A Vigilante do Amanhã: Ghost in The Shell
Filmes - Ação, Drama, Crime
A Vigilante do Amanhã: Ghost in The Shell
(Ghost in The Shell)
  • País: EUA
  • Classificação: 14 anos
  • Estreia: 30 de Março de 2017
  • Duração: 106 min.

A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell | Crítica

Adaptação vai além da fidelidade e apresenta nova interpretação para o anime clássico

Em determinada cena, Major (Scarlett Johansson) precisa se afastar do barulho da cidade grande e decide mergulhar até o fundo do mar. "É o único lugar onde tenho paz", diz ela ao companheiro Batou (Pilou Asbaek). A cena de A Vigilante do Amanhã é uma representação precisa de uma das sequências mais introspectivas do anime Ghost in the Shell, de 1995.

A animação, criada a partir do mangá de Masamune Shirow, tem inúmeros momentos onde a protagonista, em silêncio, questiona a própria existência e tudo que está a sua volta. A corajosa adaptação de Rupert Sanders abraça o lado zen da obra original e o mistura com algum didatismo clássico do blockbuster hollywoodiano. Com isso, A Vigilante do Amanhã consegue manter a força da fonte ao mesmo tempo que inclui uma visão mais ocidental e menos subjetiva da trajetória de Major.

O roteiro se baseia na trama do primeiro anime para dar o ponta pé inicial. A Hanka, empresa que visa melhorar humanos a partir de peças robóticas, começa a fazer experiências para ter um modelo que tenha apenas um cérebro humano e seja 100% robô. Eis que nasce Major. Usada como uma arma pela equipe de segurança do Setor 9, uma das regiões mais violentas da megalópole na qual o filme se passa, a agente procura entender quem ela é naquele novo mundo. Se há um passado por trás daquele “fantasma” dentro de sua casca mecânica ou se ela é apenas uma máquina programada pelos cientistas da empresa.

O antagonismo da história vem de Kuze, vilão interpretado por Michael Pitt. O personagem é uma mistura de alguns inimigos vistos em outras adaptações de Ghost, mas aqui não encaixa com o senso de urgência e ameaça que um vilão merece. Com o passar do tempo, ele se torna apenas um peão no avanço da trajetória de Major. Talvez esse seja o grande defeito da adaptação: não possuir um senso de perigo constante, pois seus antagonistas não têm força ou espaço suficiente para tomar o protagonismo de Johansson. Isso serve não só para Kuze, mas qualquer outra pessoa que se oponha à personagem.

Enquanto isso, os dilemas da agente são os conceitos que o filme explora melhor. Não por explicar cada um deles, mas sim por apresentá-los e deixar que o espectador acompanhe os questionamentos de Major ao longo da história. A não ser pela explicação constante do que é o “fantasma” dentro do corpo robótico, A Vigilante do Amanhã não subestima a audiência, deixando alguns temas para interpretação após a exibição - assim como o anime de 1995. A procura pela identidade, a questão de gênero e o lugar de um ser como Major naquele mundo são discussões que o filme não responde, apenas apresenta.

E para contextualizar esse ambiente futurista há um design de produção impecável. O trabalho da Weta é digno de aplausos a cada cena. Um paraíso para fãs do anime e aficcionados por construção de universos. Dos efeitos visuais que montam uma cidade povoada por hologramas até os transeuntes cheios de braços e olhos mecanizados. Tudo parece ter sido tirado de um mundo onde Blade Runner, Mad Max e Matrix se encontraram. Há um delicioso estranhamento familiar no design de Vigilante do Amanhã. As cenas de (re)montagem de Major exemplificam bem isso, ao deixá-la indagar seu criadores enquanto carne e fios se misturam. Ansiedade e frieza juntas no momento da criação. Uma imagem forte que representa a personalidade de quem guia a história.

Scarlett Johansson ajuda nessa imersão ao sumir na pele sintética de Major. O olhar vazio e a agilidade nas cenas de ação contribuem para uma verossimilhança que não é simples de atingir. A performance é melhorada pela reviravolta que o roteiro faz para explicar os motivos de sua fisionomia, encerrando qualquer discussão sobre o whitewashing. Mais um acerto do roteiro, que apesar de não encaixar bem seus antagonistas e explicar demais um ou outro conceito, tem um saldo positivo raro em adaptações desse meio. Ghost in The Shell ganhou um filme digno de sua importância. Corajoso, fiel e diferente como deveria ser.

