Darksiders 2 | Crítica

Sequência faz franquia crescer mas continua sem inovar


22/08/2012 - 20:00 - Thiago Romariz
Darksiders 2
Darksiders 2

Darksiders 2
Darksiders 2

Darksiders
Darksiders

Darksiders 2 chega sem precisar corrigir o rumo do seu antecessor. A não ser pelo enredo original, o primeiro jogo da franquia da Vigil Games, lançado em 2010, mostrou uma eficiente mistura de gêneros sem acrescentar novidade a nenhum deles. A mescla de ação com RPG, tiro, exploração e quebra-cabeças da saga de Guerra não fez feio nas vendas, e agora a sequência de Darksiders muda, essencialmente, só o protagonista: sai Guerra e entra outro dos quatro Cavaleiros do Apocalipse, Morte.

A trama é paralela aos eventos do primeiro jogo. Ao descobrir que seu irmão foi acusado de iniciar o Apocalipse, Morte parte numa missão para comprovar a inocência de Guerra. Logo no início é possível notar o maior cuidado que a Vigil teve com os grandiosos cenários do game. O exterior de cada castelo foi tratado com esmero visual digno de jogos como God of War e The Legend Of Zelda: Skyward Sword. No entanto, basta entrar nos calabouços para perceber que o cuidado se limitou às fachadas. Os cenários internos não são apenas pobres graficamente, mas também estão recheados de glitches, defeitos técnicos que travam a aventura no meio de uma batalha.

O design dos personagens feitos por Joe Madureira - renomado quadrinista que aqui assume a função de diretor-criativo - são interessantes apenas para os personagens-chave do game. Se por um lado o visual de Morte ganha com a variedade de itens que podemos incluir em suas vestimentas, os inimigos e boa parte dos chefes têm traços genéricos (o que também acontece no primeiro game). O trabalho de dublagem - liderado por Michael Wincott, de Syndicate, no papel de Morte - ajuda a dar mais personalidade ao personagem principal e aos diversos coadjuvantes da trama, que ao longo da aventura ajudam Morte com novas missões e itens especiais.

A adição desses novos personagens é o início da melhor parte de Darksiders 2. Com objetivos paralelos a cumprir, o tempo de exploração aumenta e dá espaço para o novo sistema de evolução funcionar. Além de poder melhorar as habilidades de Morte, é possível combinar armas e itens para se tornar mais forte. Diferente do primeiro jogo, onde as características se limitavam a dois ou três poderes, aqui seu personagem tem uma gama extensa de alternativas. Caso queira evoluir mais as magias ou os armamentos, a escolha é sua. Os cenários permitem um tempo razoável de procura e não há mapas muito extensos, pois não é o objetivo do game ser um adventure em mundo aberto; e, apesar das limitações, este elemento de RPG se torna a única surpresa agradável do game.

Ao passo que evoluir seu personagem se torna uma diversão, o game perde o equilíbrio ao apresentar chefes fáceis de derrotar. Um exemplo claro é o último e mais importante inimigo do jogo, que não apresenta um desafio digno para encerrar a trama - exatamente como acontece no primeiro game. Os puzzles também não são desafiadores mas variam bem, usando as habilidades de Morte para compôr quebra-cabeças mais completos e que usam os cenários de forma eficiente.

Repetindo a fórmula de seu antecessor, Darksiders 2 aposta no seguro e não inova. Os tímidos avanços no segmento de evolução e exploração garantem algumas horas a mais de entretenimento, mas não compensam a trama magra e principalmente a falta de desafio real na hora dos combates. Assim como o primeiro, é um game que carece de personalidade mas consegue cumprir bem seu papel e diverte sem a pretensão de ser um modelo para games de ação.

Veja uma vídeo-análise do game:

Compre aqui: Darksiders PS3, Darksiders X360, Darksiders PC

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Comentários

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus
Publicidade

Imagens (6)

Omeletop As 5+

  • Lidas
  1. 1 - Conheça os principais games baseados em livros

    Conheça os principais games baseados em livros
    Na onda de The Witcher 3: Wild Hunt, relembramos algumas obras que saíram da literatura para o controle
  2. 2 - The Witcher 3: Wild Hunt | Crítica
  3. 3 - Batman: Arkham Knight | Vídeo de bastidores detalha o design do Homem-Morcego e dos vilões
  4. 4 - Batman: Arkham Knight | Arte mostra como serão as novas skins Dark Knight Returns e Batman Beyond
  5. 5 - The Witcher 3: Wild Hunt | CD Projekt Red responde a acusações de fãs sobre gráficos do game
  6. Ver todos
Publicidade

Fotos

Advent-25mai2015-4.jpg
advent-2k-games
Street Fighter V 08dez2014 5
street-fighter-v
Need-For-Speed-teaser.jpg
need-for-speed-2015
Star-Wars-Shadows-of-the-Empire.jpg
games-livros
Lords of the Fallen 11Jun2014 08
lords-of-the-fallen
Game-of-Thrones-S05E07-The-Gift-09.jpg
game-of-thrones
Batman-Arkham-Knight-dark-knight-and-beyond-skin.jpg
batman-arkham-knight
Pac-Man-35-anos-9.jpg
Pac-Man-35-anos
F1-2015-26mar2015-4.jpg
f1-2015
Overwatch - Zarya - 2.jpg
overwatch-blizzard
mapa_witcher2.jpg
the-witcher3
Game-of-Thrones-Sons-of-Winter-6.jpg
game-of-thrones-jogo
Publicidade