Paragole" ai c naum precisa pensar
...Isabela "Perfeita"...



Alessandro Alessandro (08/11/2010 08:18:57)   32 0
Talvez seja um drama razoável. Mas não vi humor neste filme.

Os questionamentos são interessantes, porém o filme é demasiadamente parado.



sem avatar Lilly (17/10/2010 07:12:50)   0 0
Humor com sacarsmo total! Não espere rir incondicionalmente... portanto tbm n deixe de assistir... vale a pena! Certeza!!! =)



Fabio Fabio (26/09/2010 15:37:26)   1 0
Esse filme é muito engraçado. Não parei de rir do início até o fim! Esse superou sem sombra de dúvidas o filme Todo Poderoso de Jim Carrey. Um excelente filme para assistir com a família e amigos.



sem avatar guilherme (29/07/2010 18:02:57)   1 0
Referência à crise econômica? Não tem isso no filme, não faria nenhum sentido em um filme passado nos anos 60...

Achei o filme legalzinho, mas certamente não é tão acessível quanto "Queime depois de ler", que é um dos mais acessíveis deles, certamente.

Difícil eles barrarem "O grande Lebowski"...



Publicidade
Rebeca Rebeca (27/06/2010 22:12:10)   0 0
Comédia de humor negro. Não espere morre de rir, mas sorrir com tiradas interessantes e questionamentos inteligentes sobre a vida social e religiosa judaíca...Pena que os diretores cansaram do filme e resolveram terminar de uma hora para outra...Gostei do filme, pois ele faz pensar e pensar ultimamente é um bom exercício.



sem avatar heitor (24/05/2010 03:00:49)   30 0
Fraquissimo. Tipico filme que é totalmente uma perda de tempo e o qual os "intelectuais" tem a oportunidade de dizer que é obra-prima e dizer que entendem a mensagem.Os Coen nao respeitam o que filmam. Nao sao artistas que se preocupam com o seu povo, sao pessoas com disturbios e que, desde Onde os Fracos nao tem vez, vivem tentando criar caso. Pena que ninguem tenha vontade de derrubar eles do patamar onde, injustamente estao. Com a filmografia que possuem, incrivel com ainda estejam atuando no mercado. Uma pena.



BTS BTS (22/05/2010 02:33:37)   8 0
Esse filme é sensacional! Os irmãos Coen possuem o melhor senso de humor que eu já vi no cinema, e nesse filme estão afiadíssimos! Os caras têm um jeito único de escrever, dirigir... Constroem personagens de personalidades ricas e marcantes, como poucos conseguem! Elaboram roteiros complexos e reflexivos, mas sem perder o bom, quer dizer.. Bom não.. Ótimo humor (negro!!) que eles conseguem fazer como ninguém! São gênios da sétima arte! "A Serious Man" vai ficar na história como mais uma obra de arte do currículo dos irmãos! Filmaço!



Eduardo Eduardo (10/05/2010 04:47:48)   -3 0
SPOILER!!!

Filme horrivel! 1ª cena, não diz se o velho está morto ou não. Última cena, o furacão foi como um vento qualquer pq não passou as consequências dele. E o raio X pode ser qualquer coisa, pq não vimos o resultado. Nínguém aqui assite uma partida de futebol ou uma noticia pela metade. Recortar as consequências das situações apresentadas do filme, não tem nada de poético e sim baboseira. Ele mostrou uma cena do século XV, pq não mostrou o dia seguinte? Pq isso é coisa de gente que acha bonito interpretar o vácuo!



sem avatar Isabela (03/05/2010 23:26:20)   0 0
Eu bem acredito que certos filmes precisam de um pouco mais de tempo para que possamos refletir sobre o que se trata e até mesmo se gostamos ou não. Eu acabei de ver o filme, ainda estou tentando entender toda a trama mas acho que o objetivo é esse mesmo: não entregar de mão beijada a real "moral" da história (se é que todo filme precisa de uma), é pra fazer pensar mesmo. Infelizmente a maioria das pessoas querem a coisa pronta e esse filme não é pra esse tipo de público, disso eu tenho certeza. No mais acho que a ideia central realmente é mostrar que não temos mesmo controle sobre o que acontece mesmo sendo pessoas extremamente "controladas" e que a vida é mesmo o tornado, não há muito o que fazer e nem a quem culpar. Acho que envolve também uma grande questão do ser humano que é essa busca por respostas e a quem responsabilizar quando na verdade cabe muito a nós mesmos uma mudança e até mesmo parte de nosso destino. Crer em Deus e que há algo maior é importante, mas deixar tudo na mão Dele, seja ele quem for, é se livrar do peso da responsabilidade. Enfim, este filme é pra quem gosta de ficar atordoado, pensando na mensagem que se tinha como objetivo transmitir. Se os telespectadores tiverem esse olhar, verão que é um filme muito interessante e divertido!



Orlando Orlando (21/03/2010 20:13:21)   -2 0
Não sei não. Acho que faltou algo para atingir o grande público. Achei que em Queime Depois de Ler e agora no Homem Sério eles estão chutando demais o balde. Ou talvez deva assistir novamente. Não sei - cada vez mais cult os trabalhos deles.



sem avatar Edinei (19/03/2010 12:58:36)   -2 0
O filme é muito bom. Humor sarcástico de primeira.



Kethlyn Kethlyn (19/03/2010 07:05:11)   2 0
Gostei muito do filme, só de olhar para Larry já dava risada, embora, eu acho que o intuito é nonsense mesmo, não deixa nada a desejar, depois que acaba sentimos vontade de mais e mais,é isso. O Homem sério é divertimento na certa!



sem avatar Marcio (19/03/2010 00:54:35)   0 0
É um filme genial! Os irmãos Coen sempre se superam. Vale pelo roteiro original e as risadas que são garantidas.



Cris Cris (18/03/2010 22:36:51)   0 0
Gostei do filme até o final, depois fiquei com aquela sensação que poderia ser melhor. Acho que não entendi direito o final ou não tem sentido mesmo. Mas em grande parte do filme eu me identifiquei com o personagem, suas inseguranças com o mundo e falta de fé. Algumas partes até consegui rir um pouco (não sei se era esse o propósito do diretor, mas enfim...). Preciso ver novamente este filme para (talvez) mudar a imagem que ele ficou na minha cabeça ou ouvir mais opiniões sobre o final.



Publicidade

Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.