Leia mais sobre Ghost in the Shell

Nota do crítico (Ótimo) críticas de Filmes
 

Sem dúvida, o que mais faz falta no filme é aquela pegada das produções japas. Achei bonito, bem construído, presta bela homenagem ao anime, mas fica aquela sensação de vazio. Dramas rasos, violência sem impacto, sem estética. Vamos lá, cadê a dor da Major? Scarlet linda, perfeita, coxuda, bunduda e competente. Mas essa produção é só ok.

Quase dormir durante o filme. Cenas de ação fracas e sem impacto, historia arrastada, frases clichês e finalzinho feliz americano. Mais uma adaptação pra virar estatística.

MARAVILHOSO!!! MERECIA UMA CARTELA DE OVOS!! HAHAHAHAHAHA! (omelete e suas críticas...) O filme teve mais erros do que acertos. A ocidentalização (em minha humilde opinião) prejudicou e muito a trama. Uma necessidade constante de se explicar os fatos, uma leve romantização ao final do filme e elementos mal utilizados. Senti falta dos Fuchikomas - tanques de guerra em forma de aranha - os quais são fiéis parceiros da Major, Batou e equipe. Senti falta também de uma Major mais despojada, das brincadeiras com Batou e empolgantes cenas de ação. A impressão que eu tive, é que com tantas explicações eles estavam tentando preparar o campo para um segundo filme. Mas com o fracasso do primeiro, fica difícil.

uma das melhores adaptações que eu já assisti.

Excelente, merecia 5 ovinhos ! Quanto a baixa bilheteria, é como já dizia Morpheus em Matrix, "você deve entender que a maior parte dessas pessoas não estão prontas para acordar e muitos são tão inertes, tão dependentes do sistema que vão lutar para protegê-lo".

É por isso que ser chamado de "nerd" ou "geek" hoje em dia é ofensa das grandes. Qualquer coisinha agrada a galera.

Gostei do filme, assisti até com certa expectativa. Gostei da mudança da história, visual ótimo, achei muito boa a adaptação. Para mim que gosto de scfi e animes, tá ótimo.

No geral gostei do filme, tiveram o respeito de colocar vários personagens Japoneses e todo ambiente japonês. Tem gente que só sabe reclamar, sim sou fan de Ghost in the shell.

A gente lê todo esse texto pra depois descobrirmos que o prejuízo está estimado em 60 milhões de dólares. Essas críticas legais pra filmes que ficam de propaganda na página inicial do site... Dá o que pensar.

Se ele atuou no filme é porque quis fazer o filme... e acredito que nas cenas que o personagem dele tem uma ação, como aquela do carro em que ele usa a maleta para se defender dos tiros e a cena final, veio dele porque lembra muitas coisas que ele fez nos filmes de gangsteres do anos 90'. O roteiro é médio mas a produção do filme é impecável. A crítica fala mal por puro boicote. A crítica americana é inteira vendida, eu mesmo fico longe desses críticos americanos. Eu vi toda a negatividade desses críticos e fui ver o filme, não me decepcionei.

ele ficou sentado o filme todo kkkk da na cara que ele nem queria fazer o filme pros americanos, onde vc viu isso?

Não só o Polanski como o Scorsese fariam Tropa de Elite com maestria. O problema em um diretor estrangeiro dirigir o longa do Capitão Nascimento, é que o filme é todo calcado em diálogos tipicamente cariocas; fora isso, tudo no filme é bem convencional, bem padrão Hollywood. E quanto ao Ghost in the Shell, a culpa provavelmente é dos executivos com ânsia de controle criativo, que tinha de ser do diretor e roteirista, mas essas criaturas de estúdio só entendem de lucros, não de arte; aí dá no que dá.

Exato. E quais filmes hoje em dia estão acima disso? Creio eu, que bem poucos. Agora já foi, o filme não deve ter continuação que para mim, será uma infelicidade. Gostaria de ver mais da franquia na telona. Realmante uma pena.

"Respeito sua opinião. O filme divide, porém para mim, ele fica na média e é em comparação, um bom ponta pé inicial para este gênero" Media = mediocre

Parece que akira já esta em andamento , agora SteamBoy, Cowboy Bebop, Metropolis cara seria epico nas telonas

Respeito sua opinião. O filme divide, porém para mim, ele fica na média e é em comparação, um bom ponta pé inicial para este gênero. Confesso que não conheço o mangá, mas sei de sua qualidade. O anime fui conhecer após assistir a primeira temporada de Attack on Titan (animes nunca foram o meu forte), desde então, assisti mais de 4 vezes. É uma pena sobre a bilheteria, levei fé que o público iria comprar a ideia. Puro engano. Apesar disso tudo, espero que o investimento neste tipo de adaptação continue.

discordo quanto a respeita as ideias do original. o filme é mais raso que uma colher de chá. a scarlet foi mesmo muito bem, mas o filme é só mais um filme de aça medíocre, uma prova disso é sua fraca bilheteria. enquanto o anime e o mangá são clássicos dos seus estilos.

ótimo, sério? a crítica ignora completamente que o roteiro é frágil, fica se explicando sem necessidade, as cenas de ação são quase todas desnecessárias para a narrativa do filme, e o sentimentalismo que foi colocado no longa nua faz sentido algum. o design de produção é demais, tudo muito lindo. porém mais vazio do que uma caixa de finder ovo sem o brinquedo dentro. parece que essa crítica é puro jabá!!!

Se o Omelete ta 4 ovos, fico com pé atras

A presença do ator e diretor Takeshi Kitano é muito boa. É um personagem forte e de muita importância para a trama. Com certeza é uma das mais belas adaptações e agora entra no hall de melhores de ficção cientifica. Vale cada centavo do ingresso.

Não li o mangá, mas vi os filmes de 1995 e 2004 e assisti o anime do Stand Alone Complex e o filme de 2006. Só não vi ainda o anime do Arise e nem li os romances. Mas pelo que conheço da história, eu gostei do filme. Teve gente que reclamou que em termos filosóficos a trama é superficial, isso é fato, mas deve ser levado em consideração alguns aspectos. O filme de 1995 foi lançado originalmente exclusivamente para o mercado japonês, isso quatro anos após o término do mangá. Algo ainda recente e a empolgação ainda continuava. Além disso, é comum da cultura japonesa fazer obras que levam a reflexão, isso remonta a literatura nipônica desde o século XVII, pelo menos. O filme em live-action foi lançado em 2017, onze anos após o término do anime Stand Alone Complex e apesar de o Arise datar de 2013-2015, ele não fez o mesmo sucesso que os primeiros filmes e o Stand Alone Complex. Logo, o filme em live-action optou em levar ao grande público essa história iniciada em 1989, daí todas as referências ao filme de 1995 e o anime do SAC. Como normalmente as pessoas não curtem filmes filosóficos, tiveram que diminuir essa profundidade na trama de Ghost in the Shell, optando em deixar mais os elementos de scifi, drama e ação para assim atrair um público mais amplo, principalmente aqueles que não conhecem o mangá e o desenho. O fato de colocarem a Scarlett como protagonista também faz parte do marketing. Inclusive no filme deixa subentendido o motivo da Major não ter aparência de uma japonesa. Caso venha ter uma continuação, talvez possam aprofundar mais outras temáticas filosóficas e morais que conhecemos da série, já que não se fará mais necessário apresentar a origem da protagonista.

Sim, o mercado chines tem potencial de salvar qualquer filme. Warcraft custou 160mi. Arrecadou só 47mi nos EUA, mas 220mi na China.

Vish. Então por aí as coisas são mais complicadas. Aqui apesar de diminuir os horários e sala ainda assim vai para o convencional, liberando o 3D para os lançamentos.

Assino em baixo do que você disse, concordo totalmente.

Ou melhor, no shopping aq perto ainda não tem. Tem somente em um mais distante e diga-se de passagem, mais caro. ¬¬ vo espera, se não mudar eu espero pra assistir em casa mesmo.

Aqui onde moro não tinha no lançamento.

Eles diminuem o núm. de exibições por dia mas não mudam para outra sala convencional. É um porre! Deve ser coisa da produtora/distribuidora mesmo q deve exigir exibição somente no 3D.

Segundo o Polygon.com, "The film brought in $40 million internationally, although it has yet to open in Japan or China" O filme não estreou ainda no Oriente, não sei porque. Como lá o público alvo é mais receptivo à obra, acho que talvez role uma versão especial do filme, sei lá. Talvez consiga recuperar o dinheiro investido com as vendas orientais, e um eventual Director's Cut. Se rolar uma edição especial mais conservadora, vou querer assistir com certeza.

Eu também. Espero que o filma ganhe uma boa grana e que inspire outras obras baseadas em animes.

eu não, mas na sessão que eu tava uma mina dormiu perto de mim e até roncou kkkkkkkk

"nunca mande coelhos caçarem uma raposa!" MITOU!!

Torço para que role uma sequência hein :)

Poxa, aquela gueixa-robô é bem memorável rs E gostei tbm da sequência inicial, da criação da Major. Aquilo é lindo demais!

Eu vi o filme esse fds e gostei muito. O enredo é bem simples, mas funcional, a trilha sonora é impecável e o visual é deslumbrante. Não acho que tenha nada que desabone o longa.

Não discordo de você. O filme está em terceira bilheteria, competindo com gigantes de faixa etária ampla como A Bela e a Fera (Disney) e o Boss baby (Dream Works). O público do GotS é pequeno perto desses outros, e o filme teve praticamente o mesmo orçamento. Gastaram MUITO dinheiro com coisas que não aumentam em nada na bilheteria. Toda cena é cheia de CGI, a cidade cheia de hologramas, os transeuntes ciborgues na rua. Tem tanto detalhe que é impossivel ver tudo na primeira vez. Mas denovo, isso não aumenta bilheteria, e não atrai quem quer ver uma moça de vestido amarelo ou um bebê falante. Eu gostei muito do filme enquanto obra, é o melhor que poderia ser feito sem destruir o matetial original. Mas a produção de fato teve falhas grandes, desde o casting polêmico até a falta de proporção entre o orçamento e o publico alvo.

Na verdade eles tentaram seguir a linha o anime no início, mas no final fizeram uma correria sem sentido e um fim diferente. Mas cara, por mais que queiramos que eles tenham mais controle sobre as produções e parte criativa...porém a direção e atores beiram uma canastrice e amadorismo bem grande.

Espero que seja, mas a arrecadação baixa vai ser um balde de água fria... Se bobear, um tomate fresco levaria ao cinema mais gente do que as alterações pra se conseguir esse publico. Vamo acompanhar os resultados. De repente, no mercado internacional ele se saia bem melhor.

Mas cara, As Aventuras de Pi tem música indiana e o filme foi um sucesso de bilheteria, público e crítica. Com todas alterações pra tornar ele supostamente mais acessível, este filme tá com nota baixa de crítica e tá indo mal de bilheteria. E o público que tá indo ver tem achado o filme bom, mas nada espetacular. (nota 7 em média. ou 3,5 de 5). As Aventuras de Pi consegue ser mais impressionante visualmente que este. E não é questão de dinheiro, mas de talento mesmo. Este filme poderia ter tão icônico quanto Matrix, pq tem ideias tão boas e até melhores que Matrix pra trabalharem, e visualmente poderiam ousar bastante. Mas o resultado é bom, mas nada impressionante. As cenas de ação poderiam ser muito melhores. E blz que quiseram trocar a trilha achando q seria recusada pelo publico americano (vamos ignorar que a animacao de 95 tem notas melhores de publico), mas colocassem uma trilha melhor e mais marcante. A trilha de Matrix por exemplo tem muito mais personalidade. Espero que pra uma sequencia mudem essa equipe. Esse diretor é muito fraco.

Pela recepção na bilheteria americana a água começou a invadir esse barco..

Então, cara. Acho que isso é um exagero que expectativa. Achei o filme fantástico naquilo que ele se propôs: Adaptar uma grande obra da animação japonesa para um público ocidental. Nessa definição, beira o absurdo dizer que ele foi "além do original", nenhuma adaptação vai além do material original, nenhuma homenagem é maior que o homenageado. O Omelete nesta página escreveu que ele foi "além da fidelidade", isso é, além da fidelidade, tentou mudar algumas coisas. Gostei muito do que ele fez dentro do que ele poderia fazer sendo uma adaptação, e muito do que é defeito dele nem é culpa do filme, é culpa do público americano para o qual foi adaptado. Desde a major falante (americano não consegue entender personagem instrospectivo), até a alteração na música de introdução (americano é xenofóbico, enfiar a musica oriental logo de cara assustaria o público). Dentro da forma limitidada, e dos defeitos obrigatórios que toda adaptação tem, achei o filme perfeito. Mas dizer que ele foi "além do original" não cabe. Nem pro GitS, nem para qualquer adaptação.

Entendo. Esse "mole", vem com a necessidade de apresentar este universo para vários públicos distintos. Claro que seria bom demais uma obra mais complexa como foi o anime. Por isso, volto a dizer que é importante separar as duas. É válido pela tentativa de uma boa adaptação. Tem seus problemas, mas pode ser o ponta pé para novas histórias.

Só falei em vilão pra identificar o cara. Óbvio que as coisas mudam e ele passa a vítima. O outro vilão, o cara lá da empresa, outra coisa incoerente. Se estabeleceu que a Major é que salvaria a empresa dele, e depois ele não só quer destrui-la, mas tb mata uma das ultimas cientistas vivas do projeto kkkkkkkkk A tosqueira da frase está no fato de que ela a usa como uma frase de efeito. Fazendo uma ligação direta com algo que ela falava sempre e os espectadores sabem. Tipo, ela falou pro publico. Nao tem a ver com a personagem. Tb achei zuado o fato de que eles pegam a função de juiz e executor. O tal ministro é citado, mas pouco sabemos qual é a do cara. Parece q ele age em coluio com o vilão, mas depois o velhinho fala com ele e decidem matar o cara. Batou... nao é q nao contam nada sobre ele. O que mostram sobre ele é ele alimentando cachorros de rua. As falhas do filme nao podem ser justificadas sob o argumento de que é um blockbuster que busca alcance. Tem muito blockbuster melhor e com ideias interessantes. Matrix por exemplo. Foca no Neo, mas os personagens secudarios são coerentes e melhor trabalhados na trama. No geral, é bom, mas deram mole em varias coisas desnecessariamente.

Pra um filme que consideram que foi além do anime, esperava que superasse as falhas e aprimorassem as qualidades. O que n aconteceu. O maior parte do filme é com a Major e o Batou e ainda assim ele ficou mal desenvolvido.

Pior que acabei de ver, por enquanto fez 40M fora dos EUA https://deadline.com/2017/04/beauty-and-the-beast-kong-skull-island-ghost-in-the-shell-boss-baby-china-international-box-office-1202058460/ Realmente o hype estava maior antes desse box office bosta, to achando que vai flopar mesmo (ao menos nos EUA)

Penso que nao. A reflexao do que seria o 'fantasma' na casca cibernetica, se a alma ou fragmentos da memoria neurologica, inibida pela medicacao que a Major tomava. No fim, Motoko e Major passaram a conviver na mesma 'casca', e as memorias do gato, da sua estante, da novidade do afeto da mae, que nao mais precisaria chorar numa lapide fria. Quem decidiu ficar, Motoko ou a Major? Tem muita coisa lá alem de uma frase de efeito.

Filme por filme, o Batou só foi bem construído no Innocence. No classico de 95, o Batou é até menos construído, e alguns da equipe aparecem como mero fan-service. A gente que conhece a série sente falta de participação dos personagens, mas acho que não dá pra cobrar isso do filme.

Não, infelizmente. A sequencia do filme de 95 é incrivelmente boa também. Mas, se não me engano, tem dois filmes ligados à serie animada de TV, que não tem a profundidade do clássico, e a quadrilogia lançada uns anos atrás é MUITO inferior aos demais.

Eu não acho que você está errado. Porém eu pensei neste filme como uma releitura apenas. Evitei ao máximo comparações. Batou se apresentou já estabelecido, não precisou contar nada sobre ele, pois quem realmente importa para este filme é a Major, é o filme dela e ela se sobressai perante os outros. A equipe é o "Sidekick" dela. O vilão, se mostrou que de fato não era o antagonista da trama. Ele queria apenas vingança contra a Hanka, não era um cara mau de fato. Depois do encontro dele com a Major onde ele manteve ela presa, as coisas mudaram para ele e ela. A Hanka se tornou o vilão do filme. O próprio filme faz referência a frase que você não gostou. "Nós não precisamos de sua permissão" Talvez fosse algo para dar mais humanidade a Major, mas que não tem efeito algum. Separando as duas mídias, dá para gostar do filme. Foi suavizado? Sim. Para abraçar o maior número possível de expectador. Eu o vejo, como o ponto inicial para boas adaptações de anime. Esperar para ver.

Mas deram mole em tanta coisa, q nao se justifica por ser uma releitura ocidental. Por exemplo, o Batou mal construído. Dá pra comprar a ideia dele como amigo da Major, mas não sabemos quase nada sobre ele. O maximo q o filme faz é colocar ele dando comida pra cachorros. O resto da equipe é irrelevante no filme. O vilão nao era um rebelde anti-tecnologia? Pq diabos ele vai querer uma existencia tecnologica? Pq diabos o cara se mata na prisao e pq diabos ele está preso de uma forma em q pode se matar? Tb achei muito tosca usarem aquela fala: Meu nome é Major etc etc e vc tem minha permissão (pra matar o vilão). Sei lá cara.. tem muitas falhas e se eu for ficar lembrando delas, diminuiria até minha nota.

Isso. Vem aí death note, confesso que não conheço o cânon, e possivelmente Akira. "A vigilante do amanhã", pode ser o ponto inicial para boas adaptações.

Beleza. Entendo seu ponto de vista. Essa adaptação seguiu caminhos próprios sem esquecer do fanservice. Não é maravilhoso como o anime e nem se propôs a isso. É uma releitura ocidental de no mínimo bom gosto e superior a tentativas anteriores. Beleza por mostrar que é possível fazer algo bom com relação aos animes. Minha opinião.

kkkkkkkkkkk o velhinho salvou o filme!

Pelo contrario: quem gosta de anime e das fleuras existenciais dos mangás vai achar o argumento dessa adaptação entendiante. kkkkkkkkkkk Resumiram toda essa area em uma frase de efeito dita pela cientista, que nem experimenta os conflitos que uma pessoa como a Major experimentaria: "Você não é definido pelas suas memórias, mas pelas suas ações". Ergh.

Antes fosse uma copia live action que mantivesse tudo o que tinha no original. Não estraga o anime de 95 apenas pq o original sempre vai existir (felizmente) e tem seu lugar garantido na historia, servindo de inspiração pra vários filmes (ja essa adaptação nunca vai servir de referencia pra nada). Nao fizeram uma copia, mas nao fizeram nada tão impactante quanto o original. Única coisa que mateve do original foram as cópias visuais de algumas sequências, mas que ficaram muito inferiores ao original (culpa do diretor e da trilha sonora principalmente).

Na escolha de ir "além", o filme acaba ficando aquém do anime de 95. Uma das poucas coisas que tentam manter do original é a estética de algumas sequências, e mesmo nelas, falham pq nao conseguem reproduzir a mesma intensidade, o mesmo clima, o mesmo impacto... e muito menos conseguem ir além. [Contém spoi lers]: O filme acaba dando uma impressão mais parecida com a de Tron de 2010 (acho q muito por conta da trilha sonora), do que com a do anime de 95. Até agora nao entendi por que diabos reproduziram tantas cenas no quesito visual, mas deixaram de fora a trilha... Pra usar a música icônica apenas nos creditos finais. Me senti até enganado, pq tinha aquela sequencia de uma apresentação ao vivo da cena com a trilha original. O filme perdeu completamente a parte mais introspectiva ou metafísica, filosófica... que ficou reduzida a uma frase de efeito dita pela cientista: "Você não é definido pelas suas memórias, mas pelas suas ações". (...) E o mais zuado é que no fim a Major repete essa frase, sendo que contraditoriamente ela recupera parte da memória e reencontra a m ãe e tem afeto pela m ãe (o abraço a faz "desarmar" e ser mais humana)... uma conexão importante pra ela e pra definir quem ela é. Ou seja, a memória dela é essencial pra sua identidade.

Galera, pra quem ta mais ligado nesse universo do Ghost in The Shell, vi que existem outros filmes em anime além do de 1995 parece que tem um remake também, vocês recomendam estes outros? Se sim algum deles consegue superar ou chegar ao mesmo nivel do de 1995?

Enfim... assisti e afirmo: O filme é +- até mesmo para um filme de ação/ficção científica.

Aguardando agora as adaptações de Akira, AppleSeed, SteamBoy, Cowboy Bebop, Metropolis e mais..... Gostei do Filme 8)

;)

Muito fraco! O filme me prendeu bastante, até que chegou no final. Onde a gente tem uma dezena de frases de efeito em menos de 2 minutos, e tira aquela impressão seca e sutil do anime de não explicar nada. Deixando só para a interpretação os temas e a trama abordadas. 3 ovos.

Repentinamente me veio uma versão pornô desse filme: Ghost in the Sheca.....

Obrigado por encerrar. Não entendeu nada do que eu disse e ainda só fez sair com o ego de discussões na Internet intacto.

o Filme é muito bom, no meu ver, vale a pena cada centavo nesse filme e espero que tenha continuação.

realmente da pra fazer, essa mistura de produção chinesa com japoneses e distribuidoras americanas deu certo, espero que não ocorra uma nova cagada made in EUA como foi dragon ball, ja estou comedo do Death Note made in hollywood...

Vi ontem à noite e para mim merece apenas 3 ovos Um filme ok mas sem cenas memoráveis

No Rotten ele já está com 42% de aprovação só

Nossa curti muito, em se tratando de cultura pop achei o melhor filme do ano até agora. Os efeitos visuais e cenarios são demais. Os personagens são bons, a história é fácil de pegar.

Acabei de sair da sessão. Sim. É possível adaptar um anime sem estragar a obra original. É o que temos em "A vigilante do amanhã". Respeita no visual, nas ideias, nos personagens, em partes da trama e sem ficar como uma mera cópia live action. Scarlet vai bem no papel da Mira/Motoko, gostei da interpretação que ela dá ao personagem. As caracterizações de Batou e Daisuke ficaram ótimas. As cenas que são tiradas do anime, ficaram maravilhosas e arracaram um sorriso de satisfação. Vejo um potencial para mais e espero que o filme faça uma grana. Quero mais da franquia. Valeu cada centavo.

Gostei do filme , achei uma boa adaptacao. Scarlet ficou mto bem no papel. Fui com 2 amigos q n conheciam nem o anime nem o manga e eles curtiram tanto quanto eu q ja conhecia o anime.

Não li a crítica. Estou na sala Macro XE agora. Vou conferir. Espero coisa boa. Vamos ver.

Só três coisas e para por aqui: 1 - Quando eu "politizar" alguma coisa, vai saber a diferença. 2 - Concordo com você. A nova geração está se alienando demais. Pena. 3 - Daria sim. Pense num diretor foda é o Polanski. Enfim, encerro aqui minha parte na discussão. Abraços

ue expeçifica

Hahaha, saiu a atualização do boxofficemojo. Fez só 7 milhões na sexta e deve fechar o 1º fim de semana com 20 milhoes http://www.boxofficemojo.com/movies/?id=ghostintheshell2017.htm

Meu Deus. Maldita geração segunda década do século 21. Você já quis politizar e moralizar esse assunto. Vc meu o que eu escrevi ali em cima? Vc daria Tropa de Elite pro Roman Polanski dirigir.

Fanboy fingindo que nao conhece o original so pra criticar os que nao gostaram do filme ta engraçado

http://historiacinemaeafins.blogspot.com.br/2017/03/django-livre-um-justiceiro-negro-no.html Tarantino e a vingança histórica!!

vc esta completamente enganado,claro q dragon ball é grande coisa é umdos melhores animes q existe,e digno de um live action com toda certeza! E acredite eles irao fazer um live action dos dragon balls com toda certeza,eu nao sei quando mais vai ter com certeza!

Mas eu não me afirmo dono da verdade, é ele quem está dizendo "indiscutivelmente" é muito bom.

Cedo demais pra dizer isso, abiguinho, acabou de estrear nos EUA. De acordo com o boxofficemojo, tem filme que fez a mesma abertura e arrecadou 370 milhões, mas Rua Cloverfield 10 abriu próximo do Ghost in the Shell e teve bilheteria final de 110 milhões.

O anime é pra pensar, logo, se você não pensa...

Fala aew pessoal. Aproveitando o lançamento do filme A vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell para trazer pra vocês o jogo Ghost in the Shell =D e o melhor é que o jogo é de graça! Vídeo completo: https://youtu.be/1UJTWMket78

Kkkkkkkkkk

Realmente argumentar NUNCA foi sinônimo de indagar. Acho que alguém não usa muito um famoso livro chamado DICIONÁRIO. rsrsrs

Sobre o Death Note... O filme era pra ser diferente do mangá e animes?

Protegendo seu comentario? Kkkkkk que fino hummmmm. Vc se defende com argumentos? Hummmm ....pessimos por sinal. Vc acha mesmo que argumentos e responder com perguntas atras de perguntas? Sorry baby kkkkkkk vc julgou tanto a opiniao de um colega que agora vc ta experimentando deste proprio julgamento. Se perdeu por completo. Lexotan nele!!!! Kkkkkk

Oi? Quais clichês Ghost in the Shell criou?

As duas melhores atuações dela: o filme do Woody Allen e Her. Não adianta espernear, meu jovem. É péssima sim. Monoexpressiva e forçada (Milla Jovovich​ é mais badass que ela sem esforço). Mary Elizabeth Winstead em Rua Cloverfield 10 já nos entregou uma atuação melhor que a maioria esmagadora das personagens da Scarlet.

É sério esse comentário? Hahahahahahahahababahahah

Venda de bilheteria dos filmes dela diz o contrário sobre ser "péssima atriz"

Um filme tem que se sustentar sozinho... independente da mídia que o originou. Não conhecia nada do anime ou do mangá. Pra mim, é um filme bem ruinzinho. Se os temas eram melhores elaborados no anime/mangá... azar. Aqui, achei bem raso. O visual é bacana... mas é muito "sujo"... tem muita informação visual que me pareceu sem sentido, sem propósito.

Dragon Ball não serve muito pra filme. Melhor ficar só no anime mesmo (que já não vem sendo grandes coisas)

Então quer dizer que a maioria dos críticos são "fã xiita do material"? Por que no geral os críticos não gostaram muito do filme.

Claro que é um "bosta", e por isso o personagem é bom. Não é um desses heróis típico de animes. É um personagem cheio de fraquezas.

Vi em Imax. Vale cada um dos quatro ovos. Motoko foi honrada, na minha opiniao. Quem nao gosta de anime e das fleuras existenciais dos mangas, pode achar entediante. Espero que faça $$$ suficiente para uma continuaçao, com a Major em mergulhos profundos e imersa na rede.

Eu tb.

Esse não é o caso de Ghost in The Shell... 53 de média no Metacritic e só 42% de aprovação no RottenTomatoes

Pois não flopou Chola mais.

Adaptação de Ghost in the Shell acerta no visual: http://bit.ly/2oqtPLA

Atá. Como disse o cara abaixo, você se acha o intelectual e diferentão só porque não gosta de um filme. Parabéns para você.

Vítima ? Ninguém está apontando uma arma para minha cabeça, prestei minha opinião referente ao comentário, e agora estou protegendo meu comentário com argumentos que reforçam minha ideia, não tem nenhuma vítima aqui, ou você se sente uma vítima por ter seus ideais contestados?

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus