Ela
Filmes - Drama, Comédia, Romance
Ela (2013)
(Her)
  • País: EUA
  • Classificação: 14 anos
  • Estreia: 14 de Fevereiro de 2014
  • Duração: 126 min.

Ela | Crítica

Spike Jonze cria seu sci-fi romântico e coloca Scarlett Johansson como a musa do futuro

Em A Vida Secreta de Walter Mitty, o protagonista interpretado por Ben Stiller tem uma paixão platônica por uma companheira de trabalho, mas decide uma aproximação menos direta, utilizando um serviço online de encontros. Ele passa, então, a viver aventuras sem fim, com a finalidade única de ter um perfil capaz de impressionar sua Julieta. O cenário criado por Spike Jonze em Ela (Her, 2013) é diferente: e se existisse um mundo em que você não precisasse fazer tudo isso para conquistar sua cara-metade? E se tudo o que bastasse fosse criar alguém que te entenda do jeito que você é, vá aprendendo dia após dia como te fazer feliz e a ser feliz também?

O roteiro de Jonze mostra Theodore, um escritor deprimido (Joaquin Phoenix), ainda dolorido com a separação daquela que ele julgava ser a mulher de sua vida (Rooney Mara). Infeliz com tudo ao seu redor, ele acaba equipando seu computador com um novo sistema operacional, que possui uma inteligência artificial que aprende e evolui baseado nas respostas que recebe, as intonações de voz, os suspiros e tudo mais. Detalhe, o tal computador que ele liga diretamente no fone de ouvido se chama Samantha e tem a voz rouca de Scarlett Johansson, que fica sussurrando palavras ao seu ouvido. Bastam algumas atualizações para que Theodore volte a sorrir e esteja completamente apaixonado.

Ela recebeu cinco indicações ao Oscar 2014 - Melhor Filme, Melhor Roteiro Original, Melhor Trilha Sonora, Melhor Canção Original ("The Moon Song", de Karen O) e Melhor Design de Produção. Joaquin Phoenix, com seu bigode, óculos e insinuante nariz, parece aquelas máscaras de criança, mas sua atuação é impecável. Se Sandra Bullock foi indicada por Gravidade em um papel em que basicamente reage à voz de George Clooney, Phoenix poderia muito bem estar entre os cinco da categoria de Melhor Ator. E não foi exagerada também a campanha que o estúdio fez para que Scarlett conseguisse também uma vaga no prêmio da Academia de Artes de Hollywood. Sem aparecer em cena é possível "ver" o poder de sua atuação como a temida máquina que pensa e sente.

O roteiro vai mostrando - e questionando - o que é um relacionamento. Theodore poderia mesmo estar apaixonado por um sistema operacional? E quanto à paixão demonstrada pela máquina, existe algo de real ali ou tudo não passa de uma programação avançada? Vale aqui o exercício: poderiam os responsáveis pelo tal sistema operacional inteligente ter criado algo realmente emotivo ou será que eles apenas montaram scripts que ensinem ao computador a aceitar os defeitos de seus usuários e aceitá-los como eles são, criando assim um mundo perfeito? Aliás - última questão - é realmente perfeito o mundo em que a pessoa que você mais confia e gosta concorda com tudo o que você faz?

Disfarçado como um romance futurista, Ela vai enchendo a tela de questionamentos contemporâneos. Alternam-se nos 126 minutos do filme risos que vêm da graça e outros que vêm do constrangimento, da verdade que aquela situação estranha pode acontecer a qualquer momento com você aqui e agora, e não apenas naquela Los Angeles cheia de prédios. Afinal, apesar de toda a cara de ficção científica que Jonze deu ao filme, trata-se de mais uma história sobre relações e uma discussão sobre o que é real e o que é virtual neste mundo digital em que as interações acontecem cada vez mais através da tecnologia?

Nota do crítico (Ótimo) críticas de Filmes
 

Achei sensacional o filme, me levou a muitos questionamentos mas para mim uma certeza tb, a vida é feita de relacionamentos, eles que nos dão motivos para viver!

Acho que esses questionamentos que você faz no texto estão muito bem respondidos no próprio filme, sinceramente não acho que foi isso que o filme quis debater. Segue um video explicando melhor o filme: https://www.youtube.com/watch?v=v5IjF_vxsS8

Concordo, essa Los Angeles de um futuro próximo ficou bem charmosa hah.

O correto é "entonações" :)

As vezes você fica com a sensação de: sério que estou vendo um filme de um cara que namora um sistema operacional? Mas o filme ele é muito bem construído, envolvente, principalmente em termos estéticos, e no fim você consegue captar a mensagem que ele quer passar.

Como esse filme não foi indicado também a Melhor Fotografia? A forma como mostra Los Angeles, o uso da paleta de cores, é sensível, belo.

melhor filme do mundo

Sugiro o seguinte texto sobre o filme: https://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2014/02/13/ela-2013/ Abraço

Scarlett Johansson no meu ouvido? SIM!

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus