Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe
Filmes - Família, Comédia Dramática
Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe (2017)
(The Meyerowitz Stories (New and Selected))
  • País: EUA
  • Classificação: Não definido
  • Estreia: 13 de Outubro de 2017
  • Duração: indisponível

Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe | Crítica

Sandler, Hoffman e Stiller brilham em filme sobre as alegrias e tristezas da família

É interessante que o título nacional de The Meyerowitz Stories (New and Selected) seja Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe (Histórias Novas e Selecionadas). Mais do que um típico subtítulo, a frase realmente faz sentido na história contada por Noah Baumbach (Mistress America, Frances Ha).

Ao longo de diálogos estranhos e, ao mesmo tempo, incrivelmente realistas, conhecemos a família Meyerowitz: Dustin Hoffman (hoje mais um dos envolvidos na leva de escândalos em Hollywood, entenda) é o pai Harold, um escultor que vive os dias da velhice remoendo suas possibilidades não alcançadas de sucesso. Junto a ele está Maureen (Emma Thompson), sua excêntrica esposa que não encontra uma ligação verdadeira com os filhos do artista, os já adultos Danny (Adam Sandler), Jean (Elizabeth Marvel) e Matthew (Ben Stiller). É uma família disfuncional, com pessoas completamente diferentes, que possuem apenas um vínculo sanguíneo e não emocional (não escolhemos a família, lembra?). Uma reunião improvável acontece quando Danny e Jean resolvem organizar uma exposição em homenagem ao pai.

Hoffman encarna com veracidade o patriarca que pensa muito mais em si mesmo do que em sua família. Ele criou e ama os filhos, é claro, mas não presta atenção neles, se importa pouco com os acontecimentos de suas vidas e, assim como todos os pais, consegue derrubá-los com uma ou duas frases de desprezo não-intencionais.

Sandler e Stiller formam uma dupla incrível de irmãos, que lidam com todos esses problemas insanos dos pai e com suas próprias inseguranças. Noah Baumbach usa várias cenas para evidenciar como Danny e Matthew são diferentes e se sentem desconfortáveis perto um do outro. A relação é marcada por diálogos em que nenhum dos dois sabe exatamente o que dizer. Mas, no fundo disso, os irmãos carregam as mesmas feridas causadas pelo pai e são esses machucados que os aproximam no fim das contas. Nada poderia ser mais verdadeiro do que isso. Os fãs curiosos sobre Adam Sandler encontrarão o ator ao mesmo tempo diferente e semelhante aos seus papéis anteriores. Há pontas de um humor amargo em Danny, mas o personagem vai além disso, mostrando as camadas de um homem que se sente fracassado diante da família, mas não desistiu totalmente de ser feliz.

Com um pai tão distante e egocêntrico, é de se imaginar que os filhos o odiariam pelo resto da vida, mas Baumbach escolhe levar seu filme para outro caminho. Ao verem o pai velho e doente, eles percebem que o patriarca não poderia ter sido mais amável ou presente. Harold Meyerowitz é, em sua essência, alguém distante e egoísta, ele jamais poderia mudar sua personalidade, mas isso não significa que ele era incapaz de amar. Para os filhos, resta o peso de carregar as feridas emocionais causadas pelo pai, mas sabendo que tudo aconteceu exatamente como deveria ter acontecido.

Por mostrar tudo isso, Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe é um filme extremamente humano, que causa sentimentos de alegria, confusão, raiva (muitas vezes dá vontade de voar na tela e sacudir os personagens) e, por fim, aceitação: nenhuma família é perfeita, mas nenhuma pode substituir a nossa.

Leia mais sobre Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe

Nota do crítico (Excelente) críticas de Filmes
 

Pelo que eu entendi uma das obras dele foi guardada na universidade. Não sei se quer dizer que a obra dele se limitou a estar em uma caixa esquecida (lado negativo) ou se é algo positivo por estar junto à outras obras.

alguem me explica o final? a Filha olhando para uma caixa de madeira?

Assista Reine sobre mim, outro filme dramático com o Adam Sandler. Um dos melhores filmes dele.

não sei se é só comigo, mas eu gosto da maioria dos filmes de Adam

Muito ruim o filme. O trailer tenta convencer que tem um certo humor no filme mas não tem nada. A ideia até é boa mas achei mal costurada a história. É uma pena que se desperdiçou um filme com tão bons atores.

Eu fiquei decepcionadíssimo, como um fã do Noah. Achei a montagem do filme preguiçosa e, a estória, mais ainda. Esse cacoete de fazer sempre o filme do artista conflitante numa família disfuncional parece começar a fraquejar depois de grandes momentos como em A Lula e a Baleira e Quando éramos jovens. Talvez o desleixo se dê por ser uma produção da Netflix... deve ser um cineasta que preza pelos caminhos tradicionais. Espero que tenha mesmo algo melhor preparado para as grandes telas, este, decepcionou. Obs.: Tem alguma coisa melhor que Adam Driver no cinema americano hoje?

Muito merecido, o filme é excelente.. teve uma cena que consegui sentir um misto de emoções entre drama e comédia que achei bem interessante!

Olha, só de ver os nomes Adam Sandler e Ben Stiller no mesmo elenco, eu já fugiria desse filme. Mas confesso que a crítica me deixou verdadeiramente curiosa, não só pela temática, como pela possibilidade de ver esses dois atuando de verdade, fora dessa zona de conforto preguiçosa em que ambos se instalaram há anos

Excelente filme, que enquadra tipicamente uma família sem elo algum.

Blue Jasmine é recente e é muito bom

Entrei na Netflix com um objetivo simples: assistir um filme simples, bobo e que não fizesse pensar, só sentir e rir. Qual filme melhor (ou pior) pra isso do que os filmes do Adam Sandler? Bom, dei de cara ao escolher "Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe". Logo nos primeiros minutos comecei a perceber que não se tratava de um filme ruim by Adam Sandler, mas um com bons diálogos, ótimas atuações, uma história boa e de seu modo engraçada e dramática.

Boa crítica! Outra sobre o filme: https://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2017/10/15/os-meyerowitz-familia-nao-se-escolhe-historias-novas-e-selecionadas-2017/

putz

Se fosse o pretensioso Hessel dava 3 estrelas e chamaria o Baumbach (ironicamente) de pretensioso.

Woody Allen ja não agrada como antes...virou o Dan Brown do cinema, tem talento pois, chamou atenção por vários anos, mas sempre traz a mesma receita de bolo, onde só muda o ingrediente especial. Não inova. Um olhar novo sobre as coisas e um pouco de carne nova dão uma revigorada.

caralho adam sandler sabe atuar ....... filme muito bom mesmo

filme horrível!!!

Em se tratando dos filmes recentes do Woody Allen vs os do Noah Baumbach, eu diria que a Netflix contratou o cara certo. Baumbach ta fazendo essa pegada disfuncional muito melhor que o Allen ultimamente.

filme muito bom mesmo, mas a melhor coisa é a filha do Adan Sandler.

"(...) e, por fim, aceitação: nenhuma família é perfeita, mas nenhuma pode substituir a nossa." Pesado...

Um filme engraçado, sensível e comovente. Sem dúvida, o melhor e mais maduro do diretor.

Tentativa tola do Netflix de emular o Woody Allen. Contrata logo o original!

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus