Crítica: Castlevania: Lords of Shadow

Game funciona, mas não é o reinício desejado da série

Érico Borgo
19 de Outubro de 2010

Castlevania: Lords of Shadow

Castlevania: Lords of Shadow

PlayStation 3, Xbox 360
Japão , 2010 - Aprox. 20 horas
Ação / Aventura Konami

Bom
Castlevania
Castlevania
Castlevania
Castlevania
Castlevania

Ainda que seja um ótimo jogo, Castlevania: Lords of Shadow exemplifica algumas mudanças problemáticas que acontecem na indústria dos games na atualidade.

A chamada "ocidentalização" de certas franquias é o primeiro deles. Antes o mercado japonês de videogames desfrutava de uma solidez que ditava tendências dos jogos eletrônicos no mundo todo. Agora, em declínio, as empresas nipônicas precisam submeter-se aos gostos dos jogadores dos EUA e Europa. Franquias como Devil May Cry (que passa por uma polêmica reestruturação) e Castlevania deixam suas raízes mais graficamente exageradas em nome de um realismo mais abrangente e genérico. Perdem-se assim características marcantes como a frenética trilha sonora orquestrada, os protagonistas exóticos/andróginos e outras afetações de estilo visando o lucrativo apelo global.

Outro problema sério é a falta de criatividade cada vez mais presente nos grandes lançamentos. Castlevania, outrora um marco do gênero plataforma, agora limita-se a enfiar em um título só jogabilidade copiada de God of War e Shadow of the Colossus (as escaladas e titãs). Espera-se mais inovação de uma franquia prestes a completar 25 anos.

O último jogo de Castlevania para os consoles de ponta, Castlevania: Curse of Darkness, lançado em 2005, agradava justamente pelo viciante estilo de jogo. Só as possibilidades em armamentos (criados a partir de elementos deixados em condições específicas pelas criaturas) eram capazes de gerar verdadeiras compulsões. Lords of Shadow, por sua vez, limita-se a levar um passo adiante tudo o que foi construído pela Sony em God of War. A linearidade das fases, a câmera fixa, os quebra-cabeças, a arma de longo alcance (ainda que o chicote seja marca registrada de Castlevania), o sistema de combos, a distribuição de pontos em habilidades... está tudo lá. E se Kratos desfruta de uma barra de magia, Gabriel Belmont, o novo protagonista de Castlevania, tem duas - uma de luz, outra de sombras -, além de uma terceira, de foco.

O aprimoramento funciona. A combinação de magias de luz (que enchem a energia) com as de sombras (mais devastadoras) torna o combate em Lords of Shadow estratégico como poucos. É dificílimo vencer as criaturas sem empregar as habilidades mágicas do herói... mas o problema é que elas duram muito pouco. Para enchê-las só mesmo jogando bonito, atingindo e não sendo atingido, o que afasta este Castlevania do estilo "button masher" de God of War e suas cópias.

Nesse ponto, o jogo da Mercury Steam, supervisionado por Hideo Kojima através de sua Kojima Productions, agrada bastante. O problema é que se levam horas - no mínimo 5 ou 6 - para começar a desfrutar de verdade dessa estratégia. Com as cada vez mais amplas possibilidades de entretenimento no mercado, contar com a paciência do jogador para esperar tanto tempo até que o título adquirido efetivamente comece a ficar divertido é uma aposta arriscada. A história, afinal, não tem novidade alguma... guerreiro perde a esposa, parte numa cruzada para ressuscitá-la e, no caminho, vingar-se das forças malignas que dominaram o mundo e a tiraram dele. Você já viu isso... não dá pra esperar que o gamer fique fascinado com essa aventura genérica, narrada por atores conhecidos de Hollywood como Patrick Stewart, Robert Carlyle e Jason Isaacs, e resolva jogar Lords of Shadow para saber como ele termina. É a experiência de jogo que conta - e o nome de Kojima, o criador do revolucionário Metal Gear Solid, deveria ter contado para alguma coisa aí além das longas cutscenes.

O prometido estilo de "mundo aberto" de Lords of Shadow é igualmente decepcionante. Todas as fases previamente visitadas podem ser novamente acessadas, mas é só isso. A linearidade, forçada frequentemente por paredes invisíveis, é presente em todas as fases, com itens escondidos aqui e ali, quase sempre exigindo um "faça um upgrade de sua arma e volte mais tarde" para que se possa obtê-los. Em um jogo que quer depender da paciência e do desenvolvimento da história para cativar o jogador, essa ideia de revisitar fases é absurda. Cada segmento já visitado (detalhado no mapa em porcentagem e revelando quais necessários itens permanecem escondidos) é completamente reiniciado a cada retorno, ou seja, voltam todas as cutscenes (que ao menos podem ser puladas) e chefes de fase, o que tira toda e qualquer relevância narrativa do game. Dessa forma, você não revisita a geografia das fases, mas o jogo velho, já vencido. Para o tipo de games que eu espero com nomes como Castlevania e Kojima, isso definitivamente não é algo que me agrade.

Enfim, curiosamente, mesmo com a falta de originalidade e os defeitos citados, Castlevania: Lords of Shadow entretém. Os belíssimos gráficos e o bom combate equilibram a balança. Não é o reinício arrasador que eu torcia para a série, mas ao menos funciona e mantém o nome "Belmont" vivo para as novas gerações.



Publicidade

Comentários (95)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

sem avatar Davi (17/03/2014 13:26:31)   2 0
O Lord of Shadow é um puta jogo foda , ele pode copiar o Shadow of the Colossus e God of War , mas o God of War e o Shadow of the Colossus são jogos otimos e o final tem climax que causa um orgasmo nerd.Merecia 4 ovos



V de Vingança V de Vingança (01/07/2013 21:22:06)   2 0
Na boa o Érico tá exigindo demais sabe, esse jogo foi muito bom, há 3 anos atrás, eu não queria comprar esse Castlevania (mesmo sendo um fã da série, desde criancinha) justamente pela crítica, eu pensei que o jogo não iria me agradar. Porém em 2012 eu joguei o jogo na casa do meu primo, no Xbox dele, e gostei demais. Na boa o melhor jogo da série para mim é o Symphony of the night, mais o Lords of Shadows é ótimo, lembra um pouco o God of War, mas não tanto quanto Dantes inferno (que eu não consegui nem jogar justamente por ser uma cópia do God of War). Então eu comprei um para o meu PS3, e o jogo foi me impressionando cada vez mais, o jogo não cai na "mesmisse", tem desafios bem mais complicados que os de God of War, e quanto aos gigantes, eu me lembro de ter matado apenas 3, e mesmo assim, são dois no início do jogo, e outro no final. O jogo mostra mesmo criaturas monstruosas, e do universo de Castlevania, são Vampiros, Lobisomens, espectros, demônios, personagens que deixam as lutas interessantes. E diferente do que o Borgo falou, eu não comecei a me divertir após 5 ou 6 horas de jogo, eu me diverti desde o início.

E quanto a narrativa, é muito boa, acho que o Borgo não zerou o game, para falar que todos já sabem o que acontecerá no final, por que o final é demais de tirar o fôlego, pois além de ser super dramático, traz reviravoltas e surpresas. E os chefões me agradaram muito, a dificuldade do jogo é grande, mais quando você pega o jeito fica até gostoso.

Hoje quando eu zerei, a única coisa que me veio na cabeça foi "esse é um jogo que todos devem ter na sua coleção".

Claro tem seus defeitos, os combos por exemplo são um grade defeito, são muitos combos, que Gabriel possui, e você usa apenas dois ou três, e realmente o fato de o jogo ter fases, e toda vez que você quiser voltar você tem que brigar com os chefões e os mesmo personagens, incomoda.

Porém é sim um bom reinicio a uma série muito boa, na minha opinião. Merece 4 estrelas.



sem avatar Rodrigovisk (19/06/2012 20:39:22)   -1 -1
A crítica ficou muito bem feita. O novo Castlevania mudou radicalmente. Passou de um estilo gótico para um estilo "Idade média". Eu particularmente, esperava muito mais do "reinício". Claro que a música não é mais a mesma, pois como eu já disse, o jogo era gótico e quem faziam as músicas era Michiru Yamane que já saiu da KONAMI. Apesar de Curse of Darkness ser o ultimo antes desse, eu não agrado de nenhum dos dois. O que me encanta é o anterior ao Curse of Darkness, o Lament of Innocence, trilha sonora impecável, excelente jogabilidade, pena que com monstros pouco assustadores e com um final muito curto (zerei ele em 8 horas!). Enfim, fica muito a desejar do novo Castlevania..



sem avatar Gustavo (17/05/2012 20:53:54)   1 1
Tem uma galera viajando nos comentários, sem contar que a matéria também poderia aproveitar muuuuuito mais os pontos fortes do jogo. Comparar com God of War é perda de tempo. Lembro-me dos tempos de Age of Empire, não podia sair um novo game no mesmo estilo que logo vinham os comentários querendo fazer comparativo. De God of War, Castlevania só tem o estilo. O jogo é bastante empolgante, não me lembro a última vez que joguei um game com tanta dinâmica, vários comandos, uma série de golpes empolgantes, bastante impacto quando os golpes são desferidos. Outro coisa que me agradou muito foi o sistema de armas. Na medida em que o jogo se desenrola é possível conseguir melhorias que fazem toda a diferença nos combates. Quantos aos gráficos, sem comentário... os cenários são lindos, só lembrados mesmo pelo Shadow of the Colossus.



welben welben (16/04/2012 16:35:40)   -6 0
não é uma questão de analisar um jogo comparando com outros. LOS pega muito de GOW e SOC, na cara-de-pau mesmo. esse jogo é muito bom, mas não tem personalidade de Castlevania. é isso que o autor do texto quer dizer.
Nota: Curse of Darkness agradou a quem? esse jogo foi a maior porcaria mal acabada que lançaram com o nome Castlevania. Feio, repetitivo, com um sistema que não empolgava, história mais rasa que um pires; o exato oposto do Lament of Innocence, um ótimo jogo totalmente ignorado pela mídia ignorante que se diz especializada em games



sem avatar giovanny (19/12/2011 18:43:01)   6 -1
jogo castlevania des da época do nintendo 8 bits (castrlevania 1, 2, 3), joguei no super nintendo e joguei no ps 1(um dos melhores jogos da série), na minha opinião este jogo tinha tudo para dar certo, mas deu tudo errado, narrativa lenta e amarrada, músicas péssimas, ainda não vi referências aos jogos anteriores, camera sem movimentação, enfim estou jogando pois comptrei e sou fã, mas esta sendo uma decepção até o momento, uma verdadeira falta de respeito com a franquia, o mesmo jogo com outro nome seria aceitável, mas como é um castlevania, está muito aquém do que deveria ser...
esta me lembrando a decepção do golden axe...



sem avatar Alexander (13/10/2011 03:11:44)   207 3
Joguei, me diverti, achei a história incrível e o final... Meu Deus, foi impressionante. Não concordo mesmo com a crítica, afinal, o que raios vc analisa em um jogo? suas similaridades com outros (exclui-se então todos e fique só com os do NES) ou se ele cumpre seu papel?
Castlevania é gótico, medieval, sombrio, tem uma trilha pra mim só superada por Shadow of Colossus, bem trabalhado e com um mundo (ou dois) de possibilidades. Parece que povo aqui queria um RPG online com personagens afeminados e depressivos. Agora, a luta contra os titans, me deu algo pra pensar: como um cara com uma corrente mata um bixo daqueles em um campo aberto, tem de subir mesmo em cima. se gabriel é uma maquina de matar, é óbvio que ele vai finalizar os oponentes de maneira medonha. se tá passando na Europa, óbvio que ninguem ali vai ter "olhos grandes e expressivos" Ocidentalizar, meu o jogo se passa na europa medieval e nao no japao feudal (Dawn of sorrow, drácula em um templo japones)
Enfim, não vi objetivo nessa crítica. a tentativa do Kojima foi bem-feita e bem trabalhada, como se percebe em cada momento no jogo, a mitologia, ampliada e abordada de uma maneira que me fez esquecer os jogos anteriores e mesmo lembrá-los com as citações. Foi um bom reinício, manteve o clima gótico, a sombriedade do personagem e o drama. Espero ansioso por uma continuação, só tenho de reclamar da Baba Yaga, queria ver ela na sua "juventude"



Fábio Fábio (23/05/2011 14:39:10)   2 1
Poxa galera, gostei muito do jog sim, estas criticas só sabem comparar God or War... Poxa tem outra coisa pra se falar não é?!



sem avatar Rodolfo (27/04/2011 23:16:25)   -2 -2
Eu achei o jogo bom... mas só isso, concordo plenamente com o Borgo.
O jogo não mostrou nada de original, alias por mim ele nem seria chamado de Castlevania, pois não merece esse nome, só Lords of Shadows tava ótimo como titulo.
Quando joguei me veio à memoria tudo, menos Castlevania, me lembrei de Lord of the Rings, Van Hellsing, Shadow of the Colossus, God of War, Prince of Persia, menos o bem dito Castlevania. Ocidentalizou demais mesmo, e com o devido respeito Frank, voce deveria se tratar dessa homofobia, pois eu considero os jogos Final Fantasy dahora justamente pelo estilo dos personagens, Kuja de FF IX é super homo, e nao deixa de ser dahora, o problema de jogos ocidentalizados é que basta seguir em frente e apertar um botão que ta tudo certo, uma hora chega no fim, por isso abro mão de jogar a série RE a partir do 4, não tem sentindo, não me assusta, não é survival horror, é um shooter qualquer, shooter por shooter prefiro Crysis, RE, GoW, DMC meu irmão de 12 anos já zerou, ou seja o nivel de dificuldade está deprimente.



Paulo Paulo (24/04/2011 17:46:28)   0 0
Sou muito fã de castlevania, ja joguei todos os jogos da serie, e não sou nada contra que o "velho jogo de plataforma" seja mudado para os tempos atuais, porem oque nós vemos no LoS é uma copia do GoW mesmo.
Joguei ele e fechei ele, claro, o jogo é muito bom, mas definitivamente, NÃO é castlevania.
Eu estava jogando e só percebi que o jogo era castlevania quando vi a capa.

faltava aquele velho estilo castlevania, assim como no curse of Darkness, que alias é o melhor castlevania da nova geração.

Recomendo o jogo, menos para quem quer jogar castlevania



Publicidade
João Vicente João Vicente (01/02/2011 16:30:37)   -1 0
Algumas pessoas defenderam o jogo, e o gosto pessoal de cada um pelo título não pode ser "regrado"; o que eu não gostei pode ser excelente pra você. Mas algumas coisas são FATO: 1)LoS é sim, muito mais uma mera cópia de GoW do q um Castlevania novo (e isso é ruim, péssimo na verdade, pois eu não preciso comprar outro disco pra jogar a mesma coisa). 2)O protagonista ficou MUITO legal, o desenho da arma dele, perfeito, a ambientação na idade média, excelente. Mas só isso não muda a jogabilidade "batida" escolhida pela Konami.
3) Onde estão todos elementos de Castlevania que poderiam ser "recriados" para a nova geração? A variedade de inimigos? Pegar novos itens e magias? Cenário REALMENTE aberto? o Erico tem toda razão quando critica a ocidentalização do jogo, pois a Konami simplesmente abandonou a herança dos bons jogos de Castlevania, e copiou jogos que todos conhecemos (será que ninguém mais percebeu as lutas IGUAIS a Shadow Of Colossus? IMPOSSÍVEL!!!).

A verdade é que gostei dos gráficos, e fiquei realmente interessado na história (a origem criada para o nome Belmont foi PERFEITA). Faltou uma jogabilidade mais interessante.

Sinceramente, se você gostou de LoS, tudo bem, gosto é pessoal, mas É uma cópia de GoW, e depois de ter jogados TODOS GoW, eu não preciso de outro.

OBS: edemar: ocidentalizar não significa dizer q um é melhor ou pior q outro. Quer dizer abandonar a sua própria "herança" para copiar o que é moda no resto do mundo. "Influência" pode ser bom, inovador. Copiar é diferente. é o q acontece em LoS.

Samael: sinceramente, onde vc leu que o Borgo queria jogar um Castlevania em 2D? O jogo pode mto bem ser em 3D, e ter sua propria identidade.

Te mais pra comentar, mas agora cansei :P


Alexandre Fernandes Alexandre Fernandes (05/12/2011 15:26:35)   0 0
Oi,Pessoal! Eu também joguei L.O.S,e apesar de não conhecer os outros títulos de Castlevania...,gostaria de dizer que cada um têm uma opinião formada sobre seus jogos preferidos! Eu,particulamente, sou FÃ do G.O.W,fechei todos! E achei L.O.S muito parecido,assim também como o Inferno de Dante! Todos com a mesma história de um homem que perde a esposa e sai em busca de Vingança para tentar trazer a "Amada" de volta em Vão! São jogos parecidos com personagens diferentes! São jogos de Ótimos Gráficos! Eu gostei muito! Entendo, o porque, dos fãs de Castlevania estarem totalmente decepcionados,pois esperavam mais do novo game,ou que pelo menos encontrassem ali algo relacionado ao jogo original! Sei que é difícil! É quase a mesma coisa quando vemos esses Jogos irem pra Telona do Cinema...,eles nunca são fiéis ao jogo concordam?! Ou alguém ae esqueceram o que aconteceu com a adaptação que fizeram com Resident Evil,Silent Hill,Alone In The Dark e Príncipe da Pérsia?! Finalizando...,espero que "Eles" continuem fazendo Games desse tipo para nos divertirem pois críticas sempre teram e ninguém pode agradar à todos! Abraços!


edemar edemar (21/01/2011 14:18:25)   -12 1
paga 200 paus pq quer...


Bom eu zerei esse Castlevania e digo: há mt tempo não me empolgava com um game da série. Esse eu gostei e mt e aguardo a continuação.

Sim, a meu ver, foi um reinício da franquia sim. pelo amor d Deus, só tinha castlevania horroroso no ps2, até tinha deixado esse selo de lado, mas agora tenho vontade de jogá-lo novamente.

Esse negócio que daki a 5 anos todos os games vão ter a msm cara, é furada pq se for assim, as vendas vao cair. O q acontece agora é uma tendência dos próprios gamers.

Ocidentalizar é ruim? Não acho. Tem mt jogos ocidentais bons, assim como orientais péssimos e vice-versa. Esse papo nerd não me convence. Se o ocidente é tão ruim, pq ficam pagando pau pra merda do Scott Pilgrim. façam-me o favor. Quem quiser jogar blz, quem não quiser dane-se. Não gosto de games de esportes, nem por isso fico enchendo o saco dos outros que gostam.



Samael Samael (17/01/2011 19:01:56)   65 1
Terminei Lords of Shadow na semana passada e fiquei de queixo caído com o final. Muito bem bolado e feito sob medida para que a legião de fãs já comece a implorar pela continuação. Afinal, quem não vai querer jogar como "Gabriel" na próxima sequência? :-)

Ah! Não entendi muito bem qual é a bronca do Borgo. A tal ocidentalização está mais para paranóia borguiana. O que existe apenas é o tipo de jogabilidade que mais agrada a maioria dos gamers de hoje, nisso inclusos brancos, pardos, amarelos, ETs e etc.. Castlevania buscou trazer seu enredo clássico para esse novo mundo de possibilidades.

Fico me perguntando se o Borgo por acaso não teve um chilique quando lançaram Prince of Persia em uma versão que não era mais 2D. Deve ter subido num poste e bradado aos quatro ventos:

"Malditos ocidentalistas que agora fazem tudo em 3D! Se era para trazer Prince of Persia para os novos tempos, deveriam tê-lo feito em 4D porque é isso que eu espero do primeiro game que foi feito para PC!".



sem avatar Oziel (24/11/2010 13:34:52)   2 1
Com todo respeito aos fãs da franquia. Acho que os que mais estão levantando defeitos são justamentes os que estavam esperando elementos dos títulos clássicos e não uma renovação de enredo.
Como não joguei, não posso fazer este tipo de comparação, e talvez, por isso tenha gostado bastante.
Aliás só joguei LoS por insistência de um amigo, uma vez que nunca me empolguei à época do snes. Qual não foi minha surpresa. Minha diversão foi comparável (quiçá maior) a GoW 3. Tenho meus contras, claro, e são vários, diga-se de passagem, mas nenhum deles tirou minha empolgação do jogo. Quando estava lá pelo capítulo 8 comecei a sentir uma tristeza em pensar que o jogo já estava acabando. E isso meus amigos, é algo que não sinto a algum tempo.

Interessante o critério de análise. Fui pesquisar outras críticas negativas ao jogo e percebi que a produção do jogo tem bastante peso. Bem, talvez se análisasse por este ângulo talvez chegasse à mesma conclusão, mas no final o que importa é minha diversão.
Mas vejam como é gosto. Eu odiei Bayonetta e Enslaved, mas ambos receberam 4 ovos do honorável Borgo-san.



Komamura Komamura (17/11/2010 12:21:14)   -8 0
Agora num venham me falar que querem um castlevania emo e japones como os anteriores, isso sim é clichê! ou então vocês estão jogando tanto video game que qualquer trabalho bem feito vira tédio



Komamura Komamura (17/11/2010 12:18:48)   -8 0
po galera! vcs ficam falando da similaridade com o GOD OF WAR como se fosse ruim, o que vocês esperam então?? por que hoje em dia os jogos deveriam ser obrigados a serem cinematográficos como agora, jogos que envolvem, o clima a ambientação, é o que torna bastante envolvente, além do mais o jogo é desafiador a ponto de não querer parar, isso ja é ótimo e se vocês tiverem uma idéia melhor eem relação a nova criação de história
mandem ver e façam dinheiro



sem avatar igor (16/11/2010 14:40:38)   0 0
Meu jogo chegou nessa ultima sexta-feira, e realmente apesar de pouco tê-lo jogado, pude perceber muitas das características acima enumeradas, principalmente a semelhança com o estilo GOD OF WAR (o qual eu sou fã, incondicional...) e uma certa lineariadade nos cenários pelos quais passei. De qualquer forma, os gráficos e as movimentações de Gabriel e dos inimigos são espetaculares. Ainda não pude observar os poderes mágicos (estou com menos de 3 horas jogadas...), mas assim que eu tiver experimentado, eu postarei aqui. Grande Review.



sem avatar Felipe (30/10/2010 02:09:25)   -1 0
Acho q as produtoras de games japonesas deviam parar de se preocupar com os mercado mundial, e deveriam voltar a olhar pro proprio umbigo como sempre fizeram!!
Alias, ainda fazem isso, mas em menor escala, vide Tatsunoko vs Capcom, q inicialmente era so para o mercado japones, ou Green Grimmoire q e um jogo bem ao estilo japones.
Acho q ainda hj tem coisas interessantes pra se jogar, Space Channel 5 vai ser lancado em HD ano q vem, El Shadai e Children of eden sao otimos jogos japoneses q serao lancados. E tem tbm The Wolrd ends With You, as vezes bem gay, mas um rpg que foge de tudo q eu ja vi. Nao posso esquecer tbm de Sengoku Basara.
Me recuso a aceitar q os bons jogos japoneses estao desaparecendo. :(



Rafael Rafael (26/10/2010 19:48:51)   0 0
Não me refiro a critica deste jogo(que estão sempre falando bem mas que o jogo peca em alguns detalhes) mas esses críticos do omelete, nada a ver, po eu assisti a pouco tempo o omelet tv e até hoje não acredito que eles falaram bem do filme tekken. Pra mim o pior filme já feito. roteiro ruim atuações horriveis e as lutas que seriam o mais interessante no filme são o pior de tudo. sei lá simplismente não me deixo mais levar pelas criticas do omelete.



Rodrigo josé Rodrigo josé (25/10/2010 17:57:10)   -4 0
Estou perto de zerar o jogo e estou gostando muito dele, realmente o jogo peca em algumas partes por causa de bugs e queda gráfica em determinada parte mas nada que tire a graça de jogar. Acho que esse jogo acabou sendo muito "apedrejado" pela crítica por causa de sua semelhança com o God of war e Shadow of the colossus mas acho isso é um ponto possitivo o fato que ele se espelhou em um dos melhores jogos do Playstation 2 e 3. Lembrando que Darksiders foi muito elogiado pela crítica por que se espelhou em ótimos jogos e os desenvolvedores conseguiram com essa base fazer um bom jogo também.

Não acho que o Castlevania Lords of shadow seja merecedor de um 10,0 em notas pelos críticos mas pelo menos 8,0 concerteza ele merece.

Lembrando que opinião é uma coisa altamente particular. =D



Publicidade
sem avatar Felipe (22/10/2010 20:04:50)   1 0
Pena fazerem mais do mesmo em Castlevania.

OS jogos da época eram mais criativos e originais, buscavam superar-se em enredo, jagabilidade e principalmente diversão.

Veja God of War:Sucesso de inovação, ai vem um monte de gente copiando estilo... Porque não inovar novamente?



thiago thiago (22/10/2010 10:18:18)   1 0
Frank e rodrigo:
Ambos estão certos cada um a sua maneira.

O mercado japonês sempre foi eximio nos games e sempre deu uma surra nos americanos. Quantas vezes nõ compravamos jogos japoneses so pra jogar antes? quantas vezes jogos americanos tinham censura ou mesmo cenas ou fases a menos?
Não concordo que NAQUELA ÉPOCA caracteristicas japonesas ( leia-se: a androginia, os espadoes os bonequinhos de olhos grandes e sem bocas e etc...)
atrapalhavam pelo contrario.
Lembro de um rpg para psone wild arms. o visual era simples a abertura era um anime lindo e o final bobinho era de chorar!
O que está havendo hoje em dia sim é o que erico esta falando. A cultura americana embora ande cheia de ( me desculpem) de MERDA, tem exelentes traços, e caracteristicas. o problema que está acontecendo com a industria de games, é o mesmo do cinema. Lucro e retorno fácil, sem se preocupar muito com diferenças ou mesmo qualidade.
Estou jogando castlevania em um playtime perto da minha casa o game é soberbo. Visualmente de longe é o mlehor da serie até agora. Mas sabe o que eu sinto falta ?
de RICHTER e seu chicote de corrente, de maria, alucard e do proprio drácula.
Tudo bem god of war foi um game bom. ( não fez meu estilo, joguei e não gostei mas admito: fez historia e coloco ele entre os melhores)

Mas ele jamais vai ter o feeling de um street fighter, ou mesmo um metal gear solid.
final fantasy? rs...
pra mim o ultimo que prestou foi X. o resto foi so porcaria!
Gente nós que jogamos a seculos, ( eu começei com um atary e jogo até hj) temos que infelizmente nos darmos por vencidos. Vejam o que fizeram com a serie resident evil, PORRA! O ULTIMO BOM FOI O CODE VERONICA. depois saiu devil man cry e como a serie de dante fez sucesso mudaram o estilo de jogar e saiu aquele fiasco que é resident 4 e a outra porcaria que é resident 5. ( jogo pode ser bonito do jeito que for mas é PESSIMO)
cadê a historia? cade o corpo de steve que ta com wasker? como ada sobreviveu depois de cair no resident 2? e shary ( a pirralha xata do resident 2)
Porra eu mesmo escreveria um roteiro bem mais interessante para essas series, mas uma coisa é certa:
FÃ NÃO DA LUCRO. depois de anos tudo que a gente serve é para sustentar as coisas que a gente gosta, seja comprando os produtos ou seja mantendo em evidência com foruns como esse.
Me revolta ver o que está acontecendo com os jogos e filmes hoje em dia mas fazer o que ?
No meu Pc tenho TONELADAS DE ROMS de mega e snes. jogos que nunca pude jogar por nao encontrar ou não ter grana.
Eu ainda digo: a culpa não é da capcom, ou da konami. Elas são empresas e bem isso se chama pesquisa de mercado e eles tem que seguir uma tendência. A culpa é dessa geração imbecil.

Agora sobre um comentario de que a cultura japonesa é "afetada" ou com "bixisses"
Me desculpe, mas eu vejo uma dose de preconceito muito grande.
Personagens androginos sempre existiram em qualquer filme ou anime. nos games sempre existiram e nunca fez diferença.
Kdaj - final fantasy advent children - pareçe um gay. Mas isso não deixa o filme ruim. Sephirot? outro exemplo e bem...
ele botou pra fuder. ALucard? muito "blase" os games eram ruins? não.
Eu nunca fui de concordar muito com as criticas do erico com relação a jogos.
Mas desse vez eu concordo.



Rodrigo Rodrigo (22/10/2010 00:39:25)   8 0

Concordo 100% com o que você falou Rodrigo

“Eu ainda sou da opinião q se o Castlevania tivesse levado o mesmo tempo de produção que um GOD of War, as coisas teriam sido diferentes!!!
O q vale agora é torcer para q o segundo jogo da franquia tenha a mesma evolução q o Assassins Creed teve... que de um jogo medíocre e cansativo como o 1º, tornou-se (na minha opinião) um clássico!!!!”

Frank

Me perdoe se interpretei equivocadamente que você achava uma evolução a “ocidentalização” dos games comcordo com você que é mais uma moda, porem, sobre as “bixisses” que os jogos que você citou podemos falar que mesmo Residente Evil 5 tenha vendido mais que o 4 mas, foi o 4 que criou a câmera de visão de tiro over-the-shoulder que hoje é extremamente utilizada e foi fundamental para o novo estilo da franquia, o 5 na minha opinião nada mais é do que o 4 com gráfico melhorado e se levarmos ainda em consideração que o 4 foi da época em que a pirataria rolava solta no Play 2 esses números podem ser discutidos.

Sobre sua afirmação “São justamente os games de sucesso orientais que são afetados (literalmente) pelas bixisses japonesas e estão decaindo por isso.” O que falar sobre Street fighter VI acredito que nem todos os jogos japoneses de sucesso são assim “afetados” é fato que os jogos de mais sucesso lá são reflexo da cultura do país e que o Japão é um país no mínimo exótico concordo com você que Fnal Fantasy vem ficando cada vez mais “aviadado” só gostaria de saber qual é o jogo feito aqui no “ocidente” que te oferece uma saída para RPGs de turno. Final Fantasy não é um jogo e sim é atualmente o único RPG que domina o mercado completamente mesmo piorando a cada novo.

“Parece que esses 20 anos de videogame te passaram desapercebidos.” Sobre essa afirmação só posso supor que você é um cara que é da geração do Xbox ou que não jogava videogame antigamente quando os jogos japonês como Street fighter, Megaman, Mario, Zelda, Residentt Evil e outros tantos eram extremamente superiores as porcarias “americanoides” hoje os jogos americanos só evoluíram graças ao esforço para alcançar os games “orientais” e essa evolução é louvável espero eu que essas diferenças sirvam para impulsionar o mercado e que o “oriente” ofereça uma melhora e que todos possamos jogar games melhores e nos divertirmos que é o principal.



sem avatar Everlan (21/10/2010 23:05:26)   15 0
A qualidade dos jogos ocidentais aumentou muito, isso não quer dizer que os orientais pioraram, mas é natural que nós ocidentais nos identifiquemos com jogos ocidentais.
Eu reclamei muito quando vi um Castlevania onde o principal não era um Belmont e sim um vampiro com cara de mulher chamado Alucard, e este visualmente nada tinha a ver com o Alucard que conheci em Castlevania 3 (na minha opinião o melhor Castlevania), o jogo ainda pecava por não usar as musicas clássicas (salvo a versão do Saturn), mas joguei ele mesmo assim, e descobri que a história de Castlevania estava lá e o jogo era muito divertido, imitava Metroid em quase tudo, até o design do mapa era identico, mas por mim tudo bem, eu amo Metroid.
Aconteceu a mesma coisa com esse novo Castlevania, claro que o Simphony of the Night é muito melhor, mas esse é bom também.



Marlos Marlos (21/10/2010 19:25:50)   457 0
Não sei de que tanto choram. 3/5 é mais ou menos uma nota 7/10 que é a média que o jogo vem recebendo nos mais conceituados sites de games. E a nota não vai influenciar em nada a diversão que você está tendo ao jogar o game. Sou sempre um dos primeiros a falar mal das criticas do Borgo mais essa está excelente, aliás concordo com o comentário que ele fez abaixo.



rodrigo rodrigo (21/10/2010 17:41:28)   32 0
bah Xará.....
Acredito q tua citação...

"acredito que os jogos “orientais” não pioraram e sim os “ocidentais” é que tomaram vergonha na cara, quem joga videogame a mais de 20 anos sabe do que eu estou falando."

É o resumo de tudo q vem acontecendo no mundo dos games... temos exemplos claros como Gears of war q é um jogo "ocidental" e fez história ao introduzir de verdade o "sistema de cobertura" q vem sendo copiado por todos os jogos em 3ª pessoa! E assim como o God of War entrou pra história como um game original e que tem algo diferente a oferecer...

Quando jogo, realmente espero d um jogo o "algo a mais", seja nos gráficos, na jogabilidade ou mesmo na história... e aqui cabe citar um exemplo: o RED DEAD REDEPTION... pela jogabilidade, personagens e ambientização do Velho Oeste, torna-se um clássico assim q vc entra na história.....
Acredito mto nessa identificação com os personagens q estão na tela... imaginar-se como Marcus Fenix, metendo bala em um monte de alienígenas é uma experiência q só um game feito com capricho pode propocionar!!!

Mas só gostaria de lembrar o q citei anteriormente, NUNCA esquecendo a diversão... é aquela coisa, de que adianta jogar o Call of duty no modo veterano, se 95% do tempo a tela esta embaçada com sangue e nós jogadores que deveríamos estar nos divertindo estamos na frente da tela soltando impropérios pq ñ conseguimos escapar do inferno do sniper q com um mísero tiriho te mata....

Eu ainda sou da opinião q se o Castlevania tivesse levado o mesmo tempo de produção que um GOD of War, as coisas teriam sido diferentes!!!
O q vale agora é torcer para q o segundo jogo da franquia tenha a mesma evolução q o Assassins Creed teve... que de um jogo medíocre e cansativo como o 1º, tornou-se (na minha opinião) um clássico!!!!



Rodrigo Rodrigo (21/10/2010 15:55:22)   8 0
Caro Frank,


“Hoje em dia as gamehouses entendem que "ocidentalizar" é "DesaViadar" a cara do personagem.” Levando em consideração isso que você falou o que a Ninja Theory está fazendo com o DMC é transformar o Dante que se não é o Marcus Fênix machão do mundo dos games mas, não era uma bicha andrógena e está transformando ele no mais novo membro do Restart.

Negar aquilo que os games japoneses fizeram pelo mercado dos games é dar um tiro no pé eu acredito que não só o Érico está preocupado com o rumo que o mercado está tomando como todos aqueles que não gostam de padronização e que esperam mais do que FPS’s de qualidade ou mais jogos ao estilo GOW.

Esse negócio de acreditar que “ocidentalizar” os jogos é uma evolução porque não vamos mais ter que olhar para personagens infactíveis e bichas é reduzir o universo de games japoneses a uma pequena parcela dele. Metal Gear, Final Fantasy, Resident Evil são todas franquias de sucesso e “orientais” porque ser “oriental” não pode ser padrão para exclusão ou definição de qualidade de games, esse preconceito criado sobre games japoneses é um absurdo.

Vamos parar de ser simplistas e querer falar que um jogo é bom ou ruim por quem o fez existem grandes jogos independente de serem “orientais” ou “ocidentais”, passei minha vida como gamer acreditando que os jogos japoneses eram melhores que os outros e acredito que os jogos “orientais” não pioraram e sim os “ocidentais” é que tomaram vergonha na cara, quem joga videogame a mais de 20 anos sabe do que eu estou falando.

Atualmente estamos tentando criar receitas para o sucesso de um game e isso a longo prazo ira destruir a essência dos games que sempre foi uma boa idéia na cabeça e criatividade pra botar ela no jogo, espero que sempre exista essas diferenças e que gráficos fenomenais não sejam usados como desculpa para disfarçar uma jogabilidade que esta sendo repetida a mais de 10 jogos que seguem o estilo Devil May Cry que foi popularizado por God of War eu quero e exijo originalidade independente de quem faz o game.



Nicholas Nicholas (21/10/2010 04:02:04)   0 0
Pode até ser Érico... na minha opinião originalidade é overrated, na maioria das vezes clichês fazem mais sucesso que algo original, uma questão de opinião.

Mas dizer que o jogo, de modo geral, vale 3 ovos é trash... isso seria o equivalente a 4/6 pontos de 10, quando o jogo vale no mínimo uns 7/9 de 10... por isso acredito que uns 4 ovos era mais justo.

Entretanto é como eu disse, uma questão de opinião.



sem avatar fernando (20/10/2010 21:23:47)   0 0
Então meu querido Érico Borgo, concordo plenamente com cada letra do seu texto, já terminei o jogo e, apesar dos apesares, é um belo jogo, que fique claro, BELO JOGO...
Mas está longe de ser um excelente jogo como foi o Castlevania synphony of the night, que mesmo com graficos ultrapassados detonava na diversão e nos objetivos paralelos, e claro, não podemos esquecer a infindavel lista de items....
Faltou criatividade pra tornar esse novo jogo um marco, ficou muito previsivel e totalmente clonado de titulos anteriores...
É como pegar um carro velho, reformar e vender como se fosse carro do ano.
Agora digo aos que ainda estão jogando, o final é surpreendente!!!!!
No final eu vi a participação do Hideo Kojima!
abraços a todos.



Raphinha Raphinha (20/10/2010 16:25:15)   0 0
apesar de ser o inicio... axeii um poko fraco... mas não tenho nada a falar mal do jogo... Varias animações maneira... Graficos Shows.. viva os clássicos... mas o maneiro eh apresentar coisa novas... GOSTEII MTO DESSE CASTLEVANIA!



Publicidade
sem avatar Everlan (20/10/2010 15:01:50)   15 0
Pois é, o problema está na expectativa que o jogo gerou, Kojima e Catlevania são dois nomes de peso.



sem avatar Moises (20/10/2010 14:31:48)   -2 0
Eu nao disse que castlevania é original, eu disse que estao se preocupando cada vez mais com graficos, e a diversao que se dane!!
Muita gente analisa que um jogo bom é ter super graficos, deu uma porradinha ali e aqui, o nego explode em sangue parece real, "ualll esse jogo e´animal"..
Nada mais é original, algo original ja acabou faz anos e anos atras...
o que vai mudar hoje em dia é graficos e somente isso...gastar rios de dinheiro em computadores apenas para dizer que um jogo é fodao pelos graficos por ex nao é comigo, sempre fui megaviciado em video game!
Adoro castlevania entre outros, agora nao notar que falta criatividade nos jogos hj em dia e deixar que os olhos se fechem so pq tem lindos graficos é d+...mas cada uma é cada um e tem amor e opniao ao que acha legal!!



Fred Fred (20/10/2010 14:00:41)   22 0
Ontem eu fiz final no castlevania e tinha dito aqui que o fato de não estarem presentes os personagens classicos poderia ser uma forma da empresa se livrar do estereótipo apresentando algo novo. Mas alguém aqui que fez final exergou que seria o inicio dos castlevania? Por isso a ausencia dos classicos.
Ou eu to viajando mesmo?" hehehehe
Digo pq após ver o final pode mudar algumas opiniões aqui referente à historia e enredo do jogo.



Galo Galo (20/10/2010 13:16:35)   1098 0
É, Érico, mas sempre foi e sempre será assim em todo tipo de mídia. É o tal do "em time que tá ganhando, não se mexe". E na hora que eles virem que o estilo já encheu, que as vendas cairam, aí sim, aparecerá a originalidade.



Érico Érico (20/10/2010 12:49:00)   324 0
Caros, caros...

Vocês acham mesmo que a indústria se preocupa com qual jogo veio antes, se o título tem origens em Pong? Quem vendeu horrores foi God of War, portanto, é esse que servirá de benchmarketing para os próximos. É esse que será lembrado e copiado. É assim em qualquer mídia. O setentista Canibal Holocausto tem a mesma ideia de Bruxa de Blair, mas a qual filme qualquer "cinema veritè" desses novos é comparado? E Harry Potter X Livros da Magia? Exemplos não faltam.

A originalidade é uma questão, sim. A cada dia, franquias perdem personalidade em detrimento de uma massificação de gênero, visando vendas globais. Claro, agora ninguém se importa... todo mundo só quer "se divertir". Ótimo, divirtam-se. Meu papel não é me divertir. Meu papel é informar e criticar. E se a tendência está me preocupando, é minha obrigação dizer isso.

O jogo é bom? É sim. Está aí, escrito no texto. Mas é um passo de uma série clássica na direção de uma audiência massificada? Claro que é. Só não vê quem não quer - ou AGORA não liga. Mas, acredite... em 5 anos, quando todos os jogos tiverem a mesma cara, com o tal apelo ocidental, vocês vão se importar, sim. Mas, por enquanto, vão se divertindo. Eu exijo originalidade, ou pelo menos um produto beirando a perfeição, quando nomes como Castlevania e Kojima dividem a mesma caixa e pago quase 200 paus em um game.

Abraços,

Érico Borgo


sem avatar Júlio (17/05/2013 20:49:12)   6 0
Eu sei que faz um bom tempo mas, o quê você achou da cena pós-créditos do game? Eu achei que a reviravolta redimiu muitos do clichês da trama, achei bem inesperado.


Fernando Fernando (20/10/2010 12:00:32)   0 0
Nossa,a questão de originalidade é muito relativa mesmo.Depende da limitação do conhecimento da pessoa.Pode ser que eu esteja enganado,mas quem começou com a jogabilidade que os jogos de hoje em dia seguem,como : God of War,Devil May Cry e etc. foi o Berserk de PS2,o jogo é ótimo,acho que só não ficou muito conhecido mesmo por não ter saído aqui no ocidente.Mas quem tiver curiosidade,dá uma pesquisada aí no youtube,e veja o Berserk de PS2.



Galo Galo (20/10/2010 11:57:16)   1098 0
Everlan e Bruno, concordo com o que vocês disseram. Eu já tinha dito isto na análise do novo game do Homem-Aranha. Ficar comparando jogos é perda de tempo, já que o que importa é a diversão. Dizer que um game é fraco porque parece com outro é sacanagem. E mais sacanagem ainda é eu ficar comentando isso, ralar o mês inteiro e não poder comprar um bendito vídeo-game, pois tenho que manter a casa. Ô vida sem jeito...



sem avatar Everlan (20/10/2010 01:36:17)   15 0
Engraçado as criticas que li de God of War na época em que o jogo foi lançado diziam que o jogo era ótimo, muito bem acabado, mas nada original...
Pessoal todo mundo sabe que Catlevania nunca foi nada original, mas e daí? todo jogo para ser bom precisa ser original? o próprio GoW não é original mas é ótimo, Simphony of The Night é o próprio Matroidvania mas não deixa de ser incrível.
Esse Castlevania tem problemas eu admito, mas eu não vejo a falta de inovação como um deles.
Gosto das críticas de jogos do Érico, até concordo que 4 ovos seria forçar a barra para este jogo, mas ele tem mania de querer colocar a originalidade do jogo como seu atributo mais importante, quando na verdade a diversão é o que mais importa.



sem avatar Bruno (20/10/2010 01:05:17)   62 0
Ah, quem tiver Bayonetta pra PS3 e não gostou dos gráficos e etc, pode mandar de presente também.
Quero é virar madrugadas como nos tempos do Mega Drive.



sem avatar Bruno (20/10/2010 00:59:36)   62 0
Quer dizer que mais ninguem se diverte com jogos é?
Pior é quem nao tem um PS3 ou Xbox360 pra brincar depois de um dia estressante. Garanto que esses devem ficar %$#@! de presenciar essa conversa fiada de comparações sem fim.

Mas enfim... tou doido por esse jogo. Quem não gostou passa pra mim como presente de natal, aceito numa boa.



Publicidade
sem avatar victor (19/10/2010 22:10:51)   3 0
Tenho e acho o jogo perfeito.

E queria deixar umas idéias aqui. Castlevania Lament of innocence saiu 1 - 2 anos antes de GOW I, e esse novo castlevania tem praticamente a mesma jogabilidade que ele.

Corey Balrog (diretor de GOW II) falou inclusive que uma das maiores inspirações de GOW foi castlevania. Então essa coisa de cópia é uma tremenda bobagem.

Não gostei muito da critica, esse negocio de comparar jogos é o caminho mais facil que existe, seria engraçado dizer que GOW copiou o sistema de esquiva de lament of innocence, ou o EXATO MESMO CONTROLE! com quadrado como golpe fraco e rapido e triangulo como golpe pesado e forte, ou os upgrades que são BEM parecidos entre os dois jogos, etc., falar quem copiou quem é uma bobagem, mas a lembre-se que GOW copiou castlevania ANTES de castlevania "copiar" GOW.

Abração.



Marcio Marcio (19/10/2010 18:36:15)   9 0
Acabei de virar esse jogo no meu XBOX 360 ontem...
Os gráficos são espetaculares!
Os visual dos cenários são verdadeiras obras de arte e o design de personagens principalmente das criaturas são ótimos!
O mestre final é bem interessante e a cutscene depois do créditos leva a franquia a algo surpreendente....



Raphael Raphael (19/10/2010 17:38:52)   -10 0
eu quero ver: ( ) skindolelê ( ) nheco-nheco ( ) chique-chique (x) balancê


tem gente aqui que não sabe a diferença entre referências e imitação.



Nelson Nelson (19/10/2010 17:27:42)   181 0
"Eu nao sei pq todo mundo fala que os jogos sao copias de god of war, como se gow fosse sinonimo de originalidade... "

É, sou fã da saga de Kratos, mas tenho que admitir que o game também é uma mistura de elementos de outros games.

"Agora, em declínio, as empresas nipônicas precisam submeter-se aos gostos dos jogadores dos EUA e Europa."

O mercado japonês de games está em crise de qualidade e criatividade, o próprio Kojima já disse isto várias vezes, principalmente na última TGS quando elogiou o trabalho da Mercury Steam em Castlevania, ainda temos pelo menos a Nintendo e a Team Ico como esperanças.

O mercado ocidental também já está se estagnando, não aguento mais ver games de FPS similares saindo nessa geração, uma vez ou outra aparece um Bioshock, um Portal, ou Fallout para inovar um pouco no gênero.



sem avatar Jose Castilho (19/10/2010 16:25:35)   1 0
Sou super fã da série,e todos tem alguma coisa que eu adoro,esse eu tambem gostei.Tenho quase todos os jogos,e Castlevania para mim é:ter algum chefe enorme,itens e paredes escondidas,boa jogabilidade e claro enfrentar a Morte.Esse Castlevania para mim é uma grande evolução,e que outros não demorem para sair 2D ou 3D.E que o Iga não abandone a franquia,abraços



sem avatar Moises (19/10/2010 15:57:00)   -2 0
Realmente desdeq ue olhei nos trailers, logo pensei, cara.criatividade hj em dia ta foda mesmo!! Muita coisa parecida com GOD OF WAR..
Saudades dos anos 80 e 90, acho qoue vai ser dificil essa nova era super esse tempo...so quem jogou sabe o que realmente era ter diversao em jogar!
Hoje infelizmente é so graficos..
Esse jogo é legal, mais é como so outros dehoje, vc joga acaba, encosta no canto!!
SotN sim era um otimo castlevania, e o aria of sorrow tambem gostei!



Diego Calixto Diego Calixto (19/10/2010 14:23:26)   -11 0
Castlevania bom mesmo é do nintendo e do Psone, o do cavaleiro de cabelo branco, esqueci o nome do cara... God of War pegou muita coisa dele!!! UM clássico mal compreendido...



Rogério Rogério (19/10/2010 13:52:38)   -1 0
Symphony of the Night ainda ta aí pra ser superado. Mas esse aí é legal também.



djpuff djpuff (19/10/2010 13:47:13)   0 0
Ja zerei e acho que este jogo é um dos melhores dessa geração. E tambem acho que não é preciso "INVENTAR A RODA" a cada vez que fazem um jogo, o proprio God of War tem muita coisa de outros jogos. Querem o Castlevania antigo então compra um Nintendinho e vão jogar.



Nicholas Nicholas (19/10/2010 13:45:28)   0 0
Claramente o Érico só jogou Castlevania na era pós Symphony of the Night.

Desde o primeiro Castlevania as principais características foram:

-O desafio e a dificuldade;

-A lineariedade das fases com pouca ou até nenhuma exploração;

-Clima macabro, sendo grande parte do jogo fora do castelo;

-Personagem ocidental de armadura, e não andrógeno;

-Criaturas mitológicas e de terror clássico;

-Atmosfera de filme de terror.

Quando Érico diz que franquia não evoluiu, está muito equivocado. A franquia simplesmente assumiu uma evolução natural, levando em consideração o gênero (action/adventure) e a promessa do "Reboot", que justifica o retorno às raízes da série.

A questão da música, pra quem jogou o suficiente, vai encontrar alguns velhos conhecidos no decorrer do jogo e, apesar de ter um tema musical mais cinematográfico, as músicas combinam perfeitamente com o jogo.

A crítica até que está boa, mas o jogo merece uns 4 ovos.

Acho que o Omelete deveria se conter a fazer apenas críticas de filmes e quadrinhos, games aparentemente não é bem a praia de vocês. Falo isso porque geralmente concordo com as críticas do Érico e essa tá meio fraca.




Omeletop : games

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.