Spielberg
Filmes - Documentário
Spielberg (2017)
(Spielberg)
  • País: EUA
  • Classificação: Não definido
  • Estreia: 9 de Outubro de 2017
  • Duração: indisponível

Spielberg | Crítica

Documentário ressalta a genialidade do diretor, mas aposta menos em sua vida fora das telas

Existem alguns nomes da cultura pop que estão presentes no imaginário das pessoas, embora muitas vezes seja difícil se lembrar de quando você ouviu esse nome pela primeira vez. É assim com Steven Spielberg, diretor que se tornou uma lenda e sinônimo de sucesso em Hollywood com longas como Tubarão, A.I.: Inteligência Artificial, A Lista de Schindler, Jurassic Park, entre muitos outros. Logo, não é novidade que exista um documentário com o objetivo de contar toda essa história e sanar a curiosidade do público sobre quem Spielberg é na vida real.

Produzido pela HBO e dirigido por Susan Lacy, Spielberg tem momentos interessantes sobre a história pessoal do diretor, mas foca realmente em sua figura dentro do set, deixando um certo ar de repetição ao longo de suas duas horas e meia.

Não que Spielberg não seja um gênio: a tensão criada em Tubarão, a emoção de A Lista de Schindler e E.T. - O Extraterrestre, a ação e diversão de Indiana Jones… Tudo isso e muito mais é descrito minuciosamente com depoimentos de astros como Christian Bale, Cate Blanchett, Leonardo DiCaprio, Daniel Day-Lewis, Francis Ford Coppola e vários outros nomes importantes que falam sobre como o diretor consegue colocar sua visão única em prática quando está atrás das câmeras. Mas depois do quinto ou sexto depoimento sobre isso, o documentário dá uma sensação de que não sai do lugar, mostrando informações novas, mas que querem dizer sempre a mesma coisa.

O filme cresce realmente quando dedica tempo à vida pessoal de Spielberg, mostrando, por exemplo, que ele sofreu com a separação dos pais e isso foi demonstrado em muitos de seus longas que tratam sobre os temas de família, abandono, reencontro, etc. Também revela que o jovem diretor tinha problemas com suas origens judaicas, mas fez as pazes com esse lado de sua cultura quando dirigiu A Lista de Schindler. Para quem conhece o diretor por seus feitos cinematográficos, é uma boa surpresa ouvir depoimentos de suas irmãs, que narram brincadeiras da juventude, e de seus pais. São esses pequenos detalhes que realmente conseguem dar um novo olhar para quem Steven Spielberg é e o documentário poderia facilmente ter focado mais nessa parte.

Apesar disso, o longa cumpre bem a tarefa de repassar a carreira do diretor, tornando-se um material indispensável para os grandes fãs de Spielberg e um filme interessante para aqueles que querem conhecer mais sobre as obras comandadas pelo diretor.

Spielberg será exibido na HBO em 9 de outubro, às 22h.

Leia mais sobre Steven Spielberg

Nota do crítico (Bom) críticas de Filmes
 

É minha opinião cara. N sou dono da verdade. Vai se masturbar...

Quem é tu, ou eu, para julgar isso? sabe, nada mais ridículo e inútil que as opiniões das massas na internet.

Gênio de sua geração. Ele era o melhor da turma do Coppola. Para mim não tem discussão isso. Alias, o Coppola também é um gênio, mas se tivesse que escolher só um, Spielberg seria o cara. E esse papo de comparar ele com dinossauros como John Houston e Orson Welles, momentos diferentes do cinema gente... mudanças de paradigma como cinema falado, e o "studio system" com produções milionárias. Tu pode pensar em muitos critérios, mas olhe para a década de 80 e tu vai ver que Spielberg era o rei. Hoje tem gente que questiona. Ora, Kubrick tb era questionado quando vivo. Hitchcock era considerado um diretor de filmes "B". Hoje em dia Hitchcock é considerado por muitos o melhor de todos. Eu particularmente acho que Kubrick é o melhor de todos (meu critério: habilidade de dirigir diferentes gêneros, de sci fi a drama histórico, espadas e sandálias ou filmes de gangsters, filmes de guerra ou histórias de amor, até mesmo filmes picantes ou que tratam de taboos, como lolita, ou filmes aterrorizantes). Tu pega um David Lynch, um cara genial também, mas limitado. Acho que ter que limitar o número de gênios uma burrice. Existem mais gênios e isso é algo bom, não ruim! significa que mais gente no mundo está conseguindo liberar seu potencial. Pelo menos fora de nosso país atrasado (o maior atraso aqui são as pessoas mesmo, mais até que os políticos).

Para quem quer entender a genialidade de Spielberg, assista ao filme Munique. Esse filme tem um dos trabalhos de decupagem mais inacreditáveis que já vi na vida. É absurdo o que ele faz com a câmera nesse filme.

john lennon gênio? é tão "gênio" como o spielberg. nesse âmbito, gênio, gênio mesmo, acho que só brian wilson. talvez david bowie.

gênio é Bob Dylan, Stanley krubik, Conan Doyle, Charles Chaplin, John lennon, Albert Einstein, Mahatma Gandhi etc pq transcendem suas profissões

Gênio era o Conan Doyle...não precisa ser propriamente um Einstein né rsrs. Mas tbm não é pra taaaaanto exagero com aquele diretor.

É q essa palavra gênio ficou corrompida. Hj em dia todo mundo é gênio...

Verdade, cara. Zack Znyde (??) é muito mais genial segundo a galera haha [modo zoeira off]

Não sei... é pq pra mim gênio é quem cria. Ele pegou linguagens já estabelecidas de diretores como Stanley kubrik, Orson Welles, Cecil B. de Mille, John Houston (diretores que criaram a linguagem épica hollywoodiana) e a partir daí fez o dele em alguns de seus filmes nos anos 70, 80. Como eu disse, acho um grande talento mas não um gênio...

Estava pensando nisso quando assisti semana passada Contatos Imediatos do Terceiro Grau. Que p*ta filme...nos anos 70, 80 e início dos 90 Spielberg manteve-se no topo, depois vieram os anos 2000 e, sinceramente, não acho nada de significativo na carreira dele desse período até os dias atuais MAS como você disse: colocando na balança nas grandes obras, realmente, não há outra definição para Spielberg: gênio, visionário,inspirador.

Um dos melhores diretores da história! Certo, certo, teve seus "deslizes" nos últimos anos, porém, é inegável que muito do que temos hoje nos cinemas se deve à ele. À ele e à seu amigo, George Lucas (aliás, senti falta dele nos créditos dos depoimentos. Ele está no documentário?). Longa vida à Steven Spielberg! E que ele possa nos agraciar cada vez mais com seu ótimo trabalho. Uma boa noite à todos. Até mais. P.S: Até entendo a crítica, porém, se o foco do documentário é a carreira de Spielberg, é natural que ele se foque nos trabalhos do diretor, e não em sua vida pessoal.

É...imagino que os produtores do projeto não quiseram se comprometer fazer um documentário mais "pessoal" sobre o personagem por receio de alguma represália ou...foi feito desse jeitinho aí sob encomenda "vamos fazer um documentário sobre a vida do Spielberg aqui na HBO mas NÃO pode ser comprometedor.

MESTRE SUPREMO!! Não tem para ninguém!! Longa vida a Spielberg e a tudo de bom que ele representa para o Cinema e para os nossos sonhos!!

Ele é gênio sim, cara. Um gênio que não envelheceu lá muito bem, é verdade, mas se você colocar na balança seus filmes, não há outra definição para ele.

cresci vendo os filmes dele.. encurralado foi o primeiro na extinta tv tupi numa noite de domingo no fim dos anos 70. e.t em 83 com 10 anos unica vez que chorei no cinema cena da morte do e.t indiana jones ea ultima cruzada com 16 em 89 o primeiro filme do indiana que vi no cinema eo melhor do ano de 1989 na minha opinião. e bom ver que tantos anos depois um diretor cujos filmes cresci vendo ainda esta na ativa,longa vida a steven spielberg.

Mestre.

nao acho Spielberg um gênio. Ele teve momentos de genialidade na carreira, mas no geral é um otimo diretor q marcou época...

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus