Assista Agora

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho | Crítica

Daniel Ribeiro transforma a história de Leo em longa-metragem, sem perder a química e a graça do curta

Bruna Amaral
11 de Fevereiro de 2014

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Brasil , 2014 - 95 minutos
Drama

Direção:
Daniel Ribeiro

Roteiro:
Daniel Ribeiro

Elenco:
Ghilherme Lobo, Fábio Audi, Tess Amorim

Ótimo
hoje eu quero voltar sozinho
hoje eu quero voltar sozinho

A melhor forma de descrever Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, estreia de Daniel Ribeiro como diretor de longas-metragens, seria dizer que trata de amor. De forma mais intensa, o filme retoma os personagens, o elenco e a história do curta Eu não Quero Voltar Sozinho, de 2010, que ganhou prêmios em festivais e depois repercutiu no YouTube, onde tem quase 3 milhões de visualizações.

Com mais tempo e mais recursos, o diretor pode explorar de forma sensível a sexualidade e as dificuldades para conquistar a independência de Leo (Ghilherme Lobo), um adolescente que nasceu cego. O filme teve sua estreia ontem na mostra Panorama do Festival de Berlim e foi fortemente aplaudido pelo público.

Sem nenhuma autocomiseração e com um humor certeiro, o longa mostra Leo e sua amiga inseparável Giovana (Tess Amorim) vendo suas vidas mudar após a chegada de Gabriel (Fabio Audi) à escola. O trio logo fica muito próximo e, como em qualquer triângulo amoroso, adulto ou juvenil, o ciúme é incontornável: está nas ações da amiga que defende Leo com unhas e dentes, na superproteção da mãe, na compreensão do pai que busca dialogar e, especialmente, na aproximação com o novo amigo.

Um ponto muito tocante do filme é a naturalidade com que o próprio Leo passa a tratar a sua cegueira com a chegada do novo amigo. Seja pela força do hábito ou por nem lembrar que o menino é diferente, Gabriel vive cometendo gafes do tipo "já viu aquele vídeo famoso?". No lugar de causar constrangimento, a total falta de dedos do amigo impulsiona Leo a buscar novas experiências, antes impensadas, como ir ao cinema ou sair de casa no meio da madrugada, sem avisar, para "ver" um eclipse.

A partir desses momentos, o contato com o mundo passa a ser uma urgência, como na vida de qualquer adolescente, mas no caso de Leo tudo se torna mais agudo - é a descoberta de um amor que nada vê, apenas sente. Para poder explorar esse lado mais "epidérmico" da relação dos meninos, Ribeiro diz que esperou até todo o elenco completar 18 anos, antes de filmar. Ainda bem, porque a química dos três segue tão boa quanto no curta e as atuações dos jovens são leves e nada exageradas, só mais intensas.

O filme, que tem lançamento no Brasil previsto para 28 de março, pega bem leve com a forma como a homossexualidade ainda é encarada, especialmente do lado de fora. Leo sofre bullying dos colegas mais pela cegueira do que por qualquer outra coisa. As brincadeiras de mau gosto, no entanto, nem chegam perto do que adolescentes gays de verdade enfrentam. Em algum momento, o espectador talvez se questione sobre essa suposta falta de contundência, mas não é nada que diminua ou prejudique a delicadeza e a força da narrativa. Até porque Hoje Eu Quero Voltar Sozinho não é um filme sobre aceitação, é um filme extremamente sensível sobre o que faz do amor, amor, não importa como for.

Acompanhe a nossa cobertura do Festival de Berlim



Publicidade

Comentários (38)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

sem avatar Alexandre (15/07/2014 17:00:34)   3 0
Muito bom! Desenvolveram bem o curta que deu origem. Tem uma crítica em www.artigosdecinema.blogspot.com/2014/07/hoje-eu-quero-voltar-sozinho.html



sem avatar Gustavo (04/07/2014 22:02:11)   8 0
Gostei tanto do curta como do longa-metragem. O carisma dos personagens, o modo como a história é contada naturalmente e sem parecer forçada. É uma história de amor, mas que não tem aquela melação que vemos frequentemente e também não há malícia. Enfim, achei excelente, está na minha lista de melhores filmes nacionais, que por sinal não é muito grande. Pena que não tive a oportunidade de assistir no cinema.
5 ovos!!



Rafinha Rafinha (24/04/2014 03:15:29)   10 0
Soltei UM PEIDO gostoso no cinema.

Segura aí que você vai entender o motivo.

Levanta o rabo daí não que já vô te contar tudinho.



O filme é maneiro pracaralh$#2.

Sensível.

Simples.

Singelo.

Amoroso.

Logo quando começa o filme, NA SEGUNDA CENA, algo meio estranho começou a acontecer. Não com o filme, mas comigo.

Um silêncio dentro de mim mesmo inquietante.

Algo meio que POÉTICO dentro da minha barriga começa a acontecer.

Algo que não queria estar sentindo naquele instante.

Um suador frio.

Um arrepio constante no meu RABO.

Uma inquietação….

e quando olho pra grande tela, o que eu temia, OCORREU:

“-Eu peidei”



Mas vamos falar do filme?

Bem, primeiro deixa eu te falar do cheiro desse peido com um pouco mais de detalhes? Acho importante, pois estamos falando de 25 pessoas que estavam ao meu redor e que SENTIRAM ESSE CHEIRINHO JUNTINHO COMIGO, é amor. Foi tipo uma generosidade para com todos, saca?

Como eu poderia ficar com esse cheirinho só pra mim?



O cheiro começou a subir de um modo muito forte e destruidor.

Disfarcei.

Fingi que não era comigo.

Fechei as mãos pra não ficarem amarelas e alguém ver.

Eu não tinha almoçado ainda. Lembre-se bem, EU NÃO TINHA ALMOÇADO.

De repente, assistindo o filme, na segunda cena, me vem algo meio estranho dentro de mim PELA SEGUNDA VEZ.

“escondidinho” soltei MAIS UM pum.

Perdão, mas irei descrever “COM MAIORES DETALHES” a partir de agora, a questão desse peido.

Se você não desejar ler e sentir o cheirinho do peido…Vão pro facebook, pro twitter…sei lá.

Bem, o filme trata de um rapaz que não gosta de seguir regras. Ele era e queria ser cada vez mais livre . Ele quer sair de casa e mudar sua identidade “Imaginária”, SEM FALAR COM SEUS PAIS. Queria sair de casa SEM FALAR COM NINGUÉM… Moleque é show de bola mesmo !!!!!!

Uma menina da escola, gosta dele, mas ele, começa a se interessar por um rapaz…Aí eu disse: Agora vai rolar PIROCA solta no filme PORAAAAAAAA, yeaaaaaaaar galeraaaaaaaa !!!!!

Porra nenhuma.

Ele percebe-se homosexual quando começa a ser tocado pelo amigo, MAS É CLARO, isso foi um pequeno detalhe, pois, para ele, creio que isso foi bem antes.

A garota que gostava dele me deixou louquinho…É lindinha, sabe? Mas não é A GOSTOSONA não, e foi isso que me chamou atenção nela… SER E TER UM CORPO NORMAL…

Hoje com o advento das atividades físicas, dos silicones, da malhação DAS BUNDAS QUE CAGAM, toda mulher tem mudado seus corpos…E ela, ta bem normal.

Mas não foi só isso que me chamou atenção nela…foi outra coisa também: ELA PARECE A CLARICE FAUCÃO, uma comediante CASCA GROSSA…Sabem quem é? Quem gosta de humor, sabe…Creio até que seja irmã ou parente dela…Como gosto de humor SEM LIMITES, gostei dela por isso…MAS NO FILME, ESSA GAROTA FAZ NENHUM TIPO DE HUMOR NÃO.

PS : Esqueci de falar DE PROPÓSITO, mas ele( O RAPAZ QUE ELA GOSTA) é cego.

O filme já foi escolhido para o Festival de Cinema de Berlim 2014.

O filme é muito doce…e aproveitando a palavra “doce”, vamos voltar a falar do meu peido? Creio que muitas coisas não ficaram bem explicadas sobre esse peido, ne?

Foi estranho, mas de certo modo, depois que peidei, eu senti algo meio quentinho debaixo de mim.

Eu olhei pro lado e tinha uma senhora idosa sentada se abanando pra que o cheirinho DE BOSTA saísse dalí.

Virei pra ela e perguntei:

-“Perdão a palavra, mas peido é quentinho?”

Ela me olha assustada e diz:

“-Não”

Bom, eu ainda intrigado, pergunto outra coisa pra ela:

“-Perdão novamente, mas peido é molhado?”

Ela responde:

“-Também não meu filho”

Bom, já não me restava mais dúvidas do que teria ocorrido comigo, MAS O FILME TAVA ROLANDO….Tu quer que eu continue falando do indício de uma diarréia ou do filme?

Tu que escolhe…vai lá…Agora, VOCÊ DECIDE.



Se vc deseja que eu continue falando do filme, ligue para 08008888. Mas se vc deseja que eu continue falando da MERDA que saiu do olho o meu RABO, ligue para 0800777.

Lembrando que a ligação é gratuita.

Mas não sei se vocês lembram…EU TAVA COM FOME….Não tinha almoçado ainda, lembra?

Pois é, nesse instante, no filme, os garotos confessam um para o outro que se gostam, e eu, particularmente, tava gostando daquele molhadinho DO MEU RABO..sei lá, era quentinho. Sei que era uma BOSTA que tava na minha cueca, mas também, como eu já falei, eu tava com fome, LEMBRA? Nem tinha almoçado…E sabe o que eu fiz com aquela bosta que tava na minha cueca? Sabe?

VAMOS JUNTAR A FOME COM A VONTADE DE COMER?

Quando éramos crianças, nós não FAZÍAMOS ISSO?

Então:

Sabe o que eu fiz?

Vá ao cinema que o filme é maneiro PRACARAL$#@%


Dolacio Dolacio (25/04/2014 01:02:58)   3 0
Eu não sabia que, neste site, podia escrever comentários com palavras de baixo calão ou palavrões. Acho isso estranho pois acabam denunciando ou avaliando mal comentários que só expressam o que as pessoas pensam. Acaba sendo meio incoerente mas ok !

Dolacio Dolacio (25/04/2014 01:07:04)   3 0
Alias um adendo: não sou moralista ou certinho. Tenho muitos defeitos.

Rafinha Rafinha (25/04/2014 15:14:57)   10 0
Dolácio, foi a última vez QUE FUI AO CINEMA SEM TER IDO AO BANHEIRO PRIMEIRO.


Lucian Lucian (16/04/2014 22:21:00)   109 1
O direcionamento do bullying ser para a cegueira ao invés da sexualidade no filme não é nenhuma incoerência.
Fica claro que no filme ninguém conhecia a sexualidade de Leo até a cena final (que aliás, foi fantástica), então o bullying nunca poderia ter sido por causa disso.
Daria 5 ovos fácil pra esse filme.

Finalmente, minha coleção de DVDs vai ver um exemplar do cinema nacional. Obra-prima.


Noir Noir (21/04/2014 13:35:58)   244 0
Com tanto filme nacional bom por aí, e só agora vai ver um exemplar?

Tá mal, hein?!

Dolacio Dolacio (25/04/2014 00:57:24)   3 0
Eu não compraria mas com certeza indico para as pessoas que conheço o filme. Vale muito a pena vê-lo !


Dolacio Dolacio (14/04/2014 01:56:41)   3 0
Filme muito bom ! Tem drama e humor na dose certa. Nem parece filme brasileiro, parece Argentino. Roteiro, atores, direção, trilha, som, direção de arte, montagem, vale muito a pena: assistam ! E graças a Deus não tem produção e nem distribuição da GLOBO Filmes: o que já é uma grande coisa. Afinal é uma produção paulista.



Rodolfo Rodolfo (13/04/2014 10:46:34)   10 1
Eu daria 5 ovos.

Assisti ontem em São Paulo (sala cheia na Augusta) e saí do cinema com um sorriso no rosto. O filme é excelente, ainda melhor do que eu esperava. Esse sim é um filme nacional que as pessoas precisam ver, ao contrário dessas porcarias que a Globo Filmes lança de mês em mês.


sem avatar Marcelo (15/04/2014 22:09:13)   0 1
Concordo. Filme leve, adorável, bastante humano e que respeita nossa inteligência. Achei que o filme tem o tempo certo, sem pressa, desenvolvendo bem a história e os personagens. Parabéns à equipe.


Ludmila Ludmila (05/03/2014 10:34:12)   -5 0
Este filme é muito bonito, um dos poucos filmes brasileiros que me agradou.



Raphael Raphael (17/02/2014 14:42:40)   -38 -1
Sou heterosexual. Mas tenho que admitir que todos os filmes que eu já assisti com a temática homosexual foram muito bons.

MILK - A VOZ DA IGUALDADE

MENINOS NÃO CHORAM

O SEGREDO DE BROKEBACKMOUNTAIN

TRÊS FORMAS DE AMAR

CAZUZA

e entre outros. No aguardo desse.



sem avatar Luandra (15/02/2014 23:42:45)   2 0
Aberrações! Deus criou omem e mulher!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


sem avatar Filipe (16/02/2014 10:32:37)   2 2
"Omem"...
Tá serto...

sem avatar The (11/04/2014 08:21:28)   8 2
Criou uns jumentos também, tipo você.

sem avatar washington (20/09/2014 16:33:22)   0 0
Que burro! Dá Zero pra ele! bwahahaha


Eric Eric (15/02/2014 03:22:20)   11 0
Espero que chegue na minha cidade, pois quero muito ver no cinema.



Publicidade
sem avatar Kauã (14/02/2014 20:43:19)   2 1
Eu não acho o fato dele não sofrer bullying por ser gay um problema, e não necessariamente isso não reflete a realidade (eu por exemplo sempre fui aberto e nunca sofri com isso na escola, embora eu saiba que infelizmente sou a exceção).

Acho de extrema importância que filmes consigam ter protagonistas gays em que a discussão central não é a homossexualidade. Essa é uma das coisas que eu mais gosto no curta: trata da homossexualidade como algo natural. Em momento algum é motivo de atenção, ela simplesmente está lá.


Lucian Lucian (16/04/2014 22:18:12)   109 1
Até porque o direcionamento do bullying ser para a cegueira ao invés da sexualidade no filme não é nenhuma incoerência. Fica claro que no filme ninguém conhecia a sexualidade de Leo até a cena final (que aliás, foi fantástica), então o bullying nunca poderia ter sido por causa disso. Daria 5 ovos fácil pra esse filme.


Lari Lari (14/02/2014 17:50:34)   -2 -1
Ainda não tive oportunidade mas quero ver tanto o curta como o longa metragem...
Gosto de filmes sensíveis!



Cavill Cavill (12/02/2014 23:12:33)   257 -1
Verei!



Nicolas Nicolas (12/02/2014 20:38:57)   3 1
Oba,sem critica do hessel.

Temia,que ele pegasse esse filme,estou com muita ansiedade xD



sem avatar Connor (12/02/2014 00:55:11)   -8 -1
Nunca ouvi falar desse filme. Talvez porque cultura não é algo muito badalado e as pessoas não se interessem por.



Kobaia Kobaia (12/02/2014 00:11:44)   -2 -3
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

sem avatar Marcio (12/02/2014 00:34:55)   1 0
Desde 1978 com a "Gaiola das loucas" original, acho. Quanto às polêmicas, na minha opinião, conforme a sociedade for evoluindo, elas vão deixando de ser relevantes. Antigamente só por envolver dois homens era polêmico, então a história precisava refletir tal fato. Agora, já dá pra relevar isso e abordar a relação de outra maneira.

sem avatar Pablo (12/02/2014 10:12:45)   28 1
@Kobaia

Esse filme nem trata muito da "polêmica" da homosexualidade, mas sim da descoberta do amor para um menino cego. Ele é bom exatamente em tratar a homosexualidade com naturalidade e não como algo polemizador. Quanto mais minorias da sociedade forem retratada pela arte melhor, pois assim as fazem seres incluídas e não esquecidas/marginalizadas pela sociedade.

sem avatar mario douglas lima (12/02/2014 23:53:49)   1 -1
o titulo e esse pq ele e cego the way he looks ( o jeito q ele olha) faz sentido ao contrario!


Dony Dony (11/02/2014 22:18:39)   5 2
Estou ansioso para assistir. O curta foi de uma simplicidade muito bonita, mostrando que os olhos não são os responsáveis pelo amor, e sim o coração.



sem avatar Pablo (11/02/2014 18:46:54)   28 -1
Ótimo review, eu assisti "Eu não quero voltar sozinho" no youtube e adorei, pelo visto a sequência parece seguir a mesma linha, o que faz eu acreditar que vou adorá-la também.



sem avatar Felipe (11/02/2014 18:39:25)   20 -1
Lembro de assistir o curta no Sesc em São Paulo em 2010. É uma obra com tanto coração que ainda o curta é vivo em minha cabeça.




Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.