Música

Kendrick Lamar - DAMN. | Crítica

Melhor rapper da atualidade volta com um trabalho minimalista e poderoso
-
Kendrick Lamar novo disco DAMN.

DAMN. é o trabalho mais minimalista de Kendrick Lamar, um rapper amparado por batidas simples rimando brilhantemente sobre suas complexidades, convicções e contradições. Um dos artistas mais completos da indústria, ele não faz apenas músicas, ele trabalha em cima de todo um conceito para criar um álbum – uma arte perdida em um mundo onde artistas preferem lançar uma porção de Singles ao invés de um trabalho completo.

Nos títulos das faixas ele já mostra o que vem pela frente. O retorno ao simples e direto está de cara no título das letras – todas, sem exceção, são apenas uma palavra e estão conectadas de alguma maneira. "BLOOD." (Sangue) é seguida de "DNA.", "PRIDE." (Orgulho) é seguida de "HUMBLE." (Humildade). "LUST." (Luxúria) é seguida por "LOVE." (Amor). Ele não conta uma história de começo, meio e fim como fez em To Pimp a Butterfly, mas filosófa suas ideias em cada canção.

O álbum começa genial, com o rapper contando a história de uma mulher cega que precisa de ajuda e, ao tentar ajudá-la, ele acaba morto com um tiro. A história é uma crítica de como boas ações podem ser desconstruídas e transformadas em coisas maldosas, deixando isso ainda mais claro ao tocar um sample de um repórter da Fox News que pegou um pedaço da espetacular e esperançosa “Alright”, descontextualizou e usou para criticá-lo.

Na sequência ele vem com os dois pés no peito com a fantástica “DNA.”. Pesada e simples, ele exalta os negros ao rimar que ele tem “lealdade e realeza no seu DNA”, “Eu tenho força, ambição, flow no meu DNA” e, ao mesmo tempo, fala de todos os estereótipos impostos ao longo dos anos como “Sexo, Dinheiro e Crimes – nosso DNA”. Genial e com um ritmo único, essa é uma das melhores faixas do álbum.

Ao longo do trabalho ele consegue agradar os mais puristas com raps clássicos e também apresenta canções totalmente feitas para rádio – especialmente com “LOYALTY.”, onde rima ao lado de Rihanna, e “LOVE.”, uma canção onde provavelmente tirou inspiração do trabalho de Drake.

Excelente do início ao fim, o álbum ainda tem uma canção que se destaca: “HUMBLE.”, um rap totalmente atemporal, forte, pesado e uma das melhores canções já feitas pelo artista.

No final, Lamar dá um simples toque que faz toda diferença para o seu conceito: um novo tiro. Em seguida, ele rebobina de volta para o começo e mostra que tudo não passou de uma reflexão sobre a vida quando estamos de olho para morte.

Lançar álbuns é uma arte esquecida. Poucos gostam de trabalhar conceitos e como cada música encaixa na outra. Mas, por sorte, ainda existem músicos como Kendrick Lamar - ouça o disco.

Leia mais sobre Kendrick Lamar

Nota do crítico (Excelente) críticas de Música

Engraçado,essa crítica e você(não estou discordando,longe disso) classificando esse album como minimalista,mas eu achei esse o com maior ar de grandiosidade da discografia de Kendrick,batidas altas,baixos agressivos,rimas também,tudo com ar de desafio;enquanto no pimp a butterfly ou até os outros você tem muito mais subtons e subtramas nas músicas,ideia introspectiva e tal. Acho que é questão de percepção,bom album de qualquer modo. Recomendo a crítica do canal americano ''needledrop''

Altamente cotado para o Grammy e pode ganhar Album of The Year

Ah, mas acho que ninguem de verdade liga para Grammy... se em todas as publicações de respeito (pitchfork, etc e tal) ele for o primeiro, ja ta bom de mais!

The life of pablo e ótimo o que mata e o cunho das canções..sp sobre sexo maioria haha

fale pelo Drake, pq o Views realmente é um saco. Mas o The Life Of Pablo vale as 19 músicas

meu medo é perder novamente pra uma Taylor da vida por ser "a cara da america"

comparar é inevitável, mas To Pimp era um cd experimental como um tema bem centrado, nesse ele mostrou que pode fazer o que quiser com o flow dele e entrar em qualquer vertente da musica com seu rap; Achei superior nesse sentido.

pra falar de alguem tem que ter cacique pra bater de frente...muitos tem medo do Eminem, agora Kendrick mostrou que domina o flow como ninguem

O minimalismo realmente falta nesses rappers de hoje. É um saco ouvir álbuns grandes, com 20 canções, que a partir da 8ª música é só encheção de linguiça... ou seja, poderia ser reduzido para 10-12 músicas. Views do Drake e The Life of Pablo do Kanye ilustram bem isso.

pena é pouco.

Deu pena do Big Sean , com HUMBLE !! HUEHUEUHEUHEUH

Não ouvi... é bom?

Esse album ta um porr@. Bom demais.

Já vazou o album do Gorillaz...

Álbum excelente, acima da média, assim como toda a discografia do artista. Mas achei ele bem abaixo do To Pimp A Buttefly, que sinceramente, acho quase impossível de ser superado um dia.

Bom, teremos Gorillaz daqui a pouquinho... teremos Qotsa e LCD Soundsystem em algum momento desse ano... fora algo surpreendente que pode aparecer. Mas é foda superar o Lamar

O video de Humble é incrível, a música é excelente. Excelente disco! um frescor numa indústria que anda tão mal representada.

concordo, será que ainda tem algo por vir que pode superar?

Album do ano!

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus