A Paixão de Cristo
Filmes - Drama
A Paixão de Cristo (2004)
(The Passion of the Christ)
  • País: EUA
  • Classificação: 14 anos
  • Estreia: None
  • Duração: 126 min.

Crítica: A Paixão de Cristo

A Paixão de Cristo

Líder de uma comunidade é perseguido e parte ao sacrifício em nome de suas idéias. Com o martírio e a redenção, vê então crescer o número de arrependidos e seguidores de seus valores morais. A premissa diz respeito, claro, às doze horas finais de Jesus, o calvário revisto em A Paixão de Cristo (The Passion of The Christ, 2004), de Mel Gibson. Mas ela não é um privilégio bíblico.

Só na antologia do próprio ator e diretor, por exemplo, são encontrados pelo menos dois filmes baseados no mesmo princípio do herói martirizado: em Mad Max 2 - A caçada continua (Mad Max 2: The road warrior, 1981) ele vive um ex-policial que coloca a própria pele em risco ao liderar pessoas inocentes contra o abuso de motoqueiros bárbaros; em Coração valente (Braveheart, 1995), literalmente, troca a vida pela liberdade dos escoceses que comandou contra a dominação inglesa no século XIII.

O que tudo isso quer dizer? Que trata-se de um tema universal, vastamente trabalhado na literatura e no cinema. Assim, não parece absurdo propor uma resenha de A Paixão de Cristo (The Passion of The Christ, 2004)  sem recorrer às comparações sistemáticas com passagens das Escrituras. Esqueça também a reação das bilheterias, o barulho dos religiosos, a polêmica do pai Hutton Gibson e a influência do Espírito Santo sobre o diretor. Analisar o filme como uma obra fechada e independente do contexto histórico ajuda a evitar algumas dessas armadilhas de interpretação. E ajuda também a identificar algumas de suas fragilidades formais.

Cinquenta minutos

Primeiramente, Gibson confunde senso comum com negligência de informação: o que é de domínio público e o que o roteiro deve nos fornecer para não soar superficial. Fica difícil, por exemplo, para quem não conhece a Virgem Maria, a prostituta Madalena e o evangelista João, saber se Maia Morgenstern, Monica Bellucci e Hristo Jivkov têm alguma importância na trama além da mera figuração. No caso do último, que entra mudo e sai calado, descobrir quem ele interpreta é inviável.

Não é um pormenor. Em qualquer história de mártires, é preciso que entendamos a influência do homem sobre os seus seguidores para que também nos envolvamos emocionalmente com a sua causa. Para isso existem os coadjuvantes, afinal! E por mais que o Cristo vivido por James Caviezel se esforce, a função edificante de A Paixão começa a perder força aí, quando o trabalho dos personagens secundários não vai além do choro interminável.

Pior. Do lado dos malvados, o desempenho é igualmente inconvincente. Se Gibson foi taxado de anti-semita, isso se deve à caricatura extrema que envolve o retrato dos judeus. Nunca fica claro o motivo de tanto ódio por parte dos sacerdotes fariseus, em especial Caifás (Mattia Sbragia), e alguns segundos bastam para demonstrar a maneira enviesada com que a corte de Herodes é caracterizada. Esse maniqueísmo que Gibson insiste em promover impossibilita o realismo que ele diz assumir. Não basta todo mundo falar aramaico. Ainda faltam as necessárias explicações e sobram os clichês.

Evidencia-se, a essa altura, outro grande problema da película: a gratuidade. Sim, a violência é exagerada, explícita, ostensiva por longos cinquenta minutos. É preciso ter estômago forte. Mas vísceras expostas não seriam um problema, se a câmera não focalizasse carrascos lambendo os beiços e esbaforidos de satisfação. Com essas opções duvidosas, A Paixão chega, assim, a flertar também com o sadismo. Coisas que tornam a sessão um suplício para quem não simpatiza, de cara, com a via-crúcis de J.C.

Daria para prosseguir, dizer que Gibson minimiza as lições de amizade, perdão e esperança presentes na Bíblia e prioriza a questão do flagelo. Daria, a partir daí, para levantar uma comparação com os tempos fundamentalistas atuais, quando a religião - qualquer religião - parece ter perdido seu caráter humanista e preservado somente a idéia de devoção cega e sacrifício suicida. Mas este texto se propôs a uma análise formalista. Já é o bastante.

Nota do crítico (Ruim) críticas de Filmes
 

QUEM É ESSE HESSEL MESMO??? JESUS EU CONHEÇO BEM!!!

É lamentável um site deste porte, ter uma pessoa tão ruim para comentar e criticar filmes. Não falo de Paixão de Cristo por ser religioso não, pois acho qualquer outro daqueles filmes de Cristo do tipo sessão da tarde uma bosta. Mas é lamentável o comentário desse cara.

Vou ser honesto - nunca ri tanto vendo um filme quanto ri vendo A Paixão de Cristo. É tudo tão forçado, exagerado e tentando tão desesperadamente chocar a audiência que eu não consigo levar um segundo sequer desse "filme religioso" do nosso amigão Gel Mibson a sério. Os caras prendendo Jesus e jogando ele do topo de uma montanha de onde ele fica pendurado pelo pescoço e sobrevive não só a queda que deveria ter quebrado o pescoço dele como também o tanto de tempo que ele aguentou ficar pendurado pelo pescoço sem morrer sufocado ; todo aquele sangue que Jesus perdeu só na cena do flagelo já teria feito ele morrer de hemorragia, os romanos são sádicos e parecem ter algum ressentimento contra Jesus batendo nele o tempo todo e só parando quando são forçados, sendo que isso não está escrito em nenhum lugar no relato da Bíblia. E aqueles flash backs então? Lembra de quando Jesus inventou a mesa, galera? E quando Jesus cai e a Maria lembra dele caindo quando criança? Sabia que crianças caem? Pois é! kkkkkkkkkkkkkk Eu daria 5 ovos, melhor filme de comédia que eu já vi na vida.

Quanta hipocrisia, a religião é tão medíocre que faz as pessoas concretizarem idéias sobre as pessoas: "foi apartir desse dia que eu nao levei mais o Hessel a sério" "A partir de hoje, não levo o Hessel a sério." Só porque falou mal de um FILME que fala mal de um conto de fadas? Eu tenho um sonho....de que este pais seja realmente laico um dia. Hessel parabéns.

Hessel, o maior pseudo-intelectual das redondezas, é mesmo o pior crítico do site. Se apegou a aspectos supostamente negativos e não deu o mérito que merecia (atuação, fotografia, etc). Tudo isso porque não passa de um ateuzinho toddynho e péssimo profissional, que deixa que suas visões sobreponham a realidade. http://www.youtube.com/watch?v=tde-AlVGqsA

Eu ri! Achei que A Paixão de Cristo ia levar 3 ovos, mas o um foi surpreendente. No final das contas, é a nota que merece.

Cacilda... A partir de hoje, não levo o Hessel a sério. Que porcaria de crítica foi essa? A pior até agora. Saiba, senhor Hessel que o filme foi feito para quem conhece a Bíblia. Experimente ler pelo menos um livrinhos dos 4 Evangelhos que você vai entender o filme inteiro e mudar a quantidade de ovos. Que texto ridículo! Está claro que você não julgou como crítico à procura da verdade. Você julgou segundo SEUS conceitos!

http://www.youtube.com/watch?v=tde-AlVGqsA

Me lembro quando li essa critica, foi apartir desse dia que eu nao levei mais o Hessel a sério. :p

Agora eu sei pq o Hessel é fraco e com mania de grandeza. O Filme é simplismente espetacular

O filme é excelente. A crítica foi muito fraca. Independentemente de ser um filme do Mel Gibson, a obra é muito boa... Cenas gravadas com muita qualidade e principalmente, mesmo sendo uma história que todos conhecem, prende a atenção até o fim. Merecia 04 ou 05 ovos.

Como a porra do pais vai mudar de qualquer forma com gente como voce, que falta com respeito a crença alheia?

Alexandre : "Só porque falou mal de um FILME que fala mal de um conto de fadas? Eu tenho um sonho....de que este pais seja realmente laico um dia." Esse é o tipo de pessoa que não da para se levar a serio,afinal se o cara se dá o trabalho de desrespeitar abertamente a crença dos outros de forma completamente agressiva em um site de entretenimento,imágina o que ele faz com tudo na vida dele. Independente do que você acredita,tenha respeito amigo.

Uma critica parcial, que toma lado. Um critico deve ver a obra como obra. Uma pena que a critica ao excelente filme de Mel Gibson tenha sido feita por uma pessoa que impoe seus gostos acima do bem comum. Uma das piores criticas que já vi nesse site.

Agora eu sei pq o Hessel é fraco e com mania de grandeza.(2)

Gostei muito do filme 1 ovo é sacanagem...

Paixão de Cristo. Nas primeiras vezes me impressionei pela violência, agora revi e me impressionei pela qualidade. Muito bom filme, em especial os flashbacks. A fotografia também é muito bonita, coerente e os efeitos na medida certa. Sobre a violência, cada época tem o Jesus que merece ou compreende. Nota 8.

1 ovo? Esse filme merece 5 ovos facil facil, todo drama que envolve o filme, não precisa dizer quem é quem. A pessoa que tem um pouquinho de noção sabe, só para os Ateus que ñ conhecem a biblia e a historia de Jesus, ai fica dificil entender mesmo. Ridicula sua critica.

Ta de sacanagem com essa critica né? 1 ovo? pqp, parei.

Critica de quem não entende nada de cinema!! Pra variar!!

Critica de quem não entende nada de cinema!! Pra variar!! É evidente que o filme foi avaliado segundo os conceitos pessoais dele! Enfim, essa critica prova que que esse cara não entende nada!!

A melhor crítica que já li sobre "A Paixão de Cristo". Para quem reclama de Hessel aqui ele acerta, com certeza!

RUIM?????????????????????????? Achei que iria levar 5 ovos PQP.

Galera, ninguém é perfeito! Tanto o Hessel quanto o Borgo eles assumem muito seus gostos quando vão criticar um produção. =( Eu acho uma vergonha alguém saber de tanta CULTURA INÚTIL e não conhecer a história do maior homem que passou na Terra e que dividiu a história! Isso que é uma piada! Tudo bem, ninguém é obrigado a saber, mas se ficar perdido nesse assunto é incompetência da pessoa. O grande Hessel falar "confunde senso comum com negligência de informação" é um sacanagem sem tamanho uma vez que ele vê filmes bem mais complexos e não reclama disso! O Gibson quis mostrar o sofrimento de Cristo, ele fala isso desde a primeira sinopse. Os outros personagens são meros coadjuvantes nesta hora. Essa do Hessel falar de filme violenta é assinar carteira de "maria vai com as outras", nem ao menos ele pesquisou por aí como era sofrimento de um prisioneiro que ia ser flagelado! DIGO E REPITO: o sofrimento era bem maior do que retratado no filme. Se duvida, vá pesquisar filho.

A história de Jesus eh inútil.

Hessel, Hessel... Vou te dizer uma coisa: Este filme APENAS não é pra qualquer um. ele DEMANDA SIM um conhecimento prévio da história de Jesus - O Cristo. Ainda bem que diferente do que você pensa, Gibson não perdeu tempo explicando assuntos que não deveriam ser explicados, como: quem é João Batista? Por que Maria não está em evidência o suficente? Qual a relação de Jesus com Madalena? Essas informações não mereciam/não receberam destaque. APENAS, NÃO É PRA QUALQUER UM.

Acho que pra alguns comentários que você fez a respeito da história e religião exigiriam alguém com mais conhecimento de causa ou experiência de vida no assunto. Claramente se vê que você não conhece nada sobre isso Hessel. Independente do filme ser ruim ou bom, você deveria ter se limitado a falar da película, que é o que você entende. O tema Paixão de Cristo tem como foco principal o flagelo sim, para termos um vislumbre do sofrimento que ele passou na sua morte, algo inimaginável para os padrões humanos. Como o diabo diz a Jesus no começo: "nenhuma pessoa pode suportar o peso dos pecados de todos eles, ninguém pode". E as religiões nunca tiveram nem deveriam ter caráter humanista, pois isso é exatamente o contrário do que elas pregam. Uma religião humanista colocaria o homem no centro e o divino seria excluído. Pelo menos não é assim no cristianismo.

As pessoas tem medo de dizer que o filme não êh bom, por que tem fé.

Mas a atuação de Caviezel foi incrível! Foi linda. Acho que só pela atuação dele, era 4 ovos!

Comprei a edição definitiva em DVD no dia 23 de maio, e assim que terminei de assisti, houve uma mudança do meu conceito sobre o filme. Jim Caviezel sentiu frio e sede, a cruz, de uns 60kg, caiu em cima da cabeça do cara. O papel foi barra pessada, mas ele conseguiu! Parabéns pro Caviezel, e ele não cresceu tanto profissionalmente depois deste maravilhoso papel... Só achei isso estranho.

Quer dizer que tu avalia uma merda de um filme mal feito,como o que aconteceu com "Motoqueiro Fantasma 2" como bom,e avalia um filme tanto histórico quanto dramático como "A Paixão de Cristo" de ruim?,Muito bonito pra sua profissão...

Cara...descobri só agora q o Omelete tem críticas de Apocalypto e paixão de cristo mas... a nota confere!!!??? apenas 1 ovo? para Paixão de Cristo?...a mais pura arte, linguas antigas ,violência como ela sempre foi e continua sendo...crucificação era algo terrivel q parte do mundo usa no pescoço mas ninguém retratou como era o martirio o mais proximo daquele tempo...a não ser Mel Gibson...cenas artísticas fotografia e até poéticas tá certo q é algumas poucas horas antes do seu momemto final...representando mais a dor e o sofrimento... do q os ensinamentos deixados mas acho q foi uma obra prima...ñ sei se ele realmente existiu, como foi contado e tolerado pelos fieis... acho q foi modificado com o passar de ouvido para ouvido... e deu em um figura fantastica sobre o amor e perdão...talvez seja uma lenda... um mito ou como um papai noel mas acreditando ou não...apoio a vida a amizade a condição de fazer alguém ou pelo menos 1 feliz...acredito muito no Homem e na nossa condição de dar significados para as coisas...boas. assustei com a crítica e a nota!!!até.

A maquiagem do filme é perfeita.. A fotografia é deslumbrante.. O som do filme é mt bom.. A direção é ótima.. cade a critica positiva pra isso?? Cade o profissionalismo? Sr Marcelo Hessel, parece q teve um ataque de pelanca.. só pq o ótimo filme conta uma historia (sim, historia com h) q vc nao acredita?? isso é trabalho cara, nao é pra vc dá uma de adolescente com raiva do mundo nao.. que mancada, cara.

Percebemos nessa crítica uma pessoa totalmente desinformada!!! Triste ver isso. A problema com alguns personagens secundários tudo bem (mas nem tem problema tanto assim, pois na história de Jesus sabemos que os seus amigos SOMEM na hora que o bicho pega) Maria tem destaque (e que lindo detalhe de Maria); Madalena (que não se sabe ao certo se era prostituta Hessel desinformado) não participa em nada mesmo - tal qual tá no longa. João equivocadamente, está seguindo Jesus no calvário, porém a Bíblia só diz que o "Discípulo que Ele mais amava" (e isso não quer dizer quem seja) acompanha Jesus. Então sem problemas. ***As lições de amor e amizade estão lá. Acho que vc achou chato o filme Hessel e não prestou atenção. Os sacerdotes que não se explica direito os motivos de raiva com Jesus sim eu concordo com você. No entanto, percebo que ele tenta explicar porque (aí vai se você é bom de história da época que acontecia os fatos. Todavia, tem filme que nem precisamos saber da história da época, basta embarcar no que os caras tão fazendo!). Agora, A PIOR PARTE DA SUA CRÍTICA. QUE SE FOSSE VOCÊ RETIRARIA A PARTE DELA DO AR, é a parte da flagelação de Jesus. Bicho, vai tomar banho!! Você tá muito por fora do que acontecia na época dos romanos. Cara, Gibson, foi iluminado quando fez esse filme, porque mostrou metade do sofrimento de Jesus pra uns idiotas (como vc crítico sem informação) que ainda acredita que Jesus (e outros criminosos da época) apanharam só 4 porradinhas e ia morrer!! Tá louco, pro seu governo. A parte que Jesus foi chicoteado, o criminoso ficava nú (amarrado pelas mãos juntas com uma corda que vinha do teto.. ele não poderia se abaixar). Então, os soldados (sem pena assim como no filme) batiam até se cansarem. Muitas vezes, o condenado era sentenciado a morre de flageração. ISSO NÃO É DADO CATÓLICO. É FATO HISTÓRICO!! É SÓ PESQUISAR! Nesta parte o filme mostra como era de verdade pras pessoas saírem da ignorância... Achei que pegou leve ainda. Basta ler as torturas da época pra perceber isso! Uma parte ruim que o Gibson exagerou e vc nem comentou (não se sabe ao certo na história) foi de Jesus ser o único a apanhar enquanto continuava sua via crúsis! Acho que ficou exagerado, não precisava ser tão repetitivo. Porém, crítico (olhe lá se vc merece esse título)... Cadê as qualidades das técnicas do filme? Cadê o elogio ao som? A fotografia? Maquiagem? Dizer que é ruim é uma sacanagem de sua parte!!!! vai se informar antes de criticar! Por favor. Pra não passar vergonha!!

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus