Chappie
Filmes - Ação, Ficção Científica
Chappie (2015)
(Chappie)
  • País: EUA
  • Classificação: livre
  • Estreia: 16 de Abril de 2015
  • Duração: indisponível

Chappie | Crítica

Neill Blomkamp encontra em conto de fadas a sua narrativa cyberpunk mais satisfatória

Chappie, o terceiro longa-metragem do diretor sul-africano Neill Blomkamp, começa como Distrito 9, com especialistas dando entrevistas à TV para dar logo ao espectador toda a letra da premissa: estamos em 2016, robôs pré-programados estão substituindo com sucesso os humanos no policiamento de Joanesburgo. A próxima fronteira da ciência, descobrimos depois, é alcançar a temida inteligência artificial.

Da ambientação nas margens pobres da cidade sulafricana à trama de transmutação, Blomkamp revisita aqui muitos dos elementos do seu primeiro longa, mas com uma diferença decisiva: enquanto Distrito 9 se apresentava primeiro como um conto de horror, a transmutação como uma maldição, no conto de fadas Chappie a transformação, embora possa se revelar horrorosa, começa como uma dádiva. No filme - menos David Cronenberg e mais Hans Christian Andersen - depois de ganhar consciência o robô Chappie luta por conquistar uma identidade.

Mas que identidade é essa? Estamos na África, continente que visita o notíciário pelas toneladas de lixo que o mundo desenvolvido despeja hoje em suas terras. Se ali a vida tem um valor efêmero, isso se reflete na arquitetura: fábricas desativadas, prédios ocos e favelas improvisadas formam o cenário da Joanesburgo de Blomkamp (que aqui expande o olhar sobre a cidade de uma forma interessante em relação a Distrito 9, embora o horizonte de desolação pareça sempre a mesmo). Aqui a regra não é a invenção, ou sequer a reciclagem, mas o descarte.

Então, de novo, que identidade um robô consciente - que adquire vida mais ou menos como se fosse um recém-nascido no futuro de Filhos da Esperança - pode encontrar numa sociedade pós-industrial como a de Chappie? Essa é a questão que percorre o filme, um conto de fadas de evidente parentesco com Pinóquio (o criador como bússola moral, as tentações da vida à margem) mas que no fim talvez tenha mais em comum, na sua postura crítica diante de uma suposta normalidade, com a fábula subversiva de Shrek.

Se Chappie é o melhor filme de Blomkamp - embora os roteiros didáticos do diretor continuem sofrendo com excessos de exposição - talvez seja porque a vocação do sulafricano para a narrativa cyberpunk encontre aqui uma história ideal. Não temos a máquina simplesmente como fetiche de ação em um confronto de classes, como em Elysium, mas sim a máquina de fato problematizada numa distopia do presente. Chappie é só mais um indivíduo em busca de identidade nas carcaças de um mundo cada vez mais inorgânico - e quando vemos que a única coisa funcionando no arranha-céu é o luminoso publicitário, percebemos: Blade Runner é agora.

A forma como Blomkamp ocupa e transforma esse cenário, mesmo nos mais básicos planos aéreos de Joanesburgo, é o que torna seu filme especial. Maus atores, Ninja e Yolandi (os rappers do grupo sulafricano Die Antwoord) fazem a contento esse papel da apropriação. Eles representam aqui os tipos marginalizados do cyberpunk, e a estética dos excluídos vai além de reproduzir o ideal de sucesso do gangsta americano. Ninja e Yolandi tomam o espaço público - a fábrica vazia transformada em castelo, único cenário possível nesta fábula - com a consciência e a esperança de que, assim como a cultura globalizada, a ocupação de uma terra morta não respeita fronteiras.

Nunca foi possível deter a globalização, então o vilão de Chappie não seria outro senão um anacronismo ambulante do folclore africano, orgulhoso de suas raízes. Fazer do personagem de Hugh Jackman um tipo de mullet que carrega uma minibola de rugbi e parece sempre vestido para um safari é mais uma demonstração da capacidade que Blomkamp tem de encontrar uma síntese visual que soe verossímil no mundo de hoje e, ao mesmo tempo, esteja no limite do cartunesco. Felizmente, Chappie, mesmo nos seus momentos mais cafonas, é um filme que encontra um equilíbrio raro entre as duas coisas. Ver seu robô em chamas em câmera lenta num terreno baldio é uma imagem ao mesmo tempo futurista e absolutamente cotidiana, feita para assombrar os sonhos.

Chappie | Cinemas e horários

Nota do crítico (Bom) críticas de Filmes
 

O "Chappie" passa bem como um blockbuster de ação, um mix de "Distrito 9" com "Robocop". Infelizmente o robô passa a maior parte do tempo com dois atores inexpressivos ("papai","mamãe") em cenas bobas, rasas... Seriam ótimas oportunidades pra dramatizar temas mais complexos e deixar o filme mais consistente. Passou batido pela problematização da "consciência" e mais ainda pela captura da rede neural humana. Questões tecnológicas de extrema complexidade foram tratadas de forma simplória com soluções instantâneas e superficiais. Fica como um pano de fundo a capacidade emocional humana adquirida pelo robô que em seu aprendizado assume cada vez mais o controle da situação.

Mas o ex-machina conseguiu me convencer do jeito que foi tratado o tema :-)

Amigo, é um filme que visa o entretenimento e claro, aborda um tema interessante que é A.I. ... é quase impossível um filme conseguir passar com fidelidade as questões técnicas à respeito. Por isso ficam focados mais na questão dramática e/ou filosófica da estória. Pense que a grande maioria que assiste esse tipo de filme são leigos e não estão a par de assuntos do nosso mundo. inclusive outro filme interessante é o Ex Machina, mas se notar o foco sempre é abordar as questões do ponto de vista "filosófico", se mostrassem o bilionário excêntrico codificando e tentando ser "técnico" o povão ia achar massante, infelizmente a maioria vence.

Caraca, velho! Você me respondeu com um certinho hue. Nem lembro muito desse filme mais. Só lembro que não gostei da simplicidade com o que foi tratado o tema. Um cara sozinho não conseguiria fazer isso nem que levasse a vida inteira, isto é o que eu defendo. A meu ver, esta questão deveria ter uma maior atenção para tornar isso crível.

Assisti este filme somente hoje, e sobre a questão de milhões de linhas de código isso é óbvio e demonstrado quando o Deon fala na gravação que tem de "computar e codificar vários terabytes"... pensa na qtde imensa de linhas de código validando um caractere como um byte... E sobre a questão de testar e simular ele já estava há mais de 900 dias codificando e rodando os seus códigos em uma espécie de "plataforma de testes", saca? Tal plataforma ao meu ver funciona como um compilador, que é possível ver a tentativa de mostrar isso na interface mostrada em tela.

Não é nenhuma obra prima, mas confesso que fiquei interessado do início ao fim. A estória e bizarra, mas criativa, houve momentos muito engraçados e outros emocionantes! Gostei!

Tem muito mais mesmo. Um dos piores filmes que eu já assisti, se não for o pior.

Ótimo filme! Uma fabula com um dos robôs mais simpáticos já criados. A parte sensível de Chappie é mais legal. Um pouco longo, poderia ter 20 minutos a menos, mas é o melhor trabalho do BlomKamp! Crítica confusa e pretensiosa do Hessel pra variar!

5 ovos, gostei dos 3 que eles fez. me decepcionei mas com 4 fantástico do que os filmes dele.

Filme mediano ! As duas horas de filme ficaram desnecessárias e cansativas pra mim, se tivesse uns 20 a 30 min a menos seria o ideal ! As atuações são bem ruins mesmo, principalmente Yolandi. Ninja vai de cara ruim pra cara bom em questão de segundos, não tem muito critério nisso .. Pra mim é o pior filme deste diretor !

Cite as falhas e furos, meu caro...

O filme funciona muito bem pra proposta apresentada na introdução, e vai até um pouquinho além. Se fosse mais David Cronenberg e menos Hans Christian Andersen talvez fosse bem melhor. Daria mais maturidade ao filme e mostraria uma evolução na trajetória do diretor, que eu admiro muito! Esperando aqui mais um conto distópico de Neill Blomkamp. Gosto muito de cyberpunk porque me lembra Akira rsrs.

O filme é mt bom. N entendi pq as criticas n falaram tao bem. Tao bom qnt distrito 9, com a vantagem de q é mt fácil se identificar com Chappie

Sinceramente eu gostei do filme. Concordo com algumas opiniões abaixo sobre alguns detalhes serem simplistas, ou até infantis demais (construir uma IA em casa, a consciência humana poder ser transferida e armazenada com a facilidade que se trabalha com um arquivo de imagem, por exemplo), mas, acho que indo além dessa simplicidade existem questões muito profundas que o filme aborda. A pergunta, "o que é consciência?" ainda permanece sem uma resposta definitiva. Um organismo não vivo, com uma rede neural tão potente quanto o do cérebro humano, pode ter consciência de sua existência? Outra coisa, nossos corpos são maquinas biológicas,...cada célula do nossos organismos é um emaranhado complexo de estruturas moleculares que agem como se fossem engrenagens de um relógio....sera que nossa mente, nossa consciência, encontra-se restrita apenas a esta maquina humana, ou ela pode existir em outros planos, em outros lugares, em outras formas? Será que ao transferir nossa existência em um robo que até certo ponto é "indestrutível", o filme passa a ideia da imortalidade do ser? Enfim isso foi só a MINHA impressão do longa. 4 ovos

Amigo, esse é o papel do crítico kkkk Presumo que só lê a crítica quem quer, os incomodados que ignorem, uai.

Pensou cara, que da hora que seria, carros autônomos, polícia eficiente e um monte de coisa desse tipo, muito loko :)

Que legal cara...pelo que estou vendo vc é desenvolvedor. Quem sabe o futuro criador de inteligência artificial não esteja aqui no Brasil. :)

se você que filme ruim mesmo , assista renascida do inferno e correntes do mal . ruim ao extremo .

Não tem furos, e tem sim nexo. Mas infelizmente faltou tempo, para desenvolver melhor, mostrar melhor as fazes do ''aprendizado'' da i.a. E deixe de ser um critico modinha.

Não crente, não julgue o filme baseado em sua concepção de vida, pois ele não foi criado em cima dela.

Muito ruim, o filme não tem narrativa, o enredo é ruim, as coisas acontecem muito rápido, não tem profundidade, diálogos ruins e atuações também afundam o filme...aquela dupla, "pai e mãe" dele, sinceramente, eu não sei como tiveram coragem de colocarem lá...

Não queiro que o filme seja 100% real, mas dentro do universos proposto ele tem que me convencer. Uma inteligencia artificial que aprende sozinha e se comporta como uma criança teria milhões de linhas de código e teria que ser simulado, testado, etc. Pra se tornar mais crível por exemplo, poderiam falar que uma equipe estava desenvolvendo uma IA, mas não conseguiu e o cara descobriu o motivo do erro e consertou. Coisas deste tipo que fariam o filme melhor. Talvez eu tenha essa visão do filme justamente por trabalhar com TI e saber do trabalho que dá pra se programar algo simples, quanto mais um ultra complexo.

então fala o porquê de ser ruim de mais ?

também dava 4.

Cara, me desculpe, mas achei ruim ao extremo, a única coisa que salva na minha opinião é a fotografia.....ruim, ruim, ruim, o que é uma pena porque o Distrito 9 é excelente...

historia sem nexo é sacanagem! furos de roteiros , não vi nada.

vejo gente falando mal do filme, mas acho que é por causa disso mesmo, ser um filme de terceiro mundo. também do diretor ter nascido lá.

que exagero. o filme não tão ruim , acho que ele não queria se preocupar se o filme é uma maravilha , mas tava mais preocupado em passar a ideia.

também , não que que um filme seja 100% real né. veja só , um jogo de videogame , tem inteligência artificial. cabe num DVD. tudo bem o cara ter um mini laboratório dentro de casa , sim ele não testou. estava levando o programa para testar no robô defeituoso. caso errasse , ele ia tentar de novo. o chappie era um teste e não um definitivo. depois que deu certo , não precisou refazer.

Cara essa nova geração de espectadores que se acham os cineastas está me dando nojo. Vão ver o filme com a intenção de já criticar e ficar catando furo, se esqueceram do maior prazer dos filmes que é simplesmente assisti-lo. Chappie é um ótimo filme, ele consegue ser triste e engraçado ao mesmo tempo. Eu não lembro de ninguém criticando os filmes dos anos 80 e 90, as pessoas simplesmente assistiam. Parem de reclamar e ficar de mimimim, que o filme é isso e aquilo. Apenas aproveitem. Filme é ótimo e daria 5 ovos. Eu gosto de todos filmes basicamente e dou 5 ovos pra quase todos. Pra mim ou eu gosto do filme ou não, foda-se os furos. Se acham que fazem um roteiro melhor vão a luta e parem de mimimi.

O filme não ruinzão, mas também não é bonzão, é mediano. Algumas coisas foram muito simplistas como por exemplo o indiano criando uma inteligencia artificial em casa? Só porque o programa deu 100% ele funciona? Sem testar nem nada? Uma consciência humana cabe em um pendrive? Essas e outras coisas foram bem exageradas, só não falo porque é spoiler.

Um dos piores filmes que já vi... não dá pra saber o que é pior, o "criador", o "Papai", a "mamãe",,,,o que é um pouco, mas um pouco melhor é o Robô...muito ruim, mas muito ruim mesmo!!!

Chappie o primeiro robômano da Historia..kkkk

A seguinte frase invalida a crítica "Estamos na África, continente que visita o notíciário pelas toneladas de lixo que o mundo desenvolvido despeja hoje em suas terras." O autor do texto deveria antes de informar da realidade da África do Sul antes de escrever essa bobagem. A África do Sul é um país, em vários aspectos, mais avançado que o Brasil. E a tendência de se reduzir um continente tão diverso como a África em uma afirmação destas é passar atestado de ignorância e preconceito.

Acabei de assistir essa bomba, pelo amor... filme começa legal, te prende, depois fica naquela açao incessante e cansativa, pra no final o Quem Quer Ser um Milionario ter sua alma passada pro corpo de um robô; PQP

Um cara que deu 2 ovos pro Distrito 9, não deveria ser o responsável por escrever a crítica de Chappie. Simples assim.

Sei lá, cara. É um dos filmes mais cagados que já vi. É engraçado de tão ruim.

Achei que só eu tinha percebido o quanto esse filme é bizarramente ridículo! Como pode tanta gente ter gostado?! Nada faz sentido na história!

Cara concordo com você! E sua critica também foi muito boa, A galera ai ta meio hipnotizada. Já estava até achando que o meu senso critico de filmes era ruim kkkkkkk..

No artigo falam que são maus atores, como que pode? Pra mim eles salvaram o filme, a atuação foi otima, mas tudo bem. se o filme não é americano e pior ainda, é la do terceiro mundo...não tem espaço!

Caraca que analogia mais louca a sua viu? Pena que vc perdeu a simplicidade do filme. Sabe porque Chappie não levou ele para um hospital, pq ele não aprendeu isso, na cabeça dele, era queria trocar de corpo pq o dele tava morrendo e imaginou o mesmo quando seu mestre estava morrendo. No final ele dá sua vida para seu mestre, ele achou q isso era salvar. Isso tanto é verdade que no assalto ele machuca os policiais achando que eles iam dormir....um robô ingenuo.

O robô Chappie tem a voz mais chata dos últimos tempos. Filme fraco.

O filme é muito bom. Nã é um pedestal de cinema, mas hj em dia toda a gente é critico. Veja se possível e se gostar guarde, se não gostar é dar para esses abutres da crítica mastigarem de vocabulário !

No começo do filme, 18 meses antes de todos os incidentes, que ocorrerão em 7 dias aproximadamente. Claro que depois de tudo aquilo, ambos(maker e o chappie) se tornariam fugitivos. Ninguem quer ser aberto, como uma rato de laboratório. simples assim.

Seria o Blomkamp o novo Shyamalan? A formula foi interessante em Distrito 9 pois ampliava a obra para uma discussão real, a desigualdade na Africa do Sul. Gostei da crítica, em especial o olhar cyberpunk, e me fez repensar algumas questões mas os personagens deste filme são muito caricatos. A caracterização chega ser reducionista. O indiano geek, o africâner malvado, o gangsta sem noção... Me pareceu intencional mas isso fere demais a verossimilhança. Fazer upload da mente quando era tão mais simples ter ido pro hospital? rs

É bom frisar que os personagens que Chappie convive são quase reais. Yo-Landi e Ninja (atuando como eles mesmos) são rappers sul-africanos, do grupo Die Antwoord (a maioria da trilha sonora vem do grupo). E o visual deles do filme, bem como a música, é o mesmo do show. Um estilo característico no próprio país.

Parei no segundo parágrafo...

Assisti esse fds e simplesmente adorei. Filme com um ar cômico, crítico e intrigante. Acredito que não supera o Distrito 9 em história, mas n deixa de ser um filme incrível, sem contar que não tem como não se apaixonar pela Yolandi. 04 ovos fácil.

Concordo plenamente com você Rodk

Eis um furo de roteiro. No começo, há uma entrevista com pessoas dizendo que o Chappie mudou tudo o que pensavam e tal tal tal...No final ele se torna um fugitivo.

Fui ver o filme na estreia, estava mega animado. No final, fui surpreendido por furos de roteiro, historia totalmente sem nexo e UM unico personagem muito bom, O robô Chappie. Mas que infelizmente acabou se tornando completo idiota no decorrer do filme, só fazendo algo relevante perto do fim. nunca mais verei uma obra do Neil Blomkamp(Sei la como se escreve), ja tinha achado Distrito 9 ruim, mas este superou. Merecia apenas UM ovo. Para todos que acharam este filme bom, fica a dica. Leia ASIMOV. OBS: Prevejo este filme que tinha TUDO, absolutamente TUDO para ser muito bom sendo indicado ao Framboesa de Ouro nas categorias PIOR FILME e PIOR ROTEIRO!

caraio, como é ruim ler um texto do Hessel... mais chato que o Arnaldo Jabor ou Pedro Bial... eu leio por que quero ver a crítica, mas não dá para ter uma crítica feita para não-críticos de cinema? ou ainda para quem não é da área de humanas... só quero saber se o filme é bom ou ruim sem saber o que influencia o diretor ou com referências a outros 250 filmes...

Crítica muito boa. Merece destaque os efeitos especiais e visuais. Não consegui pegar uma falha!

E? Não tem sentido, ele é uma IA e não um humano. Deveria ter um aprendizado milhões de vezes mais rápido, como o próprio filme diz que seria. Ele começa uma evolução e de repente para na "adolescência". E esse é um erro pequeno ainda no meio de muitos outros.(SPOILERS!!!!). A empresa que desenvolve as maquinas é a empresa mais insegura de todas, todo mundo entra e sai e faz oque quer naquele lugar, não existe uma câmera de segurança. Os bandidos deixam o programador ir e vir sem problema nenhum. O robô tanque que deveria ser um tanque leva UM tiro e fica sem visão(O cara controla a maquina pela câmera e deixa a porra da câmera sem ser a prova de balas?!?!?!). O Chappie consegue salvar uma mente humana em um pen drive!!! E sem dizer que o próprio design do Chappie é um reaproveitamento dos droids que tinham no Elysiun. Putz, tem muita coisa ainda, mas ta bom. Abraço!

Tem como escrever uma crítica séria e concisa de cinema? Por favor, parem de escrever romance aqui pessoal do omelete, eu sei que vocês são melhores do que isso

Eu não consigo entender o porquê deste filme não receber uma nota maior. A discussão da consciência, de alguém ter uma identidade de acordo com o meio que ele é inserido e dos avanços tecnológicos de uma forma tão singular, faz com que o filme mereça uma nota maior. Difícil surgir um filme em que o diretor use a criatividade como foi empregada em Chappie. Geralmente não existe aquela coragem de inovar e o mercado só aparece filmes em que a receita do sucesso é garantida como ; Vingadores 2, Velozes e Furiosos 7, Insurgentes e 50 Tons de Cinza. Ninguém quer inventar um novo tipo de super herói ou criar uma nova discussão da sociedade. Só querem fazer filmes com uma determinada margem de segurança, como basear em um livro que foi campeão de vendas ou filmes anteriores que já deram certo na venda de bilheterias. Fora quando não fazem remakes dos clássicos. Ah! Aquela parte em que o robô assiste He-Man(conhecido por ser um desenho moralista) , mas rapidamente é interrompido por uma pessoa sem escrúpulos, demonstrando que o robô teve pouca sorte para se tornar um ser correta foi perfeita pra mim. Muito criativo! Filme excelente. A mão foi pesada na hora de aplicar a nota.

Assisti dia 20 no cinema e só posso dizer que o filme superou todas as minhas expectativas, realmente não podemos se ater as criticas negativas de pessoas que não sabem analisar profundamente o filme. Primeiro quero destacar, se queres explosão cabeças voando e sangue jorrando pela tela no estilo distrito 9 podem esquecer, esse filme tem uma temática muito mais profunda, a historia e a cativação que o personagem chappie, te faz querer torcer por sua crescente construção de caráter. A mudança da visão que p chappie tem dos seres humanos vai se transformando, no inicio sua curiosidade não o deixa enxergar que somos os reais monstros, algo bem recorrente nos filmes desse Grande Diretor que gosto muito. A parte da ação é muito bem feita no estilo que estamos acostumados, trilha sonora pra aumentar o suspense e tal, fotografia muito boa e um ar sarcástico cômico em tiradas muito interessantes. Esse é daqueles filmes que com o passar dos anos ficará imortalizado e não nos cansaremos de assistir Meus parabéns ao Neill Blomkamp e ficarei torcendo por seus próximos filmes desde já, sucesso. Nota 10.

Gostei muito dessa crítica. De todas que eu li foi a melhor disparada. Achei o Filme muito bom! Blomkamp gosta de tratar da temática social em seus filmes. Em 'District 9' o tema central foi o da segregação. Os vários tipos de 'Apartheid' que de certa forma e infelizmente existem na sociedade. Em 'Elysium' ele trata a questão do acesso e da inclusão de todas as pessoas a um sistema de saúde público. Neste filme 'Chappie', ele trata o tema da delinquência infantil e juvenil. Explora isso a fundo. Quem assistir ao filme, basta substituir o CHAPPIE por uma criança que esta crescendo e se desenvolvendo em uma situação de risco nos guetos, favelas e na miséria que será possível enxergar com nitidez mais essa crítica social do Diretor. Chappie passa por alguns dos muitos perrengues que uma criança nestas condições também enfrenta. Sendo usadas e trapaceadas por criminosos para que atenda aos seus próprios interesses, como também pelo próprio sistema, que também usa da repressão. Ele também trata da questão da programação da mente humana. Partindo da idéia de que ninguém nasce mau e sim torna-se mau, e pricipalmente, devido ao tipo de programação que recebe. Mas como a mente tem o livre arbítrio, sempre existe uma chance de mudar de software e escolher um outro programa que socialmente falando, tenha menos efeito colateral. Enfim, tirando alguns defeitos técnicos e um ou outro furo de roteiro , daqueles que nao comprometem seriamente a trama, achei justa a nota 3. E o final do filme - tal como em District 9 - abre espaço para continuações. Tomara que aconteça e que essa genial premissa possa ser cada vez mais aprofundada e elaborada.

Credo, não lembrava que os intelectualóides do Omelete haviam dado 2 ovos pro Distrito 9.

O diretor é repetitivo, mas ai é um problema dele, se o cara só souber fazer isso, e dai ? Os atores são bem fraquinhos mas não vi esses buracos no roteiro como disseram. Tem uma temática séria mas teve muitos momentos divertidos, e ao final tenho certeza que muita gente fez a sua reflexão sobre a questão de quem sabe, posssamos fazer transferência de consciência. Não tenho esse olhar crítico de crítico do Hessel, mas 03 eggs tá de bom tamanho.

Distrito 9 ainda é o melhor Hessel, e não esquecerei os 2 ovos... Até agora lembro das palavras de Chappie para seu criador. É uma excelente discussão, faltou mencionar isso aí. Não gostei do estilo "rapper", mas foi opção do diretor. Não gostei também do vilão, muito exagerado, como em Elysium. Mas o filme trás ótimas discussões, é redondinho, e muito bem dirigido. Efeitos especiais sempre muito bem feitos. 4 ovos tranquilo.

Pra mim quatro ovos seria mais justo!!!

Haters gonna Hate! o filme é excelente!

Três ovos merecidos, nem mais nem menos! O filme lembra bastante ROBOCOP, com os dois engenheiros rivais, o robô aparentemente perfeito q a certa altura se une aos humanos, eq na reta final acaba perseguido pelo robô do engenheiro rival! O interessante é como o Chappie se comporta como uma criança e a referencia q isso faz a própria educação d uma criança, embora em determinados momentos Chappie esteja mais pra um animal q acabou d ser adotado, doq pra uma criança! Blomkamp não consegue apresentar algo original como DISTRITO 9, mas pelo menos não fica apenas na intenção como fez em ELYSIUM, e mostra q esta no caminho certo!

O tema foi muito válido, porem falhou em tudo. Basicamente colocaram atores que chamam o público para tentar abocanhar alguns milhões e salvar um roteiro com muitas falhas de lógica irritantes, coitado do diretor pra tentar resolver tanta incoerência. Abraço! =)

Mas se um filme te "ganha pela história", por que tu não assiste prestando atenção na história ao invés de ficar olhando e se preocupando com o homem sem camisa? Quando estamos bem com nós mesmos, nada disso que vc falou tem a MÍNIMA importância. Fica a dica!

Boa Critica. eu gostei

assisti ontem. o filme é bom. ele aparenta ser cafona. Mas depois que vc sai do Cinema, fica algo circulando em sua mente. isso é bom.

Concordo com a crítica, mas acrescento um ovinho a ela. Achei ótimo!

Filme ótimo, critica horrível, tudo que o diretor quis apresentar de inovador, foi que a inteligência artificial se iniciaria como uma criança e teria o mesmo confronto moral dos seres humanos, a religião (o criador), os conselhos do pai, da mãe e como esses conselhos se chocariam em suas decisões. Filmaço que merecia 4 estrelas. Agora essa crítica cor de rosa, sem pé nem cabeça do Hessel, além de ser pretensiosa, nem de longe reflete o filme, suas influências e a intenção do diretor. 2 ovos para sua crítica Hessel.

Também assisti ontem. O filme é muito bom e engraçado, vale a pena!

Assino aonde?

Bom, quando vc tiver um filho e ele começar a se comportar de maneira inusitada, pode chamar ele de burro tb.

Assisti o filme e digo q Blomkamp acertou em cheio nesse filmaço. Já esperava q seria muito bom e deu a lógica. SENSACIONAL o filme. Desde a trilha até as ideias de Chappie vendo onde acreditar ou não e em quem acreditar. A personagem de sigourney weaver diz "um robô que pensa será o fim da humanidade". Será? O filme levanta vários pontos em questão. A cena dele imitando os trejeitos dos malandros é mt onda. Eu ri demais. O robô do início ao fim do filme é cativante. Suas angústias, seus medos, suas "soluções" para resolver os problemas da sua "mãe" e "pai" como a inocência de uma criança q busca somente o bem estar paternal. Desde Distrito 9 sou seu fã Blomkamp, e estarei nos cinemas acompanhando seus próximos trabalhos. Um jovem Diretor muito talentoso e inteligente. FILMAÇO VÉI. FILMAÇO!!!

HAAHAHAH sabia que quando vi 3 ovos a critíca seria do hessel! O filme está sendo um fracasso.

Assisti hoje e resumo em uma palavra: ESPETACULAR. Filme que superou as expectativas sim e muito. Chega a ser emocionante. A cena onde Chappie é espancado e pede para pararem é de emocionar qualquer um... e depois o final, então... Minha sugestão: assistam. Vão sem medo. É um ótimo filme de ficção, que mostra bem o mundo e as relações atuais, com emoção. Dá pra sair pensando bastante do cinema.

Assisti hoje..e valeu a pena...não e cansativo..recomendo..achei interessante como distrito 9..

Neill foi muito assertivo em Distrito 9. Fui de mente aberta para o Chappie e mesmo assim o filme não é tão bom assim... A melhor atuação é a do ator que fez o robô. Grandes atores mas sem conexão com o núcleo principal fazendo elos fracos de relacionamento,... Se o filme fosse pelo caminho dramático - fotografia e cenas em câmera lenta - seria tão bom quanto o primeiro do diretor. Três ovos tá perfeito.

O Filme é boboca demais para os adultos, e com um tom errado/desconectado aos mais jovens. Péssimo trabalho do Blomkamp. O Hessel deve ter aumentado seu uso de drogas... porque, né!

de fato!!! não vou pagar para ele se fazer de símbolo sexual... que vão as mulheres assistí-lo sem camisa ^^ em 3 mad max mel gibson não fica tirando a camisa... em rocky o stallone não fica tirando a camisa e olha que é uma série de luta de boxe... não gosto! não vou ao cinema para ver isso e sim apelar para a atração sexual de um ator para atrair público me faz ir contra a maré e passo longe de filmes assim... um filme me ganha pela história, não por um rosto famoso que gosta de ficar pelado ¬¬ Hugh Jackman é ator de G Magazine...

"PAS-SA-DA"

Assisti o filme ontem na estreia, li a critica e fiquei meio desconfiado, mas posso garantir que o filme é muito bom! Tem muitas cenas engraçadas e de ação. Garanto que não vão se arrepender.

Acabei de sair da sala de cinema, esse filme é muito ruim!!! Eu realmente torci contra os personagens principais. O "Chappie" é a inteligencia artificial mais burra que já vi. Só não estou mais revoltado com o filme porque eu e minha namorada rimos bastante..kkkk

Hessel também ama o Fassbenga , Interestelar e A Origem, kuaskuaskuas.

Nada da ccontinuação de Distrito 9...uma pena!

É o filme mais fraco desse diretor, Distrito 9 continua sendo superior.

Mais do mesmo, é bem capaz dele fazer esse habitual trabalho dele com o filme do Alien também.

Sinceramente, não me parece que esse filme seja tão bom assim... Quando der vejo em casa...

rsrsrs! Pois é... que interessante, né! Pra ti isso é um fator determinante, ponto. Ok! Pra ele, simplesmente, não deveria ser um fator relevante, muito menos determinante e... ponto.

engraçado porq vc só lembra do Hugh sem camisa e ainda pensa nisso como fator determinante pra ir assistir ou nao, quer dizer...

Só o gostoso do Hugh já vale o ingresso! Verei com certeza!

Eu já achei ruim só vendo os trailers. Se o filme não me convence nos trailers, como vou pagar 30 conto no cinema pra ver?

hugh tem mania de ficar tirando a camisa em seus filmes. se ele faz isso nesse filme também não vou pagar R$30,00 num cinema nem a pau ¬¬ fico no aguardo de avengers , mad max, Jurassic Indiana Park...

Do Tiago Belotti ?

semanas atras o hessel chamou blade runner de supervalorizado. no fundo eu sabia que ele só tava querendo chamar atenção. Hessel ama blade runner kkkkkkk

Outra crítica que vi (em vídeo) fala que é o pior filme do Blomkamp (não apenas em proporção aos outros, mas como filme isolado seria muito ruim), e como o crítico em questão tem opiniões muito mais próximas das minhas que o Hessel, cujas opiniões vivem divergindo das minhas, eu acho que vou deixar esse filme passar.

Foda-se vingadores eu quero ver é chappie

Ficou interessante essa crítica do Hessel. Ela passa um entendimento diferente das coisas. Pena que Chappie passe antes de Os Vingadores....

FODASSE ESSE FILME QUE EU ESPERAVA... VOU PASSAR O FINAL DE SEMANA INTEIRO VENDO O TEASER DA DROGA DO BVS.. Brincadeira. Vou ver esse filme. Sempre gostei dos trabalhos desse cara. SEMPRE.

Ok Neil, vamos sair do cyberpunk agora

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus