Cinquenta Tons Mais Escuros
Filmes - Romance, Erótico
Cinquenta Tons Mais Escuros (2017)
(Fifty Shades Darker)
  • País: EUA
  • Classificação: 16 anos
  • Estreia: 9 de Fevereiro de 2017
  • Duração: 117 min.

Cinquenta Tons Mais Escuros | Crítica

De olhos bem abertos

Tudo que Cinquenta Tons de Cinza precisava era de um diretor de thrillers baratos, e a melhor decisão que os envolvidos poderiam tomar era contratar James Foley para a continuação, Cinquenta Tons Mais Escuros. O diretor entende o potencial do material de E.L. James - que sempre foi comportado demais para virar um softcore decente - e cria neste segundo filme uma farsa perfeita para os nossos tempos de cinismo.

Como bom diretor de aluguel, Foley não ostenta. A primeira cena, um flashback da infância de Christian Grey, sublinha o dilema caricaturalmente edipiano que serve de tema ao longa, um protocolo narrativo para sintetizar todo o conflito que agora marca a vida de Anastasia e Grey, namorados que em momento algum deixam de ser polos opostos num jogo de poder. O flashback, porém, parece muito mais próximo de um filme de terror do que de um drama - a opção pelo tom sépia, a ameaça que busca o garoto debaixo da cama - e é essa marca que Foley secretamente imprime ao filme, a do horror.

Porque, uma vez superados os pudores de SM de Anastasia, este 50 Tons parece liberto para lidar com o horror mais profundo da série: a entrega da donzela que se anula conscientemente por uma fantasia de luxo e felicidade no mundo dos homens. Foley não faz um thriller erótico no sentido tradicional, como o grande público habituou-se a assistir com Kim Basinger ou Sharon Stone nos anos 80 e 90, e sim um suspense que se sabota o tempo todo com alarmes falsos - a presença da jovem que reaparece pálida como uma fantasma de Submissões Passadas, a do chefe psicótico que tem escrito "assédio" na testa, a da velha mestra imobilizada pelo botox a quem só restou o papel de esfinge misteriosa - para injetar em Anastasia o pior dos pavores, aquele que prescinde de uma ameaça consumada.

Essa condição normalmente levaria à paranoia, e a pobre heroína se veria devorada pela dúvida. O grande lance diabólico de Cinquenta Tons Mais Escuros é que Christian Grey - embora carregue sempre neste filme aquela barba por fazer, típica dos pequenos vilões - não se presta em nenhum momento às teorias da conspiração, que enfim dariam às incertezas de Anastasia uma válvula de escape. Quando Grey desaparece numa "reunião em outra cidade", ele sequer dá margem a clássicas suspeitas de traição, porque não é um adúltero e sim um ícone do 1% - e ainda retorna como um Tarzan triunfante depois de atravessar uma selva a tempo da ioga matinal.

Se este filme fosse um daqueles suspenses baratos de Supercine, o galã se revelaria um assassino em série depois de conquistar a mocinha com sua incomensurável virilidade. O próprio James Foley já fez esse filme, Medo, em 1996, e de certa forma repetiu a dose dirigindo episódios de House of Cards. Mas Cinquenta Tons Mais Escuros, um thriller desestabilizante e quase ontológico sobre sua própria capacidade de manter suspenses, tem outras intenções. Anastasia Steele se blinda no autoengano, cercada de tipos falsos que homogeneamente atuam no artificialismo, das amigas histéricas aos senhores benevolentes da editora de livros, e com eles traça um sinistro pacto de condescendência que, impregnado pelo mal estar dos podres de rico, contamina o mundo ao redor.

Por trás da superfície evidentemente ridícula de 50 Tons, com seu ostensivo humor (in)voluntário, há uma farsa sobre resignação. O filme tem plena consciência disso, mas o único indício de que os personagens têm alguma noção do seu próprio ridículo é quando Anastasia responde ironicamente aos comandos de Grey - uma concessão mínima que o filme faz para não desmoronar com o peso da própria encenação e para se manter funcionando sob as mesmas regras, até o final. Depois de brincar de Bridget Jones, de filme de assédio, de exercício metalinguístico (melhor que a presença de Kim Basinger, só se Joe Eszterhas tivesse uma ponta no filme), Foley estaciona no conto-de-fadas, gênero desvirtuado aqui com um gostinho de misantropia no melhor estilo Paul Verhoeven, cineasta para quem a tal beleza americana antes de mais nada era uma questão de feiura.

Nada impede que o terceiro longa abrace a violência do thriller erótico americano tradicional, em que o pecado do sexo sem culpa se pune com a morte, afinal. Como todo personagem aqui se comporta como se fosse o suspeito em potencial de eventuais crimes passionais, do latino da friendzone à gerente de RH, seria a resolução mais feliz se 50 Tons terminasse como o último capítulo de A Próxima Vítima (a novela), num grande baile de convidados desmascarados, dedos apontados e horrores consumados.

Talvez Grey morra, redimido na dor, ou chacine a todos com brinquedos de grife de calibre mais alto, o sadismo derradeiro, ou tudo termine com Anastasia Steele reconhecendo seu alpinismo social - e vivendo em paz com isso. Por enquanto, o que temos é uma história prenhe de um potencial de destruição, mantida no teatro mais sinistro, ainda que dormente, de uma Seattle que poucas vezes esteve tão melancólica, cuja paisagem é marcada no fim do filme não pela lua cheia agigantada dos amantes, mas dos amaldiçoados.

Nota do crítico (Ótimo) críticas de Filmes
 

e vamos concordar ele escolheram pra interpretar a Ana, uma atriz que parece ser desprovida de emoção ou interesse. A Ana dos livros é mt mais interessante. (e olha que eu nem gostei mt dos livros)

quanto a cena em questão acho que se a propria autora tivesse se aprofundado melhor teria sido interessante ver esse drama

eu li o livro e acredite se quiser essa parte tem sim, pra ser sincero o filme está bem fiel aos livros, o problema é que os livros não são bons. Mas se quem é fã gosta entao concordo com vc.

Sarcasmo.

Criério que ele n vai ta sendo sarcastico no texto.

Esse filme não merece nem os dois ovos do Grey

Putz... essa parte que você mencionou realmente é absolutamente inverossímil. Total razão a você. O roteirista vacilou aí. No entanto duvido muito de que no livro isso tenha ocorrido. De qualquer modo, não achei o filme ruim a ponto de se atribuir uma nota ZERO. Não dá para cobrar desse filme algo que nem sequer a autora do livro conseguiu fazer (todos os 3 livros são fraquinhos) O público de 50 tons de Cinza é fundamentalmente feminino e não dá a mínima para esses problemas de incoerência observados por você no roteiro, desde que haja romance entre Anastasia e Christian. Evidentemente, essa constatação não justifica as falhas de roteiro, mas coloca o filme em sua real dimensão: um romancezinho com toques de BDSM (e quem é adepto da prática, deve estar puto com as distorções trazidas pela autora do livro -- uma relação BDSM seria mais saudável e respeitosa que a relação amorosa dos protagonistas de 50 tons). Em suma, 50 tons cumpre seu papel e atinge em cheio esse público, portanto não o considero um filme ruim.

Marcelo Hessel tá de brincadeira! No filme o Grey sofre um grave acidente e do nada ele aparece são e salvo sem explicação nenhuma, em apenas 1 minuto a família desesperada vai embora!! Toda feliz!! E o cara vai direto pra relação intima! kkk Sequência sem pé nem cabeça, filme vazio e começa do jeito que termina! Nota Zero!

E que crítica maneira, hein?! Melhor que o filme, talvez hahahhaa

Concordo plenamente! É aquele tipo de filme pra assistir como total distração, que não te obriga a pensar muito, Filme bom pra esse gênero.

Não li livro e não assisti ao primeiro filme, mas existe histórias dentro do filme que poderiam ser abordadas de uma maneira mais profunda, Mas o que vende o filme é o que exatamente ele mostra, então pq ir contra a industria? A história é boa, mas poderia ser abordada de maneira diferente. No mais o filme não é ruim, mas é muito direto em trechos que poderiam ter sido mais aprofundados.

Assista Fifty Shades Darker Full Filmes Online Grátis HD Http://lezon.zoinclick124.com/movie/tt4465564/fifty-shades-darker.html

Você tem razão em tudo. Há muito de ridículo nas personagens e no enredo. Mas 50 tons de cinza deve ser assistido como a um conto de fadas. Todo mundo sabe que as personagens inexistem, que nada daquilo é verossímil, mas assistimos e gostamos mesmo assim.

Gente... pelo amor de Deus! Os livros, pelo que andei lendo em resenhas, já eram bem fraquinhos. Esperavam filmes melhores que isso? Por favor! Esses filmes devem ser assistidos em sua real dimensão: PURO ENTRETENIMENTO! São, até certo ponto, COMÉDIAS (toscas?). Eu gostei dos dois filmes. Ambos fraquinhos! Nem todo filme tem de ser CABEÇA. Em tempo, quero elogiar a resenha crítica do filme, de autoria de Marcelo Hessel: sarcástica, irônica e muito bem escrita. Adorei!

Assisti os dois filmes e posso dizer que o primeiro mesmo sendo ruim, conseguiu ser melhor que o segundo. Em algumas partes do cinquenta tons mais escuros senti realmente vergonha alheia! Um filme totalmente fraco e de certa forma bem fantasioso. Tudo é resolvido de uma hora para outra, o cara tem um trauma de infância é bilionário e em 27 anos de vida com a grana que tem não procurou um psiquiatra para resolver seus traumas. A mocinha aparenta ser desgraçadamente virgem, inocente, tímida e o escambau e de uma hora para outra até bolinha de metal enfia na xuranha e pede pra se castigada. Nem as cenas de sexos despertam algum comichão! A galera que tava assistindo o filme comigo também deram risada em algumas partes. Sério, bem fraco.

kkkk... eu particularmente gostei de todos os livros (aquele romantismo sacana, melado e cheio de frustrações dos envolvidos). Uma historinha romântica de ficção. Mas o-s filme-s, pelo amor de Deus! A impressão que tive era que não tiveram dinheiro suficiente para produzi-los. E alem de tudo, o Jamie Dornan não estava se sentindo muito à vontade para pegar "de jeito" a Dakota. Na parte final do filme mesmo deixou muiiiiiiitoooooo a desejar. Anastácia Steele no final com aquele vestidinho e aquele penteado..... tava mais pra chá brochante. Rsrsrsrssrsr Mas pra quem não leu o livro vai achar o filme bom. É sempre assim.

E tem o filme do Pasolini (120 dias) que é bem diferente e ao mesmo tempo não...

Eu jamais assistiria esse filme. Sugiro que leiam o material "original". Não livro, que eu também nunca lerei (alguém que confio, e é um acadêmico na área, leu e me deu um parecer já sobre ele). Mas sugiro ler "A Filosofia na Alcova" do infame Marques de Sade, que por sinal deu origem ao termo Sadismo :) Tu vai ver que a premissa é exatamente a mesma: jovem virgem inciada por homem da nobreza (na época ser nobre era mais que ser rico). Só que o tom é inteligente e não essa coisa para débeis mentais semi-analfabetos. Massa a crítica, acho que entendi o elogio ao trabalho do diretor considerando o "material adaptado". E se tu quiser mergulhar mesmo no insano mundo do sexo proibido sugiro então ler ... 120 dias de sodoma. O romance incompleto escrito em papel higiênico e outros materiais nada nobres, pelo marquês de Sade durante sua estadia no manicômio. Eu nunca consegui terminar de ler, sou muito sensível...

Ingenuidade é acreditar que ele realmente adorou o filme kkk

Deixa de ser ingênuo, rapaz!!!

Desculpa de amarelão é comer barro!! Liga-te, camarada!! rsrs

Irônico?? rsrsrsrs Quanta ingenuidade!!

Nao posemos nos deixar levar com criticas"baratas" Se gostamos do filme ou dos atores,nosso papel é acompanhar o trabalho deles,quando for bom ficaremos orgulhosos ou se nao for tao bom assim estaremos aquí para apoiar..

Sarcasmo?

Gente, crítica maravilhosa, ri muito, genial!! Me admirou muito esse filme receber 4 ovos!! Parabéns, Hessel!!

Bem, compreendo seu argumento e o seu ponto de vista, mas ele, de certa forma, contradiz o princípio do benefício da dúvida. Creio que você tenha lido o texto e assistido a live do mesmo dia onde o próprio Borgo coloca o Hessel contra a parede sobre o texto e a nota e vai notar ali que o próprio site tem seus questionamentos quanto a essa crítica. Pode ser fake? Claro! Mas eu prefiro - por inocência ou por ética, não sei - esperar uma prova de má-fé antes de emitir qualquer julgamento. Na maioria das críticas do Hessel que eu li e vi o filme, concordo massivamente com o ponto de vista dele, inclusive daqueles aspectos mais divergentes com outros críticos de internet. Isso, pra mim, é credibilidade. O site já foi patrocinado por meses pela Warner (com o logo da Lexcorp, inclusive, no principal) e a crítica sobre BvS foi pesadíssima aqui. Essas coisas, pra mim, são evidências. Ultimamente, as pessoas tem feito julgamentos muito mais por uma pré-disposição e um pré-conceito do que por evidências. Em um mundo hater, é importante não esquecer de valores éticos antes de apontar o dedo. Não estou defendendo Hessel ou site sobre esse ou qualquer outro filme. Concordo e discordo deles em igual proporção e acho que essa é a função de um veículo de comunicação - dar subsídios para você refletir, não ter que dizer a mesma coisa que o leitor ou outros veículos para, de alguma forma, ser validado. Mas discordar não é motivo para desmerecer o trabalho de ninguém. Ninguém estaria questionando a crítica positiva de um filme com banner na capa do site se ele fosse queridinho. Desmerecem pela pré-disposição a odiar.

Não, mas quando você sabe do que se trata o filme, conhece o filme anterior e tem incontáveis opiniões de pessoas que entendem sobre o assunto concordando que é não só é ruim, mas um dos piores filmes já feitos..... e aí você adiciona ao fato de que, ao abrir o site, você dá de cara com um banner gigantesco com o trailer desse mesmo filme que, sendo contrário à imensa maioria dos outros críticos, esse site vangloria... Sim, você começa a suspeitar da credibilidade do que está sendo escrito.

Então uma crítica só é válida e os argumentos só servem se for igual a outras críticas? E um comentário aqui só pode ser validado pelo textos de terceiros em outros sites? Quem discorda não poderia, por um acaso, ter uma opinião embasada para discordar? Ou o importante é só ser hater mesmo?

Na boa, respeito todas as críticas. Mas elas nunca me fizeram ver ou não um filme, até porque prefiro pensar com minha própria cabeça. Se algo me chama a atenção, vou lá e assisto.E outra, filmes/livros ou até mesmo músicas, são estritamente pessoais. Já vi um filme duas vezes, odiando-o na primeira vez e amando na segunda. Tudo vai do teu dia, da fase a qual tu está passando, da tua identificação. Então...segue a lei do "relativismo".

Amigo, não é questão de ter alguém pra te ensinar se o filme é bom ou ruim. É apenas esperar uma análise geral do filme a respeito dos aspectos básicos, roteiro, aspectos técnicos, etc, e assim decidir se assiste ou não. Já fui convencido a assistir filmes que nem pretendia por ler críticas, e desestimulado a assistir outros que inicialmente queria ver. E análise acima não me dá base nem pra isso. Na minha visão, a crítica se preocupou mais em rebuscar e ironizar do que fazer uma análise franca do filme.

Essa crítica fez uma análise do filme. A partir dos pontos que o autor achou relevante para a leitura dele. Caramba pessoal, parece que vocês não têm opinião própria e precisam de alguém pra dizer se o filme é bom ou ruim. Assistam o filme e tirem suas conclusões, se gostarem procurem saber porque gostaram, se não gostarem procurem saber o motivo também, pensem um pouco e criem argumentos. Bom ou ruim varia dependendo da pessoa e dos padrões dela, se você acha que um thriller erótico besta é ruim sempre não importa qual, ok (mesmo que seja bem preconceituoso), mas entenda que outra pessoa possa ver aquilo como algo irônico é interessante. O papel da crítica é traçar uma análise de uma obra. Qual a proposta da obra? Como a obra alcança ou não essa proposta? Faz isso de forma pertinente ou não? Se você lê a crítica e acha interessante esse trabalho apontado na análise, assista, se não interessa, não assista. Crítica não é questão de opinião, bom ou ruim, isso cada espectador que sabe.

Acho complicado uma crítica cinematográfica que tu lê e ao final não sabe ao certo se o autor achou o filme bom ou ruim, ou tem que fazer um esforço enorme pra entender. Me guio pelas críticas e as leio para encontrar a opinião honesta de alguém que entenda do assunto muito mais do que eu. Mas a crítica acima simplesmente não diz claramente se o filme é bom ou ruim. Trollar, rechear de ironias, poxa... custa fazer uma crítica honesta? Dizer se o filme é bom ou ruim e o motivo em vez se preocupar em produzir um texto difícil de decifrar ou apenas provocar haters? Enfim, apenas tentando construir. Sempre gostei o site e os desenvolvedores, inclusive o Hessel, mas já migrei faz algum tempo para outros quando pretendo ler críticas.

A entendi a do marcelo já, querendo chamar a atenção faz tempo já.

Caralho Hessel. Eu já te vi criticar muito filme que é bom e elogiar muitos filmes que são ruins. Mas dessa vez você se superou. Tu faz isso pois tem demência ou porque quer chamar atenção?

A crítica ajuda a escolher sim, não é todo mundo que tem tempo para ver 15 filmes por mês.

foi numa dessa q eu me ferrei quando assisti aquele l.i.x.ã.o que foi O chamado 3... e ainda paguei 26 naquilo

É por isso que as pessoas devem assistir os filmes para tira suas próprias conclusões ,e não ficar decidindo o que assistir ou não pelas críticas

É o melhor jeito de ver ;)

Pelo que entendi o filme é tão tosco que diverte, tipo essas produções dos anos 80! Vou ver se confiro amanhã à noite

Não sei se por se tratar do meu livro preferido da trilogia eu tenha criado expectativas demais, eu entendo que não dá pra colocar todas as cenas, mas eu realmente esperava pelo menos um pouco mais de química entre os personagens :/

ISSO MESMO!

Hahahahaha não sei o que é pior: Hessel trolando na critica ou os idiotas caindo nela aqui nos comentários.

Que bom jovem, está progredindo então.

Pra mim é amadorismo demais fazer uma crítica irônica como essa, as pessoas procuram por críticas sérias e construtivas. E isso deixou todo mundo confuso e sem saber o que achar do filme.

Cacildis, irmão, eu ia comentar isso agora, tu mataste a pau (ooops! Piada involuntária)!

Hessel monstro sagrado, cada dia uma nova piada.

GO . IMDBMEMBER . COM

Vai que ele tenta dar uma de rebelde e acaba me xingando sei lá. O negócio tá complicado mano rsrsrs

perderam a noção de critica!!!!!! De vez: estão sem crédito para uma critica dessas!!!!!

Eu acho que é isso mesmo tanto que ele falou mais ou menos isso no veredito deles no youtube que de tão espalhafatoso que é o filme ele consegue ser ''bom'' pela tentativa de se levar a sério co situações ridículas e inexplicáveis para alguém que tenha o mínimo de sensatez.

4 ovos pra um filme pífio desses? Perdeu a credibilidade, mesmo que se perceba a ironia no texto! Parece uma crítica encomendada, mais patética que o filme!!

kkkk

É Channing Tatum, te cuida, parece que a nova paixão do Hessel é o Jaime Dornan...kkkkkkkk

4 Ovos???? Omelixooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Na boa, na minha visão um crítico que tem sua opinião colocada de forma pública não pode ficar sendo irônico igual o Hessel. Pq daí ele coloca uma nota dessas pra um filme ridículo e o que acontece quando um outro filme for ruim e ele der 1 ou 2 ovos? Qual o critério?

É Irônico que numa época onde vcs mulheres defendem o feminismo com tanto afinco se sintam representadas por uma que é submissa não só sexualmente, mas economicamente e de todas as formas possíveis a um homem...

Opinião sua. Mas é Irônico que numa época onde vcs mulheres defendem o feminismo com tanto afinco se sintam representadas por uma que é submissa não só sexualmente, mas economicamente e de todas as formas possíveis a um homem...

O sarcasmo não seria completo se após a argumentação ele desse 1 ovo, não acha? Faz parte da "farsa". Rsrsrs

Hahahahahahahahahaha Em tempo de melindres, um PS reconhecendo que desenhos animados são chamados de "animações" é hilário - até pela necessidade surreal disso. Boa, brother!

Críticas são opiniões, ainda q embasadas com argumentos técnicos. Vc não precisa se sentir mau por gostar de um filme que, na opinião de grande parte dos especialistas em cinema, não passa de um produto ruim saído das profundezas do Cine Privê. Quem gosta de um produto qualquer que seja, sempre vai encontrar virtudes onde a maioria vê defeitos. E não há nada de errado nisso. Eu particularmente me incomodo com um tema como o abuso sendo glamurisado nesse filme, além de achar as sexas de sexo fracas, mas é apenas a minha opinião. Have fun! ;-)

4 ovos pra isso ?

Caçador de trols é a aquele desenho da Netflix ? Perai né mano, aquilo ali é coisa pra criança com menos de 10 anos, ainda que deva ser melhor que essa porcariaa de filme, não vejo sentido em fazer crítica pra desenho infantil. PS: sei que é uma animação.

Novamente. Fizeram a critica disso e não fizeram de Caçadores de Trolls? Descendo radicalmente no meu no meu conceito omelete.

Que ganharam dinheiro kkkkk

Não se da nota 8, na ironia, mesma coisa que um aluno escrever absurdo na prova e da nota 10 para ele e que se esforça tira 8. Perdi minha credibilidades, nunca mais vejo as notas do omelete, mas vou continuar vendo as notícias e vídeos.

Perdeu credibilidade na minha opinião, e ainda vejo propaganda do filme no site, onde, as criticar especializada no mundo está dando nota 3.

Acho curiosa essa catarse geral em odiar o livro / filme.

Vocês levam a sério demais. Acho que dentro da premissa do filme, é um ótimo filme.

Adorei a crítica, ri horrores pq ele tem razão em tudo o que disse...mas, convenhamos Hessel, 4 ovos?

Mas se o filme é uma porcaria, por quê 4 ovos ????? Aí, os 'gênios da raça' falam "dã...não viu que ele foi irônico ?" Ironia...coloca logo aí nem a clara do ovo que todo mundo acha que esse filme merece. Eu não costumo ler críticas do Omelete, mas na desse filme fiquei curiosa:O crítico sempre trabalha dessa forma em cima de algo que ele não gosta e que sabe que a maioria dos leitores do site também ? O cara coloca os argumentos que na visão dele mostram sua superioridade intelectual para resenhar algo e no final brinda o leitor com um "Yeah yeah, pegadinha do Malandro!" colocando os tais dos 4 ovos...que ironia mais tosca essa.

Na verdade a questão é mais profunda, esse tipo de filme funciona como gatilho pra muita mulher ganhar auto estima com sua sexualidade, ai como tem uma clientela publica assumindo o gosto e incentivando, a coisa só tende a ganhar força.

Sem um pingo de curiosidade pra saber como será esse filme. Há milhões de livros que precisam ser adaptados para o cinema, já deu esse negócio de só romances eróticos ou adolescentes... E olha que no passado já gostei de Crepúsculo hein, já hoje vejo que a Bella dos livros e filmes era uma personagem muito, muito, milhões de vezes muito chata e insossa...

Concordo com você. O filme tem que ser mais compacto, por isto ``roubam`` cenas importantes que explicam melhor a história de amor, dor , sadomasoquismo e superação de Ana e Christian. A leitura nos dá mais detalhes, imaginamos ao nosso bel prazer cada personagem, lugar e situações de forma que mais nos agrada, subjetiva. O filme retrata a visão de outras pessoas. Entendo e concordo com a limitação das cenas de sexo; se fossem fiéis à trilogia teria de ser classificado como pornô. E não é o caso, há sentimentos nobres e traumas envolvidos. O príncipe que não é tão perfeito, inconstante e carregado de mistérios obscuros. A donzela que se vê em busca do seu lugar ao sol no mercado de trabalho e ao mesmo tempo ter de lidar com um relacionamento tão complexo para sua pouca experiência de vida. Como um conto de fadas, mas com um toque contemporâneo de realidade e de mazelas que poderiam afligir qualquer um de nós. Talvez por sua limitação de minúcias os filmes não agradem tanto quando os livros.

Sabe o que é pior ? Tem Mulher adulta, não estou falando de menina pirralha adolescente 15 anos, estou falando de MULHER ADULTA DE 30 ANOS ! Algumas, não todas ! Vai lá, assiste o filme, e sai do cinema como uma nova mulher ! Sabe por que ? Por que ela sabe que: Embora não tenha um corpo de modelo ou seja atraente, ela vai COM CERTEZA encontrar um Christian Grey da vida, bonito, rico, com carro, com helicóptero, Segurança/ Mordomo Jason Bourne e o d#abo a quatro. O resultado dessa história, alguns já sabem.......... 50 anos, solitária, morando numa casa cheia de gatos, ouvindo Alexandre Pires e Pepe e Neném nos finais de semana, e questiona-se por que o Christian Grey nunca apareceu nas Baladas que ela frequentava......... Que Beleza, né ? A propósito, ao invés de culparem os homens nesse caso, coloque a culpa na escritora do livro por crime de ilusão, afinal o que esperar de uma senhora de idade que há pouco tempo atrás fazia FanFic de Crepúsculo na internet ? Mas convenhamos, ela consegui ficar Rica escrevendo 3 livros de Soft Porn VENDENDO HORRORES ! Ela merece o crédito Zeca Urubu da década !

o pior é que no veredito ele acaba com o filme? alguém me explica essa ambiguidade?

leia a critica.

aposto q nem leu o texto.

é um 4 ovos irônico.

4 Ovos? Imagine um grande amigo seu que não vê há anos. De repente o encontra, mas só tem 10 minutos pra por o papo em dia. Esse é o filme. Rápido, superficial, e cansativo. O filme justifica uma cena sépia de 2 minutos a um passado sombrio do sr Grey, num minuto Anastasia não quer ver nem o cara na frente, no outro está morrendo de amores. Personagens superficiais que amam ou odeiam o milionário em minutos sem explicação. Pornô soft fraco, chato, previsível e enjoado.

Que a maioria dos que comentam são incapazes de entender ironia e sarcasmo

Você não entendeu:este filme É MESMO de sacanagem.depois que você deixa a sessão,você descobre que os produtores do filme fizeram uma grande sacanagem...COM VOCÊ E COM OS DEMAIS ESPECTADORES

Ele prova que com um bom jabaculê (ou seja,suborno),se faz uma crítica favorável...

Pera aí,truta.Cê tá dizendo que essa bagaça merece 4 OVOS?? o primeiro filme foi fraquinho pra caramba. Até o anime hentai mais mequetrefe consegue ser mais excitante. O segundo filme consegue ser AINDA MAIS BROXANTE QUE O PRIMEIRO. Quem foi que subornou o crítico?

O que o Hessel quer provar com uma crítica dessas?

Exatamente do início do vídeo até aos 9 minutos e 30 segundos para ser mais claro.

"Danny Elfman é responsável pela trilha sonora". Tá de sacanagem!

Putz, é um vídeo de 46 minutos. Diz aí o tempo do trecho em que ele pega no pé por conta do filme

Graças ao Hessel descobri que este filme é um thriller desestabilizante e quase ontológico!

Ah agora entendi o porque de quatro, gazela gosta de ovos...

Vocês ainda não entenderam que ESSE CRÍTICOZINHO cria essas críticas polêmicas pra alimentar o acesso ao site não? Não entenderam até hoje como funciona isso aqui? Pelo amor de Deus né. Vocês ainda estranham alguma coisa?

kkkkkkk realmente é cômico, e ao pé da letra 4 ovos significa um filme quase perfeito kkkkkkkkkkkkkkk, eu desisto da leiguice humana...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 4 ovos, tá de brincadeira? Repitam todos comigo, LEIGOOOOOOOOOOOOOOOO

Não! Ele não fez isso...

kkkkkk chega a ser cômico os críticos do omelete, ate um porno do xvideos tem mais roteiro q esse filme.

Hessel, não quero que meu comentario pareça homofóbico, mas depois da crítica do Magic Mike. XXL e agora essa aí, acho que você está deixando sua orientação sexual influenciar no seu trabalho como crítico. Se vc reparar nos comentários dos demais, verás que virou piada.

Galera, assistam a live do omelete, Érico Borgo ficou 9 minutos e meio pegando no pé do Hessel com essa crítica ridícula kkkkkkk. https://youtu.be/6C6JOQUgnoA

É a primeira vez que concordo com Trump em algo, kkkkkkk

Tá aí, uma boa sugestão!!!

De verdade, tem como levar esse cara a sério?

ÓTIMO??? kkkkkkkkk

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus