O Voo | Crítica

Robert Zemeckis volta ao live-action em um filme sobre a responsabilidade do espetáculo

Marcelo Hessel
07 de Fevereiro de 2013

O Voo

O Voo

Flight
EUA , 2012 - 138 minutos
Drama

Direção:
Robert Zemeckis

Roteiro:
John Gatins

Elenco:
Denzel Washington, Kelly Reilly, Bruce Greenwood, Nadine Velazquez, Don Cheadle, John Goodman, Brian Geraghty, Tamara Tunie, James Badge Dale

Ótimo
o voo
o voo
o voo

Embora tenha passado os últimos dez anos trabalhando com animações com captura de movimento - O Expresso PolarA Lenda de BeowulfOs Fantasmas de Scrooge - Robert Zemeckis retorna ao live-action do ponto onde parou. O Voo (Flight), seu novo longa, tem um senso de redenção ligada ao espetáculo que inicialmente lembra Náufrago (2000).

Não é só um desastre aéreo como gatilho da trama que os dois filmes de Zemeckis têm em comum. Da mesma forma que Tom Hanks vence a morte em Náufrago com um show próprio - ao deixar de ser um carteiro gordo para se tornar o macho alfa da selva - o piloto vivido por Denzel Washington em O Voo também esbanja domínio cênico. Já surge como o diabo da música dos Rolling Stones, pedindo simpatia, e quando chega a hora de mostrar serviço só falta cheirar uma carreira de cocaína com o avião de cabeça pra baixo, para humilhar.

Da atuação expansiva de John Goodman, como o amigo fornecedor de drogas do piloto, à ponta marcante de James Badge Dale, como um paciente de câncer terminal, tudo em O Voo surge pautado pela performance. Como estamos só no começo da história, porém (as autoridades descobrem que o piloto estava drogado e alcoolizado quando evitou o desastre aéreo, o que pode lhe render prisão perpétua), a performance ganha uma carga distinta.

Há uma responsabilidade no espetáculo - é o que Zemeckis parece dizer, neste filme que muitos julgam moralista, quando na verdade é só um conto moral (o que é bem diferente). O diretor se preocupa com toda relação de causa e efeito. Se Washington aparece bêbado numa poltrona, por exemplo, a câmera faz uma pan para revelar as garrafas sobre a mesa de centro. Se ao voltar ao hospital o piloto encontra o copiloto aparentemente saudável, o enfermeiro sai da frente da câmera e podemos ver o estrago sofrido no acidente. Zemeckis filma esses momentos com teatralidade (ou "performance", para ficar num termo só) para que não fique dúvidas da gravidade.

Não é por acaso que, de todas as questões que O Voo aborda - do escape na religião ao comentário sobre o corporativismo -, a principal seja a questão midiática, porque afinal o espetáculo está contido nela. Do hospital, o piloto assiste ao seu pouso espetacular nos noticiários na TV, então desde o início ele tem consciência do caráter midiático de sua história. Zemeckis engana o espectador, faz crer que o piloto alcançará sua redenção na privacidade de uma noite sem nuvens (de onde, como ao longo do filme, podemos ouvir um novo avião no céu), mas só num evento midiático é possível assumir responsabilidades de fato.

E o piloto as encara, obviamente, mas não sem antes dar um último show, para poucos privilegiados e em segredo, digno dos maiores roqueiros destruidores de quartos de hotel.

O Voo | Cinemas e horários



Publicidade

Comentários (108)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Franklin Franklin (06/03/2014 00:21:52)   27 0
Acabei de assistir. Mais um show de Denzel e uma demonstração que o Zemeckis ainda não perdeu a mão.



sem avatar Noeli (24/01/2014 03:22:35)   -1 -1
Gostei do filme, achei o final justo.



G. brucew G. brucew (02/07/2013 23:36:12)   1991 0
Obra prima! Estou feliz de estar vivo e poder assistir esse filme.



sem avatar Fe (27/05/2013 11:52:31)   -8 -1
A atuação de Denzel foi magistral. No entanto, o filme falha em alguns pontos:

1º- Qual era a ligação sentimental entre Whip e Katerina? Afinal, a virada de mesa que o filme propôs foi decidida no momento em que ele poderia atribuir o consumo das bebidas no avião a ela, mas não o fez. Por quê? Ele a amava? Arrependeu-se? Não queria atribuir a culpa a uma mulher que morreu tentando salvar uma criança? Isso fez com que o filme não ficasse óbvio, mas também tirou a lógica dos acontecimentos.

2º- O que se pode considerar um alcoólatra? Um homem que após o acidente decide abandonar a bebida de forma tão fácil? Até onde tenho conhecimento, o tratamento para alcoolismo envolve o uso de medicamentos. E também pesa o fato de que um alcoólatra é praticamente um inútil na sociedade (pessoa que vive jogada aos cantos, deitada, mole, etc). Whip estava mais para um bebedor habitual do que para um alcoólatra.

No entanto, o filme não trata de um falso moralismo. Trata da prisão mental que uma pessoa pode ter e a capacidade que ela possui de quebrar seus paradigmas. Quando ele diz "Que Deus me ajude" e quebra o silêncio assumindo o uso de bebidas alcoólicas, foi uma cena épica. Qual o nível de problemas que uma pessoa pode ter a ponto de assumir em um tribunal que é um alcoólatra? Que sua vida estava num caos (problemas com a esposa, filho, a moral diante dos colegas de trabalho)?

O filme é ótimo! Quem disser que foi monótono, sugiro ir ver X-men.



sem avatar Rafael (22/05/2013 02:04:57)   0 0
É um grande filme! O roteiro só peca no final, quando há um certo temor de se apresentar um filme fora dos padrões moralistas comuns do cinema americano.. Pra não haver um choque, pra que o personagem não saia em pune, pra que seja bem esclarecido o fato de que tudo tem uma consequência, o roteiro muda de direção e o desfecho fica um pouco deslocado de todo o desenvolvimento da trama até então..

Outro ponto sensacional do roteiro é o ritmo do filme.. No início do filme, o uso de drogas e álcool por parte do personagem de Denzel Washington é mostrado em cenas cheias de ação, com uma boa e animada trilha sonora e um desenrolar veloz da trama.. Porém, com o enredo se desenvolvendo, o ritmo vai mudando conforme o estado físico e mental do personagem.. Quando não está nesses momentos alucinantes, o personagem de Denzel Washington demonstra um vazio emocional enorme, interpretado com maestria pelo ator, em atuação memorável.. E durante esses momentos alucinantes, o roteiro, em conjunto com a excelente direção, amarra um pouco a trama, tornando-a lenta, maçante, contagiando o espectador com o cansaço mental e a ressaca permanente do personagem principal..

Mas para que haja essa tamanha interação e ligação entre personagem e público, é preciso que o roteiro, a direção e o ator estejam realmente afinados.. E é o caso de "O Vôo".. Grande filme!



sem avatar Marcio (22/04/2013 11:54:02)   -7 -1
Existem alguns filmes que o roteiro desenvolve boas idéias, mas que colocam tudo a perder em seu final. O Voo acaba nos dando um bom exemplo. O filme deixa você preso na cadeira nos momentos iniciais, Denzel Washington nos da uma boa interpretação, mas quando achamos que o conhecemos bem vem o roteiro e estraga tudo. Nosso protagonista é Whip Whitaker, piloto de uma empresa aérea que é viciado em drogas. Seja bebida alcoólica, cocaína ou maconha, não importa, ele consome. Logo no início temos uma boa apresentação do personagem. Em um quarto de hotel já sabemos que ele é viciado, não tem um bom relacionamento com a ex-mulher, é piloto e que ainda tem um vôo programado duas horas depois de ter acordado. A partir daí embarcamos no filme e entramos naquele avião como um passageiro. A filmagem é bem feita e acabamos vivendo as angustias e o medo de cada passageiro daquele vôo. No desenvolvimento do personagem durante o filme conseguimos enxergar algumas características dele. Ele é egocêntrico, cínico, mentiroso, prepotente e se não for ateu, é quase isso. Até quase o final do filme essa característica é mantida. Então quando vem o desfecho há uma mudança da água para o vinho num piscar de olhos. Um roteiro, na maioria das vezes, é composto por um paradigma. Ele é dividido em apresentação, confrontação e resolução. Quase na transição das fases de apresentação para confrontação e deste para a resolução temos o que chamam de pontos de virada I e II respectivamente. Nesse filme enxergo bem claro essas divisões. Não cabe aqui citar. No ponto de virada II o filme mantém a direção correta, mas na resolução... Digamos que os pontos de virada são incidentes que mantêm a história coesa. Esses pontos constituem a fundação da linha narrativa. Confesso que vibrei com o fim da confrontação e o início da resolução. Ele vai de encontro a qualquer ato moral. No entanto logo depois tudo é jogado por água baixo. O filme se entrega para agradar a essência moral dos que não aceitam que o mundo não é perfeito. Há filmes que infelizmente não são capazes de ir até o fim com suas convicções e se entregam apenas para ganhar a maioria do público e com isso uma maior bilheteria. OBS: Gostaria de destacar ainda três pontos. Um é a trilha sonora que achei boa. Outra é que parece que o filme se insere em um contexto onde todos são religiosos a não ser nosso protagonista. Achei isso um pouco de exagero por parte do roteiro. Por fim destaco o personagem de John Goodman. Mesmo mínima, quando aparece, se destaca. http://embriagadospelocinema.blogspot.com.br/2013/04/critica-o-voo.html



sem avatar Navita (21/04/2013 21:09:52)   -1 -1
Eu gostei do filme, mas achei o final decepcionante. (spoiler aqui) Tem cenas ótimas como no dia do depoimento que DW está careta há 9 dias, não tem bebida nenhuma no frigobar do hotel e ele não consegue dormir até que uma porta se abre dando acesso a outro quarto/frigobar com várias garrafinhas enfileiradas. Quando parece que ele vai resistir o personagem dá um susto no espectador (pelo menos eu tomei). A continuação é melhor ainda com o quarto revirado e sem tempo de ficar sóbrio tem que cheirar uma carreira de pó ao lado do advogado pra ter condições de dar o depoimento (e afirmar que não usa drogas), ironia pouca é bobagem. Analisando o filme depois (inconformada com o final) pensei em como é estranho que enquanto doidão DW é herói e quando se rende a verdade (dos outros) passa a sofrer as consequências de seu vício não assumido. Mas o filme não explora essa contradição, prefere o caminho fácil da redenção hollywoodiana (patética a cena na cadeia). A sinceridade com que o personagem é construído, onde sua genialidade não é resultado de seus vícios e nem prejudicado por ele (por mais perigosa que seja essa abordagem), é posto abaixo com o final pastelão do filme. Seu pouco caso com a família, ao invés do lugar comum onde o protagonista alcoólatra fica chorando as mazelas de sua culpa sobre as fotos da família. Assistir este filme me fez lembrar de um artigo que eu li sobre a quantidade de cocainômanos em cargos de grande responsabilidade, uma outra visão da dependência química vendida pelas propagandas anti-drogas. Infelizmente o autor não quis bancar o debate moral que ele mesmo propõe dando um final medíocre ao que poderia ser um grande filme.



sem avatar Rafael Forechi (10/04/2013 21:15:04)   13 0
Um belo drama sobre alcoolismo, drogas e superação, estrelado pelo monstro Densel, mais uma puta atuação e mais um belo trabalho deste diretor que na minha opiniao fez um filme que eu considero um dos melhores que ja vi "NAUFRAGO".



sem avatar Sérgio (02/04/2013 02:41:08)   4 0
Prezados,

sugiro o seguinte texto sobre "O voo":

http://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2013/03/25/o-voo-2012/

Abraço



sem avatar André (08/03/2013 09:30:23)   51 0
Achei que esse filme tem uma mensagem equivocada, já que o personagem principal é um alcoolatra, e sobre sua superação ao alcoolismo. Mas o único problema que a bebida traz pra ele no filme, é o estigma social. Ele não perde o controle, ele dirige bebendo e não acontece nada, ele pilota um avião bebado, e faz o que 11 pilotos sóbrios não conseguem, ou seja, a mensagem do filme acaba sendo que o alcoolismo é um problema por que é socialmente condenavel e não por quer altera o indivíduo.


sem avatar hugo (13/07/2013 09:56:59)   1 1
Amigo no dia em que ele foi voar, ele usou cocaina,tem muitos relatos sobre usar coca+ alcool, a coicaina corta um pouco a embreagues causando mais uma euforia, por isso deram cocaina pra ele antes do julgamento, vc viu que quando ele só bebe ele fica em um estado horrivel, como ficou na fazenda de seus pais


Publicidade
André Filipe André Filipe (28/02/2013 10:48:29)   1148 -1
olha,é um bom filme...nd demais...



sem avatar Fernando (27/02/2013 15:17:17)   4 0
Excelente! Denzel Washington está muito bem! A cena em que ele abre o jogo sobre o alcoolismo é pra mim a mais emocionante e competente dessa temporada de prêmios. Infelizmente pra ele e todos os outros candidatos, esse ano foi de excessão, já que além da monstruosidade que foi o Daniel Day-Lewis, todos os candidatos ganhariam fácil em um ano normal como foi o ano passado. Esse ano ainda teve o ator do Amour e o Mads Mikkelsen que estava espetacular e mereceu a palma de ouro.



Rodrigo Rodrigo (18/02/2013 01:35:02)   9 0
Parabéns, Hessel! Linda crítica. Mt sensível, assim como certos acontecimentos no filme.



 Cristina Cristina (15/02/2013 22:14:10)   579 0
Crítica midiática. Me interessei e vou ver!


felipe felipe (18/02/2013 13:11:35)   -2 0
eu vi e recomento uma histora muito realista muito bom....


Roberto Roberto (15/02/2013 18:10:08)   52 0
Vamos com calma. Assisti, e o filme é de fato, bom, mas não chega a ótimo, 3 ovos estaria mais do que bom. Mais do que um filme sobre queda de avião, trata-se do retrato de am alcólatra e suas dificuldades com as consequências do vício. O filme apela muitas vezes pra cenas com drogas, na minha opinião. Escolher Red Hot como trilha pra uma delas foi muito bacana. Denzel está representando tão bem, mas tão bem, que as vezes não sabemos se a arrogância é do personagem, ou dele próprio. O final é que decepciona, ao menos um pouco. Abraços.



GeloSeco GeloSeco (14/02/2013 23:30:22)   9 0
Grande filme. O Denzel Washington soube escolher novamente. E representar.
Nos faz lembrar das fraquezas humanas. Sem ser piegas, nem condescendente. Fez burrada, sofre as conseqüencias. Mas sem exageros moralistas.
Apenas... Causa e efeito.
E mostra, sutilmente, que escolhas exigem sacrifícios, e que, muitas vezes, escolhas aparentemente pessoais impactam nas vidas de outras pessoas.
Vale cada centavo do ingresso.



sem avatar Joao (14/02/2013 01:18:52)   1 0
Um daqueles filmes que prendem o expectador do inicio ao fim.

DW e John Goodman filmam relativamente pouco, mas não custumam fazer filmes ruins.

DW competente como sempre, vai disputar o oscar pau a pau com Daniel Day Lewis.


E Goodman no pouco que aparece dá show e até lembrou um pouco o Walter de O Grande Lebowski.



jucelio jucelio (11/02/2013 15:35:24)   -134 0
se for sozinho ao cinema vai CHORAR!!!vi e gostei muito bom mais uma escolha perfeita do ATOR.


Erickson Erickson (13/02/2013 15:47:06)   2 0
morte do personagem a vista...


Pedro Jungbluth Pedro Jungbluth (10/02/2013 08:52:25)   329 0
Adorei o filme, cenas muito boas, personagens ótimos, atores impecáveis.
Mas fiquei pensando que se o Zemeckis quisesse fazer um filme mais empolgante não deveria ter colocado toda a ação nos primeiros 20 minutos, e depois todos o drama, ele deveria ter misturado, quem sabe usando as cenas do voo em flashbacks, daí apenas veríamos um alcoolatra se defendendo e só no meio para o final do filme entenderíamos que ele tinha salvo o avião, e não causado o acidente. Mas essa ordem dos fatores influencia um pouco a experiência na hora, mas o filme é memorável e não sai da cabeça de qualquer forma.



Alerson Alerson (09/02/2013 18:59:55)   1340 0
Uma prova que o Zemeckis ainda sabe como fazer um ótimo filme,pois ultimamente ele só vem lançando animações com captura de movimentos 'bons',fazia tempo que ele não fazia algo ótimo.Denzel tá ótimo,o desenvolvimento do seu personagem em torno do alcoolismo(ele tentando largar o vício,ao mesmo tempo se negando ser alcoólico)é algo muito bem elaborado.A cena da queda do avião é tensão pura.Super recomendo.

SPOILER:Aquela cena da recaída perto do fim é uma das melhores,quando a câmera se foca na garrafa e segundos depois ele pega.



Publicidade
sem avatar Roberto (09/02/2013 11:56:37)   37 -1
√√√√- SPOLIER - √√√√

Alguém que já assistiu o filme pode dizer quem trocou todos os suco e refrigerantes pelas bebidas alcoólicas?
Minha opinião:

O filme começa bem e depois dá uma esfriada legal.


sem avatar Elvis (09/02/2013 23:45:06)   -6 -1
É pq em certos hoteis existem quartos conjugados. Onde uma porta liga 2 quartos. Geralmente pra famílias. No Filme, o outro quarto, acidentalmente estava com a porta aberta e lá tinha bebidas alcóolicas. ;) Ninguém trocou nada.


Ivan Ivan (09/02/2013 02:21:49)   12 -1
Exelente crítica!!!
Bem sensível aos acontecimentos do filme!
Parabéns, Hessel!




Detective Detective (08/02/2013 23:24:25)   156 0
Olha, o problema do filme é que ele está sendo vendido como “levemente inspirado em fatos reais”. A única cena do filme inspirada em fatos reais é a do acidente. Mas, na vida real (de fato), todos a bordo morreram. E a peripécia que o piloto do filme faz para salvar a aeronave vai contra todas as leis da física. Fora isso, o filme é melodramático e desnecessariamente mentiroso, uma vez que pilotos de avião alcoólatras e viciados são encontrados apenas na ficção, já que eles passam por avaliações periódicas. Em relação ao DW, ele está muito bem, mas absolutamente dentro da sua própria média.


sem avatar Gui (11/02/2013 05:13:02)   -3 0
Velho, a parte mais mentirosa do filme é ele decolar, e estar à 316 knots à 9 mil pés, pois antes dos 10.000 pés, a velocidade é limitada à 250 knots, salvo em caso de necessidade por segurança. De resto meu amigo, nada é impossível, só quem está no meio sabe do que aquelas máquinas são capazes! E com relação às drogas, infelizmente tenho de lhe dizer, é um problema real, um pouco aumentado pela rotina de pilotos comerciais, de resto, ao menos no que diz respeito à parte aeronáutica, ele é bem fiel no que se pode esperar de um filme, rsrs

Detective Detective (11/02/2013 16:51:40)   156 -1
Guilherme?!... A velocidade empregue na decolagem de um avião é relativa, pois estão aí envolvidos os fatores climáticos, capacidade e peso da aeronave, etc. No filme, o avião levanta voo sobre forte chuva, isso justifica ao piloto que ele exija mais dos motores do aparelho. Em relação à manobra que DW “efetua”, ela foi inspirada num caso que ocorreu com um MD-83 da Alaska Airlines, que resultou na morte 88 pessoas. O defeito foi causado por falta de manutenção numa peça (jackscrew), o que possibilitou aos pilotos apenas voar alguns metros de ponta-cabeça antes de o avião se chocar contra o oceano. Agora, pilotos da aviação comercial (de carreira, não os de taxi aéreo) são constantemente avaliados. Não estou dizendo aqui que eles sejam “santos”, mas nunca conheci um caso de piloto alcoólatra e/ou viciado como o que o filme mostra. Uma ressalva, Hollywood precisa parar de contar lorotas para o expectador: Guerra ao Terror, O Voo, Mar em Fúria etc. são filmes que tratam o público como um bando de idiotas, pois são tão inverossímeis quanto Mercenários e outras bobagens. A diferença, Mercenários é bobagem assumida, e não uma bobagem disfarçada de filme sério. Você vai sabendo aquilo que vai encontrar.

André B André B (12/02/2013 00:57:59)   948 -1
Detective,

Respeito sua opinião e achei bacana suas explicações técnicas, mas o cinema serve para contar histórias.

E uma coisa é como o filme é vendido, outra é o filme em si.

Desconheço aviação pra opinar à respeito do que pode e não pode ser feito. Mas o fato é: isso é irrelevante. Poderia ser qualquer outra manobra, num outro veículo... as questões que o filme coloca estão além de tecnicismos. A opção pelo exagero é estética serve para alardear a suposta genialidade do protagonista, de forma que isso potencializa a discussão em torno dele.


Detective Detective (12/02/2013 09:45:28)   156 -1
Muito bem, André. Mas, para mim, o maior problema do filme é que ele leva tudo para uma discussão ética e moral, sendo que essa não é a questão mais relevante que a história suscita. Além da cena absurda do acidente, que (okay, é Hollywood e) tem um piloto alcoolizado e “drogado” conduzindo uma aeronave, o filme parece-me fora de contexto. Se na vida real o piloto causaria a morte de todos a bordo, e não o contrário. (Mas é cinema, certo?) A maior mentira é dizer que ele, apesar de grande dependente químico, era um profissional excelente e competente. Não se trata de um roteirista, como Nicolas Cage em Despedida em Las Vegas, ou músico, ou coisa parecida. Pilotar um avião em vertiginosa queda “doidão” e salvar todos da morte certa é voltar àquele lugar comum em Hollywood: o do cara que é “badass” e está acima de todos por ser apenas quem ele é; e não pelos hábitos e responsabilidades que que ele precisa possuir em primeiro lugar. Mesmo assim, concordo: o cinema não precisa exatamente traduzir a realidade. Ainda assim, acho que filmes baseados em fatos reais devam ser de fato baseados em fatos reais. Não se pode justificar tudo em nome da divulgação de um filme. Se não, eu poderia dizer também que Taken, por exemplo, é baseado em fatos reais e por aí vai...

André B André B (12/02/2013 11:43:45)   948 0
Em primeiro lugar, é preciso descolar o filme da sua divulgação. A equipe de produção raras vezes controla isso. Vide Up in the Air, que aqui virou Amor Sem Escalas, afim de pegar casais românticos desprevenidos (e o filme é tudo, menos romântico).

Concordo que na realidade todo mundo teria morrido. Ou melhor, provavelmente ele nem teria sentado no assento do piloto. Mas entendo que a discussão é ética e moral sim, e não de que o cara é badass. Transponha a estrutura de O Voo para um ônibus de viagem, por exemplo. A discussão seria a mesma (menos impactante, mas a mesma).

É um exercício de análise (um piloto faz uma manobra impossível e salva muitas vidas, mas vai de herói à vilão quando descobrem que ele estava drogado). Além da questão midiática em si, que trata tudo como um show - é só lembrar do desastre na casa noturna do Sul, por exemplo. Acho até que o filme poderia ter ido além. Por exemplo, poderia ficar subtendido que ele talvez não fizesse uma manobra daquelas se não estivesse doidão, o que levaria a crer que foi o ato ilícito dele que salvou tanta gente.

Enfim, o filme pode ter várias interpretações e nenhuma a princípio é errada, mas foram esses pensamentos que me fizeram achá-lo um bom filme. Abs.

Detective Detective (12/02/2013 19:24:31)   156 0
André, esse é o ponto. Para mim, trata-se de um absoluto equívoco relacionar “piloto drogado” a “manobra impossível”. É aí que está... Essa é uma discussão velha e (acredito eu) vencida: a de que “o caminho do excesso leva ao palácio da sabedoria”, para citar Blake. Mesmo que DW fosse, como personagem, capaz de realizar a manobra que realizou no filme, seria sempre **apesar** de “drogado”; e nunca **porque** estava “drogado”. Esse é o cerne da questão. Eu até poderia acreditar que, se DW(P) fosse viciado em... sei lá... sexo, e fizesse a manobra, “tudo bem”... Mas com coca e álcool na cabeça... Não! Isso é uma péssima ideia a ser vendida. E é uma ideia da qual precisamos nos afastar. Precisamos deixar para traz os anos hippongas que mostravam as drogas como libertárias. Não são. Drogas aprisionam a mente. Agora, em relação à divulgação do filme, o filme foi “vendido” como tendo sido baseado em fatos reais por parte da estratégia global de lançamento, mas reconheço que não é uma marca indelével à obra. Sei que tenho um posicionamento radical em relação a isso tudo. Mas, outro dia desses, um sujeito resolveu que não continuaria na aeronave porque descobriu que quem a pilotava era uma mulher. Para mim, ele é no mínimo um idiota... Aí eu te pergunto, e se você descobrisse que o piloto havia cheirado umas carreiras e tomados uns tragos antes do voo, permaneceria no avião? É claro que não vale escolher DW... rs.

André B André B (13/02/2013 01:33:44)   948 -1
Eu não entro nem em carro de bêbado, imagina avião.

Mas eu concordo com o seu ponto de vista em relação às drogas. E, de certa forma, o filme também. É só ver o quanto o protagonista perdeu e continua a perder por conta da bebida (esposa, filho, amiga/amante, profissão, liberdade). E tudo piora justamente quando ele faz algo realmente bom. Fosse o contrário, ele teria escapado no final. É uma crítica ao corporativismo, ao showbusiness midiático, além da queda e redenção do protagonista.


Detective Detective (13/02/2013 12:10:19)   156 -1
Okay, concordo com a parte da crítica ao corporativismo. Mas, em 28 Dias, por exemplo, a personagem da Sandra Bullock vai para a “rehab” após fazer seguidas bobagens em decorrência do abuso de álcool. No filme do Zemeckis, é diferente: DW(P) é o “cara”, apesar de alcoólatra e “drogado”. O mundo dele só desaba após ele salvar a vida das pessoas. É um contra senso. Mas é isso mesmo que o filme é. E o Zemeckis quer com isso criar polêmica, ou, se você preferir, vender polêmica. Como em Proposta Indecente, de Adrian Lyne, a polêmica aqui é o combustível que “impulsiona” o filme. Sendo assim, o filme de Zemeckis se “aproveita” da publicidade sensacionalista criada pela mídia; que, de certa forma, o próprio filme condena? Bom... respeito a sua opinião, mas não gosto daquilo que está sendo “vendido” pelo filme. De qualquer forma, valeu pela conversa. 1 abc.

sem avatar Gui (15/02/2013 22:00:04)   -3 -1
Não senhor dective, posso assegurar-lhe, faço faculdade de ciências aeronáuticas, em primeiro lugar, um avião vem com referências de velocidade mínima para adentramento em tempestades, e ela é menos do que 250 knots, por questões de excesso de ruído, que pode ser prejudicial à saúde, a ICAO (Organização Internacional de Aviação Civil), não deixa que aeronave civil alguma ultrapasse os 250 knots antes dos 10000 pés, exceto em caso de necessidade para a segurança do voo, o que geralmente não inclui mal tempo.

sem avatar Gui (15/02/2013 22:10:23)   -3 -1
Com relação às drogas, os exames periódicos aos quais passamo (CMA), não são digamos, tão periódicos, vou colocar um link com informações do site da ANAC à respeito: http://www2.anac.gov.br/habilitacao/validade%20dos%20exames.asp
E mesmo que fossem, usar de bebidas ou drogas no Brasil, não é algo proibido, o que pode se considerar proibido, é o ato de pilotar sob efeito das mesmas, e alguns pilotos, infelizmente acabam recorrendo à bebida e drogas, para conseguir manter a rotina de companhia aérea, que é muito complicada, um abraço, kk

sem avatar Gui (15/02/2013 22:14:20)   -3 -1
Com relação ao giro (ou roll), teoricamente, é bem provável que praticamente toda aeronave possa voar de dorso (estruturalmente!), o problema é que a alimentação de combustível e óleo dos motores (Popularmente chamados de turbinas!), depende da gravidade para funcionar, o que significa que provavelmente, os motores viriam à apagar, ou pegar fogo, mas estruturalmente, é muito provável que a aeronave aguente!

Detective Detective (16/02/2013 00:11:30)   156 0
“Speed required

The takeoff speed required varies with air density, aircraft gross weight, lift coefficient, and aircraft configuration (flap or slat position, as applicable). Air density is affected by factors such as field elevation and air temperature. This relationship between temperature, altitude, and air density can be expressed as a density altitude, or the altitude in the International Standard Atmosphere at which the air density would be equal to the actual air density.”

Wikipedia

“Origin of the 250 knots below 10,000 ft rule

The 250 knot max speed below 10,000 ft has been around for a long time. From where did this rule originate? And what started it?
Is it because of collision risk (birds or other aircraft) minimisation? Or is it to standardise speeds below 10,000 ft purely for ATC purposes.
In Australian airspace, it is common practice for pilots of jets to request "high speed " climb below 10,000 ft - meaning they are happy to ignore the 250 knot tradition. It is just as common for ATC to request inbound aircraft to "cancel restriction" below 10,000 ft in order to facilitate flow control, and usually crews are happy to oblige.
While ATC might find it aids their task by encouraging high speed below 10,000 ft, it begs the question that if ICAO specified 250 knots below 10,000 ft for safety reasons, then why should this rule be broken so frequently in Australia by mutual agreement between pilots and ATC? Complacency on the part of both parties, perhaps?”
PPRuNe (http://www.pprune.org/tech-log/134138-origin-250-knots-below-10-000-ft-rule.html)

U.S. DEPARTMENT OF TRANSPORTATION
FEDERAL AVIATION ADMINISTRATION
Air Traffic Organization Policy

“NOTE-
1. A pilot operating at or above 10,000 feet MSL on an assigned speed adjustment greater than 250 knots is expected to comply with 14 CFR Section 91.117(a) when cleared below 10,000 feet MSL, within domestic airspace, without notifying ATC. Pilots are expected to comply with the other provisions of 14 CFR Section 91.117 without notification.

2. Speed restrictions of 250 knots do not apply to aircraft operating beyond 12 NM from the coastline within the U.S. Flight Information Region, in offshore Class E airspace below 10,000 feet MSL. However, in airspace underlying a Class B airspace area designated for an airport, or in a VFR corridor designated through such as a Class B airspace area, pilots are expected to comply with the 200 knot speed limit specified in 14 CFR Section 91.117(c). (See 14 CFR Sections 91.117(c) and 91.703.)

3. The phrases “maintain maximum forward speed” and “maintain slowest practical speed” are primarily intended for use when sequencing a group of aircraft. As the sequencing plan develops, it may be necessary to determine the specific speed and/or make specific speed assignments.

b. To obtain pilot concurrence for a speed adjustment at or above FL 390, as required by para 5-7-1, Application, use the following phraseology.”

Como eu disse, há muitas variáveis. Em relação à manobra, existe um vasto material na Web sobre o acidente original. Se você comparar o acidente do filme ao “verdadeiro”, poderá notar as impossibilidades mostradas no filme às quais eu me refiro. Em relação às drogas e a todo o resto, o filme é norte-americano, por isso, estou me baseando nisso, principalmente, para a minha fala. Abc.



sem avatar Mau (08/02/2013 21:50:07)   54 1
O filme mostra a redenção até as ultimas consequências, deste piloto herói que salvou a tripulação.

Tirando o começo "explosivo" (literalmente), o filme é bem calmo, mais ligado ao drama pessoal sobre um homem, até honesto, mas assombrado pelo alcoolismo. Denzel Washington é magnifico.

Recomendo.



Rubens Rubens (08/02/2013 19:31:40)   48 0
Mas que delícia aquela mocinha do inicio do filme heim.
O VOO... QUE FIIIIIIILLLMEEEE.



RODRIGO RODRIGO (08/02/2013 18:11:05)   -27 0
O filme pareçe ser bom mas nao irei ver no cinema,talvez alugue em blu-ray!ou esperar passar no telecine!pirataria nao!



sem avatar Zano (08/02/2013 14:17:05)   31 0
Otimo filme!



sem avatar Pedro (08/02/2013 13:59:15)   34 -1
Hm... e então Hessel: o filme é bom ou não? X-D


Daniele Daniele (08/02/2013 15:22:51)   14 0
Também achei que o Hessel falou falou e não chegou no que interessa hahahah

sem avatar Mau (08/02/2013 21:46:45)   54 1
Olha, pessoal.
A NOTA do filme está bem estampada alí. 4 de 5 ovos. Acho que está aí sua resposta, não?


sem avatar Jonas (08/02/2013 13:01:28)   0 0
tb gostei muito do filme!

Denzel está excelente no papel, e o filme não foi indicado pra melhor roteiro original a toa.

roteiro excelentes, bons papeis e atores coadjuvantes, enfim, um grande filme, o melhor que assisti nesse inicio de ano.



Giovanni Giovanni (08/02/2013 09:59:14)   10 -2
Assisti ao filme no último final de semana e sinto o dever de expressar minha opinião sobre o filme.

Gosto não se discute, mas Ótimo está anos luz deste filme. As cenas do avião e o início do filme são intensos e excelentes, no entanto com o passar da história o que vemos é um beberrão viciado que apesar de um incrível piloto é uma pessoa terrivelmente fracassada.

Acredito que várias pessoas vão gostar do filme, particularmente não vi nada demais além da interpretação do protagonista. A vontade que você tem de bater no Denzel Washington já expressa o nível de atuação do cara, ele está genial.

A dica que deixo aqui é a seguinte, se você gostou de "O Lutador" com Mickey Rourke acredito que vai adorar "O Vôo", no entanto se você espera um filme com uma história empolgante cheia de reviravoltas este não será o caso.



Publicidade
Cleison Cleison (08/02/2013 09:29:56)   73 -3
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

Cleison Cleison (12/02/2013 15:15:30)   73 0
O que em: "Talvez porque esperasse mais, achei um bom filme e só... falta um tanto para ótimo" é motivo para má avaliação e ocultação do comentário???


Losovoi Losovoi (08/02/2013 08:32:31)   293 3
O filme te prende desde o começo, o Denzel está fantástico, a primeira cena já vale o ingresso, excelente trilha sonora, a parte do acidente é fantástica de tão surreal. O cara faz o tipo rockstar mesmo. Seria um dos melhores filmes do ano fácil, o problema é o final moralista, estragam tudo nos últimos 5 minutos. Um filme que poderia ser um clássico, vira mais um. Uma pena. Realmente...uma pena.


Losovoi Losovoi (08/02/2013 09:48:30)   293 4
Spoiler

Otto, o problema não é o final do filme ser moralista, tanto que a maioria esmagadora dos filmes terminam de forma moralista, até porque precisamos da moral, o cinema reflete isto. A questão é que o filme foi construído de um forma e no final ele se redime, tudo muito rápido. A cena do hotel até se mostra desnecessária. Por exemplo, torci para que ele não tivesse aquela recaída, mas depois que a teve, já era. Depois daquela cena não tinha mais volta ou até teria, mas não do jeito mostrado.

Acho que se o filme fosse coerente com ele mesmo, ele seria melhor. Quanto aos finais moralistas, não há nenhum problema neles, veja os últimos filmes do Tarantino, os finais são todos moralistas. Abs.


sem avatar Alexandre (08/02/2013 02:51:21)   4 2
Filme bem bacana,vale a pena dar uma conferida,o denzel mais uma vez fazendo o que sabe de melhor...Agora pra quem não quer ir no cinema baixa pq ele já esta na rede e com imagem bluray...Quem manda o calendario daqui ser atrasado,bem atrasado...



Orlando Cortes Orlando Cortes (08/02/2013 02:41:17)   277 0
Olha só como a pirataria tá evoluindo , já tenho esse filme lá em casa e em boa qualidade !


nilton nilton (08/02/2013 16:10:33)   -1831 -1
como vc eh esperto, e todos fizerem isso como os filmes se pagarao? e como serao feitos depois se ninguem os paga para ver? brasileiro metido a espertinho


sem avatar Tom (08/02/2013 01:31:49)   59 1
que bom que o zemeckis voltou a fazer live action, seus filmes são ótimos



Raul Raul (08/02/2013 01:15:43)   1071 1
O filme é bom, mas cansa um pouco por ser repetitivo. Mas vale a pena conferir, Denzel Washington arrebenta como sempre!


ian ian (08/02/2013 08:36:59)   103 0
Raul, seu pequeno comentario foi muitas vezes melhor que a critica do hessel que mais uma vez falou e não falou nada!


Francis Francis (07/02/2013 23:36:01)   1944 1
esse filme é excelente, Denzel esta muito eficiente em sua interpretação de alcoólatra, o que eu mais gostei é que esse não é um filme focado no drama do "injustiçado" na tentativa de comover o publico a sentir pena do personagem, não(Spoiler leves do filme a frente) muito pelo contrario ele é um problemático assumido des da primeira cena do filme, não é nenhum coitado, e isso é um ponto positivo para a trama, porque mesmo ele sendo um problemático ele não é um cara ruim, e no decorrer do filme voce intende a depressão do personagem chegando ao ponto de torcer para ele se dar bem no final (pelo menos eu) mesmo quando sabe que ele esta mentindo para escapar da prisão, é um filme que mostra o lado frágil e humano de um dependente alcoólico, que se envolve em um grande problema, excelente esse filme.

claro que o Denzel não faz a unica atuação de alcoólico que o cinema ja produziu, vale mais pela historia que o envolve, então mesmo sendo merecido estar indicado ao Oscar de melhor ator, mas não acho que tenha chances de ganhar, porque outro alcoólico (mais)problemático que esta de olho no careca dourada, porque assisti recentemente "O Mestre" e Joaquin Phoenix TEM que ganhar como melhor ator, não vou fazer outra critica deste filme mas, quem assistiu O Mestre sabe que o Oscar ja esta ganho, vai ser uma disputa interessante de acompanhar a repercussão pos premio.


Francis Francis (08/02/2013 10:17:26)   1944 3
Otto, pode ser que eu não tenha me expressado direito, quando eu digo que ele é um problemático assumido, eu queria dizer que pelo menos para o publico ele ja mostra que ele é um usuário de cocaína, e um alcoólico, logo na primeira cena, e ainda faz de tudo para encobrir o problema, então foi isso que eu quis dizer, no começo ele ja se assume dependente para o publico. eu deveria ter expressado corretamente.

sem avatar Fabio (10/02/2013 18:07:54)   28 -1
Respeito sua opinião, mas Daniel Day-Lewis tem ganhado todos os prêmios de melhor ator, por Lincoln, e acho dificil que perca o Oscar.


bane bane (07/02/2013 23:12:03)   61 1
filme excelente, quem não viu , vai vooando para ver . nota 9.0



sem avatar Carolina (07/02/2013 22:48:10)   39 3
esse filme você acha que é uma coisa, mas é outra rs.

a discussão não é sobre aviões e sim drogas e alcoolimso.


sem avatar Francisco (07/02/2013 23:24:35)   309 0
Disse tudo, e com cenas muito bem feitas, e de impacto, tanto visual quanto emocional!


Renan Renan (07/02/2013 22:18:21)   36 1
Spoiler:

Então o Piloto abraça a hipocrisia para chegar na sua redenção?


Renan Renan (08/02/2013 04:44:01)   36 3
Não foi relativa ao seu post, senão teria te respondido. O filme zomba religião o tempo todo, desde a quebra da igreja com a asa do avião, a conversa na escada, a oração no quarto do co-piloto. Então no final ele parece trocar um "escape" pelo outro, bem, essa foi minha visão. Tá complicado comentar no Omelete, sendo negativado só por fazer uma pergunta.

Losovoi Losovoi (08/02/2013 08:41:21)   293 3
Renan, concordo com você, o final do filme é totalmente sem sentido, parece que foi feito para agradar os religiosos que foram zombados o filme inteiro, tudo isso em 5 minutos. Além disso, cinema é arte, não precisa ficar preso a convenções. O filme estava sendo corajoso até então, depois...Mas é questão de gosto, continuo recomendando o filme, apesar do final...sei que muita gente vai gostar, mas será apenas mais um filme, uma pena. O filme poderia ser muito mais, faltou coragem. E pessoal negativa por qualquer coisa, menos quando colocam propaganda de blog fascista.

sem avatar Mariana (10/02/2013 18:05:43)   3 3
Nossa Renan, misericórdia! Que comentário preconceituoso! Todos nós somos pecadores e temos a redenção por meio de Jesus Cristo.O próprio Espírito Santo é quem convence o homem do pecado. Aproveite enquanto tem vida porque depois que partir não há como se arrepender.


Publicidade
Danilo Danilo (07/02/2013 21:44:23)   220 0
Pretendo ver em breve. O trailer é muito bom.



sem avatar Santos D. (07/02/2013 21:42:05)   1273 0
Gosto muito dos filmes do Zemeckis.
Ele mostra que um tipico diretor artesão hollywoodiano também pode demonstrar talento e não ser apenas um mediocre a serviço dos estudios tipo Brett Ratner.
Zemeckis sempre vale uma conferida.
Sou fã da trilogia De Volta para o Futuro.



Tyler Durden Tyler Durden (07/02/2013 21:41:09)   2891 -1
Não vi ainda.


Filipe Filipe (07/02/2013 22:01:09)   2687 0

Então vá correndo, ou melhor, voando pra ver !


Dylan Dog - Dylan Dog - (07/02/2013 21:29:48)   1358 3
Queria muito ver esse filme.E que bom que o Robert Zemckis voltou aos live actions.A passagem dele pelas animações foi bem traumtizante(pra ele).Beowulf e Fantasmas de Scrooge foram fracassos,sem contar que Marte Precisa de Mães foi tão mal nas bilheterias que até faliu uma empresa do Zemeckis.


sem avatar Francisco (07/02/2013 23:22:26)   309 2
Marte Precisa de Mães custou 150 milhoes e não arrecadou 40 milhões, fiasco mesmo!

Mas agora com essa volta triunfal, espero que o Zemeckis faça mais live-actions!


R@finha VERDÃO Rises R@finha VERDÃO Rises (07/02/2013 21:27:17)   705 0
Bom filme!



Filipe Filipe (07/02/2013 21:25:59)   2687 1

Filmaço !



sem avatar Francisco (07/02/2013 21:21:01)   309 2
Os momentos de tensão em O Voo são mto bem feitas e Denzel Washington engole o filme para si, como Tom Hanks em Naufrago! Bela volta do Zemeckis!


sem avatar Carolina (07/02/2013 22:49:00)   39 0
só atores desse naipe, para carregar um filme nas costas.



Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.