Assista Agora

O Segredo da Cabana | Crítica

O cinismo hiperbólico de Joss Whedon tenta ganhar a disputa no grito. Mas... que disputa?

Marcelo Hessel
30 de Setembro de 2012

O Segredo da Cabana

O Segredo da Cabana

The Cabin in the Woods
EUA , 2011 - 95 minutos
Terror

Direção:
Drew Goddard

Roteiro:
Joss Whedon, Drew Goddard

Elenco:
Kristen Connolly, Chris Hemsworth, Anna Hutchison, Fran Kranz, Jesse Williams, Richard Jenkins, Bradley Whitford, Brian White, Amy Acker, Tim De Zarn

Regular
o segredo da cabana
o segredo da cabana
o segredo da cabana
o segredo da cabana

A essa altura do campeonato, muita gente já deve ter visto O Segredo da Cabana (The Cabin in the Woods) e dito pra você: vá assistir sem saber absolutamente nada sobre o filme! O que não deixa de ser curioso, porque o longa escrito por Joss Whedon (Os Vingadores) e dirigido por Drew Goddard (corroteirista de Cloverfield) se promove desde sempre como uma brincadeira de metalinguagem e joga com tudo o que esse subgênero do terror-de-cabana tem de previsível.

Em outras palavras, mesmo que esteja se guardando como uma virgem contra os spoilers, você já viu O Segredo da Cabana incontáveis vezes, em todos os filmes de maníaco ou de maus espíritos derivados de O Massacre da Serra Elétrica (1974), Halloween (1978) e The Evil Dead - A Morte do Demônio (1981). O que Goddard e Whedon fazem - como se estivessem redescobrindo a pólvora - é revelar os mecanismos desses filmes e a visão de mundo que geralmente está por trás deles.

Nada que Wes Craven e Kevin Williamson já não tenham feito em Pânico, portanto, mas vamos entrar no jogo... A título de resumo, para não entregar muitos detalhes, digamos apenas que o filme começa com uma cena num local indeterminado e depois emenda, deixando clara a metalinguagem, com um clássico plano de grua no meio da rua, acompanhado de música pop, para mostrar a vizinhança pacífica de subúrbio onde moram os jovens protagonistas do filme. Há a menina inocente, o atleta, o maconheiro, a loira (de cabelo tingido, já avisa). Eles pegam a estrada, param no posto do caipira desdentado, chegam na cabana e o resto você já depreende.

Nesses primeiros momentos, fica evidente que o forte de O Segredo da Cabana é o humor. Whedon e Goddard seguem a cartilha do terror-de-cabana para ridicularizar o passo-a-passo do gênero, e é graças às atuações de gênios como Richard Jenkins e Bradley Whitford (eu assistiria fácil a um The Office estrelado por vários Bradley Whitfords) que o texto de Whedon parece tão irresistivelmente cômico.

Mas O Segredo da Cabana não é muito mais do que uma piada. Há filmes que usam a metalinguagem para transformar os gêneros, como o próprio Pânico, que inverte a previsibilidade do whodunit (se todos são suspeitos óbvios não há nenhum suspeito óbvio), e como o recente e pouco visto Kaboom, que assim como O Segredo da Cabana faz a defesa da inconsequência juvenil, mas de uma forma muito mais subversiva e desencanada.

Depois das graças, o que resta em O Segredo da Cabana é a catarse pronta-para-consumir. O clímax do filme é o equivalente slasher daqueles grandes crossovers Marvel/DC feitos para aplacar fantasias de orgias nerds. E aí fica evidente que Joss Whedon atende esses desejos porque na verdade os despreza. Age como hipster disfarçado de nerd por incapacidade de sentir prazer com o que é convencional e estabelecido, e seu cinismo toma a forma das hipérboles, de deuses e monstros, porque - embora se ache muito iconoclasta - ele está no fundo tentando ganhar a disputa no grito.

Mas que disputa é essa, afinal de contas?

Leia mais críticas do Festival do Rio 2012



Publicidade

Comentários (129)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Rick Grimes Rick Grimes (10/05/2014 01:51:19)   1471 0
Eu gostei bastante do filme. Considero um dos melhores do gênero que assisti nos ultimos anos.



Lico Blade Lico Blade (10/03/2014 00:02:33)   1631 1
Filme muito bom!

Tomei alguns sustos, dei muitas risadas, curti as boas inpretetações, gostei da ousadia no final, enfim... um filme diferente que homenageia e brinca com o gênero de terror.

Merece 4 ovos.



sem avatar Andrey (21/01/2014 16:38:00)   -2 -1
Filme completamente doido. Mistura filme clichê de terror com filme de ação meio Super-Herói. Possui um roteiro muito fraco, e além disso deixa muitas dúvidas, por exemplo o por que daquelas criaturas estarem ali, quem mantém aquilo tudo e como as capturam. Se fosse um filme clichê de terror seria melhor.



DAREDEVIL DAREDEVIL (06/08/2013 20:33:52)   357 -2
Filme horrível, Joss Whedom fez aqui totalmente o oposto doq fez em OS VINGADORES.

Se tivesse ido pelo caminho convencional do filme d maníaco q ataca grupo d jovens numa cabana isolada, mesmo com todos os clichês do mundo do cinema do terror, o resultado seria infinitamente superior a isso q Whedom e companhia fizeram.

Eu não daria nem meio ovo pra isso.



Glenda Glenda (25/05/2013 17:57:23)   93 -1
FILME RUIM PARA CACETE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



Eduardo Eduardo (07/04/2013 20:40:04)   9 3
O filme usa o clichê como premissa, você acha que está assistindo a um filme igual a outros milhares, mas a originalidade está em usar isso como metalinguagem para algo muito maior. Gostei do filme, assisti duas vezes, para preencher algumas lacunas. Não é um filme indicado ao Oscar, mas é no mínimo interessante e totalmente original. Daria quatro ovadas. Principalmente por que usaram bastante referencia a outros filmes de terror, nas cenas finais então !! Respeito a opinião, mas não entendo o porque de dizer que o filme é ruim, e olha que tenho mais de 30 anos, sou da geração de "A Hora do Pesadelo" , "Sexta-Feira 13", "Hellraiser". filmes bastantes importante para quem gosta do gênero terror como eu, mas ao ver os filmes hoje depois de tanto tempo, acaba vendo que não é essa coisa toda como foi na época, chega a ser até tosco em alguns momentos, até o tão elogiado "O Iluminado" não é isso tudo que o pessoal fica endeusando, é apenas um filme de terror importante para o gênero.



Jefferson José Jefferson José (02/04/2013 13:53:14)   1562 3
A motivação da disputa é mal desenvolvida. O que salva é o roteiro metalinguístico e o final ousado.

OOOoo



landegan landegan (10/03/2013 03:36:28)   140 -1
Mas que filme ruim! Ruim ruim mesmo...e coloca mais ruim nisso. Eu preciso realmente tentar dizer o quanto é ridículo cada situação que esse filme dispõe? Tudo tão óbvio, tão clichê, desde a primeira cena do posto de gasolina meio abandonado, o velho... ( Já vimos isso em Viagem Maldita... ) então, quando estiver viajando, nunca dê uma paradinha em postos de gasolina que existam no meio 'do nada' vale a dica. Todos aqueles cientistas bizarros posando de ridículos sem nenhum escrúpulos. Se fosse um grupo de 4 ou 5 pessoas malucas tudo bem. mas nota-se que é muito mais gente do que parece. todos sem nenhuma noção ou não percebem a maldade dos fatos? tudo bem, no filme fala de um propósito maior (e ridículo), mas que no final de nada adiantou. A coisa toda aconteceu do mesmo jeito. A cena do Thor querendo atravessar o abismo de moto. que cena absurdamente idiota. Sem nenhuma 'rampa' aparente, ele foi lá e 'saltou' em uma cena hyper trash, digna de homenagem a Et- o extraterrestre que se transforma em uma coisa bizarra como em um desenho animado , que, logo após bater em uma estranha parede invisível ou sei lá o que era aquilo, sair caindo e caindo...Não suportei ver aquilo. Monstros e mais monstros e pasme! Um Unicórnio dando uma 'chifrada' algo que, eu nunca imaginei ver em um filme desse tipo. dá a impressão de que os produtores/realizadores desse filme estavam muito mais loucos do que o carinha que usava drogas, o único personagem que se salva e alívio cômico do filme. Atuações péssimas, situações ridículas, diálogos que me faziam os ouvidos sangrarem de ter que ouvir quanta asneira e argumentos tolos. Coisas tão sem sentido quanto tudo aquilo que os cientistas falavam. Todas aquelas criaturas e sangue (nada exagerado) jorrando naquela sala misturado com um efeito sonoro pobre de dá vergonha, O Segredo da Cabana deve ser o filme mais pobre, sem sentido, trash e vergonhoso que eu já vi desde Serpentes a Bordo... esse, bem mais simpático e menos pretensioso.


sem avatar Lousada (13/03/2013 07:13:35)   -20 -2
Realmente um filme muito ruim,sem graça, atores ruins.


Jorge Luís Jorge Luís (06/03/2013 17:27:44)   76 2
Cínico, sádico, e perturbador, “O Segredo da Cabana” acrescenta pequenos detalhes criativos a mais convencional das estruturas dos filmes de horror.

A opção por transformar o tradicional embate de predador versus presas, num jogo propriamente dito, confere certo ar de novidade a uma produção, que de outra forma, poderia ser apenas mais um filme recheado de mortes sanguinolentas.

Utilizando o poderoso (e algo batido) truque da metalinguagem, consegue-se chegar a um resultado corajoso, onde a opção por um roteiro insano e bagunçado, é levada até as últimas consequências.

8.0/10.0



sem avatar Leonardo (30/12/2012 20:22:25)   4 0
Ridiculo tudo o que você disse , foi considerado o melhor filme de horror , deste estilo de horro com diversão desde Scream , Omelete sempre faz isso , esse filme disseram que foi ipressionante, e que há poucos filmes deste , disseram que no seu genero é um filme genial , e o Omelete sempre gosta de fazer graça , aprendão com Rolling Stone , Peter Travers sim ele sim sabe fazer criticas , o cara é um genio para criticas , algumas deles são meio exageradas , todos criticos exageram um pouco e tipo as vezes por vontade dão nota baixa pra fazer graça , mais você Omelete é o que mais faz isso '-'


Strider Strider (28/09/2013 11:58:28)   35 -1
Filme podre


Publicidade
Priscila Priscila (13/12/2012 23:04:51)   2 2
O legal do filme foi justamente a opção por ter partido do clichê, pois, acredito eu, caso tivesse partido do tal "plano maior" não teria o mesmo impacto no público. Essa opção deixou o público totalmente alienado em relação a história que se escondia por detrás da tal organização que controlava as marionetes da cabana, tanto que o despertar do sono dos deuses ficou meio que desconexo com a nossa visão de "mal". O tal sujeito que teve essa ideia provavelmente usou como referência algum mito pouco difundido em nossa cultura ocidental, mas o filme é interessante e bem divertido.



sem avatar safira (21/11/2012 09:46:54)   -2 -2
Caraca, eu tô lendo esses comentários sem acreditar!!! O melhor terror de 2012??? Gzuis amado...kkkk o Hessel ainda foi bonzinho dando 2 ovos....primeiro que não é um terror, o filme é uma comédia....e segundo, referências? São clichês estampados, do início ao fim, propositalmente, e dizendo que são clichês....nunca assisti filme tão ruim...Não pq não gostei da proposta, mas poderia ter-se feito um filme muito melhor...ódio total do tempo que perdi...



sem avatar Marcos (13/11/2012 14:36:21)   16 3
Eu gostei do filme e creio que quem seja fã de filmes de terror também goste.

Imaginar as diversas situações diferentes que poderiam ter acontecido caso os personagens escolhessem outros caminhos é interessante.

Por mim teria uma continuação ou um filme paralelo a esse.



sem avatar Saulo (29/10/2012 12:37:09)   8 1
O Segredo da Cabana é o melhor filme de terror em um bom tempo. Nos últimos tempos, dificilmente alguém vai assistir um filme de terror esperando um bom filme, mas sim um grande susto ou dois no meio do filme. Filmes de terror estão sendo definidos por histórias clichés, mal atuados com finais ridículos. Mas, para a nossa alegria Drew Goddard e Joss Whedon trouxeram um filme com uma história genial, personagens interessantes e situações realmente assustadores. - trecho da minha critica publicada em http://pipocaneles.wordpress.com/2012/08/30/o-segredo-da-cabana/



sem avatar Alexandre (29/10/2012 00:31:30)   -2 -2
Concordo com o crítico. O filme (se é que podemos chamar isso de filme) é um LIXO!


sem avatar Lucas (16/03/2013 14:57:24)   -2 -2
lixo, lixo é um elogio


Rodrigo Rodrigo (28/10/2012 00:10:26)   5 3
Eu achei o filme genial.

O filme todo é uma crítica ao gênero terror e aos clichês que são tanto reclicados. Os três elementos principais do filme são representações do cenário em geral:

1. Os deuses representam o público ou seja, nós; 2. Os operadores da sala de controle representam o diretor e roteirista; e 3. A cabana/floresta representam o gênero em si.

Os deuses (nós) exigem que os filmes de terror ocorram sempre da mesma forma, com os mesmos clichês e personagens estereotipados (a virgem, o atleta, o erudito, a piranha e o tolo chapado). A virgem é a única personagem que pode sobreviver, mesmo que para isso ela tenha que sofrer. Quando um dos personagens além da virgem sobrevive, os operadores da sala de controle tentam de tudo para matá-lo a fim de não enfurecer os deuses. A sobrevivência do 'tolo chapado' quebra o ciclo exigido, e por isso os deuses se zangam e destroem o mundo no final.

Acho que a maioria das pessoas assistiu esse filme mas não captou a mensagem dele e aí achou a história totalmente nonsense.



sem avatar joaquim (22/10/2012 07:49:23)   -19 -1
a sigorney weaver teve tá mesmo precisando de dinheiro prá da as caras num filme fraquinho desses,essa tranqueira parece que foi escrita pelos caras que fizeram a novela mutantes da record.



sem avatar Vitor (22/10/2012 03:59:46)   4 3
Se eu fosse o Hessel, voltaria aqui e colocaria 5 ovos. De repente estimula a fazerem mais filmes que chamem a juventude de estúpida e talvez uma hora eles finalmente consigam sair da Cabana na Floresta.

Gente, Wes Craven fez isso 4 vezes.



sem avatar Eduarda (13/10/2012 18:21:16)   3 1
Eu adorei esse filme, como também merecia 4 ovos, a historia é super original, não são aqueles filmes que são sempre a mesma coisa e que quase todo mundo esta cansado de ver.



sem avatar William (11/10/2012 12:00:45)   1 1
Bom dia, eu fiquei indignado com este *crítico* e sua *crítica*, o filme foi o melhor filme de terror que eu ví este ano, os críticos gringos aceitaram o filme como muito bom, podes ver em sites como IMDB e afins, ninguém falou mal, e vem este cara falar mal do filme, se eu visse essa crítica sem ver o filme, ficaria influenciado a não assistí-lo, insisto, por favor, não levem esta crítica à sério, assistam o filme, valhe à pena, provavelmente este "crítico" estava tendo um dia ruim e não pensou direito ao ver o filme, assistam o filme e vejam como ele é surpreendente, provavelmente este crítico não teve o que queria com sua mulher, ou homem e o influenciou a falar besteira num filme ótimo, realmente gostaria de saber como é um filme bom de terror na opinião dele, ele não deve ser jovem e deve ter uns 60 anos para falar este tipo de merda, achou que o filme abordaria questões existenciais, procurou drama em um filme de terror.


Strider Strider (28/09/2013 11:58:57)   35 -1
Filme podre


Publicidade
sem avatar Paulo (05/10/2012 09:34:55)   3 1
OMELETE: Voces deveriam demitir esse critico, Hessel. Really... Se ele e' um dos donos/socio fundador, por favor,deixe ele encarregado das criticas aos filmes iranianos.



sem avatar Pedro (04/10/2012 14:45:55)   34 0
Só faltou uma foto do Hessel sentando em frente a uma lareira, todo agasalhado (afinal deve estar acompanhando algúm festival existencial europeu e tal) e com um chapeuzinho de crítico intelectual cult pra completar essa "crítica".

Se eu quiser ler crítica "Pablo Villaciana" (insuportável) eu vou lá no cinema em cena, tá. uhauhauahahauh



Robert Robert (03/10/2012 19:05:36)   11 0
Realmente, todos aqui que falaram negativamente sobre a crítica melancólica de Hessel, estavam certos. Eu quase passei direto pelo texto, mas só segui em frente com a leitura, porque justamente queria saber a CRÍTICA DO FILME! E na verdade acho que estava lendo uma página da apostila de aula francesa de cinema do Marcelo Hessel. Cara não costumo fazer comentários, mas desta vez, quando terminei o texto e não tive conclusão nenhuma sobre o que foi escrito, só tive a lamentar expressando a minha opinião.

Atenção, segue abaixo, o link do blog do meu livro, que é gratuito, é só baixar o PDF ou ler on-line. Por favor Omelete, não tenho ganhos com isso, só quero que as pessoas leiam meu livro de graça, e passam a conhecer minha obra, e o site mesmo pode criticar a vontade!

http://oanjodosenhor.blogspot.com.br

Valeu!

Att

Robert de Lima



Comentarista Comentarista (03/10/2012 17:21:24)   500 3
Protógenes levou o pequeno Juan para assitir "O Segredo da Cabana" achando se tratar de um documentário sobre a construção de moradias populares utilizando madeira de reflorestamento. Agora, quer proibir no país o filme desse diretor "hipster disfarçado de nerd por incapacidade de sentir prazer com o que é convencional e estabelecido".


Dylan Dog - Dylan Dog - (04/10/2012 10:34:59)   1358 -1
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!


sem avatar Julio Cesar (03/10/2012 16:38:53)   48 2
Olha eu fui dando nada pelo filme e sai do cinema vendo "O MELHOR FILME DE TERROR DE 2012 CONCERTEZA"! esse sim é um puta de um filme bom , me tiro mtu riso , susto e medo .. RECOMENDADISSIMO ESSE FILME ... vou até ver d novo



Joselito Joselito (02/10/2012 23:02:02)   304 4
apartir do momento em que li o nome "Marcelo Hessel" ja sabia que leria um texto pseudo de um cara dando uma de "intelectual" mas acaba fazendo um texto de drogas.

porra,o filme é um dos mais divertidos que ja vi desde de Evil Dead.E que porra é essa:


"Age como hipster disfarçado de nerd por incapacidade de sentir prazer com o que é convencional e estabelecido, e seu cinismo toma a forma das hipérboles, de deuses e monstros, porque - embora se ache muito iconoclasta - ele está no fundo tentando ganhar a disputa no grito."

porra.PRA QUE ISSO HESSEL

pq VC não tenta simplesmente curtir o filme pelo que é,e não tentar ver o que o filme estava criticando ou sei la que voce acha.

sem falar que pq não botaram o borgo pra fazer a critica? eke que curte o gênero (pelo menos eu acho) próprio hessel disse ali que não curti oi negocio...


Robson Robson (04/10/2012 16:00:54)   5 1
Hehe meu chapa, falou tudo! Joker é phoda!


Adauto Adauto (02/10/2012 15:10:12)   -12 -1
O problema agora é escrever terror, sem imaginar que Joss Whedon estragou a brincadeira.

É um puta-filme, mas o cara "sem querer, querendo", engavetou um monte de histórias de aspirantes a roteiristas de terror.

SPOILER SPOILER
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
-
O momento Saindo-da-matrix do filme é foda.



Weverton Weverton (02/10/2012 13:29:00)   2 2
AleX - Parabéns pelo seu comentário.

Eu acho que sua visão sobre Critico de Cinema (i.e. Diretor Frustrado) é realmente um fato!!!
Dos três Coxinheiros, eu acho que o Hessel é o que mais sente isso.
Gosto muito do Furloni e Borgo... bem Erico Borgo é o Borgo (Love it ou Leave it).
Já o Hessel é um caso a parte. Hessel se você esta lendo isso, não me odeie - eu acho suas colocações no OmeleteTV bem melhor do que nas suas criticas.

Mas há uma parte que AleX menciona que é fato: Gente pra que essa linguagem rebuscada!???
Pq vc descreve o cinismo do diretor quando na verdade o que a gente saber é se - O filme é bom ou não!? O filme é estilo pipoca??? ou deve ser levado mais a serio!???
Putz... só isso!

Pra começar... por que uns textos rebuscados num lugar que mistura (de muito bom gosto diga de passagem) filmes + comics + games + series + cartoon - tudo que um Nerd ou Fan de cultura Pop gosta! Vc acha que a gente que para pra fazer resenha disso.. ou que os leitores são alunos de artes ou letras???? Pela amor de Deus!!!
Acredito que a maioria é gente comum que gosto de cinema, só isso!
E defendo isso partindo do principio do nome deste site: "Omelete".
Se fosse pra algo rebuscado talvez fosse melhor mudar pra "Cine-Art" Ou "Café-Lúmiere".

Bem pra terminar - acho que se não rever seus conceito e não ter uma postura mais direta com seu público - os fans de cinema pop (e não criticos de arte) cada vez mais ficaremos de olho apenas nas imagens e datas de lançamento do que de olho no que você escreve.

- Weverton Lima.

p.s. - Hessel, só uma ultima observação: acho que as vezes vc dá a impressão de agir como o "Joss Whedon"; cinicamente finge que apoia essa cultura pop, mas de fato despreza - o que realmente vc queria ser era critico/diretor de arte - só posso sentir isso, com toda essa linguagem rebuscada. Falow!?
;-)



sem avatar Marco A (02/10/2012 01:16:07)   708 -2
Acho que tem muita gente aqui defendendo o filme, só porque é do "Deus" que dirigiu Os vingadores, seria a mesma coisa se o Nolan fizesse um filme mediano/regular...

Não vi o filme, mas não é a primeira critica que leio de que o filme não é a última bolacha do pacote...


Samael Samael (02/10/2012 08:30:46)   65 3
Dúvido que o Joss Whedon tenha defensores como o Nolan. Eu o acho talentoso, mas certamente não é a última bolacha do pacote.

Acho que o número de indignados com o tom pedante que o Hessel dá para suas críticas é muito maior.

E você tem razão: O Segredo da Cabana é um filme que ou as pessoas amam, ou odeiam. O díficil é ficar indiferente.


Alex Alex (01/10/2012 17:37:12)   3 0
Ahhh hessel!!!!!vai,puta filme legal véio....vc quer tirar leite de pedra? na boa pra quem gostou de adrenalia 2,pode parar.



Publicidade
Cthulhu Cthulhu (01/10/2012 17:07:57)   21 3
The Cabin in The Woods eh o filme de terror mais divertido do ano. Cheio de referencias que somente os fas do genero entenderao. Podem conferir sem medo.



AleX AleX (01/10/2012 14:52:59)   8 5
Sr.Hessel e caros Omelenautas,

Já li inúmeras críticas do Hessel. Com algumas concordei (muito poucas, a bem da verdade) e de muitas discordei (como exemplo,cito os inesquecíveis 3 ovos para "A Origem").

Houve uma época em que me aventurei também a criticar cinema, mas desta experiência, só pude concluir o seguinte: TODO CRÍTICO DE CINEMA É UM DIRETOR FRUSTRADO.

Somente esta lição já me serve como pontapé para meu comentário. Porque me é absurdo colocar este filme como inferior a "Motoqueiro Fantasma 2" e "Adrenalina 2" e, pior, a "Resident Evil 5" (sim, assisti a todos!).

"Cabin In The Woods" está longe de ser um "O Iluminado". Não vai revolucionar o cinema de terror nem para mim nem pra você que cresceu lendo Lovecraft, Moore e Gaiman. Isto porque nós JÁ ESPERÁVAMOS aquela explicação e aquele desfecho e digo mais: estaríamos profundamente decepcionados se fosse qualquer experiência menos "mitológica".

Agora imagine a reação de uma pessoa que não lê Lovecraft, não ouviu falar do "Neonomicon" de Moore e pra quem "Sandman"(se o cara tiver um minimo de bom gosto) é uma música do Metallica.Para estes consumidores regulares do cinema, "Cabin In The Woods" é um filme subversivo,"mindfucker" e revolucionário!

Cinema é "business" e "business" quer lucro! Já vi muita cascata blefe nos últimos anos no cinema.Ver uma sátira como "Cabin" é maravilhoso!Ele é clichê, sim! Ele é tudo que nós esperávamos e algo mais.

Não aceito críticas a este filme em linguagem rebuscada, Sr. Hessel. Whedon não fez nenhum manifesto modernista nem rompeu com nenhuma estética pop ao lançar este filme. Ele queria grana, só. E pegou minha grana de forma inteligente me passando uma sensação de prazer com o gênero Terror que só os Sul-Coreanos conseguiram me mostrar nos últimos 5 anos: Hollywood não sabe mais fazer isto! Não sabemos mais o caminho para um novo Bates Motel e Cristal Lake está fechado indefinidamente.

Temos que parar com nossa pretensão de achar que todo filme/livro/música foi feito com o intuito de revolucionar o mundo.O prazer de degustar uma obra pop deve ser o mesmo prazer de degustar uma coca-cola gelada: essencial somente no momento!

Tenho dito!


sem avatar Isadora (01/10/2012 17:25:02)   52 1
Concordo... Acredito que nem era o objetivo do Whedon fazer um filme "visionário", "a frente do seu tempo" ou qualquer metáfora dessas. A intenção era mesmo uma homenagem (ou crítica, vá saber) ao "feijão e arroz" típico dos filmes de terror que invadiram a humanidade nos últimos 30 anos.

Eu achei esse filme tão divertido quanto Shaun of the Dead, tão divertido também quanto o esquecido "Tuck and Dale contra o Mal (que certamente seria espinafrado pelo Hessel) e muito melhor que o Zombilândia.

Robson Robson (04/10/2012 16:12:25)   5 1
Quando vejo que a crítica do filme é feita pelo Hesel, vou direto no comentário dos usuários, que ao meu ver são o termômetro do site, são aqueles que mapeiam todo o filme, vão direto ao ponto, falam numa língua compreensiva, e principalmente se mostram eficientes nas definições de cada ponto. Muitas vezes são caras que curtem o gênero, e não apenas ficam metendo o nariz onde não devem, falando igual um nerd francezinho criado com a vovó. Se não curte, porque vai fazer crítica não é verdade? Isso só me faz lembrar e reforçar cada vez mais, que o Sr. Hessel é um crítico de m....

Parabéns pelo comentário Alex.

Renato Renato (17/03/2013 16:14:01)   582 0
Perfeito Alex. Concordo quando diz que todo crítico é um diretor frustrado. Mas o pior no caso da crítica acima, é que o autor que passar uma roupagem cultural que não acredito que ele tenha. Por exemplo, ele fala em "metalinguagem". O que ele quer dizer com isso? Eu não tenho gabarito para discutir esse conceito, mas duvido que o crítico tenha a formação acadêmica necessária para saber o que realmente o termo quer dizer. Sua crítica e basicamente um blá blá blá vazio e pseudointelectual. Como outros críticos deste site, não acredito que realmente tenha mais conhecimento de cinema do que qualquer frequentador daqui. Com certeza tiveram e tem melhores contatos do que nós.
Finalizando, mais ridículo do que papo furado, é pensar que o crítico nem ao menos citou as referências óbvias a Lovecraft (os tais Antigos), como vc, Alex, muito bem percebeu. Será que este crítico tão inteligente e tão profundo conhecedor da literatura de terror não conhece a obra de um dos mais importantes escritores do gênero?


sem avatar Isadora (01/10/2012 14:44:46)   52 4
Eu achei esse filme bem divertido. Na hora que em que descambar para o sarcástico vai sem medo. Também não tem vergonha na hora de descambar para o gore.

As referências a Evil Dead, aos mitos de Lovecraft, ao Hellraiser e mais a uma infinidade de filmes estão ali para quem quiser ver.

Não é um filme para mudar a história do cinema (e nem tem a pretensão de sê-lo). É apenas um filme feito por caras que passaram a vida inteira assistindo filmes de terror e de repente tiveram a ideia de brincar com o gênero. E por sinal fizerm bem feito, eu, particularmente, achei esse Segredo da Cabana o filme que há tempos Sam Raimi está devendo.


sem avatar Yuri (01/10/2012 15:12:42)   13 2
Gostei da sua análise, concerteza é um bom filme, é um bom filme do gênero, é claro que nós já sabíamos que não seria um filme para superar outros clássicos do gênero.Só acho que o ator dessa crítica levou tudo ao pé da letra, sendo que os diretores resolveram fazer esse filme por mera diversão e pouco investimento, ja sabendo que seria um filme apenas para agradá-los.


sem avatar Yuri (01/10/2012 14:31:44)   13 3
Hessel no começo da crítica já expõe sua opinião, dizendo que terror-cabana é um subgênero.Vendo isso, nao há necessidade de ler o resto da crícia, sabendo que ele nao iria ver nenhum ponto positivo nesse filme.Colocar um cara que não gosta desse tipo de filme para fazer a crítica dele, é brincadeira!



Tyler Durden Tyler Durden (01/10/2012 14:00:53)   2891 3
Estou querendo vê-lo porem o pessoal em vez de criticar e dar sua opinião sobre o filme se é bom ou não critica o Hessel. Afinal filme é bom ou não é ?.

Nessa critica eu acho que o Hessel Age como hipster disfarçado de nerd por incapacidade de sentir prazer com o que é convencional e estabelecido, e seu cinismo toma a forma das hipérboles. Pois eu nao entendi porra nenhuma, cheio de palavra difícil. por isso eu gosto do adorocinema (sem fazer merchan) la independente da critica damos nossa nota, assim pelo comentario dos outros da pra saber se é bom ou nao.



Willie Willie (01/10/2012 13:32:57)   810 0
Pela equação Hessel, se ele deu dois ovos, o filme dever ter no mínimo 3.



Paulo Henrique Paulo Henrique (01/10/2012 13:21:51)   1 1
Depois do Hessel ter dado 4 ovos para RE5 E 3 PARA O MOTOQUEIRO FANTASMA,não espero mais nada dele....o filme é ótimo



Lady Caca Lady Caca (01/10/2012 12:54:18)   65 0
O problema pra mim é que esse filme é só uma reprodução de clichês sendo simulados e observados em um contexto fantasioso, não entendi qual é a graça, é só um exercício de metalinguagem pobre, sem propósito e que não vai pra lugar nenhum, é como se fosse um filme de horror comum mas com uma constatação pedante do tipo "olha, estamos usando todos os clichês, mas sabemos que eles são ridículos", que funciona mais como uma espécie de desculpa do que como um deboche

PS: o personagem maconheiro é uma das coisas mais irritantes do universo


Plastik_Fantastik Plastik_Fantastik (01/10/2012 13:51:43)   373 0
Perfeito !

De qualquer forma daria um ponto positivo ao Whedon pela tentativa de fazer algo um pouco diferente.

Mesmo que algo tenha desandado na execução

obs:
o personagem maconheiro é uma das coisas mais irritantes do universo /// Concordo plenamente ////




Vorlon Vorlon (01/10/2012 12:42:58)   55 2
o texto é tão ruim que chega a doer.



sem avatar Rodrigo (01/10/2012 11:42:33)   5 2
Concordo que nem é necessário ler de quem é a crítica, meu Deus, como o Hessel é pretencioso, os textos dele SEMPRE são um porre, deixe ele assistindo os filmes europeus, indo nos festivais e comentando sobre o existencialismo das moscas, porque de resto...



Publicidade
Plastik_Fantastik Plastik_Fantastik (01/10/2012 11:04:52)   373 3
Minha opinião



#Pode conter pequenos spoilers#


Whedon tem uma idéia interessante, seguir de propósito uma fórmula hollywoodiana para filmes de terror e durante o desenvolvimento da estória dar uma guinada e tentar surpreender o espectador mostrando que tudo o que ele já viu sobre filmes de terror além de ser uma fórmula pré-estabelecida pode ser facilmente categorizada e que além disso existe alguém controlando tudo isso ( em uma alusão ao roteirista )

Escrevendo assim parece a idéia do Wes Craven no Pânico, mas não diria que é exatamente a mesma idéia

Em alguns momentos o espectador fica confuso se Whedon esta homenageando o genero ou quem sabe apenas tirando sarro, e é muito provavel que ele esteja tirando sarro, o que não chega a ser um problema

O problema é que quando ele brinca com essa meta-linguagem querendo nos mostrar algo como = Hey, Olhem fiz um filme que parece uma fórmula, mas surpresa !! esse filme foge totalmente das fórmulas.. peguei vocês

Ironicamente, no final ele acaba caindo exatamente em uma .... fórmula.

O final do filme é bem batido, diria que provavelmente mais que o ínicio que ele tentou desdenhar, por isso que pode frustar um pouco.


Porém.......

Como eu escrevi, a idéia inicial do Whedon é interessante, então acho que para algumas pessoas esse filme vá funcionar.

Recomendo que assistam sem pretensões de ver algo inovador ou disruptivo vindo do diretor de Os Vingadores, que quem sabe vocês consigam se divertir com o filme







Samael Samael (01/10/2012 12:23:10)   65 0
Não concordo com sua análise, mas gostei do modo como você colocou suas considerações.

MUITO SPOILERS AGORA!!!

Minhas divergências: Não creio que é uma alusão ao roteirista e sim uma alusão às tramas de mega-conspiração, aonde uma espécie de "grande empresa maligna" manipula tudo para ferrar com os herois. Dharma, Umbrela, escolha o nome que preferir.

Optar por essa "agência do mal" permitiu para os roteiristas explicarem grande parte dos "furos" comuns em filmes de terror.

Por exemplo: "por quê a loira gostosa é sempre burra?" (genial essa parte! Resposta: porque a agência adulterou a tintura para cabelo que ela usa!)

Outro exemplo: "por quê, quando todos estão quase escapando, acontece alguma catástrofe que ferra tudo?"

O fato de haver interessados em que tudo dê errado e esses interessados terem controle completo do cenário ajuda a explicar um por um dos "furos/clichês" comuns nesse tipo de filme.

Não vejo como uma afronta, mas sim como uma demonstração de muito conhecimento sobre o tema (a quantidade de filmes referenciados é absurda!) e de muita criatividade ao conseguir encaixar tudo isso numa trama única.

Quanto ao final, sim, já houve finais assim, mas poucos! Contesto seu critério porque é praticamente impossível, após mais de cem anos de cinema, chegar a um final em que possamos dizer: "isso nunca foi pensado antes". E, também, não é tão comum assim esse tipo de final em filme de horror. Você deve concordar comigo que o que se pensa numa franquia de horror, atualmente, é em possíveis continuações! Bem, o final de O Segredo da Cabana é um final MESMO... para todos. :-)

Plastik_Fantastik Plastik_Fantastik (01/10/2012 13:42:53)   373 1
##### Spoilers ######


Coloquei alusão ao roteirista ( o cara que controla o rumo da estória ) e não a empresa/organização por conta que esta bem demonstrado que a empresa esta controlando isso, essa informacao esta explicitada no filme


Em um segundo nível ( metalinguagem ) não tão explicito existe a alusão ao roteirista

vou tentar explicar mais claramente esse exercicio de metalinguagem.


Personagens estão dentro de uma aventura ( vamos usar esse termo ) e não tem vasto conhecimento de fórmulas de cinema, por conta que são personagens de cinema ( para facilitar digamos que estejam no nivel lógico n1 = dentro da aventura do filme )

A empresa esta dentro da aventura e controla o que acontece com os personagens ( a empresa encontra-se também no nível lógico n1 = dentro da aventura do filme )


A empresa utiliza métodos ( que você explicou acima ) para justificar porque quando todos estão escapando acontece algo, etc.. ( os clichês de filmes de terror )... e aqui esta a questão, ela esta explicando/informando isso para quem ?


Nesse caso a empresa, não esta comunicando algo aos personagens e sim ao "espectador" que esta assistindo ao filme e que conhece bem esses clichês ( o espectador encontra-se no nível lógico n2 )


A empresa comunica-se mais uma vez com o espectador, quando usa o recurso da mitologia de filmes de terror, ela não só demonstra situações similares a filmes classicos de terror ( como a Morte do demonio, O Grito, etc ) como categoriza os "monstros" em uma espécie de cardápio, mostrando que com a fórmula ( que eles controlam ) basta apenas escolher o monstro/ameaça que o resultado será o mesmo..

esse monstro pode ser um Vampiro, Lobisomem, fantasma, um zumbi, um maniaco com uma motoserra, um fantasma de filme oriental, um fantasma infantil, etc etc..


Nesse caso existe mais uma comunicação com o espectador, e a informação passada é: nos sabemos que vocês conhecem toda essa mitologia, nós controlamos algo linear e recorrente ( fórmulas )

de fato parece que essa comunicação se dá no nivel n1 para n1 ( empresa para personagens ), mas na verdade a comunicação é mais direcionada ao espectador

A empresa é uma alusão ao roteirista, que é a pessoa encarregada de conduzir a estória ( ou fórmula ) e escolher o monstro/ameaça.

E é aqui que parece que o Whedon demonstra um certo dissabor com os filmes de terror e suas fórmulas, como um mágico que resolve revelar os truques de todos os mágicos


Existem exemplos de metalinguagem mais explicitos, como o caso do personagem Animal Man que nos ultimos números de sua saga escrita pelo Grant Morrisson ele não só enviava informações/comunicados discretos para o leitor, como chegou ao ponto de sair da própria revista e visitar o próprio Grant Morrisson que era seu roteirista.

No caso do "Segredo da Cabana" a metalinguagem não é tão explicita, mas é bem perceptivel.

Com relação a sua afirmação que dificilmente teremos um filme com final muito diferente, concordo.

Dificilmente teremos...

Mas não diria que é impossivel.










Samael Samael (01/10/2012 14:39:26)   65 1
Muito bom, Plastik;

Proponho para ti que toda obra de ficção é um exercício onde o autor, no nível n2, se vale de personagens e suas respectivas relações com outros personagens no nível n1 para se comunicar com o receptor da mensagem (novamente nível n2).

Às vezes, o emissor da mensagem brinca com isso, como no caso que estamos discutindo. A principal mídia onde isso ocorre são os quadrinhos, onde Joss Whedon, aliás, também manda muito bem e tem pleno conhecimento de causa.

O seu exemplo do Manimal é perfeito, afinal, qual fã dos quadrinhos que se preza ainda não leu O Evangelho do Coiote? (uma grande brincadeira de metalinguagem! Diga-me: o roteirista estava "zombando" dos clichês da turma do Pernalonga? :) )

Mas, sigo convicto de que a função da empresa é amarrar a trama. Se passa a ideia de ser uma representação metalínguistica dos roteiristas, trata-se de bônus e não de intenção primária.

Alias, a existência da empresa também serve, sobretudo, para que sejam gerados os questionamentos do filme. Afinal, aquela "grande corporação do mal" que opera estilo NASA, está, na realidade, tentando SALVAR O MUNDO! Devemos nos alegrar que o Salsicha tenha derrotado a organização ou devemos lamentar o fim do mundo?

Essa inversão de conceitos é algo que me agradou em particular. Por exemplo, nos episódios da turma do Scooby, o fato do Salsicha querer sempre fugir de monstros e lugares assombrados era visto como exemplo de covardia. No flme, contudo, em um universo onde todas as pessoas racionais estão dopadas, apenas quem tem um "escudo de entorpecentes" enxerga o óbvio: "Não devemos descer em porões suspeitos, não devemos mexer com coisas esquisitas". BTW, não era exatamente isso que a turma do Scooby deveria fazer também?

O pecado do filme, na minha opinião e para encerrar, não é o roteiro e sim os efeitos especiais da parte final. Artificiais demais para meu gosto.

Cara, foi um grande prazer trocar ideais com você. É muito difícil encontrar alguém que tenha uma opinião divergente num fórum de discussão e não leve a coisa para o lado pessoal. Grande abraço.


Barbarian Barbarian (01/10/2012 09:29:42)   1272 3
"Depois das graças, o que resta em O Segredo da Cabana é a catarse pronta-para-consumir. O clímax do filme é o equivalente slasher daqueles grandes crossovers Marvel/DC feitos para aplacar fantasias de orgias nerds. E aí fica evidente que Joss Whedon atende esses desejos porque na verdade os despreza. Age como hipster disfarçado de nerd por incapacidade de sentir pra- zZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZzZ



Diego Brisse Diego Brisse (01/10/2012 08:24:46)   28 2
Cara nem vi esse filme, mas uma coisa eu posso dizer: Marcelo Hessel é um péssimo crítico!



Fabiano Fabiano (01/10/2012 06:34:05)   363 4
Putz, que review ruim. Falou, falou e não disse nada, principalmente no ultimo parágrafo.

Deu a impressão que o Hessel foi assistir o filme de má vontade e não conseguiu se expressar direito no afã de criticar.


Diego Brisse Diego Brisse (01/10/2012 08:31:22)   28 3
Pois é, esse Hessel deve ser um poço de arrogância, ele deve se achar um gênio. Tudo bem não gostar do filme, eu nem vi ainda, mas o cara fica querendo escrever como se fosse o Messias do cinema, o maior conhecedor vivo da 7ª arte! Fico imaginado ele escrevendo as críticas com um dicionário do lado para escolher as palavras e sentir "O" cara.


nilton nilton (01/10/2012 05:51:25)   -1836 3
amado, odiado,perseguido, concebido no meio de uma sessao de Giulietta degli spiriti, quando pequeno seu hobby era ir para a fila do cinema entregar o de 2001 uma odisseia no espaço...


o pequeno notavel cresceu, e assim karl heinz hermannn hessel ja tirou a vingindade de mais cinefilos incautos com seus spoillers do que a propria vã filosofia shaekesperiana possa imaginar (alias, para esses textinhos ele dava 2 ovos no colegial...)

o filosofo de kaboom é a lawwwwwww respeito!!!



Majin-Boo Majin-Boo (01/10/2012 05:41:55)   616 0

Eu não entendi, esse filme é terror ou é comédia ? Ou é Terrir mesmo?

Sei lá depois que eu comecei a ver filmes franceses de terror, anos atrás, me desanimei um pouco com filmes americanos de terror atual, parece ficou preso no cliche slasher de sempre: estereotipo de adolescentes x um maniaco mascarado.

Filmes francês de terror de um tempo atrás, como: A Invasora, Frontier, Martyrs, Haute Tension, Ils, 7 dias de Talião, se passam num ambiente mais palatável, e por isso, causavam maior medo.

Sem falar que tinham personagem que fogem dos de sempre do cinema americano atual. Geralmente eram personagem que vc se identificava, como : A grávida, a esquizofrênica, o pai, os malucos fugindo da policia. Sem falar que o final desses filmes geralmente eram bem doentis.

Lembro até hoje quando vi Martyrs, que tem o melhor começo de filme de terror que eu me lembre, SPOILERS A SEGUIR: Tá lá a família bonitinha toda reunida na mesa tomando cáfe e rolando uma conversa bem trivial entre pais e filhos,, parece até comercial de manteiga, até que toca a campainha... E é só uma guria atormentada com uma espingarda na mão, que sem perguntar nada, entra na casa e estraçalha a familia inteirinha, putz!!! Que cena antológica. O começo é o meio desse filme é demais, Pena que o final é bem fraquinho.



Fabiano Fabiano (01/10/2012 06:39:52)   363 3
É terrir. Digamos que ele explica o porque os filmes de terror acontecem e quase sempre seguem métodos parecidos.
Passa a impressão que o Whedon também não gosta do estado atual dos filmes de terror norte-americanos (o filme ate elogia de forma sutil o horror japonês, apesar de recorrer a uma piadinha mais tarde).

Eu só acho engraçado alguns comentarios que li abaixo, dizendo que foram ver o filme "esperando uma coisa e era outra". Putz, será que seria mesmo vantagem se esse fosse mais um filme de terror padrão de cabana abandonada?


Comentarista Comentarista (01/10/2012 00:26:18)   500 2
"Age como hipster disfarçado de nerd por incapacidade de sentir prazer com o que é convencional e estabelecido, e seu cinismo toma a forma das hipérboles, de deuses e monstros, porque - embora se ache muito iconoclasta - ele está no fundo tentando ganhar a disputa no grito."

Pra que fazer anos de psicanálise? Faça um filme, mande pro Hessel e espere uma análise completa e livre de erros de sua personalidade.

E criticar o filme que é bom????

[grilos cricrilando ao fundo]



sem avatar Francisco (01/10/2012 00:07:15)   309 -2
Hessel só presta fazendo crítica de filme estrangeiro que, dificilmente, alguém irá assistir!



Samael Samael (01/10/2012 00:02:52)   65 7
Não concordo com a crítica, mas antes de mais nada: "O cinismo hiperbólico de Joss Whedon tenta ganhar a disputa no grito. Mas... que disputa?"

Putz! Nada como usar uma linguagem clara e bem adequada ao meio, né, seu Hessel?

Quanto ao filme, eu vi tudo como uma grande homenagem aos filmes de terror. Vi sem saber nada do roteiro, mas percebi logo que a proposta era dar uma explicação para todos os filmes do gênero até então. Perguntas que a gente sempre faz: "por que os idiotas tomam sempre a decisão errada nesse tipo de filme?" são respondidas com muita originalidade.
E, claro, se há mistério e monstros envolvidos, é claro que tem que ter uma van e um grupo de jovens composto por: um atleta, uma gata, uma nerd e um maconheiro. Só faltou o DOGUE ALEMÃO!
Pelo que notei, nem essa referência o Hessel pegou. Talvez se tivessem escrito Mistery Machine na lateral da van... Mas, vai saber, né? Esses críticos preocupados com grandes questões referentes ao hiperbolismo-da-catarse-niilista-do-universo-joss-whediano certamente não tem tempo para ver esses detalhes.

Muito bom o filme! Cinco ovos com certeza! Ainda mais que, se é para homenagear todo o gênero de Horror, nada melhor que a "Grande Ameaça" ser puro Lovecraft! :D



Jason Jason (30/09/2012 23:50:43)   229 1
Gostei do filme. Eu daria 4 ovos.




Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.