Gravidade
Filmes - Drama, Ficção Científica
Gravidade (2013)
(Gravity)
  • País: EUA
  • Classificação: 12 anos
  • Estreia: 11 de Outubro de 2013
  • Duração: 90 min.

Gravidade | Crítica

Suspense espacial de Alfonso Cuarón encanta-se com a fragilidade e a tenacidade humanas

Um ensaio milionário sobre solidão, fragilidade e autocontrole. Este é Gravidade (Gravity, 2013), novo filme do diretor mexicano Alfonso Cuarón.

A ficção científica se passa no espaço, na órbita terrestre, a 600 quilômetros de altura. Nela, uma equipe de astronautas e cientistas instala novas partes no telescópio Hubble quando chega o alerta: uma nuvem de detritos está chegando em alta velocidade à sua posição. Em minutos, toda a segurança da nave se vai - e restam apenas a Dra. Ryan Stone (Sandra Bullock) e o comandante da missão, Matt Kowalsky (George Clooney), indefesos vagando pelo espaço.

Cuarón faz aqui o tipo de filme que costuma ser visto em baixo orçamento: apenas dois personagens que precisam superar uma situação insuperável. No entanto extrapola essa ideia - normalmente uma solução criativa minimalista para uma verba apertada -, empregando-a de forma grandiloquente. E tome visuais de tirar o fôlego (especialmente em 3D), explosões em gravidade zero e longos e aflitivos planos sem cortes que passeiam de dentro para fora dos capacetes dos personagens enquanto eles discutem sua situação.

Gravidade é um deleite técnico. A alternância entre som e silêncio amplifica o drama e a trilha sonora aflitiva de Steven Price entra apenas em momentos cruciais. A animação (o filme é quase que todo em computação gráfica) é perfeita e realista e a tensão é absolutamente constante, já que não há momentos de respiro (ainda que o filme encontre um hilário em Clooney, charmoso como nunca). E Bullock dá um show como a astronauta novata que já perdeu tudo, mas que decide viver.

Esteta, Cuarón encontra no espaço e o controle milimétrico de seu set. Há cenas de beleza intensa e grande significado, como os "renascimentos" da Dra. Stone, especialmente o primeiro, em que a vemos pela primeira vez como mulher, como humana, indefesa fora da casca protetora do uniforme de astronauta.

Nas lágrimas sem gravidade, Cuarón aprecia a beleza da fragilidade humana - e sua tenacidade.

Leia mais sobre Gravidade (estreia no Brasil em 23 de novembro)

Acompanhe as críticas do Festival do Rio 2013

Leia mais críticas do Festival de Toronto

Nota do crítico (Excelente) críticas de Filmes
 

Só vi agora...na minha opinião muito bonito, mas faltou história.

Ela não ficou "diversos dias no espaço", permaneceu lá apenas dois.

A Sandra Bullock se supera nesse filme!!! Também merecia o OSCAR por esse filme!!!

plot twist atrás de plot twist... é bonito, mas é um saco.

Concordo com você. O filme não é nada além de bonito. Prefiro ver algumas imagens feitas por satélite no youtube. História bem ruim mesmo, no meu ponto de vista.. Não sei nada da profissão de astronauta, mas da pra saber que muitas cenas não colam, nem com super bonder.

De novo, esse argumento não cola. Meninos precisam parar de tirar as meninas de burrinhas só porque elas não concordam com vocês. Eu não só entendi muito bem ambos os filmes, como avaliei os dois para chegar às minhas conclusões. Tente algo menos vago, por gentileza.

Onde que Matrix é ruim? Desculpe, mas em ambos os casos, tanto de Gravidade quanto em Matrix, você com certeza não deve ter entendido o sentido real do filme.

Isso não é bem um argumento, não é? Sou muitíssimo fã de ficção científica e (me preparando para outra "porrada") assim como Matrix, esse filme é incrível na tecnologia, visualmente perfeito, mas bem ruim na história. Quer uma história de sobrevivência de verdade? O Pianista é um bom começo. ;)

extremamente "realístico" passou longe amigo. Desculpe. Primeiro que ela nao conseguiria ficar 10 minutos com 2% de oxigenio e quase meia hora com 1%. Alem disso, as velocidades que ela apresenta deslocando pelo espaço, ao seguras nas bases, de duas uma: ou deslocaria os ligamentos do braço inteiro, principalmente pulso, ou arrancaria literalmente. Não estamos falando em 1km/h... No espaço a dinamica de velocidade é BEMMM diferente. Alem disso, NUNCA que ela conseguiria entrar na atmosfera com a capsula girando. Apenas a sua base é feita para a reentrada com refletores de calor em ceramica. o resto do revestimento nao tem essa mesma propriedade e NUNCA conseguiria suportar 10s na reentrada. Alem disso, NUNCA, repito NUNCA, após diversos dias no espaço, alguem consegue chegar na terra e ja ficar de pé, e sai andando. Fora que ela é a unica astrounauta que ja se tem historia que nao sabe controla respiração e tira o capacete a cada 5 minutos. Realisto em imagens? (Fotografia e arte?) pode ser...90%... agora em questão de termos aeroespaciais, se teve 20% foi muito.

Sugiro também o seguinte texto sobre o filme: https://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2013/10/12/gravidade-2013/ Abraço

Decididamente, o gênero ficção cientifica não é o seu forte.

O filme é perfeito, extremamente realístico (com óbvias licenças e concessões a dramaturgia e ao entretenimento) em matéria de ficção cientifica (terreno inacreditáveis besteiróis) é uma imensa e grata surpresa! É um BlockBustter, mas tbm é cinema arte.

Achei bem ruim. No melhor estilo "As aventuras de Pi". Muito visual de tirar o fôlego (só para ficar bonito no 3D) e muito pouca história. Minha impressão é que os diretores estão se perdendo com a nova tecnologia, ao invés de usá-la a favor da mensagem que querem passar. E a tal cena do "renascimento" da Dra., com direito a posição fetal e tubo vindo de algum lugar para parecer um cordão umbilical, só não ficou mais óbvia que cafona. Piegas e sem conteúdo. Tão egocêntrico em sua tecnologia que o filme acabou e não entendi porque aquela mulher resolveu sobreviver. Se o diretor não tivesse "optado" pelo final feliz já teria sido um filme melhor. E olha que eu gosto muito do Alfonso Cuarón...

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus