Colunistas

Jacidio, who? | Os destaques de 2017, Carl Cox no Essential Mix e Gui Boratto no tango

Conheça a história do início do techno em Berlim
-
facebook/reprodução
 - facebook/reprodução

Voltei! Depois de um período - necessário - pra fazer mais outro milhão de coisas, é hora de começar o ano com mais um milhão de novidades. Então, sem perder tempo, sente esse drama porque tem muita coisa bacana ai em baixo.

Pra começar com tudo, nada melhor do que se aprofundar um pouco mais na história e na cena da música eletrônica, não é verdade? Então, há poucos dias foram liberados dois docs bem bacanas falando sobre dois momentos distintos desse mundo gigante.

De cara, o documentário We Call It Techno mostra o início do techno na Alemanha, possivelmente um dos lugares mais incríveis pra se envolver com e-music no planeta. Com mais de uma hora e meia de duração (legendas em inglês), o documentário de 2008 [já tem 10 anos!!!] conta com depoimento de nomes como Sven Väth e faz um recorte entre 1988 e 1994 com vídeos e fotos inéditas. Vale lembrar que o doc. foi disponibilizado pelo portal alemão Electronic Beats e deve ficar disponível por tempo limitado. Então, corre!

Outro projeto liberado recentemente foi o doc. Break The Wall que mostra a cena eletrônica na China. Lançado no final do ano passado, o filme acompanha o DJ Yan Bing que leva o espectador por uma viagem interessante pelos espaços fundamentais na música eletrônica do país. O doc - só com legendas em inglês - mostra alguns momentos emblemáticos da China, como a primeira rave na Grande Muralha e apresenta o que rola em cidades como Pequim, Shanghai, Hong Kong, Shenzhen e Chengdu. É, sem dúvida, mais um tempero pra gente conhecer novas possibilidades. Aperta o play e vai.

Ano novo, álbuns novos de Moby e Disclosure

Bem, 2018 nem começou direito e duas novidades interessantes aparecem como grandes possibilidades para este ano. De cara, quem anunciou mais um disco de inéditas foi o Moby. O norte-americano que em 2016 já havia disponibilizado um álbum de inéditas com The Void Pacific Choir, agora chega com Everything Was Beautiful, And Nothing Hurt.

O novo projeto deve ser liberado no dia 2 de março, mas já tem o primeiro single (se eu fosse DJ isso já estaria no meu set há um bom tempo) “Like A Motherless Child”. O disco é amplamente inspirado pelo magnético trip-hop dos anos 90 e a nova faixa dá um bom gostinho do que o norte-americano preparou.

E caso tenha rolado aquela vontade marota de saber quais as influências do Moby para o novo disco, ele já entregou tudo em uma playlist completa. É só clicar.

Outra boa surpresa foi o anúncio de que o Disclosure está trabalhando em seu terceiro disco. Os ingleses, que haviam anunciado um hiato, parecem não ter resistido muito tempo longe do estúdio e esta semana afirmaram - por meio de um post no Instagram  que estão gravando. Para dar conta do recado, o duo cancelou a edição do Wild Life Festival, projeto no qual são curadores e hosts. Por enquanto o novo disco não tem data de lançamento divulgada, mas eu já tô na expectativa.

Aquela listinha básica de 2017 [O que eu mais gostei]

É meus amigos, 2017 foi um ano cheio de coisas bacanas para quem estava em busca de música boa e bons momentos nas pistas. Foram festas e festivais de norte a sul, muita gente boa tocando em todos os lugares possíveis e a gente procurando encontrar onde e o que eles estavam fazendo. Então, depois de um tempo de reflexão eu elenquei dois destaques pra cada uma das categorias. O critério para isso: Ter sido impactado de alguma forma pelo material. Então, se você já conhece - pode ser que você queira ouvir de novo - e se não, vale dar uma chance. Lê ai e depois me conta o que você achou. :)

Set

Eli Iwasa - DGTL

Ver Eli Iwasa tocar é, sem dúvida, um dos grandes momentos na vida de qualquer pessoa que gosta de música. Porém, nesta noite algo mais estava acontecendo. A pista cheia [como de costume], mas as pessoas gritavam a cada virada, a cada nova faixa. Um daqueles momentos que você precisa ver ao menos uma vez na vida. E eu tava lá.

Nicholas Jaar - Dekmantel

Nicholas Jaar encerrou a primeira edição do Dekmantel e mostrou o porquê de sua música ser tão impactante. A apresentação foi catártica e construída pra fazer com que o mundo externo não existisse. Era absurdo acompanhar cada sonoridade “acontecendo” momento a momento. É uma construção sonora e real bem ali, na sua frente. Foi, sem dúvida, um dos momentos mais especiais do ano e eu precisei de algumas horas para me recuperar. Uma pena que este set não esteja disponível on-line :(.

Festival

Dekmantel

O festival holandês fez sua primeira edição fora de casa e mostrou o que é criar e entregar experiência. Chegando de mansinho, os detalhes com organização e entrega de bons momentos foi surpreendente. Cada detalhe fazia da tarde e da noite de música algo realmente especial. As pistas, o deslocamento, os bares e o line-up eram ideais para colaborar com um dos momentos mais completos da música eletrônica que eu já presenciei. E daqui a pouco tem mais.

Red Bull Music Academy Festival

Um festival focado na música de todos os estilos e cores. Pensado para rolar em diversos espaços de São Paulo, o que chamou a atenção foi a cara do evento. Com shows no centro, em casas noturnas, em espaços culturais, entrevistas, exposição… O festival é um mix desenvolvido para integrar - dentro do possível - pessoas de lugares e vertentes diferentes. E nada mais bacana do que a música pra fazer isso em uma cidade como São Paulo. E claro, com todo esse trabalho logístico, tudo rolou lindo e liso. Foi a soma de experiências diferentes para quem está interessado em sair da zona de conforto e ampliar suas possibilidades em espaços totalmente diferentes do convencional.

Disco

Kolsch 1989

Eu fui impactado por esse disco de uma forma absurda. A sonoridade criada pelo dinamarquês - desde seu primeiro álbum, lançado em 2013 -, com uma boa mistura entre sons eletrônicos e orquestrais funciona como um convite para quem está atrás de possibilidades melódicas, mas sem perder o punch. É colocar o disco pra tocar e deixar o corpo se mover naturalmente. Isso sem contar os arranjos que podem tirar lágrimas dos olhos em dias mais emotivos. Uma obra de arte.

Ferry Corsten Blueprint

O produtor holandês não abandonou suas raízes trance e entregou umas das obras mais completas e instigantes de 2017. Com roteiro criado por David Harrington Miller, o disco conceitual focado na ficção científica, encanta pela história e pela sonoridade. A forma como a música acontece no disco e leva a história é marcante e mostra que as possibilidades da e-music são infinitas quando se tem alguém pensando para criar. Vale falar ainda que a turnê de Corsten com este novo disco - que passou pelo Brasil - é uma das mais impactantes. Sem dúvida, uma daquelas raras entregas artísticas nos dias de hoje.

É claro que tem mais coisa, né? Mas acho que esses já estão bom pra gente abrir o ano e ver o que vem por ai.

Dica nacional da semana

Gui Boratto, Tango e a “Sinfônica de Viena”

O Gui Boratto nunca para de fazer coisas incríveis, né? Ele e a musicista Ksenija Sidorova, da Orquestra de Viena, realizaram uma homenagem incrível a Astor Piazzolla, mestre do tango.

Em programa gravado em Paris, o brasileiro e a acordeonista entregaram uma mistura sonora única e surpreendente. É, sem dúvida, uma daquelas coisas que todo amante da música eletrônica sonha em ver e, dessa vez, aconteceu. Clica e deixa essa sonoridade tomar conta do seu dia.

Set monstro do dia

Carl Cox abriu a temporada dos incríveis Essential Mix da BBC Radio 1. O DJ e produtor que está no topo dos principais nomes da e-music no mundo entregou mais uma construção refinada e com a pegada que só ele consegue colocar em suas apresentações para iniciar o 25º ano do programa. De novo, coloca um fone, dá o play e vai ser feliz.

Onde a gente dança

O Caos, em Campinas, recebe nesta sexta-feira (12) Marco Carola - mais um grande nome da cena techno mundial. O line-up ainda conta com Albuquerque e Boghosian, e mostra que o novo espaço chegou pra entregrar algumas das noites que a gente precisa guardar na memória. Tudo que você precisa saber para pegar mais uma noite incrível no novo espaço está aqui.

Rola hoje (12) em Florianópolis o primeiro Steyoyoke showcase do Brasil. Com nomes como BLANCAh, Soul Button e Binaryh, a chance de ouvir alguns dos produtores mais interessantes da cena está lançada. Então, se você está por essas bandas, vai pra não se arrepender depois. Aqui estão todos os dados que você precisa saber para dançar a noite toda.

E assim a gente fecha esse retorno maravilhoso! Aproveitem bem a sexta, dancem, descansem no sábado e a gente se vê na semana que vem que tá absurda! Fui! 

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus