Filmes

Eclipse: Omelete Entrevista Kristen Stewart

Atriz fala sobre a transformação da personagem, casamento e beijos
-

Kristen Stewart estava muito bem humorada e bastante empolgada durante a entrevista coletiva de A Saga Crepúsculo: Eclipse em Los Angeles. Parece que todas as pessoas envolvidas no filme estava bem confortável com seus papéis. Durante o bate-papo, Stewart falou sobre Bella, trabalhar com o novo diretor, David Slade, sua carreira, o vestido de casamento da Bella, beijo e até seu próximo filme, On the Road, que será dirigido pelo brasileiro Walter Salles. Quem esteve por lá representando o Omelete e mostra como foi é Steve Weintraub, editor do site parceiro Collider, e nosso homem em Hollywood.

Assista ao vídeo abaixo (sem legendas e dividido em duas partes) ou leia a transcrição dos melhores momentos do bate-papo.

Parte 1

Parte 2

Você está no meio de sua jornada com a personagem Bella Swan. Você se preocupa que sua imagem vai ficar marcada por isso? The Runaways foi um ótimo filme, mas não foi um sucesso, como Crepúsculo. Como você se sente em relação à sua vida, sua carreira e Bella?

Kristen Stewart: É uma situação muito singular. Eu tive a oportunidade de interpretar Bella durante muito tempo e me sinto muito sortuda por isso, porque sempre fico triste quando perco um personagem no fim de uma filmagem curta, que normalmente dura seis semanas em um filme pequeno. Já estou acostumada com isso. Então, Crepúsculo me deu o papel que me colocou nessa posição épica, mas é só mais um filme. Não importa se você está fazendo um filme de estúdio ou um filme independente. Quando você chega no set e está fazendo uma cena, sempre será o mesmo trabalho. Eu não fico planejando minha carreira e pensando no que cada filme pode fazer por mim. Esse era um papel que eu queria muito fazer, e pude fazê-lo durante bastante tempo.

O que te motiva para buscar o sucesso?

Sucesso é sempre completamente diferente de pessoa para pessoa. Sinto que fui bem-sucedida se estou fazendo algo que me faz feliz. E quando não estou enganando ninguém. Esse é um quesito difícil. Nesse momento não estou fazendo isso, então me sinto muito bem. Eu realmente amo atuar e quero seguir essa carreira. Tenho muitas ambições na vida, mas nos próximos anos quero só ser atriz. Tenho muita sorte em ter tido essa oportunidade, e isso me motiva a buscar ser muito boa nisso.

Nesse filme, Bella teve que tomar uma decisão. Você sente que isso foi um grande desafio?

Sim. Definitivamente existe um conflito e ela chega ao ponto em que precisa tomar uma decisão nesse filme. A parte mais legal é que por mais que ela seja corajosa e determinada, às vezes, ela também está disposta a parar, dar um passo para trás e reconsiderar suas opções e reconsiderar como está tratando as pessoas. Ela reconhece que está sendo um pouco egoísta e faz uma escolha. Eu sinto que a escolha já tinha sido feita. Desde o momento em que ela vê Edward no primeiro filme, é isso. Mas é difícil para ela chegar ao ponto em que todos aceitariam essa relação, e é nesse filme que isso acontece.

Teve alguma cena que foi muito difícil para você? Como foram as cenas de ação?

A ação é responsabilidade dos outros. Eu só fico atrás das pessoas que são mais fortes que eu. Não precisei correr tanto quanto no segundo filme, então as cenas de ação não foram difíceis. Uma das cenas mais desafiadoras provavelmente foi beijar Jacob de verdade, finalmente e pela primeira vez. E aí perceber que existe um caminho diferente a seguir e que esse caminho também é tentador. Ela tem uma visão tão fechada no Edward e que ele é a única opção para ela. É uma perspectiva estranha e então tenho que conversar com Edward sobre isso, e é uma dinâmica tão diferente de tudo que já tivemos. É uma Bella diferente. Eu nunca interpretei alguém que faria coisas assim, então isso foi difícil e eu fiquei muito nervosa.

Por causa do beijo?

Sim, por causa desse momento e porque esse beijo é diferente de todos os outros do filme. É o momento mais único do filme e também é um erro. Eu sempre digo que a Bella comete muitos erros, mas está disposta a reconhecê-los. Eu acho que é legal vê-la um pouco envergonhada e, ao mesmo tempo, assustada.

Alguns dizem que o sucesso do filme está relacionado à combinação de amor proibido - amar um vampiro - com valores familiares tradicionais. O que você acha?

Eu acho que mesmo que você tirasse todos os aspectos místicos da história, ela permaneceria forte e interessante e da qual eu gostaria de fazer parte. Eu acho que toda a coisa de vampiros e lobisomens são bons dispositivos de trama. Mas todos os aspectos dos vampiros e lobisomens são englobados pelos humanos, por Jacob e Edward. Se tirasse tudo isso, eles ainda seriam as mesmas pessoas. Não acho que o filme se tornou um fenômeno por causa do aspecto mítico dos vampiros. Isso com certeza deixa um pouco mais interessante, mas acho que é uma questão de ter personagens completos e de quão fácil é acreditar neles e ficar viciado neles. Eles te decepcionam várias vezes, e se recuperam de novo. Eu acho que não tem nada a ver com a coisa dos vampiros. Acho que isso só deixa o filme um pouco mais legal.

Quais são as características da Bella que você mais gosta e as que você menos gosta?

Não tem coisas que não gosto. Por mais que ela tenha todas aquelas coisas que me irritam, eu gosto dela. Ela sempre percebe que ela pode se permitir ser um pouco egoísta. Às vezes eu penso, "Porque você não se deixa em paz?". Acho que ela é muito exigente consigo mesma, mas eu me identifico com isso. Sempre digo que o que mais gosto nela é que ela faz várias bobagens e não se importa. Ela tem uma atitude tipo, "É assim que a vida é. Mas sou jovem e vou continuar vivendo".

Bella não acredita em casamento. Você acredita?

Sim, claro. Acho que você deve fazer o que quiser. Não estou pronta para me casar, mas tenho uma ótima família e gostaria de ter isso também, um dia.

Qual estilista você gostaria que desenhasse o vestido de casamento da Bella? Seria um vestido branco?

Bem, Stephenie [Meyer] é que deve decidir isso. Tenho certeza de que ela tem ideias muito específicas. Eu não pensei muito nisso, mas acho que Bella com certeza gostaria de algo bem clássico e simples, mas bonito. Quanto a estilistas, não faço ideia. Acho que seria branco, ou um tom creme, mas com certeza seria clássico. Ela não quer casar, mas como isso significa tanto para Edward, já que ele tem valores e uma sensibilidade diferente, então ela vai fazer isso por ele. Imagino que será um casamento muito lindo e monumental, porque é isso que ele quer. Normalmente é o contrário, é a garota que quer. É fofo.

Algumas das cenas mais legais em todos os filmes são aquelas entre Bella e o pai dela. Como tem sido trabalhar com Billy Burke?

Eu adoro trabalhar com Billy. Ele é um cara que não gosta de enrolação e, como ator, é disso que você precisa. Ele é muito bom em perceber se uma cena funciona ou não. Eu acho que ele entende muito bem a dinâmica entre Charlie e Bella, porque eles não têm uma dinâmica normal de pai e filha. Eles não se conhecem há muito tempo. Ela acaba de se mudar para Forks e tem poucas lembranças dele, mas eu adoro a construção gradual de confiança que acontece. Ele é muito bom porque ele nunca força nada, nunca fica esquisito. Porque muitas vezes é estranho quando um cara está interpretando seu pai. Você se sente estranha, porque parece que eles estão forçando um sentimento. E eu nunca sinto isso com ele. Acho que ele é ótimo.

Nesse filme, Bella está muito madura, especialmente na sua escolha de se tornar uma vampira, não apenas por Edward, mas por outros motivos também. Você poderia falar sobre Bella e como ela está amadurecendo como mulher?

Ela definitivamente está tomando suas próprias decisões e não apenas seguindo o que Edward diz que ela deve fazer. As pessoas instantaneamente assumem que ela é uma garota fraca e dependente e que está sempre em perigo com esse cara. Não é esse o caso. Acho que se a história fosse contada da perspectiva dele, ele também seria tão vulnerável quanto ela. A história é contada da cabeça dela, então obviamente essas coisas ficam mais evidentes. Acho que ela definitivamente está assumindo coisas que aconteceram, tanto boas quanto ruins. Ela agora pode colher os benefícios das coisas com que ela já lidou, de um jeito bom. E também fortalecer as relações na vida dela, com base nos erros que cometeu. Todos da família estão olhando para ela de um jeito diferente, como se talvez agora ela realmente saiba o que quer.

Na cena da barraca, tem dois caras lindos conversando apaixonadamente sobre você. O que estava passando pela sua cabeça naquele momento? Você estava tentando não dar risada?

Filmar a cena da barraca foi bom porque ela sempre quis que Jacob e Edward se entendessem, e é engraçado que essa conversa acontece enquanto ela está deitada entre os dois. Foi divertido para mim filmar essa cena. Mas eu estava com muito calor dentro daquele saco de dormir, e os takes eram muito longos. Essa cena durava uma eternidade e eu não tinha nada para fazer. Eles passaram as falas, mas eu estava meio dormindo, meio ouvindo as coisas. Eu não me concentrei em ouvir aquela conversa porque ela não deveria estar ouvindo. David disse para deixar entrar um pouco, ouvir um pouquinho e dormir novamente. Isso foi difícil. Quanto a estar entre os dois caras, eu sempre estou entre os dois. E acho muito engraçado que Taylor sempre tem que tirar a camisa.

Você já ficou dividida entre dois caras, assim como Bella?

É difícil pegar detalhes da sua vida pessoal e aplicá-los a uma cena. Por mais que você se identifique com aquele sentimento, você vai se confundir. Assim que você começa a trazer seus problemas, já vem uma sensação de "Não, isso não está certo". Você está interpretando uma pessoa diferente. Você pode se identificar, mas precisa deixar sua bagagem do lado de fora.

Quem beija melhor: Rob Pattinson, Taylor Lautner ou Dakota Fanning [Nota do Editor: as duas se beijam no filme The Runaways]?

[risos] Dakota. Digo isso também porque é a resposta mais fácil.

Você poderia falar sobre como foi trabalhar com David Slade? Você precisou ajustar alguma coisa no seu estilo de atuação para complementar o estilo de filmagem dele, especialmente com todos os close ups que ele fez?

Não. Nós trabalhamos com o mesmo diretor de fotografia em Lua Nova e Eclipse, e eu sempre pergunto o ângulo da câmera. Mas isso é uma coisa que David faz intencionalmente. Ele não te conta onde a câmera está, porque alguns atores ficam neuróticos com isso. Mas não tive que fazer nada de diferente. Você sempre precisa mudar um pouco quando está trabalhando com um novo diretor, mas é legal trabalhar com uma pessoa diferente em cada um desses filmes. Eu apresentei meu personagem ao David, ele conheceu a Bella através de mim. Foi legal deixar uma pessoa nova entrar no grupo. Foi divertido.

Em Amanhecer, você gostaria de se manter fiel ao livro e ter um filme de censura mais alta, ou você acha que isso deveria ser atenuado?

Acho que cada um interpreta o livro de maneira diferente. Meu chute é que será censura 13 anos. Mas não faço ideia, acho que teremos que esperar até que o filme saia.

Já que Amanhecer vai virar dois filmes, você vê ali uma oportunidade de criar duas interpretações da Bella, uma pré-vampirismo e outra pós-vampirismo?

Na verdade, sim. Mal posso esperar para entrar nisso porque estou sempre fora de como seria interpretar um dos vampiros. Tive que pensar muito sobre isso, já que Bella namora sério um vampiro. Então mal posso esperar para realmente ser uma vampira. Vai ser uma viagem. Vai ser esquisito, porque ela realmente muda muito. Acho que ela vai ser a vampira mais legal de todos eles. Ela tem o maior poder, ela é intocável. E ela consegue literalmente proteger todo o clã. E ela é uma ótima mãe também. Acho que será incrível ver como ela mudou desde Crepúsculo, em que ela era uma garota de 17 anos que não se importava com nada além dela mesma, para se tornar essa matriarca.

Você poderia falar sobre seus projetos futuros, além de Crepúsculo?

Vou interpretar Marylou em On The Road. Foi meu primeiro livro favorito, e essa personagem é icônica. Walter Salles será o diretor e sou muito fã dele. Começo a filmar logo depois dessa temporada de imprensa. Em julho começamos um treinamento beatnik de quatro semanas. É um filme pequeno, então ter quatro semanas de ensaios é insanamente legal.

A Saga Crepúsculo: Eclipse já está em cartaz.

Na Estrada
(On the Road) Direção: Walter Salles Estreia em 13/07/12
sobre o filme
Galeria de imagens (54)

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus