Crítica: Call of Duty: Black Ops

Série entrega mais um jogo perfeito de tiro

Érico Borgo
16 de Novembro de 2010

Call of Duty: Black Ops

Call of Duty: Black Ops

Call of Duty: Black Ops
PS3, Xbox 360, PCs

Guerra Activision

Excelente
Comprar
Call of Duty
Call of Duty
Call of Duty
Call of Duty

A série Call of Duty especializou-se em lançamentos bombásticos, acompanhados por campanhas de mídia do tamanho - ou maiores - que as dos grandes lançamentos da cultura pop. Contando com esse poderoso aparato de marketing, o início das vendas de novos capítulos da série é sempre acompanhado de recordes - que inflam ainda mais o interesse do público e a consequente arrecadação dos títulos.

A expectativa pelo próximo jogo da série, portanto, está sempre entre as maiores da indústria e público, que sempre respondem à altura. Isso cria um ciclo preocupante para o produto. Com a fórmula do sucesso nas mãos, a Activision não faz qualquer menção de mudar as regras do jogo. Ainda que a ambientação sofra alterações ano a ano, a essência do jogo é, basicamente, a mesma. Estamos jogando o mesmo game de tiro perfeito há alguns anos já. Obviamente, gráficos são aprimorados e tramas mirabolantes recebem investimento, assim como o realismo em termos de armamentos, respostas aos controles e visual, mas Call of Duty segue com pouquíssimas novidades de um jogo a outro - o que não necessariamente é ruim, caso você saiba exatamente o que esperar.

Call of Duty: Black Ops segue essa tradição da série. Emprega a mesma jogabilidade que seus antecessores, especialmente o último, Call of Duty: Modern Warfare 2, mas apresenta trama bem particular. A ação começa com um agente das forças especiais, um operativo secreto, sendo torturado. Seus captores querem informações sobre sua participação em eventos ocultos da história militar dos EUA. Somos levados a jogar as memórias desse veterano, Alex Mason, durante a os "anos de ouro" da Guerra Fria.

Os cenários passam pela ilha de Cuba (com a polêmica sequência de Fidel Castro), seguem até Washington - onde os próprios Robert McNamara e John F. Kennedy passam suas ordens -, e invadem países como o Vietnã (no sul e no norte), Hong Kong e a União Soviética, tudo misturado a cenas de arquivo históricas costuradas com ficção que remonta à Segunda Guerra Mundial e os nazistas. Dessa forma, Black Ops entretêm com um mistério a ser desvendado através das fases segmentadas através da história recente e jamais parece enfadonho pela sucessão de cenários parecidos, problema encontrado em vários títulos do gênero. Essa ideia de flashbacks possibilita grande variedade de ambientes e situações, ainda que pouquíssimas delas saiam do trivial "avance ao objetivo para ser seguido pelos seus camaradas e obter um novo objetivo". Curiosamente, se você conseguir correr de um objetivo ao outro, nem precisa atirar.

O visual é fantástico, seja nas densas florestas do Vietnã ou nas montanhas nevadas onde se esconde uma fábrica nazista. A fidelidade dessas locações parece emular grandes filmes passados nessas épocas - com direito a direção de fotografia variando conforme o cenário. Tudo, claro, em meio a muito tiroteiro e (belíssimas!) explosões. Além disso, os fãs da franquia devem celebrar o fato de que desta vez a campanha para um jogador é 30% maior que a curtíssima campanha de Modern Warfare 2... ainda que continue bastante curta (apenas 6 horas aproximadamente). Para que se aproveite o investimento no game em sua totalidade é necessário encarar as partidas online e o curioso módulo zumbi.

O gamer veterano vai se sentir em casa no multiplayer - a Activision sabe que tem um dos melhores sistemas de jogo online do mercado e focou-se em aprimorar apenas as áreas que realmente precisavam de alguma novidade, para manter os jogadores entusiasmados. Ao lado de novos mapas e armas, o acúmulo de experiência dá acesso a várias personalizações possíveis e prêmio. Outra novidade benvinda é o sistema monetário, os Call of Duty points, que vão ainda mais fundo nas personalizações de personagens. Quanto mais você jogar, dependendo do seu desempenho, mais reconhecível ficará no campo de batalha. Para aumentar ainda mais a diversão, esses pontos podem ser apostados: pague 50 pontos garantindo ao game que esfaqueará um inimigo pelas costas e, se conseguir dentro do limite de tempo, você receberá 100 pontos. E esse é apenas um dos exemplos mais simples, com algumas dessas apostas - chamadas "contratos" - podendo render milhares de pontos e experiência extras. Esse sistema possibilita também partidas dignas de uma noite de milionários em Las Vegas... com apostadores de elite enfrentando-se pelo prêmio total.

Obviamente, entrar em combate multiplayer tendo jogado apenas a campanha do game, renderá ao jogador muitas e muitas mortes. Por melhor que você seja jogando o modo de história, a imprevisibilidade dos jogadores humanos é um desafio completamente diferente. Mas se você precisa de um pouco de autoafirmação antes de colocar o pé na arena online, a Activision criou um ótimo modo de treinamente, no qual você pode estudar os mapas antes e não se sentir perdido quando resolver, enfim, se arriscar no multiplayer. Nele, a inteligência artificial dos oponentes pode ser adequada ao seu nível de jogo - e você pode melhorar gradualmente conforme se sentir mais confiante.

O pacotão de Call of Duty: Black Ops é completado pelo modo cinematográfico (Theater), em que você pode rever sua performance nas diversas fases, tirar fotos de tela e até editar segmentos de jogo. O outro é o jogo cooperativo para até quatro pessoas (duas com tela dividida ou quatro online) ambientado em uma dimensão cheia de zumbis. O tema surgiu no primeiro Modern Warfare, passou por Modern Warfare 2 e agora chega a Black Ops com direito ao controle de figuras históricas que aparecem no game. Mais divertido e inusitado, impossível.

Por continuar no topo da cadeia alimentar dos jogos de tiro em primeira pessoa, Call of Duty: Black Ops novamente recebe nota máxima. Mas que seja a última vez que isso acontece graças a inovações que são meramente estéticas ou de integração social. O próximo Call of Duty tem que apresentar algo que traga alguma novidade ao gênero e mantenha a franquia surpreendendo seus seguidores. Eles garantem que vão... esperamos que consigam.

Leia mais sobre Call of Duty



Comentários (30)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Leonardo Leonardo (19/02/2012 21:46:40)   1031 -1
game muito bom só deixou a desejar o modo zumbi que é um lixo



Matheus Albano Matheus Albano (10/07/2011 22:57:38)   133 -2
Concordo coma parte da campanha, 5 estrelas mesmo mas o multiplayer não passa de um DLC caro de Modern Warfare 2



Coruja Coruja (29/05/2011 21:57:19)   193 -1
Um dos melhores jogos de tiro que já joguei!



sem avatar Bruno (14/05/2011 23:13:35)   -1 -1
Pessoal, vamos acordar, o jogo sai mais rápido pq é desenvolvido por duas Empresas, Treyarch e outra pela Infinity ward



sem avatar Rogério (01/03/2011 15:52:03)   -4 0
tira cinco no omelete eh a coisa mais facil do mundo, pelo amor de deus



sem avatar Lucio (28/12/2010 23:45:36)   8 1
Mais do mesmo. Goldeneye 007 pra Wii, apesar de usar descaradamente a engine do Call of Duty, é infinitamente superior a Black Ops. É pena que só tenha saído pra uma plataforma, caso contrário, teria muitas chances de ser melhor recebido e apreciado tanto pela crítica quanto pelos jogadores. A jogabilidade é mais suave, os cenários bem trabalhados e consegue ser uma bela releitura da história do filme de 1995.

Faltou um pouco mais de inspiração em Black Ops. Ainda sim, é perfeito pros filhotes de lan-house e fanáticos por FPS com gráficos top de linha.



vinicius vinicius (12/12/2010 21:34:37)   16 0
Jogo sem nenhuma inovação é o que resume esse



sem avatar 1berto (05/12/2010 16:00:19)   3 0
"..tão pouco tempo de desenvolvimento..." Talvez o colega saiba mas com certeza muitos não sabem, a série é produzida em dois 'galhos' um da IW (Criadora do engine e da franquia) e outro da Treyarch... MW e MW2 são da IW e WatW e BO são da Treyarch. Reparem que as versões são alternadas, por isso o 'tempo tão reduzido'.



sem avatar 1berto (05/12/2010 15:58:09)   3 0
Se a Treyarch consegui se recuperar e manter o nível do MW2 acho difícil a Infinite Ward mudar o tom para a próxima sequencia. Eu não vejo nenhuma aposta em algo diferente por perto, BF e MOH tiveram sua chance (quando o WatW não manteve o nível do MW) e não aproveitaram (e na minha opinião continuam bem abaixo) agora dá-lhe COD.
Jogo de Guerra mesmo acho q não virão novidades (exceto se um dos concorrentes resolver arriscar de verdade). Mas talvez as 'fontes de engines' (leia-se ID, Valve e Epic) resolvam fazer também jogos para valer, já que se depender de MOH e BF COD vai continuar ganhando milhões fazendo mais do mesmo.



sem avatar gabriel (25/11/2010 15:02:39)   -2 0
jogo otimo,armas perveitas,otimo jogo,sensura idiota,etc,etc,mas gostei do jogo 4 ovos



Publicidade
Paulo Paulo (22/11/2010 17:35:28)   30 1
Pois é Marcelo !! Manda seu currículo pro Omelete já que tu manja tanto!!! Phoda-se a crítica do Omelete !!! Se não gosta compra a m3rda do jogo e faça você uma crítica descente !!!



sem avatar Marcelo (18/11/2010 14:37:55)   1 0
Cara o Omelete tem que parar de Fazer criticas de Games, ou contratar alguém que saiba que ta fazendo.
Um jogo sem nenhuma inovação ganha Cinco ovos. Não estou dizendo que o jogo e ruim só que pra ser cinco estrelas tem que ser incrível tipo CODMW ou recente Halo Reach. Parece que ele deu Cinco ovos por que o jogo diverte... Pra mim pra ser cinco estrelas não basta divertir tem que ir alem.



sem avatar Alexandre (18/11/2010 00:18:14)   -69 0
COMPROVADO... o pessoal do Omelete
é noob pra games.

esse CODBO nao passa do MW2 com novas skins, a serie COD atingiu o apice no COD4, de la pra ca, ladeira abaixo, vive só de nome e marketing, MW2 tem campanha sem pe nem cabeça e corrida e um multiplayer horrivel, o BO é a mesma porcaria. quer FPS hardocore macho mesmo? Bad Company 2 e Killzone 2, o resto é coisa de criança



Eduardo Eduardo (17/11/2010 19:53:05)   60 0
Na boa. Não é nem que eu esteja de saco cheio de FPS. Não é o caso.
Mas eu realmente não entendi porque tão chupando tanto o saco desse jogo.
O MW e MW2 foram realmente fodas.
Esse pra mim foi muito mediano, não trouxe nada de novo pra mesa, e ainda é fragmentado pra CACETE.
Os levels tem meia hora no maximo!
Jogo de guerra tem que ter pelo menos uma campanhazinha né? Longe de ser um COD isso. Pra mim foi um jogo que não teve bolas para sair com outro nome, e foi na saia dos COD. E todo mundo paparica!
Que venha o MW3!



Kaos Kaos (17/11/2010 16:45:29)   1840 0
Prezados, qualquer jogo que tu jogar em servidores gringos terá lag, ou menos ou mais, joguei em servidores Brasileiros que tu não vai ter lag nenhum!



alekis alekis (17/11/2010 16:42:37)   -27 1
SPOILER..................
O tema da guerra fria foi exposto de forma muito confusa. Resnov enche muito o saco com seu heroísmo exagerado (gritos de guerra durante uma batalha em Stalingrado seria bacana, mas em uma fuga da prisão com toda aquela bravura foi demais pra mim).

Eu esperava mais realismo que o tema da guerra fria exige. Tantas histórias bacanas de espionagem URSS/EUA e Black Ops opta para o foco em somente um personagem.

As fases não seguem uma ordem linear de dificuldade, tanto que a última fase parece ser a mais fácil de terminar.

Me decepcionei totalmente com Black Ops, portanto sigo firme com meu Halo Reach e MW2.



Alan Alan (17/11/2010 09:07:48)   -2 -1
Concordo com o Érico Borgo em tudo, mas o modo multiplayer tem uma falha grave e notória: lentidão no tempo de resposta. O famoso LAG. Pelo menos para os jogadores no Brasil. E essa não é uma reclamação exclusivamente minha, os bons jogadores que conheço também tem a mesmas opinião.
Isso é facilmente comprovado. Logo após uma situação em que se da de cara com um inimigo e ambos começam a atirar e você leva a pior, basta observar o replay do evento. Muitas vezes, mesmo tendo atirado sem parar, o replay não mostra isso. É como se você não tivesse atirado.
Falha inaceitável para um jogo em que o tempo de reação é tudo. Infelizmente isso é frustrante...



Caio Caio (17/11/2010 06:39:16)   51 0
Antes a hístória era escrita pelos vencedores em livros. Agora é nos games. Que merda.



M. Galego M. Galego (16/11/2010 23:16:40)   151 0
Joguei COD4MW e COD4MW2, babando pelo roteiro do single player. As tramas são muito bem elaboradas, aliadas a gráficos e jogabilidade excelentes. Pelo jeito CODBO não decepciona. Se um dia alguém aprender a fazer filmes baseados em game, espero que peguem um desses para trabalhar. Os dois primeiros MW da franquia COD dão de dez a zero em filmes como "Guerra ao Terror"!



Kaos Kaos (16/11/2010 22:42:09)   1840 0
O Érico definitivamente não jogou o multiplayer, que tem muiiitas novidades. E esse jogo realmente mereceu nota máxima, ele é épico, muito melhor o MW2 e tão bom ou até melhor que COD4. O que mais intriga é eles chegarem a um resultado tão foda em tão pouco tempo de desenvolvimento.



Publicidade
Romildo Romildo (16/11/2010 21:59:19)   46 0
No Single player, foram as melhores 6 horinhas do ano na frente do PC, jogo animal!



troll troll (16/11/2010 21:17:41)   0 0
valeu apena defender esse jogo de certos trolls(mesmos antes de eles serem intitulados pelo felipe neto), eu sabia instintivamente que esse jogo ia fazer juras ao nome! XD



Romeu Romeu (16/11/2010 20:01:00)   105 0
Boa análise do Erico Borgo. Black Ops, pra mim, não é só o melhor jogo do ano, como a melhor campanha (embora, realmente curta) que já joguei. Apesar da parte dos zumbis (as Special Ops do MW2 são muito melhores), qualquer elogio feito a ele é merecido.



Natork Natork (16/11/2010 18:04:19)   0 0
Recebi o meu hoje! Ótimo jogo. Nem sou muito fã de FPS, mas Black Ops é um jogo que merece ser jogado por todo mundo que gosta de games.

Excelente análise do Érico Borgo!



Raphael Raphael (16/11/2010 18:04:18)   -10 0
a campanha tá bem boa.. agora o multiplay do MW 2 bem melhor. Como disseram em outros sites o multi precisava dar uma polida, é meio rústico, não tem os detalhes e aprecisão do MW2.



Renato Renato (16/11/2010 17:52:46)   0 0
ótima critica, parabens érico, e no próximo call of duty esperamos realmente novidades reais para merecer os 5 ovos!



Diogo Diogo (16/11/2010 16:30:07)   16 -1
Melhor jogo do ano! Sem dúvida!



Renan Pacheco Renan Pacheco (16/11/2010 16:28:58)   -2 0
16/11/2010 - Eu adoro FPS, mas eu ja torrei o saco, parei no meio do Medal Of Honor, foi meio, eu ja joguei esse jogo antes, por mais que esse novo COD seja otimo, ele é mais do mesmo. O que salva pra mim é o multiplayer, contra outra pessoas muda alguma coisa, mas apenas aprimorar as areas, porra, eles tão achando que eles tem o melhor multiplayer do mercado, então vai ver o Bad Company 2, pra mim insuperavel, melhor multiplayer que eu ja joguei.

Agora eu espero que o proximo game da franquia demore um pouco pra sair, assim a gente não enjoa da formula. Não é futebol pra sair um por ano. Deus, compro ou não? Se eu compra eu sei que não vou terminar ele, vai ficar encostado, mas e a vontade de ver como é que é.




Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.