Assista Agora

A Árvore da Vida | Crítica

O filme mais religioso de Terrence Malick trata o contato com o mundo não como pecado, mas como redenção

Marcelo Hessel
11 de Agosto de 2011

A Árvore da Vida

A Árvore da Vida

The Tree of Life
EUA , 2011 - 139 minutos
Drama

Direção:
Terrence Malick

Roteiro:
Terrence Malick

Elenco:
Hunter McCracken, Brad Pitt, Jessica Chastain, Sean Penn, Tye Sheridan, Laramie Eppler

Ótimo
arvore da vida
arvore da vida
arvore da vida

Experimentar o mundo sempre foi um imperativo aos personagens do cineasta Terrence Malick, e desde seus primeiros filmes, Terra de Ninguém (1973) e Cinzas no Paraíso (1978), só convenções sociais - a propriedade, o casamento, a lei - impedem esse contato. Em A Árvore da Vida (The Tree of Life) o obstáculo é mais agudo: a autoridade do pai.

"Por que ele nos machuca, o nosso pai?", pergunta o jovem Jack (Hunter McCracken), o mais velho entre três irmãos de uma família texana. Talvez seja o luto pelo familiar perdido, talvez seja o rancor por não ter seguido sua vocação, mas o fato é que a educação intransigente do pai (Brad Pitt) desfalca o primogênito até a vida adulta (quando Jack reaparece interpretado por um Sean Penn alheio aos dias de hoje).

A culpa não é do personagem de Pitt e também não é culpa da rigidez com que se criavam filhos nos anos 1950. Em A Árvore da Vida, o mais religioso dos filmes de Malick, o próprio conceito de paternidade pressupõe o castigo. As referências cristãs sempre estiveram presentes - o casal de Terra de Ninguém vive do fruto como Adão e Eva, e em Cinzas no Paraíso elas incluem até pragas bíblicas - e aqui se espalham de ponta a ponta, na epígrafe, na trilha sonora, na resolução.

Sempre presente na contraluz da hora mágica, a graça divina pontua A Árvore da Vida nos registros grandiosos (difícil achar algo maior que o Big Bang), nos banais (a opressão de um sótão que parece uma capela) e nos fatídicos (o afogamento é uma forma de batismo?). Ironicamente, porém, aqui o contato com o mundo não se traduz em pecado, como nos dois filmes citados (crime de morte em Terra de Ninguém e "incesto" em Cinzas no Paraíso), mas em redenção.

Quando se emancipa do pai, Jack flerta com o "mal" - a vidraça quebrada, a espingarda de chumbo - mas, como é próprio dos contos de formação, tira desses eventos não uma pena, mas uma moral. A câmera do diretor de fotografia Emmanuel Lubezki mimetiza, com seu constante vaivém, essas forças de atração e repulsa - como o balanço de madeira preso na árvore, que oferece mais perigo e mais recompensa quanto maior for seu arco.

Na Bíblia, a Árvore da Vida é aquela cujo fruto Deus permite que Adão e Eva colham para si, ao contrário da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal, ocupada pela serpente e proibida ao primeiro casal. No começo do filme, Terrence Malick faz uma distinção similar - é possível viver o caminho da natureza, mundano, que satisfaz a si mesmo, ou o caminho da graça, absoluta e universal - e diz inicialmente que é preciso escolher um deles. Ao longo de 139 minutos, contudo, A Árvore da Vida nos sugere que esses dois rumos são complementares.

A Árvore da Vida | Cinemas e horários



Comentários (248)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

sem avatar Wagner (09/11/2013 02:08:35)   0 0
O filme é uma arte, mas sinceramente não gostei. Parece um livro de auto-ajuda transformado em filme.



sem avatar MARCOS (24/09/2013 06:13:35)   2 0
É um filme muito cansativo e chato tirando os efeitos o que sobra? Um filme mudo com pessoas dando voltas em círculos. Comparar com 2001 e outros grandes filmes é desnecessário pois A Árvore da vida já caiu no esquecimento 2001 não!!



Flávia Flávia (21/04/2013 21:34:44)   0 0
Terrence Malick pra mim sempre foi um diretor que não faz filmes com mérito de ser bom (exceto Além da Linha Vermelha, mesmo esse parcialmente), colocar planos vagamente bonitos de se ver sem nenhum conteúdo que não seja sutis superficialidades, tentar achar uma essência estética que nem ele mesmo alcançou resulta em nada. Assisti Árvore da Vida com uma coisa em mente: ''ele fez (tentou) uma fusão do brilhantíssimo Tarkovsky e o frio Stanley Kubrick (respectivamente Solaris e 2001: uma odisseia no espaço).



sem avatar Moon (23/03/2013 21:26:58)   -12 1
Belíssimo filme. Para mim, resumidamente, a mensagem final do filme é a de o quanto nós humanos somos insignificante perante a grandiosidade do universo. O filme mostra isso com as cenas da criação do universo pelo Big Bang, passando pela formação do planeta Terra, as primeiras formas de vida unicelulares, até chegar nas forma mais complexas de vida. A ascensão e queda dos dinossauros, até chegar nos seres humanos prepotentes e arrogantes. Posso dizer que me tornei uma pessoa de alguma forma diferente após assistir esse filme. Mas já aviso que não é um filme pra qualquer um. Não são todos que vão entende-lo e aprecia-lo infelizmente. O que eu acho mais engraçado é que as pessoas vivem reclamando que hoje em dia os filmes são rasos, superficiais e comerciais. Mas quando se deparam com algo como A Árvore da Vida, vemos comentários patéticos de gente que parece que de tanto consumir enlatados hollywoodianos, onde a tudo vem mastigadinho pra eles, filmes com propósitos totalmente comerciais, parecem ter perdido a capacidade de assistir a um filme, e através dele refletir, pensar, questionar, ampliar sua visão de mundo. É triste ver que um filme como esse receba tantas críticas vazias e superficiais enquanto uma porção de lixos por aí são chamados de "obras-primas" pelas pessoas. Pra tu ver até que ponto nós chegamos.


sem avatar MARCOS (27/09/2013 22:12:33)   2 0
A mensagem passada é boa! Mas a forma como foi transmitida é que ficou ruim. O filme é muito lento e tem muitas cenas desnecessárias, são repetitivas e cansativas. Os enlatados que vc se refere são a maioria para se divertir, este filme não é uma obra-prima e esta muito longe disso! Compare com outros grandes filmes que bordam a mesma temática ou parecida e veja a diferença!


Skyter, O Conquistador Skyter, O Conquistador (03/03/2013 23:52:20)   2717 0
Entendi a proposta do filme e ainda assim o considero muito presepeiro. Tenta ser complexo como um 2001 mas quando se entende, vê o seu devido lugar.

Terrence Malick merecia meia dúzia de palmas de ouro nas fuças!


sem avatar MARCOS (27/09/2013 22:26:56)   2 0
Concordo com vc! Na falta de filmes "intelectuais" bons vamos votar no menos ruim!! Merece mil palmadas na fuça!!!


Luiz Eduardo Luiz Eduardo (25/02/2013 18:20:47)   -328 0
O filme não é uma obra-prima, mas está longe de ser um filme cansativo, vi o filme bem tranquilão com as cortinas semi-fechadas bebendo um chazinho e bem relax. Achei que o filme é o que seria se Koyaanisqatsi seguisse alguma história (vários momentos lembram bastante o filme do Reggio). Enfim, filme legal, e pra quem fala que é um filme pretensioso e cansativo, pretensioso pode até ser, mas cansativo não achei.


PS: Falar que os filmes do PT Anderson são cansativos ninguém fala né? (Sou fã dele, mas tem momentos do There Will Be Blood que eu não aguento mais, mas que acho que são apagados da memória das pessoas devido ao final magnifico)


sem avatar MARCOS (27/09/2013 22:21:18)   2 0
O filme é cansativo sim! Não existe diálogos e tem muitas cenas repetitivas relatando o mesmo conflito. Respeito sua opinião mas é chato demais ver os atores rodopiando na frente da tela! Aonde vou? Pra onde eu fui!!! Fala sério pela temática abordada merecia maior empenho...


sem avatar Mandabala (11/02/2013 21:38:09)   4 0
Assisti esse filme ontem. Achei uma chatice, típico documentário de um NATGEO. O cansaço e certa tensão já levantaram alguns debates na hora que assistiamos o filme: os troncos familiares e sociais refletidos na rotina desimportante e costumeira da vida. Quando terminou estava cansado e injuriado. No entanto, hoje em algumas conversas dissemos: "como no filme ontem...". Ou seja, tenho que admitir, houve desdobramento da mensagem passada.



sem avatar yo (02/02/2013 15:31:55)   1 0
Este filme é genial. Ganhou merecidamente a Palma de Ouro e minha vida ficou mais bonita após assisti-lo.



Cesar DS9 Cesar DS9 (19/01/2013 10:26:26)   645 1
Complemento: Ah esse costume da criação. Onde escrevi criação do tempo e do espaço, leia-se "o surgimento" do tempo e do espaço.



Cesar DS9 Cesar DS9 (19/01/2013 10:16:33)   645 3
Vi esse filme em 01/2013.

Como a maioria dos colegas desse site e do pessoal da cozinha, já vimos muitos, mas muitos filmes e como não reconhecer que estamos diante de um clássico genuíno do cinema de nosso tempo.

Cansativo...pretensioso...isso é piada de mau gosto. As pessoas tem que tirar o pé do acelerador e começar a apreciar as belas coisas da vida, inclusive um filme longo e tranquilo onde nos é contado a nossa história dentro do cosmos.

Em tempos onde todos reclamamos que o cinema americano só tem histórias rasas, essa obra prima do Malick tem que ser muito valorizada.

Já foi comentado em vários sites que li, mas ao ver esse filme, não pude deixar de perceber que estava diante de algo com a mesma grandiosidade de um 2001, Uma Odisséia no Espaço.

Esse filme é sobre a existência, ele começa com a criação do tempo e do espaço e vai até o fim de nosso planeta. Isso é maravilhoso, reflexivo, intimista, fantástico... é melhor que vários, mas vários filmes de Ficção Científica juntos dos últimos anos.

Prometheus até começa um pouco com essa pegada, mas se perde todo na banalidade de vida extraterrestre e outras baboseiras.

Com A Arvore da Vida pude experimentar o prazer de ver um filme de FC com um pouco daquele peso de um 2001. E tudo isso num drama familiar, num filme pra Cannes.

Não concordo com essa idéia que o filme seja somente religioso, que lida somente com esses temas que o Hassel colocou, pois em primeiro lugar o símbolo da arvore da vida não é algo exclusivo da religião judaico/cristã, temos isso em diversas culturas como os vikings, portanto o diretor optou por representar uma crença que ele tem mais contato e é mais popular. Em segundo lugar ele mostra a criação do universo e da vida baseado em fatos científicos, o big bang e a formação do universo, assim como sugere o surgimento da vida na hipotese da sopa primordial, portanto qualquer semelhança com o Genesis se foi por terra e se a Biblia é o pilar da verdade para a crença judaico/cristã, alguém está mentindo nessa história e terceiro, em vários momentos durante o filme, os personagens e a própria história nos coloca frente as perguntas mais importantes de nossas vidas, tipo: Onde você está? por que você deixa essas coisas acontecerem? a existência de Deus ou seus propósitos se ele realmente existe, são questionados o tempo todo, mas isso quando estamos no meio da família e pra mim é claro que ela (a família) é somente uma representação dos humanos dentro da escala universal, portanto, ali aparecem suas crenças, suas dores, traumas, amor, ódio ciumes...e o perdão, a redenção, mas tudo isso, é irrelevante perante a grandiosidade do universo.

Nós humanos somos muito importantes porque até onde sabemos somos raros dentro desse palco e ao mesmo tempo somos insignificantes perante o universo, pois os dinossauros estiveram por aqui milhões de anos e veio um pedra e acabou com eles, portanto quem somos nós pra achar que nossos dramas são importantes na escala cósmica.

Pra mim é essa a mensagem do filme e isso casa muito bem no meu ponto de vista com o que disse Carl Sagan:

"O universo não foi feito à medida do ser humano, mas tampouco lhe é adverso: é-lhe indiferente."


No final, tudo é destruído e a existência continua sem o homem (pelo menos é sugerido isso, pois vai saber o que pode acontecer com a humanidade em 5 bilhões de anos) até quem sabe o fim do universo, sabe-se lá quando isso vai ocorrer, pois a história termina com o fim do nosso planeta.

Acho que a figura da mãe representa o que a de belo na vida (a graça) e o pai o lado cruel da sobrevivência, da luta pela vida (a natureza) e no meio disso o filho tentando aprender com os dois.

Esse filme é espetacular, o melhor da década fácil.


Lucas Lucas (27/01/2013 01:05:37)   5371 0
Lindo seu texto, é uma pena que muitos não pensem assim sobre esse grande filme. Parabéns!

sem avatar Moon (23/03/2013 20:57:16)   -12 0
Gostei mais do seu comentário do que do próprio texto do Hassel. Pra mim essa foi a mensagem que o filme quis passar.


Publicidade
Narayana (Rodrigo) Narayana (Rodrigo) (27/12/2012 22:24:33)   154 -2
Já assisti muitos filmes, mas esse eu descarto como filme. Parece mais um documentário com uma idéia por cima e resolveram colocar em prática. Cansativo demais esse filme, nem chego a recomendar para não passar vergonha.



sem avatar Sérgio (13/09/2012 01:53:04)   1 0
Sugiro também a seguinte crítica sobre "A árvore da vida":

http://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2012/09/11/a-arvore-da-vida-2011/

Abraços



Tiago de Lima Castro Tiago de Lima Castro (26/08/2012 22:20:00)   154 0
Fiquei com vontade de assistir todos os filmes do diretor



Lucas Lucas (14/08/2012 13:19:38)   5371 0
Vi o filme e achei muito bom, uma grande viagem através da vida e universo literalmente.



sem avatar raul (13/08/2012 22:54:59)   3 2
esse filme me lembrou o conto do Rei nu!

ninguém tem coragem de dizer q o rei está nu com medo de parecer burro.

assim como esse filme, ninguem tem coragem de dizer q é ruim com medo de parecer burro.

mas a verdade é q não passa de um filme de P.I.M.B.A (pseudos intelectuais metidos a besta associados)



Berna Berna (26/07/2012 07:04:22)   6 -3
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.


sem avatar Lucas (05/03/2012 15:29:38)   0 1
O que na realidade eu não entendi, foram os diversos tipos de comentários, ora falando absurdos do filme e ora elogiando mas não dando nem uma pista do que entendeu do filme. O filme é cansativo sim, porque nós estamos numa sociedade que em tudo está acostumado com coisas mastigadas e prontas, gente é preciso ter paciência e é claro um pouco de leitura ou teológica ou filosófica para compreender um pouco do filme, infelizmente o filme não é para qualquer um, mas qualquer um pode abrir a mente para entende-lo e é claro ter paciência.

Pra falar um pouco do filme é extremamente necessário que a gente fale dos textos que iniciam o filme...até agora não vi nem um comentário para aquilo que pra mim é chave de todo o filme, que é a história bíblica de jó, em que o mesmo ao perder tudo, família, amigos, bens e etc,questiona a sua fé a a existência de Deus, e durante todo o livro de Jó Deus fala com ele que desde o início ele estava la, por isso gente aparece o Big Bang e maior parte das etapas da evolução.

Outra coisa é a história do filho com os pais, ali eu entendo que demonstra as diferentes perspectivas que nós temos de Deus, em que com pai mostra um carinho e amor, mas um pai que castiga e que é rígido e severo...os filhos temem o pai, esse pai mostra um Deus que é "amor só que castiga". Outra visão de Deus é a partir da visão do menino para com a Mãe em que a mesma ama incondicionalmente os filhos e que sempre está ao lado deles só que não pode fazer nada contra o poder do pai, nessa ideia o pai é como a vida, em que desgraças acontecem, só que Deus (a mãe) não pode fazer nada para evitar, mas sim ficar ao lado dos filhos e ama-los confortando-os.

Pessoal pra mim o filme tem diversas outras coisas que me intrigaram, mas que ainda não tenho uma resposta ainda formulada e por isso que o filme se torna tão interessante...


sem avatar WASH (14/11/2012 16:05:37)   0 0
Ei Lucas me cadastrei aqui MAIS para parabeniza-lo POIS FOI A MELHOR EXPLICAÇÃO QUE VI NA VIDA de UM FILME. Você esclareceu, informou, DE MODO simples e claro É ISSO que muitos de nós precisamos. Vejo a critica acima do filme ISSO SERVE para profissionais, floreado de bordões, expressõs, singularidades, pontos de vista, verbetes, etc. Pra mim é prepotência ou tamanha é a falta de humildade que se esquecem que a maioria ESMAGADORA da população NÃO SÃO profissionais. Parabéns por sua simplicidade. Se tem cultura, tem estudo, curso no exterior etc ISSO SERVE PARA VOCÊ. Se comentar outros POR FAVOR ME AVISE PARA SEGUI-LO e divulgar suas observações e explicações.

Cesar DS9 Cesar DS9 (19/01/2013 10:46:01)   645 0
Lucas, vai me desculpar mas a história de Jó é uma das coisas mais absurdas já criadas, explico: Deus e o diabo resolvem fazer uma aposta e Jó como o inocente útil passa por situações monstruosas e tudo isso pra Deus "provar" ao diabo que mesmo na dor, o homem pode ser fiel a ele e não sucumbir as tentações. OK bonito. Mas não seria mais útil e humano que Deus simplesmente eliminasse da existência esse ser chamado diabo e resolvesse esse problema de uma vez por todas? Por que Deus fica com esse cara ao redor enchendo o saco? por que Jó precisa passar por todo esse drama pra provar o seu valor, que especie de critério absurdo é esse. A história de Jó é carregada de uma mensagem que o servo tem que ser fiel ao amo até na morte e isso até podia ser relevante numa sociedade de sei lá 200 AC, mas hoje em dia essa história é uma crime contra a dignidade humana.

A provação que a familia está passando no filme, é uma provação que todos passamos, a morte. O filme mostra isso, a nossa incapacidade de lidar com ela, mas ela chega para todos, inclusive para esse planeta.Claro que é fácil escrever friamente isso, na pratica, no dia a dia a coisa é diferente, mas olhando de uma ângulo superior, que é como o filme mostra, como se a gente conseguisse enxergar tudo no universo, nossos dramas são pequenos demais.


Jonas Jonas (25/02/2012 22:39:38)   -7 -1
Aproximamos-nos da 84th Academy Awards™ e não podemos dizer que temos um filme TÃO FORTE E TÃO PERTO de receber a premiação principal da noite. Nas demais categorias o cenário também está indefinido, prever OS DESCENDENTES dos grandes filmes do ano passado não é uma tarefa fácil. Em meio a tantas HISTÓRIAS CRUZADAS, George Clooney será O ARTISTA vencedor como tudo indica, ou na segunda-feira Brad Pitt será O HOMEM QUE MUDOU O JOGO? A briga será intensa, pode apostar, haverão injustiçados, emocionados, enfim, teremos um campo de batalhas recheado de beldades e brutos, com direito a CAVALO DE GUERRA. Fico feliz de ter sido um ano bom, poder ter acompanhado todos os indicados e preferir que dia 26/2/2012, quando em Hollywood estiver começando a noite e já for mais de MEIA NOITE EM PARIS, sejam beneficiados os que resolveram sobre a sétima arte discorrer, se não for o calado que seja A INVENÇÃO DE HUGO CABRET. Ah, Terrence Malick dissecando entranhas com o seu A ÁRVORE DA VIDA, é um caso a parte.



sem avatar Marcelo Augusto (25/02/2012 15:25:59)   -2 -2
O filme é tão simples e as pessoas tentam ver coisas que não existem.
O filme é religioso? talvez, o que vejo, é um conflito na mente do Jack, entre o cético e o religioso, tentando compreender e aceitar a morte do irmão, porém o filme passou pela mão de um diretor fraco, a narrativa com mais de um personagem, foi mal feita e confusa, esse é o tipo de filme que se caísse na mão de um diretor como o falecido Stanley Kubrick, seria uma obra de arte épica.


sem avatar Lucas (05/03/2012 15:25:52)   0 -1
O que na realidade eu não entendi, foram os diversos tipos de comentários, ora falando absurdos do filme e ora elogiando mas não dando nem uma pista do que entendeu do filme. O filme é cansativo sim, porque nós estamos numa sociedade que em tudo está acostumado com coisas mastigadas e prontas, gente é preciso ter paciência e é claro um pouco de leitura ou teológica ou filosófica para compreender um pouco do filme, infelizmente o filme não é para qualquer um, mas qualquer um pode abrir a mente para entende-lo e é claro ter paciência.

Pra falar um pouco do filme é extremamente necessário que a gente fale dos textos que iniciam o filme...até agora não vi nem um comentário para aquilo que pra mim é chave de todo o filme, que é a história bíblica de jó, em que o mesmo ao perder tudo, família, amigos, bens e etc,questiona a sua fé a a existência de Deus, e durante todo o livro de Jó Deus fala com ele que desde o início ele estava la, por isso gente aparece o Big Bang e maior parte das etapas da evolução.

Outra coisa é a história do filho com os pais, ali eu entendo que demonstra as diferentes perspectivas que nós temos de Deus, em que com pai mostra um carinho e amor, mas um pai que castiga e que é rígido e severo...os filhos temem o pai, esse pai mostra um Deus que é "amor só que castiga". Outra visão de Deus é a partir da visão do menino para com a Mãe em que a mesma ama incondicionalmente os filhos e que sempre está ao lado deles só que não pode fazer nada contra o poder do pai, nessa ideia o pai é como a vida, em que desgraças acontecem, só que Deus (a mãe) não pode fazer nada para evitar, mas sim ficar ao lado dos filhos e ama-los confortando-os.

Pessoal pra mim o filme tem diversas outras coisas que me intrigaram, mas que ainda não tenho uma resposta ainda formulada e por isso que o filme se torna tão interessante...


sem avatar Mauro Andres (08/02/2012 15:29:49)   10 -1
Existem filmes que são feitos para um nicho específico (assim como qualquer coisa comercial no mundo) e este é um deles.

Não é pra qualquer um. Aqui falo de gosto e não de um pseudo sentimento de superioridade (algumas pessoas que gostaram do filme acabam comentando o filme como se fossem dotados de uma inteligência ou ou valores acima dos demais - não estou falando do Hessel!!!).

Eu pessoalmente não gostei do filme. Aluguei e fui assistir com uma tremenda boa vontade, apesar do aviso de alguns colegas que desistiram do filme na cena do Big Bang. Juro que eu quase apertei o stop do DVD nessa cena.

Eu me senti, falando de uma forma simplista, como aquele cara que visita uma exposição de pinturas e dá de cara com uma tela pintada como se tivessem sido jogados vários galões de tinta um em cima do outro e o resultado disso foi classificado foi classificado como obra de arte.

Não deu. Simplesmente não consegui me identificar com o filme. Assim como o filme não me tocou em nada. Se o objetivo era me emocionar ou ficar pensando no sentido da vida, acabou por me dar um sentimento de rejeição a respeito do filme como poucos conseguiram.

Se é para pensar sobre a vida, ou na morte como continuidade da vida, prefiro ficar com A Fonte da Vida do Darren Aronofsky.


pedro pedro (21/02/2012 00:05:19)   61 -1
Auhhauuhauhauhuahauhuahuahahuahah!

Ri muito aqui!!!

pedro pedro (21/02/2012 00:29:54)   61 0
Comentei errado! era pro de baixo! huahuahuah


Publicidade
sem avatar Glauber (24/01/2012 21:54:52)   3 -1
Eu tenho pós-doutorado em filosofia de Harvard e adorei o filme. Achei perfeita o retrato da sociedade estadunidense ianque na perspectiva divina/cosmonauta/jurássica. Pretendo assistir a versão extendida de 9h em câmera lenta


pedro pedro (21/02/2012 00:05:37)   61 0
Hauahauhauuahauhuahuah!
Ri muito aqui!!!


sem avatar rosana (21/01/2012 09:14:00)   0 0
Realmente para assistir este filme eh preciso estar naqueles dias inspiradores... As imagens sao divinas.
Eh um filme que cada um vai interpretar de uma forma e fazer sentido para alguns. E na minha opiniao a essencia do filme seria a existencia de Deus na medida que o homem comecou a questionar coisas das quais nao tem resposta. Nos tempos remotos nem se quer existia vida na terra, e pensar que a natureza tomou um rumo que hoje se pode dizer que isso eh a Graça



sem avatar Clerio (09/01/2012 16:18:35)   1 1
Acho que para muitos que não entenderam, julgar ainda é cedo afinal odisseia no espaço, o acossado são bem recebidos hoje em dia e nao tiveram nenhum reconhecimento no lançamento. Alguns filmes do lars von trier ainda vão se mostrar assim como a arvore da vida



DAREDEVIL DAREDEVIL (22/12/2011 21:24:28)   301 0
Realmente o filme é lindo visualmente falando,mas não tem conteudo.

Ja vi cineastas contarem historias convencionais de uma maneira não convencional,fazendoas parecer originais e inventivas.É o caso de AMNÉSIA do Nolan,ed CÃES DE ALUGUEL do Tarantino.

Mas no caso desse A ARVORE DA VIDA,há um fiapo de história,q não leva a lugar algum.
Tire as imagens e vejaa oq sobra,quase nada.


Kleber Kleber (29/12/2011 15:38:50)   6 -2
Não posso deixar de concordar.

Narayana (Rodrigo) Narayana (Rodrigo) (27/12/2012 22:22:21)   154 0
concordo.


Franklin Franklin (17/12/2011 19:26:39)   24 0
Na boa, eu como editor, com as lindas imagens e cenas desse filme, o transformaria em um filme mais emocionante e mais dinamico. Boa intençao do Mallick mas mal executado...ficou chato..



sem avatar Maria (11/12/2011 11:59:32)   0 0
Sem dúvida, o filme mais chato que já vi nos últimos tempos... Como estudante de filosofia, interessei-me pelo suposto teor filosófico, mas não vi nada... Apenas clichês sobre educação paterna de uma família de classe média estadunidenses. Todos lindos, "respeitavelmente" endinheirados, e TERRIVELMENTE católicos! Tá, talvez o problema esteja comigo, de fato... não consigo levar como densa essa problemática quando lembro da minha infância em periferia do Brasil.



fabio fabio (10/12/2011 00:08:35)   17 1
bom filme,mas não é essa coca cola toda que alguns acham.O ritimo do filme é muito lento e com algumas imagens desnecessárias,daria 3 ovos no maximo.



Adriano Adriano (04/12/2011 15:02:27)   24 0
Dizem que cada pessoa tem uma visão diferente sobre a vida, o Universo e tudo mais.

Acho que acontece a mesma coisa com esse filme. Nem todos poderiam gostar, isso seria algo quase impossível para esse gênero de filme.

Eu ainda não sei se gostei (isso é possivel?) pq o filme é bonito, tem imagens lindas, atuações boas (boas, nada de mais - até mesmo pq o tempo dado para os atores é bem diferente de um filme comum), mas não sei. Às vezes me parecia algo forçado e sem ritmo.

A parte tecnica do filme me fez gostar bastante de seu visual. Me fez até pensar se isso tudo não daria certo num filme mais dinâmico - um visual igual para um roteiro diferente.

Agora, a trilha sonora do Desplat é muito boa!

Verei esse filme mais uma vez para ver se minha visão sobre ele muda. Quem sabe...



sem avatar vitor (03/12/2011 15:57:05)   -10 0
ganhou merecidamente Palma de Ouro..nem precisa de critica..



Felipe Felipe (02/12/2011 00:15:11)   21 0
Ainda estou digerindo o filme. Mas posso dizer que gostei muito da parte mais "narrativa" do filme. Ainda não consegui enterder varias referencias ou metáforas do filme. Quando eu assistir mais algumas vezes eu talvez tenha uma opinião formada. Mas por me trazer esta curiosidade já um mérito e tanto ao filme. Gostei, por enquanto.



Publicidade
sem avatar Flávio (26/11/2011 12:04:22)   3 3
Tenho em minha coleção pessoal aproximados 18 mil filmes e documentarios passados por meus pais e que vejo desde 7 anos de idade. E francamente? Eu entendo os que acharam ruim, porque não são todas as pessoas do mundo que vão entender o sentido real da vida e do ser.É preciso sofrer de verdade, olhar as pessoas com outros olhos, é preciso se achar vil, como realmente somos. Pra alguns só um filme sem nexo, pra poucos a visão de que você deve amar a todos, brevemente não estará mais nesse lugar.


sem avatar Jeancarlo (13/06/2012 17:29:58)   0 0
Veja só quanto tempo depois o meu comentário... Só assisti o filme agora! Mas, realmente, achei q valia a pena endossar tuas considerações: "É preciso sofrer de verdade, olhar as pessoas com outros olhos, é preciso se achar vil, como realmente somos". Diria mais: felizes os que receberam o entendimento para isso: Ap 22:14: "Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhes assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas".


sem avatar CHRISTOPHER (23/11/2011 04:17:18)   -5 -5
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

Robson Robson (24/11/2011 01:17:51)   2 -4
Comentário mal avaliado pelos leitores. Clique para ler.

Raoni Raoni (24/11/2011 01:40:41)   30 1
O filme é uma pérola, mas colocar pessoas do seu nivel cultural intelectual é a mesma coisa de colocar um lindo quadro na frente dum cavalo, burro ou jumento e pensar que ele vai achar belo.


Dennis Dennis (21/11/2011 09:36:55)   1 1
Tudo bem, o filme é lindo, complexo... resumindo: muito bem feito, uma obra de arte no melhor sentido da expressão...

Mas... é chato pra burro!

Não é um filme pra se ver deitado no sofá no domingo a tarde... vai te dar sono...

Precisa ter muita "serenidade" e "paciencia" para apreciar as imagens, a fotografia, as belas atuacoes dos atores... e para entender as metaforas, as cenas "lentas", e fazer a ligação correta entre os cortes abruptos e as vezes "sem sentido" do diretor...

Mesmo num domingo a tarde, com toda a preguiça do mundo, o filme conseguiu dispertar o meu interesse ate seus 90/100min ... depois, confesso que perdi a paciencia e as coisas ficaram dificeis de entender...

tem muita gente achando esse filme a coisa mais inteligente do mundo, e tem gente achando a coisa mais idiiota e 'banal' do mundo tambem. pra mim, é só mais um filme muito bom, mas muito chato, que nao eh um dos meus estilos favoritos... mas simpatizo mais com aqueles que o enaltecem do que com aqueles que o criticam...



sem avatar Max (20/11/2011 12:58:35)   0 0
Esse filme é completamente sem sentido. O ínicio do filme mostra imagens da criação, do útero de uma mulher etc. O som e as imagens dessa parte são até bons, mas dificilmente você consegue enteder a narrativa. Mostra uma cena e depois vai pra outra nada ver uma com a outra. Ainda disse que essa porcaria ganhou a palma de ouro. O filme deixa qualquer um confuso e loucinho pra sair da sala do cinema ou desligar a TV. Tem que ter paciência pra ver esse filme, recomendo para pessoas com bastante insônia.


Felipe Felipe (02/12/2011 00:23:41)   21 0
Só porque o filme não tem narrativa, não é sinonimo de filme ruim. Muito bom filme, mas não chega aos pés de Kubrick.


Lucas Lucas (19/11/2011 23:42:36)   5371 0
Meu deus esse filme é um espetáculo, não achei nem um pouco cansativo como outros aí disseram, eu vidrei nele do início ao fim, 5 ovos de ouro !



Luciana Luciana (15/11/2011 18:51:11)   -7 -1
Pois é... cada um tem sua própria opinião neh? Eu realmente não gostei do filme.



sem avatar deoveki (17/10/2011 12:46:55)   8 0
Um filme cansativo e complexo. Mas merece os quatro ovos que recebeu do Hessel.

A fotografia não há o que críticar, mas achei que, pelo menos, 20 minutos nesse filme são dispensáveis!!!! Até 1h 20min o filme é demais. Depois disso é jogado uma carga de informação que não precisaria, já dava pra irmos para o gran finale....


sem avatar Bodão (19/10/2011 10:15:49)   15 0
Uma má notícia: o corte original tinha 6 horas de duração...

E o pior de tudo: tá cheio de gente querendo ver!

Abcs.


Ad Samp Ad Samp (17/10/2011 04:22:06)   181 2
A mulher no filme questiona DEUS, do porque ele levou o filho dela.

O que Malick faz? Mostra a obra divina(pra quem acredita), desde o Big Bang, passando pela teoria Heterotrófica, os primeiros unicelulares, vegetação, dinossauros, Hecatombe meteórica, até chegar nos humanos americanos prepotentes, rígidos e hipócritas.

É como se dissesse: Olha só o que eu fiz até chegar na sua vidinha medíocre.
Eu levei seu filho? Sim e daí? Get a life!!

Claro, tudo de forma lindamente fotografada e onírica.

Brilhante!!


sem avatar Rania (05/11/2011 00:20:57)   3 2
Mas vá dizer "get a life" pessoalmente a alguém que perdeu um filho. Eu tenho um filho e deve ser a pior coisa do mundo.
Certamente esse filme é bem o oposto desse seu "get a life".

O drama todo é que somos NADA para o universo e TUDO para nós mesmos. Por isso uma perda dessas é 'insignificante' e ao mesmo tempo incomensurável.

Grow up.


Β•Я•Ц•Ŋ•Ø Β•Я•Ц•Ŋ•Ø (09/10/2011 16:53:24)   17 0
Recomendadíssimo para quem está com insônia.


Robson Robson (24/11/2011 01:28:23)   2 0
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


sem avatar murcio (07/10/2011 01:07:58)   -3 -1
queria muito ver esse filme. quando estava assistindo queria que acabasse logo. e fui forte em não abandonar o filme na metade, mas que deu vontade, isso deu. senti um alívio enorme quando o filme acabou. detestei.



Publicidade
Marcelo Marcelo (06/10/2011 06:28:21)   666 1
bom soh consegui assistir o filme hj e achei muito bom ... da muito espaco para reflexao ... para quem esta acostumado a ter um filme com tudo mastigado, comeco e fim esse nao eh uma boa opcao ... mas para quem aprecia a arte esse filme faz muito sentido sim.



sem avatar Lucio (05/10/2011 14:19:34)   8 2
Sinto dizer, mas é presunção chamar isto de crítica. Diferente da grande maioria dos textos que ocasionalmente leio aqui no Omelete, isto aqui não passa de uma mera sinopse - com uma breve descrição dos aspectos técnicos para as escolhas de composição de roteiro, elenco e fotografia - e é só.

Não encontrei sequer um trecho que expressasse uma opinião ou posicionamento sobre o filme, sobre seus pontos positivos ou negativos, nem sequer esclarece o porquê deste filme estar sendo criticado tão duramente por quem assiste. Seria o contexto? Seria uma questão ligada à crenças morais e espirituais do espectador, que incumbem uma interpretação diferente de toda a carga dramática que o filme propõe ou tenta propor? Acredito que se a intenção do autor era manter-se longe de posicionamentos sobre estas questões, que ao menos o texto as apresentasse em panos limpos, de forma imparcial e clara, sem incitar discussão de verdades absolutas nos comentários.

Ainda não tive a oportunidade de assistir, e esperava justamente encontrar na crítica do omelete uma motivação para vê-lo - nem que fosse pra torcer o nariz e tentar compreender o lado oposto de tanta opinião negativa sobre o filme. É pena.

Como não posso opinar sobre o filme, deixo então um único ovo para esta crítica preguiçosa.



Marco Aurélio Marco Aurélio (04/10/2011 21:28:15)   -4 0
Excelente filme, e difícil linguagem, realmente. Falei mais sobre o filme no blog: http://cinemarcocriticas.blogspot.com/2011/09/arvore-da-vida.html


sem avatar Evandro (05/10/2011 00:06:36)   -4 0
Valeu Marco Aurélio! Sua crítica do filme árvore da vida foi bem ponderada e sincera, muito boa mesmo. Não consegui deixar de ler também, a crítica sobre o filme melancolia que foi para mim o melhor filme do ano e difícil de ser batido. Gosto é gosto, não é?

Marco Aurélio Marco Aurélio (06/10/2011 10:52:06)   -4 0
Obrigado, Leandro! Fico feliz em saber que transmiti a minha opinião sobre esse filme. Melancolia é um outro trabalho minucioso, habilmente articulado a exclamar situações que enfrentamos em nossas vidas. São filmes raros, julgo, com grande poder comunicativo, ambiciosos e, nem por isso, pretotentes! Fica o convite para seguir meu blog e comentar em minhas postagens, tenho tão poucas, :(

Abração!

Marco Aurélio Marco Aurélio (06/10/2011 10:59:10)   -4 0
Poucas mensagens, digo, não postagens. Até que já tenho um número relevante de críticas em meu blog. Comenta lá, segue lá, divulgue, se puder.

Abraço! :D

Marco Aurélio Marco Aurélio (06/10/2011 11:00:13)   -4 0
Que gafe, desculpe, Evandro, confundi seu nome. :(


sem avatar Bodão (04/10/2011 09:04:29)   15 0
Paulo,

Esse texto é na verdade da Folha (Marcelo Gleiser). Apesar de ser um texto bom, ele fala coisas como a morte do filho no Vietnã, que não é considerado como verdade (eu explico minha versão no blog, para os interessados).

Continuo gostando do filme e impressionado com os feedbacks positivos aqui. Apesar dos comuns "esse filme é um saco!", a maioria das pessoas gostaram. Que bom. Só não se empolgem demais: Oscar não deve ganhar não, pelo menos nas categorias principais é muito difícil.

E não entendo porque as pessoas não conseguem gostar de mais de uma coisa, tem que ser uma ou outra. Claro que é difícil se gostar de Árvore da Vida e Transformers 3, mas eu pelo menos, adorei http://bodeproducoes.wordpress.com/2011/09/05/discutindo-a-arvore-da-vida/
e também adorei http://bodeproducoes.wordpress.com/2011/08/27/critica-super-8/



André André (03/10/2011 11:32:44)   -2 1
Puro sentimento!

Esse filme é daqueles que não foram feitos apenas para serem vistos. É uma obra extremamente marcante, intensa e ao mesmo tempo sensível, você tem que ir absorvendo aos poucos cada tempo dele, pois trata da vida que é marcada por momentos bons e ruins.

Concordo que para muitos vai parecer muito subjetivo, mas isso apenas para aqueles que desistirem de ver até o final.

O tipo de filme que a Academia do Cinema gosta, provável ganhador do Oscar 2012.



thiago thiago (02/10/2011 23:08:27)   8 1
Filme difícil, hein? Belas imagens e uma história extremamente simples, mas profunda. Não gostei muito. Não daria 4 ovos, e sim 3. Pra quem gosta deste gênero de cinema, foi um prato cheio.



Juliozales Juliozales (01/10/2011 18:06:26)   46 0
Cá entre nós, só do filme gerar toda essa discussão, já o torna um filme difereciado, tal como A Origem.

Cada um tem seu gosto, e definitivamente o filme vai gerar amor e ódio, parece que foi feito pra isso.
Me identifiquei muito com o filme, em muitos aspectos.
Achei sensacional, e ao contrário de alguns por aqui, indicaria sim para algumas pessoas...mas claro, avisaria que o filme não é fácil de se assistir.

Aceito algumas críticas, mas falar que o filme não tem história, realmente é pq a pessoa dormiu durante a sessão.



Jacir Jacir (30/09/2011 13:43:39)   17 -2
Cara este filme não tem nada a ver com nada
não sei se gostei ou não!

o filme não tem sentido nenhum.
a melhor parte de fime e quando não tem ator, só os efeitos da criação e destruição do mundo.


sem avatar murcio (07/10/2011 00:44:57)   -3 -1
o filme é muito cansativo, entendiante. senti um alívio enorme quando acabou. detestei.


sem avatar Paulo (30/09/2011 02:08:19)   1 1
Deixo Maria Helena falar por mim

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/mariahelena/posts/2011/08/22/escolheremos-graca-ou-natureza-400280.asp



sem avatar Evandro (29/09/2011 12:15:46)   -4 -1
O filme é bom sim, mas concordo com alguns que se torna em alguns momentos bastante chato. Sou fã do trabalho do diretor, só que dessa vez acredito que ele deveria ter usado um pouco mais do diálogo já que se trata de relações familiares(pessoas) o que exige muito mais da interpretação do seu elenco de atores do que simplesmente mostrar imagens encantadoras e deixar o público divagando. Se eu estivesse em um museu apreciando pinturas e o filme tivesse sendo rodado lá, seria perfeito! Acontece que eu fui ao cinema! O filme O Novo Mundo do mesmo diretor tem imagens bem mais bonitas na minha opinião e o diálogo também é pouco, porém, bem mais apropriado.



Publicidade

Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.