Filmes

Jornada ao Oeste | Neil Gaiman adaptará conto ao cinema com supervisão de James Cameron

Produção chinesa agora cobiça Guillermo Del Toro para a direção
-

O produtor chinês Zhang Jizhong está em negociações com Neil Gaiman para que o romancista escreva uma adaptação ao cinema do conto milenar Jornada ao Oeste. A ideia é fazer uma trilogia com um orçamento de pelo menos US$ 100 milhões por filme.

Segundo a Variety, o projeto tem apoio de James Cameron, que dará supervisão no roteiro e também em questões tecnólogicas (como a possível filmagem em 3-D). Para dirigir os filmes, Jizhong quer Guillermo del Toro, amigo de Gaiman e Cameron. "Ele já mostrou interesse, mas quer ver o roteiro antes", disse o chinês.

"Eu gostaria que metade do orçamento saísse da China e a outra metade de Hollywood, mas eu sei que a maior parte do dinheiro virá da China. Anda muito fácil conseguir financiamento aqui", emendou Jizhong. Os longas serão falados em inglês, com um elenco misto de orientais e ocidentais.

Jornada ao Oeste foi originalmente publicado em 1590, durante a Dinastia Ming. De autoria de Wu Cheng'en, conta a história de Sun Wukong, o Rei Macaco, que, com a ajuda de seus poderes mágicos, um monge, o espírito de um peixe e o espírito de um porco, viaja para a Índia com a intenção de resgatar pergaminhos de Buda na busca da iluminação.

Embora seja popular em toda a Ásia, o conto é pouco conhecido no ocidente. A versão mais célebre por aqui é a interpretação livre feita por Akira Toriyama em Dragon Ball. Recentemente, Jornada ao Oeste serviu de mote para o game Enslaved e para O Reino Proibido.

Discuta aqui no site Discuta aqui
O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus