As Vantagens de ser Invisível
Filmes - Drama, Romance
As Vantagens de ser Invisível (2012)
(The Perks of Being a Wallflower)
  • País: EUA
  • Classificação: 14 anos
  • Estreia: 19 de Outubro de 2012
  • Duração: 103 min.

As Vantagens de Ser Invisível | Crítica

Drama de amadurecimento emociona ao som do rock alternativo dos anos 80 e 90

Em seu segundo trabalho como diretor, Stephen Chbosky adapta seu próprio romance, As Vantagens de Ser Invisível (The Perks of Being a Wallflower, 2012).

O drama de amadurecimento acompanha um garoto de 15 anos, Charlie (Logan Lerman, de Percy Jackson e o Ladrão de Raios), no momento de sua entrada no colegial em Pittsburgh. Ele se recupera de uma depressão, que lhe rendeu tendências suicidas, e da perda de seu único amigo. No colégio, porém, começa sua jornada de socialização, de crescimento e recuperação com a inadvertida ajuda de dois veteranos, Patrick (Ezra Miller, de Precisamos falar sobre o Kevin) e Sam (Emma Watson, de Harry Potter), que o recebem em seu mundinho à parte dos populares da escola.

Ter Chbosky no comando da adaptação mantém a força do material original. Ninguém entende e se preocupa com os personagens mais que seu autor, afinal - e ele valoriza cada momento de tela de todos eles. A primeira aparição de Sam, por exemplo, é memorável e Emma Watson esvazia em segundos qualquer resíduo de sua atuação como Hermione que possa teimar em permanecer na mente depois de 10 anos vendo-a no papel da bruxinha. Ela está adorável e sabe trabalhar toda a complicada bagagem da personagem.

Lerman e Miller também fazem bonito e suas sequências juntos são excelentes. Enquanto o primeiro mostra que tem qualidade de atuação para convencer nesse difícil papel, que requer enormes variações emocionais ao longo do filme, o outro torna seu Patrick uma força magnética em tela.

Chbosky pode não ter muitos recursos como cineasta, mas a história não pede mais do que o básico. Ainda que ele consiga algumas sequências estéticamente belas, não é essa a necessidade do filme. São os diálogos (e o que não precisa ser externalizado) que movem a adaptação - e ter o criador desse mundo presente o tempo todo no set sem dúvida ajudou muito os protagonistas e o elenco de apoio (especialmente os jovens), que também está ótimo.

O cineasta também esta muito à vontande com relação à música. As canções do filme estabelecem identidade aos personagens e abusa de referências dos anos 80 e início dos 90. Ouvem-se Pavement, New Order, L7, Cocteau Twins, Sonic Youth, The Smiths... que são colocadas ao lado da clássica, "Heroes" (77), de David Bowie, que soa como o hino do filme. A música toca em dois momentos importantes e serve para demonstrar a sensação, hoje quase perdida, da descoberta sonora (ou qualquer outra). Afinal, eram os anos 90, quando se você ouvisse uma música e não soubesse seu nome, não adiantava cantarolá-la para o celular, pois o aparelho sequer existia ainda. Você tinha que trabalhar pelos seus gostos e seu desenvolvimento cultural.

As Vantagens de Ser Invisível termina uma sensível história de amizade, descobertas e amor idílico que faz pensar. A frase "Nós aceitamos o amor que pensamos merecer", um dos motes do filme, sozinha, rende algumas boas reflexões. A vibração pelas descobertas, a expectativa pelo próximo "mistério", é igualmente emocionante.

Enfim, fica aqui uma constatação curiosa. Se ao menos os produtores de Homem-Aranha tivesse assistido a este filme antes de realizarem o novo longa do herói saberiam como poderia (ou deveria) ser retratado o Peter Parker nas telas (obviamente, não me refiro aqui às tendências suicidas). E pensar que Logan Lerman foi dispensado para o papel...

Leia mais sobre As Vantagens de Ser Invisível

Leia mais críticas do Festival de Toronto 2012

Nota do crítico (Excelente) críticas de Filmes
 

Com certeza está entre os 10 melhores filmes que já assisti na vida.

Ezra Miller é lindo, só assisti por causa dele!

a música 'don't dream it's over' eu passei quase 10 anos tentando consegui-la. e 'boy's do fall in love' levei uns 25!!! E a loucura de ficar ouvindo rádio com fitas k7 no deck esperando para gravar aquela música...? nossa, que tempo!

Pois é... entendi que ele abusou do menino... mas não sei onde e quando isto fica mais claro. só se diz que ela fazia algo com ele...

Maravilhoso! Excelente Filme... Traz um sentimento de nostalgia bom.. dos tempos sem internet.. Quando você tinha que suar a camisa pra encontrar aquela música que você ouviu e gostou.. Ótima Crítica.

Excelente o filme! Ótima crítica Erico!

Sugiro também o seguinte texto sobre o filme: https://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2013/02/12/as-vantagens-de-ser-invisivel-2012/ Abraço

Está no meu Top 5 de melhores filmes, o amadurecimento dos personagens e a sutileza com que o autor se refere a cada um é simplismente fascinante! Obs: Não sei se todos perceberam mas no filme retrata com sutileza que o personagem do Logan Lerman era abusado sexualmente pela sua Tia...

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus