Michael Caine
Personalidades

Michael Caine

  • Nascimento: 14 de Março de 1933 (Londres, Inglaterra)
  • Idade: 84
  • Atividades: Ator

Michael Caine (nascido em Londres, Inglaterra, em 14 de março de 1933) é um ator e produtor britânico.

Sua carreira no cinema tem início na década de 50 quando participa, como personagem não creditado, na produção Yield to the Night, 1956.  Durante os oito anos posteriores, realiza quantidade expressiva de aparições em diversas produções, mas sempre com pouco destaque e, na maior parte das vezes, não creditadas. A mudança em sua carreira acontece quando vive seu primeiro papel de destaque em Zulu (Zulu,1964). Logo em seguida ingressa na produção para TV, Hamlet at Elsinore, 1964; e é escalado para um papel em Ipcress: Arquivo Confidencial (The Ipcress File, 1965), trabalho pelo qual recebe sua primeira indicação ao BAFTA na categoria de Melhor Ator Britânico. Com o filme seguinte, Como Conquistar as Mulheres (Alfie, 1966), recebe sua primeira indicação ao Oscar e ganha mais visibilidade no mercado norte-americano.

A partir desse momento consegue desenvolver um bom ritmo de trabalho, participando de até quatro filmes por ano. Os destaques dessa fase ficam por conta de Como Possuir Lissu (Gambit, 1966), com Shirley MacLaine, O Incerto Amanhã (Hurry Sundown, 1967), com Jane Fonda, Mago, O Falso Deus (The Magus, 1968), com Anthony Quinn, e Um Golpe à Italiana (The Italian Job, 1969). Na década seguinte, mantém-se desempenhando um consistente fluxo de trabalho, destacando-se em O Último Refúgio (The Last Valley, 1971), no qual contracena com Omar Shariff, seguido por um de seus papéis mais icônicos, Carter – O vingador (Get Carter, 1971).

Em busca de ampliar seu range de atuação, participa de produções como Diário de um Gângster (Pulp, 1972), Jogo Mortal (Sleuth, 1972), com Laurence Olivier, pelo qual recebe mais uma indicação ao Globo de Ouro na categoria Melhor Ator – Drama, Conspiração Violenta (The Wilby Conspiracy, 1975), com Sidney Poitier, e divide a cena com Sean Connery e Christopher Plummer em O Homem Que Queria Ser Rei (The Man Who Would Be King, 1975). Ainda durante a década de setenta, Caine vive um personagem na comédia Dois Vigaristas em Nova York (Harry and Walter Go to New York, 1976), segue para o drama de guerra Uma Ponte Longe Demais (A Bridge Too Far, 1977), mais uma vez com Sean Connery, California Suite, 1978; com Jane Fonda e Alan Alda, e abre a década de oitenta participando do filme Vestida Para Matar (Dressed to Kill, 1980), escrito e dirigido por Brian De Palma.

Seu trabalho seguinte é o terror A Mão (The Hand, 1981), dirigido por Oliver Stone, seguido por Fuga Para a Vitória (Victory, 1981), com Pelé e Sylvester Stalone, e A Armadilha Mortal (Deathtrap, 1982), dirigido por Sidney Lumet, com Christopher Reeve. Em 83 recebe mais uma indicação ao Oscar e ao Globo de Ouro na categoria de Melhor Ator por seu personagem em O Despertar de Rita (Educating Rita, 1983), que é seguido por papéis em O Cônsul Honorário (The Honorary Consul, 1983), com Richard Gere, e Feitiço do Rio (Blame it on Rio, 1984).

Abrindo a segunda metade da década de 80, Caine ganha um papel na produção Hannah e Suas Irmãs (Hanna and Her Sisters, 1986), dirigido por Woody Allen, com Mia Farrow e Dianne Wiest, que lhe rende seu primeiro Oscar na categoria de Melhor Ator Coadjuvante. Logo em seguida ingressa nos filmes Mona Lisa, 1986; dirigido por Neil Jordan, com Bob Hoskins, Half Moon Street, 1986; com Sigourney Weaver, participa do thriller The Whistle Blower, 1986; produz e atua em O 4º Protocolo (The Fourth Protocol, 1987), e participa da série Jack – O Estripador (Jack the Riper, 1988-), que lhe vale seu primeiro Globo de Ouro na categoria Melhor Ator em Minissérie ou Filme produzido para TV. Ainda nesse período, faz parte do elenco de Sherlock & Eu (Without a Clue, 1988), com Ben Kingsley, e de Os Safados (Dirty Rotten Scoundrels, 1988), com Steve Martin.

Na década de 90, Caine desacelera e participa de produções não tão marcantes quanto em outros momentos de sua carreira. Mas mantém-se em destaque com papéis em Destino em Dose Dupla (Mr. Destiny, 1990), com James Belushi, Impróprio Para Menores (Noises Off..., 1992), com Christopher Reeve, O Conto de Natal dos Muppets (The Muppet Christmas Carol, 1992), Em Terreno Selvagem (On Deadly Ground, 1994), com Steven Seagal, World War II: When Lions Roared, 1994; Sangue e Vinho (Blood and Wine, 1996), com Jack Nicholson, e Mandela e De Klerk (Mandela and de Klerk, 1997), com Sidney Poitier. Na sequência, faz parte do elenco de Laura: A Voz de Uma Estrela (Little Voice, 1998), e ganha um papel na adaptação de Regras da Vida (The Cider House Rules, 1999) com Tobey Maguire e Charlize Theron, trabalho pelo qual recebe seu segundo Oscar na categoria de Melhor Ator Coadjuvante.

Já na entrada dos anos 2000, Caine recupera seu prestígio, participando de produções marcantes, mas sem restringir seu range de atuação. Seu primeiro filme nessa fase é Contos Proibidos do Marquês de Sade (Quills, 2000), com Geoffrey Rush, Kate Winslet e Joaquin Phoenix, na sequência participa de O Implacável (Get Carter, 2000), mais uma vez com Sylvester Stallone, seguido por Miss Simpatia (Miss Congeniality, 2000), com Sandra Bullock, O Último Adeus (Last Orders, 2001), Austin Powers em o Homem do Membro de Ouro (Austin Powers in Goldmember, 2002), até chegar em O Americano Tranquilo (The Quiet American, 2002), que lhe rende mais uma indicação ao Oscar, dessa vez, na categoria de Melhor Ator.

Logo em seguida ingressa no elenco da minissérie Freedom: A History of Us, 2003; com participações de Tom Hanks, Kevin Kline, Stanley Tucci, Ralph Fiennes, Morgan Freeman, Matthew McConaughey, Kevin Spacey, Brad Pitt entre outros.

Ainda na primeira metade dos anos 2000 também participa da produção Lições Para Toda Vida (Secondhand Lions, 2003), com Haley Joel Osmente Robert Duvall, e The Statement, 2003; com Tilda Swinton. Em 2005 inicia uma parceria duradoura com Christopher Nolan, ao ser escalado para o longa Batman Begins (Batman Begins, 2005), com Christian Bale, Liam Neeson, Gary Oldman e Morgan Freeman, posteriormente participando das sequências Batman: O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight, 2008), com Heath Ledger, e Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises, 2012), com Tom Hardy, Joseph Gordon-Levitt, Anne Hathaway e Marion Cotillard.

Durante esse período também faz parte das produções A Feiticeira (Bewitched, 2005), com Nicole Kidman e Will Ferrell, O Sol de Cada Manhã (The Weather Man, 2005), com Nicolas Cage, Filhos da Esparança (Children of Men, 2006), dirigido por Alfonso Cuarón, com Julianne Moore, Clive Owen e Chiwetel Ejiofor, O Grande Truque (The Prestige, 2006), dirigido por Christopher Nolan, com Christian Bale, Hugh Jackman e Scarlett Johansson, Um Jogo de Vida ou Morte (Sleuth, 2007), com Jude Law, Um Plano Perfeito (Flawless, 2007), com Demi Moore, Is Anybody There?, 2008; Harry Brown, 2009; A Origem (Inception, 2010), com Leonardo DiCaprio e Ellen Page, mais uma vez dirigido por Nolan, e ainda realiza dublagens para as animações Gnomeu e Julieta (Gnomeo & Juliet, 2011) e Carros 2 (Cars 2, 2011).

Após essa longa fase de atividades realizadas com Christopher Nolan e alguns dos atores mais conhecidos dos anos 2000, Caine ingressa no thriller Truque de Mestre (Now You See Me, 2013), com Jesse Eisenberg, Mark Ruffalo e Woody Harrelson, seguido por O Último Amor de Mr. Morgan (Mr. Morgan's Last Love, 2013), O Refúgio de Stonehearst (Eliza Graves, 2014), Interestelar (Interestellar, 2014) e Kingsman: Seerviço Secreto (Kingsman: The Secret Service, 2014), dirigido por Matthew Vaughn, com Colin Firth, Taron Egerton e Samuel L. Jackson.

 

Curiosidades

O nome real de Michael Caine é Maurice Joseph Micklewhite. Porém, seu nome artístico atual, não foi sua primeira escolha, já que em seus primeiros trabalhos no teatro utilizou Michael Scott. No entanto, quando decidiu mudar-se para Londres, seu agente o informou que outro ator utilizava esse nome. Assim, enquanto falava ao telefone, viu o cartaz do filme The Caine Mutiny, 1954; e adotou o sobrenome Caine.