Assista Agora

O Hobbit - A Desolação de Smaug | Omelete entrevista Ian McKellen

Durante filmagens na Nova Zelândia, ator fala sobre o retorno à Terra-média

Érico Borgo
06 de Dezembro de 2013

Durante a nossa visita ao set de filmagens de O Hobbit - A Desolação de Smaug, segunda parte da trilogia que adapta o livro O Hobbit, o Omelete conversou com o ator Ian McKellen, o Gandalf. O inglês fala sobre a volta ao set, sua experiência com o 3D e as comparações entre O Senhor dos Anéis e O Hobbit.


Gandalf e Radagast: agora com ar condicionado e menos fundo verde

No livro, Gandalf fica sumido por um bom tempo. No filme poderemos ver o que ele fez durante esse tempo? Mais especificamente no segundo filme?

Gandalf não está muito no segundo filme, não. Também não muito no terceiro. Em A Desolação de Smaug ele está meio incapacitado.

Você ficou meio infeliz em algumas filmagens com os anões, certo? Quando você teve que filmar cenas sozinhos, mas fingindo estar com outras 14 pessoas na sala. Nas sequências em Dol Guldur você teve esse mesmo problema?

Não, não tive problema. Mesmo estando sozinho - algumas coisas seriam acrescentadas depois. É muito severo, complicado, atuar com várias pessoas que nem mesmo estão ali. Não tem muita espontaneidade e atuar não é sobre isso. Mas Peter [Jackson] foi muito bom e reduziu esse tipo de cena ao mínimo possível. Outro dia, Martin Freeman estava usando uma vala que o deixava menor - e isso era ótimo, pois eu podia atuar olhando para ele. Mas também é bom lembrar que em O Senhor dos Anéis eu quase nunca olhei Elijah [Wood] nos olhos. Nós nunca estávamos no mesmo set para fazer isso - ele olhava para um poste gigante com a minha cara e eu para um menor com a cara dele. Em O Hobbit, Peter melhorou isso e conseguiu aumentar o número de cenas em que atuávamos juntos.

Qual a maior diferença entre as duas experiências: filmar O Hobbit e O Senhor dos Anéis?

A maior diferença é a qualidade do cenário, pois [na trilogia] filmamos quase tudo em tela verde. Agora há muito mais estruturas e cenários com escala real e de verdade, além de serem à prova d'água, ventos e outras variações climáticas - e temos ar condicionado.

Não tinham cenários à prova de ventos e clima em O Senhor dos Anéis?

Nenhum. Todas as minhas fala, por exemplo, tiveram que ser redubladas. Aqui nós estamos trabalhando com a configuração perfeita para isso. Mas o espírito da trilogia original ainda está aqui - até porque parecemos uma família, são as mesmas pessoas.


As cenas com Gandalf em O Hobbit fazem a ligação com O Senhor dos Anéis, segundo
o ator: "Ele está tentando obter uma visão global do que acontece na Terra-média"

O jeito de filmar de Peter Jackson mudou nesse tempo todo entre O Senhor dos Anéis e O Hobbit?

Bem, eu não diria que ele é a mesma pessoa. Ele é 13 anos mais velho e que tem Oscars para reforçar a sua auto-confiança. Você tem que ser confiante, se você estiver executando um trabalho como este. Ele é muito "o chefe". Ele não é apenas o diretor contratado, ele é o produtor, ele é a mente por trás de tudo e a imaginação por trás de tudo. Mas ele é muito disponível como pessoa, o que o torna uma combinação muito agradável. Você sabe que se você conversar com Peter e o fizer uma pergunta, você vai obter uma resposta. Portanto, não há um patrão mau em algum lugar atrás das cortinas que você nunca chegará a ver, tanto do lado artístico quanto empresarial. Eu acho que uma grande diferença é que quando estávamos na trilogia original nós realmente não tínhamos ideia se alguém estava interessado nos filmes que estavam sendo feitos [por nós].

Tinha sido um longo tempo de espera para ser filmado, é claro. Houve muitas outras versões não-literárias. Houve três ou quatro livros de áudio, dramatizações de rádio, a animação de Ralph Bakshi, coisas maravilhosas... Assim, era provável que um monte de pessoas estivesse muito ansiosa para ver os filmes que estávamos fazendo, mas não podiamos ter certeza disso. Depois que o primeiro filme saiu, sabíamos que estávamos envolvidos em algo de grande sucesso. Agora, com O Hobbit, sabemos que o público está esperando de novo. Bem, isso é uma sensação maravilhosa. Agora, se eles vão gostar, isso é outro assunto, mas sabemos que eles vão assistir.

Qual a diferença entre o Gandalf de O Senhor dos Anéis e O Hobbit? Ele está com 70 anos a menos, apesar disso não significar muito...

Não quando você tem sete mil anos... [risos] Bem, nós temos dois Gandalfs, o Branco e o Cinza. O meu favorito e o do Peter é o Cinza. Gostamos mais dele pois ele é mais humano, é o cara que gosta de visitar e estar no Bolsão - ao mesmo tempo que resolve os seus problemas. Gandalf, o Branco, é muito focado e também é um comandante. Ele tinha uma barba curta e é um cara mais sério. Um pouco formal, mas muito concentrado em salvar o mundo, o que é justo... Agora estamos de volta com Gandalf, o Cinzento, que é intrometido, problemático, bem humorado, generoso. Tem roupas sujas, unhas sujas. Se ele é diferente do Gandalf de A Sociedade do Anel? Não, eu acho que é a mesma pessoa.

Claro, há uma grande diferença de tom entre O Hobbit como um livro e O Senhor dos Anéis. O Senhor dos Anéis é sobre salvar o mundo. O Hobbit é uma história de aventura. As apostas não são tão elevadas. Agora, eu acho que as cenas em que Gandalf está e que não estão no livro O Hobbit levam um pouco mais de O Senhor dos Anéis para este filme. Quando ele está tentando obter uma visão global do que está acontecendo com a Terra-média é que sentimos isso. Outra diferença é que há mais humor no primeiro O Hobbit. Mas como eu digo, é uma aventura. E a voz do próprio Tolkien aparece nele - ele escreve sobre Hobbits na primeira pessoa. Isso é bem diferente de O Senhor dos Anéis, onde você se sente em uma bíblia do que aconteceu.

Como tem sido a experiência de filmar com os anões e Martin Freeman?

13 anões. Eu sequer sei o nome deles... Eu não sei, na verdade, eu sei o nome dos atores, mas não sei quem interpreta quem...

Deve ser um pesadelo...

Sim, um pesadelo. Bem, você imagina o que é receber um roteiro e saber que os 13 pesonagens principais são anões? Você não faria um filme desse, certo? Não! Desse ponto de vista, é uma aventura, uma missão ridícula. Tinha tantos problemas com esta história. Um deles é que o público nunca descobriria quem é Ori, Nori e Dori. Será que eles conseguiriam saber? Sim, eles vão. Eles saberão imediatamente. Isso é que é brilhante em O Hobbit. O design e as atuações. Você não terá nenhum problema, conseguirão descobrir tudo.


Sobre Peter Jackson: "Você tem que ser confiante, se estiver
executando um trabalho como este"
, diz McKellen

E como foi atuar com Martin e um novo elenco?

Martin é um comediante soberbo. E é um objeto de estudo - ele é um ator tão talentoso e eu sou um grande admirador dele, no palco e na tela. Embora eu não o tenha visto no cinema, além desse filme. Eu acho que ele será imediatamente aceito como um hobbit. As pessoas não vão querer outra pessoa, eu acho.

E bem, velhos amigos voltaram a filmar, mas eu não tenho trabalhado muito com eles. E velhos amigos da minha vida privada, como Stephen Fry, que eu conheço bem, mas eu nunca trabalhei com ele antes. É do espírito dos quatro hobbits em O Senhor dos Anéis que eu sinto falta. Mas eles eram o centro da história e agora o centro mudou. Eu não acho que alguém poderia amar os anões como nós amamos os hobbits.

Gandalf parece saber de tudo antes mesmo de acontecer. Como foi preparar suas cenas sabendo disso?

Eu não tenho certeza se isso é verdade. Acho que ele sabe as perguntas certas mas não sabe necessariamente as respostas. Portanto, há um problema aí - e o trabalho dele é procurar resolver isso. Mas certamente seria preciso muito mais do que o próprio Gandalf para entender a Terra-média. Coisas inesperadas acontecem, inclusive. Embora muitas vezes ele apareça no momento certo para resolver o problema, isso acontece porque ele antecipou que pode haver um problema - por isso ele parece onisciente.

E ele gosta de dar essa impressão, é claro. Mas eu acho que muitas vezes ele é um pouco preocupado por dentro. "Será que eu entendi direito?", "Estou mandando alguém para a morte?", "Devemos sempre estar nesta viagem?", "O que estamos fazendo? Por que estamos fazendo isso?". Eu acho que muitas vezes ele continua fazendo essas perguntas.

Você mais do que ninguém deve ter se questionado sobre a saga que seria voltar à Terra-média. Alguma vez você se perguntou ou foi relutante quanto a O Hobbit?

Sim! Eu não gosto de repetir papéis. Você sabe, uma vez que você já foi Gandalf, você ganha uma série de propostas para virar um senhor de barba branco de novo. E não vale nem a pena ler o roteiro, pois por melhor que seja, eu já terei feito aquilo. Agora aqui estou eu, para fazer a mesma pessoa de novo! É um compromisso longo e na minha idade eu tenho que decidir: "Será que eu realmente quero fazer isso? Será que eu realmente quero ir nessa viagem? Porque se não, eu posso ir em outra viagem". Então havia algo dentro de mim dizendo: "Não, não, não. Qual é o motivo? Eu já fiz isso. Vou encontrar algo novo?".

Contra isso, ficou o questionamento: será que eu conseguiria ver alguém interpretando ele? Porque ele é feito facilmente. Você coloca alguém na roupa e eles se parecem com Gandalf. E então um amigo disse: "Ian, basta pensar nos fãs". Eu sempre falo com essas crianças de oito anos que gostam de Gandalf. Elas amam ele. Não eu, ele. E então meu amigo disse: "Você tem que fazer isso por eles!". E isso clareou minha mente. Eu realmente não poderia falar com uma criança de oito anos de idade e explicar por que eu não queria ser Gandalf novamente. Porque ele queria que eu fosse, simplesmente.

A pausa entre as filmagens ajudou no processo?

Sim! Ano passado eu pude até fazer uma peça em Londres. Portanto, não foi um trabalho árduo e contínuo.


"A peruca é a mesma, a barba é a mesma, mas inevitavelmente estou 13 anos mais velho"

Você já falou sobre Peter Jackson 13 anos mais velho. E você? Como está 13 anos depois de O Senhor dos Anéis?

Bem, espero que eu esteja atuando melhor. Mas isso é para os outros julgarem. E eu não voltei pensando: "Vou mudar isso, que eu errei no passado". Não. Embora a primeira coisa que fizeram comigo quando cheguei no set foi colocar um nariz novo.

Isso mudou a sua atuação de alguma maneira?

Não, não. Para mim não há muita diferença. A peruca é a mesma, a barba é a mesma, a maquiagem de Rick Findlater, felizmente, é a mesma. Mas, inevitavelmente, eu estou 13 anos mais velho. Acho que eu estou mais confiante na frente de uma câmera. Peter disse para mim, após uma tomada, logo no início das filmagens, que eu precisava ser mais Gandalf. E eu fui! O fato é com 13 anos mais velho não vejo muita vantagem nisso - exceto a percepção das outras pessoas. O que eu quero dizer é que se eu andasse vestido como Gandalf as pessoas me olhariam na rua. Eles gostam de olhar para ele. Mas isso não toma qualquer esforço da minha parte.

Como foi reencontrar e elenco original? Qual foi a reação de vocês ao se verem no set novamente?

Nós rimos bastante.

Com quem você riu?

Ah, com a Cate Blanchett. O marido dela não sabe, mas eu e ela vamos nos casar em breve - isso vai surpreender muita gente. Mas nós só nos encontramos em uma festa, olha que curioso. Nós estamos na tela juntos, mas não gravamos a cena lado a lado. E ainda nesta mesma cena tivemos Hugo Weaving e Christopher Lee - que infelizmente gravou suas cenas em Londres.

Ele não quis pegar o voo?

Exato. Nós gravamos com um ótimo dublê de Christopher, que imitava até a voz dele. Uma pena, na verdade, que os dois magos não puderam se encontrar novamente no set. Ah, e tivemos Elijah também por aqui novamente. Foi ótimo. Tivemos também Andy Serkis, o Gollum, que dessa vez foi diretor de segunda unidade. Chefão.

E como é ele como diretor? Qual o estilo dele?

Ele dirige como um ator. Sempre da perspectiva do ator. Diversas vezes pede desculpa ao pedir para refazer uma cena, pois sabe pelo que passamos no set.

Antes de filmar O Hobbit você assitiu a O Senhor dos Anéis? Como foi a experiência de rever a sua atuação?

Eu não vou dizer o que penso do meu desempenho, porque outra pessoa pode concordar comigo. Acabo me sentindo um pouco culpado, pois eu não assisti aos filmes antes. Eu deveria, eu acho. É um compromisso, não é? Mas o mais importante é A Sociedade do Anel, e eu assisti esse. E todo mundo diz: "Ah, é notável, você está exatamente igual a você em A Sociedade do Anel". Não, eu não estou. Eu estou 13 anos mais velho e isso está claro. Talvez a voz seja a mesma. De qualquer forma, ninguém me disse que estava fazendo tudo errado pelo menos. E eu continuei apanhando de Peter pois ele queria que a atmosfera, o espírito e o estilo dos filmes de O Hobbit fossem diferentes de O Senhor dos Anéis - e eu tentei definir a maneira pela qual eu acho que eles são diferentes em termos de histórias. Um deles é um épico, mítico... Então eu pensei: "Bem, eu não vou ser capaz de deixar de ser mais ou menos o personagem que eu era antes, mas eu deveria ser aberto a qualquer coisa nova que Peter sugerir".

Você pode ficar um pouco preguiçoso como ator quando você tem um diretor que tão bom quanto Peter. E [as produtoras e roteiristas] Fran [Walsh] e Philippa [Boyens] também. O olho delas é infalível. Se vêem algo que elas não gostam são as primeiras a dizer-lhe... Elas estão dentro e fora da vida uma do outra o tempo todo porque elas estão trabalhando nesses filmes e não há nada que elas não saibam.

Leia mais sobre O Hobbit: A Desolação de Smaug



Publicidade

Comentários (4)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

sem avatar Nikolas (07/12/2013 01:55:25)   47 0
Certa vez eu li em um site que logo depois que o Richard Harris (Dumbledore dos 2 primeiros filmes de HP) faleceu, eles convidaram Ian pra substituí-lo. No site dizia que ele não aceitou pq ele tinha uma rixa com Richard, mas lendo essa entrevista, não consigo não associar as palavras dele à esse suposto convite ...



sem avatar Paulo (06/12/2013 19:30:00)   26 -1
"É do espírito dos quatro hobbits em O Senhor dos Anéis que eu sinto falta.Mas eles eram o centro da história e agora o centro mudou. Eu não acho que alguém poderia amar os anões como nós amamos os hobbits."

Pronto..ele explicou em poucas palavras o pq do HOBBIT não ter sido tão bem recebido quanto a trilogia do SENHOR DOS ANEIS....



Odin Odin (06/12/2013 18:20:17)   759 2
Acho que Ian fez um ótimo Gandalf. MAs acho difícil ele fazer esse papel novamente. Pelo que ele mesmo falou está velho e não vê outro motivo (a não ser fãs) para voltar. Mas que importa, não deve haver outro filme de Tolkien com o personagem mesmo.

Mas valeu Ian, por toda a maestria de atuação!



G. brucew G. brucew (06/12/2013 17:37:01)   1661 5
"Eu realmente não poderia falar com uma criança de oito anos de idade e explicar por que eu não queria ser Gandalf novamente. Porque ele queria que eu fosse, simplesmente."

Ótima resposta.




Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.