Música

Hardwell | DJ comenta sobre Brasil, projeto na Índia e sonoridade

Em entrevista exclusiva destaque da EDM fala sobre carreira e a importância de usar a música para um bem maior
-

Hardwell, no últimos anos, se tornou um dos DJs mais conhecidos do cenário mundial. Conquistando o prêmio de "melhor DJ do mundo" concedido pela DJ Mag, em 2014, o holandês tem uma carreira cheia de êxitos, que decolou de vez após um convite de Tiesto para que ele participasse de uma apresentação na Holanda, junto com o top DJ, em 2009.

Depois disso, Hardwell se tornou presença garantida em alguns dos maiores eventos de música eletrônica do planeta, no ano seguinte abriu seu próprio selo, o Revealed Recordings e, desde então, viaja o mundo apresentando sua mistura de Big Room e Electro House, mantendo a tradição holandesa de domínio dos charts e dos mainstages ao redor do mundo.

Recentemente, o DJ e produtor foi o principal nome da primeira edição do Electric Zoo Brasil e em entrevista exclusiva ao Omelete, por e-mail, falou sobre música, seus sets, viagens, mudanças em seu som e o festival especial que acontece em dezembro na Índia com a função de ajudar na educação de um grande número de crianças. Leia abaixo.

Não dá pra negar que Hardwell é um dos profissionais da música eletrônica que mais se apresenta em estádios ou palcos principais em grandes festivais. No entanto, ele comenta sobre sua preferência por tocar em locais menores, para poder se conectar com a audiência. "Eu amo me conectar com as pessoas em pequenos clubes, porque grande parte das minhas turnês acontece em arenas e também com apresentações nos mainstages dos festivais", mas segue afirmando que mesmo tentando entregar o mesmo nível de paixão em todos os seus shows, as apresentações menores permitem que ele possa abrir mais seu leque sonoro. "Nessas ocasiões eu posso experimentar com hip-hop ou moombahton, dois gêneros que sou fã há um bom tempo, mas que as pessoas não associam com meu som típico. Por isso, quando toco em shows de arena, eu faço um tipo diferente de set, porque o tipo de energia é um pouco diferente e requer um som maior", destaca.

Em conjunto com essa busca por experimentações e a possibilidade de fazer coisas diferentes em shows menores, vêm as viagens, algo inerente a vida dos artistas deste segmento musical e com Hardwell não é diferente. O jovem de 29 anos não reclama das viagens e afirma que a melhor parte de estar sempre na estrada "[...] são os fãs apaixonados para os quais eu  posso me apresentar ao redor do mundo. Eu sempre me inspiro pelos lugares e pela cultura que tenho sorte de experienciar". Mas como todo ser humano, afirma que ficar muito  tempo longe de sua cidade natal, Breda, de seus pais e amigos é algo complicado. "Mas eles entendem que isso é o que eu amo e sempre sonhei em fazer da vida".

Já, quando perguntado sobre as dificuldades de se manter no topo, ele revela que o segredo é ficar atento a tudo de novo que surge no segmento e complementa dizendo que por ser presidente da Revealed Recordings, está sempre em busca de descobrir novas músicas, - artistas, mixes, e nomes que estão surgindo pelo planeta. "Em cada show, eu sempre toco novas músicas, produções que eu ainda estou trabalhando, faixas que ainda serão lançadas pelo meu selo. Eu gosto de manter meus shows interessantes, não importa o tamanho". E justamente graças a essa busca por novidades, "algo que eu amo fazer", Hardwell também destaca que acha importante representar vários estilos. "É isso que me representa como artista e meus fãs sabem disso", mas faz questão de acalmar sua audiência ao afirmar que sempre experimentou, mas não vai mudar seu som para "alguma coisa louca" de repente.

Toda essa conversa sobre mudanças e busca por novidades leva o assunto para o que, musicalmente, ele sente que se alterou em sua forma de pensar e fazer música desde o início da sua carreira. Logo, o DJ conta que, além da evolução como produtor e DJ, ele agora tem mais liberdade para experimentar coisas novas com seus fãs. "Então, se eu quero testar algo ou ir um pouco além do que eles estão esperando de mim, eu tenho a confiança deles para fazer isso". Mas faz questão de ressaltar também que sempre permaneceu fiel as suas raízes na música eletrônica e as suas influências do big-room, sem que isso o fizesse ficar fechado para outras possibilidades, e usa como exemplo a sua colaboração com Jason Derulo e Jay Sean, a qual comenta que mesmo com vocais mais voltados para o R&B ainda manteve sua assinatura.

Outro caso que o produtor aborda é o single que lançou em seu set no ULTRA desde ano, "Creatures Of The NighT", com vocais de Austin Mahone. "Nós criamos uma linha de baixo bacana com um vocal pop".

Brasil
Definitivamente o Brasil está na rota dos grandes nomes e Hardwell sabe disso, com ao menos uma passagem anual pelo país, o holandês amplia o coro de artistas que gostam de se apresentar por aqui e comenta que a principal diferença que sente quando se apresenta no país é "[...]por exemplo, tem essa energia clara e colorida. Eu me inspiro toda vez que vou para aí. Pela vibe do carnaval e pela atmosfera energética". E segue destacando alguns dos artistas brasileiros que devem lançar ou já lançaram tracks por seu selo como FTampa, Sexroom, e Felguk, "grandes talentos". "O som dos produtores do Brasil é energéticos e coloridos, assim como o país de vocês!".

Projeto na Índia
Fechando a conversa, Hardwell abre um parênteses para falar sobre um de seus projetos mais ambiciosos, o World’s Biggest Guestlist Festival, evento que tem por objetivo educar 100,000 crianças indianas. O evento que já foi realizado em 2015, em Mumbai, em conjunto com Guestlist4Good e o programa The Magic Bus, ajudou mais de 18 mil crianças das favelas indianas a receber educação. "Em 2017 nós estamos levando um projeto parecido, que irá durar três dias e será realizado em conjunto com o show United We Are e pra mim isso [educação] é muito importante. Usar minha posição e minha música para um bem maior é algo que eu tenho muito orgulho", finaliza.

World’s Biggest Guestlist Festival acontece em Mumbai, Índia, nos dias 1, 2 e 3 de Dezembro. Conheça o projeto aqui e aqui.

Leia mais sobre Hardwell

Dahora fera, mas e a Musicbox com o Martin Garrix nunca vai lançar msmo :(

MEU DEUS OMELETE Vocês falando do meu ÍDOLO To chorando Posta no faceeeeeeeee

Gosto muito do som dele, mas como outros DJs tops ele fica com o mesmo set em vários festivais, vc escuta o set dele hj e no próximo festival vc escuta e já sabe até como vai ser ele inteiro, prefiro aqueles que criam um para cada ocasião.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus