Assista Agora

Transformers: Fall of Cybertron | Crítica

Sequência mantém a dignidade da franquia dos robôs nos games

Thiago Romariz
25 de Setembro de 2012

Transformers: Fall of Cybertron

Transformers: Fall of Cybertron

, 2012
Ação High Moon Studios

Bom
Transformers: Fall of Cybertron
Transformers: Fall of Cybertron
Transformers: Fall of Cybertron

Depois de entregar War for Cybertron, o melhor game de Transformers já feito, a High Moon Studios decepcionou o fãs com Dark of The Moon - péssima adaptação do ainda pior terceiro filme da franquia cinematográfica do robôs. Agora, o estúdio californiano volta à velha forma e à história do primeiro game, para mostrar os últimos dias da terra-natal de Optimus Prime e companhia em Transformers: Fall of Cybertron.

Após os primeiros anos de guerra civil, Autobots e Decepticons se digladiam em um mundo destruído e fadado à extinção. Liderados por Megatron, os Decepticons procuram acabar de uma vez por todas com os Autobots, que são liderados por Optimus Prime e lutam para achar uma maneira de salvar a raça e continuar sua jornada em outro lugar da galáxia. Nesta situação, o jogador passará por 13 missões que mostrarão os dois lados da guerra e algumas surpresas, que, infelizmente, foram arruinadas pelos primeiros trailers e imagens de divulgação do game.

Diferente do primeiro game, onde encontramos personagens conhecidos e Transformers genéricos, Fall of Cybertron introduz os Dinobots, robôs que viram gigantescos dinossauros metálicos. Grimlock, por exemplo, é o líder do bando e um espadachim que se torna um enorme tiranossauro quando seu comando especial é ativado. Se a revelação deste personagem se torna aceitável por ser uma jogada de marketing, o mesmo não se pode dizer da aparição de Metroplex, o maior dos Transformers. Por ter uma trama pouco envolvente e com um desfecho burocrático, o surgimento deste robô deveria ser o momento mais surpreendente da história. Saber que isso vai acontecer estraga o clímax da narrativa, portanto.

A adição de personagens como os Dinobots variou o sistema de combate, que antes se limitava a tiros e lutas com armas brancas de curto alcance. Os tiroteios continuam bem equilibrados, com armas que agora podem ser evoluídas e inimigos mais inteligentes que o padrão encontrado nos jogos de tiro atuais. A maior perda de Fall of Cybertron certamente é o multiplayer cooperativo, tão elogiado no jogo anterior. Nesta sequência, a jogatina conjunta se restringe ao modo "Escalation", um derivado do "Horde", de Gears of War, que tem poucos e fracos mapas, mas conta com um bom e complexo sistema de customização dos robôs.

E não importa se é o avatar montado pelo jogador ou os personagens principais do game, todos os modelos foram desenhados de uma forma única. As arenas também seguem esse padrão, com uma boa definição e dificilmente apresentam serrilhados ou glitches - mesmo ambientadas em um planeta totalmente feito de metal e ilustrado por cores com tons semelhantes. Além das belíssimas cutscenes, outro elemento executado com primor é o trabalho de dublagem liderado por Peter Cullen, a voz de Optimus Prime. Nolan North, o dublador de games como Uncharted, Assassin's Creed e Prince of Persia, também dá voz a alguns personagens e contribui ainda mais para este quesito do jogo. A trilha sonora, claramente inspirada no new metal do Linkin Park, que fez tanto sucesso nos filme da franquia, é outro fator que tem bom desempenho e cumpre seu papel.

Ao seguir o sucesso de seu antecessor cronológico, Fall of Cybertron evolui em praticamente todos os seus quesitos técnicos. A narrativa tenta se mostrar emocionante e dramática, mas não convence principalmente pelo desfecho e a constante mudança de pontos de vista - o que dá uma noção mais ampla da guerra mas não envolve o jogador a ponto de se preocupar com o destino do planeta. Ainda assim, é louvável o trabalho gráfico da High Moon Studios, que consegue, mesmo em um mundo de tons escuros, dar identidade a inúmeros robôs e criar um visual atraente a um planeta que facilmente poderia se tornar algo genérico e sem vida.

Compre aqui: Transformers - Fall of Cybertron PS3 | Transformers - Fall of Cybertron X360

Leia mais sobre Transformers



Publicidade

Comentários (12)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

sem avatar Luís da Terra Média (28/03/2013 13:15:59)   0 0
"Após os primeiros anos de guerra civil, Autobots e Decepticons se digladiam em um mundo destruído e fadado à extinção"
Sempre a mesma história, mas eu gosto de tudo relacionado aos robôs, fazer o que.



sem avatar alex (18/11/2012 10:07:52)   0 0
"...o que dá uma noção mais ampla da guerra mas não envolve o jogador a ponto de se preocupar com o destino do planeta..."


MAS COMO eu vou me preocupar com o destino do planeta se todo mundo que conhece transformers sabe que o planeta é destruido(ou fica sem vida tanto faz).
Para mim a produtora fez muito bem desta forma, o objetivo era mostrar quando os personagens saem do planeta através da guerra,....ponto .



[VIP] Michael Bay [VIP] Michael Bay (27/09/2012 13:44:31)   64 -1
Se rolar explosão e Megan Fox eu jogo...
=============
Olha só a coletânea de explosões de minha autoria todas reunidas nesse video: !!!!!
http://www.youtube.com/watch?v=qn_HFEDNZ_Q

E EM MINHA HOMENAGEM!



Fabricio Fabricio (27/09/2012 12:28:22)   98 1
Ao contrário de muitos por aqui eu adorei o jogo e talvez seja melhor até que o WAR OF CYBERTRON. O jogo oferece opções para jogar com os principais decepticons e autobots. É incrível o último capítulo, no qual é uma batalha que envolve pelo menos três de cada facção, podendo jogar com cada robô na briga. Em um determinado momento você é o BRUTICUS e de repente é o CLIFFJUMPER e em seguida é o PRIME, entre outros. Eu não consigo entender o ódio. Outro momento inesquecível é quando MEGATRON é esmagado por METROPLEX, no qual STARSCREAM passa a comandar os decepticons e o momento em que o SOUNDWAVE recupera partes do corpo de MEGATRON e o reconstrói utilizando o LASERBEAK e um outro decepticon que sai de seu peito. AFF. Este momento é puro G1 e só alguns entendem isso. Fiquei com tanta dó de BAY ao comparar com os seus filmes, que eu cheguei ao ponto de me desfazer dos dois últimos filmes. FALL OF CYBERTRON deveria se tornar um grande filme, sem a presença do ser humano. Que venha o próximo da HIGH MOON studios.


sem avatar joão guilherme (14/11/2014 16:26:35)   0 0
Realmente , deveria ser um grande filme ia ser melhor , daria mais destaque aos cybertronianos , seria muito melhor


sem avatar Joao Paulo (25/09/2012 22:43:01)   -2 -1
Jogo Horrível. Não dava nenhum ovo por isso. Argh.

Não tem jogo bom esse ano desde Max Payne 3. To só na espera.


sem avatar Joao Paulo (26/09/2012 19:49:25)   -2 0
Pois éh, a questão é de gosto. Eu não gosto muito da série Darksiders, acho muito cartunesco e já bem batidinha aquela fórmula. Já Sleeping Dogs, não joguei ainda.


sem avatar Paulo (25/09/2012 12:25:27)   -4 -3
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

Gilberto Gilberto (25/09/2012 20:39:49)   4 1
O cara não escrever os "erres" mostra o comprometimento em falar o que não sabe e trolar o que não deve.


Red Leader Red Leader (25/09/2012 10:34:22)   -261 -2
Mais um jogo medíocre.

Cadê o Hideo Kojima ?




Omeletop : games

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.