Um Plano Brilhante

Demi Moore e Michael Caine em um filme-de-assalto com consciência

10/04/2008 - 17:00 - Marcelo Hessel

Se dá pra dizer que os cineastas britânicos têm uma tradição de colocar a reconstituição histórica no topo das prioridades de seus filmes, Michael Radford (O mercador de Veneza) é um legítimo representante dessa escola. O que distingue Um Plano Brilhante (Flawless, 2007) da infinidade de filmes-de-assalto que vemos hoje é justamente a fidelidade cênica ao material que está sendo trabalhado.

Transcorrem os anos 60 em Londres, e mulheres ainda não têm grandes chances de crescer profissionalmente. Laura Quinn (Demi Moore) chegou ao máximo que podia dentro da LonDi - abreviação de London Diamond Corporation - mesmo sendo uma competente gerente dentro da maior revendedora de diamantes do mundo. A falta de reconhecimento a faz tomar uma medida dramática: ajudar o modesto faxineiro Sr. Hobbs (Michael Caine) a roubar o cofre da LonDi.

Por trás do roubo há um contexto politizado. A LonDi é a versão ficcional de uma gigante mundial do mercado de diamantes no mundo real, a De Beers. Nos anos 60, quando a Inglaterra abriu mão oficialmente de suas colônias, a De Beers e seu braço de venda, a Diamond Trading Company, foram acusadas de explorar empregados nas minas de extração na África. Um Plano Brilhante é a crítica ao "ricos ficam mais ricos, pobres ficam mais pobres" em seu estado original.

Existe aí, portanto, uma justificativa "moral" para o assalto, no melhor estilo Robin Hood, que rende alguns diálogos soníferos sobre responsabilidade, altruísmo e consciência. Se o blablabla não lhe interessar (e Caine faz de tudo para dar estofo a essas falas, com sua dedicação habitual), dá pra atentar aos detalhes, como o corte da saia de Demi Moore condizente com a época, ou o estofado da cadeira, ou a arquitetura dos escritórios - todas essas minúcias que um diretor como Radford costuma valorizar.

Nada contra direção de arte, mas dava para prestar mais atenção ao roteiro de Edward Anderson? Melhor dizendo, não dá pra ficar "mimando" as imagens se o próprio filme não confia nas imagens que produz. Quando Demi Moore recebe um bilhete, a câmera dá um close no que está escrito e mesmo assim a atriz diz em voz alta. E na hora em que um personagem-chave aparece (Clinfton Sinclair, o avalista, olho nele), há outro personagem que praticamente explica para a câmera quem é aquele primeiro. Roteiro que não sabe se apoiar nas imagens é um problema que merece tanta ou mais atenção do que a cenografia.

Veja também:
Um Plano Brilhante
Um Plano Brilhante
Um Plano Brilhante
Um Plano Brilhante
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Comentários

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus
Publicidade

Omeletop As 5+

  • Lidas
Publicidade

Fotos

Game-of-Thrones-quinta-temporada-31Jan2015_18.jpg
game-of-thrones
Bob-Esponja-Um-Heroi-Fora-dAgua-31Jan2015_25.jpg
bob-esponja-2
Jurassic-World-31Jan2015.jpg
jurassic-park-4
X-Men-Apocalipse-roteiro.jpg
x-men-apocalipse
V0wlDU9.jpg
Vingadores: Era de Ultron
PosterCinema EntreAbelhas.jpg
entre-abelhas
Kingsman poster 26nov2014 04
the-secret-service
Run All Night 07jan2015 03
run-all-night
Poster O Duplo2_Alta.jpg
o-duplo
Star Wars VII Tie Fighter arte conceitual 2Jan2015
star-wars-vii
Agents of SHIELD Adrianne Palicki como Harpia
agents-of-shield
Louis-Drax-01.jpg
The-9th-Life-of-Louis-Drax
Publicidade