HQ/Livros

Harry Potter | 20 anos após lançamento, série continua a transformar vidas

Magia de J.K. Rowling reflete na literatura, no cinema e constrói caráter dos fãs
-

Foto: Talita Ellen


Era quinta-feira, 26 de junho de 1997, quando chegava às livrarias do Reino Unido o primeiro volume daquela que se tornaria a série literária mais vendida de todos os tempos. Recusado por 12 editoras, Harry Potter e a Pedra Filosofal teve uma tiragem inicial de 500 exemplares – baixa até mesmo para um autor estreante. Mas uma magia poderosa levou Joanne Rowling adiante: 20 anos depois, Harry Potter comprova sua longevidade, mantendo influência sobre a antiga legião de fãs e conquistando admiradores que sequer existiam naquela memorável quinta-feira.

Vira-tempo

Desempregada e recusada pelos editores. Mesmo fortemente desacreditada, J.K. Rowling parecia já prever seu sucesso. “Ele vai ser famoso, uma lenda. Todas as crianças em nosso mundo conhecerão seu nome!”, disse a sábia Professora McGonagall nas primeiras páginas do primeiro livro sobre "O menino que sobreviveu". A previsão foi certeira: juntos, os sete volumes da série venderam cerca de 450 milhões de cópias em 79 idiomas e 200 territórios ao redor do mundo.

Fenômenos como esse são importantes para mostrar que a literatura sempre pode surpreender, mesmo num mundo repleto de opções de entretenimento de grande apelo”, diz Monica Figueiredo, editora dos livros da série na Rocco, responsável pela publicação no Brasil.

Em Hollywood, Potter também fez mágica, arrecadando 7,7 bilhões de dólares com oito blockbusters e a mesma quantia com produtos licenciados. À parte, é claro, de três parques temáticos, uma peça teatral recordista de prêmios, um derivado ganhador de Oscar e, talvez o mais importante: uma legião de fãs.


Poção do Amor?

São eles a base desta pirâmide multibilionária, e J.K. Rowling não precisou de Poção do Amor para conquistá-los. A autora ultrapassou fronteiras – de línguas, culturas e idades –, moldando, de certa forma, até os valores morais dos fãs.

“Acho que parte do sucesso tem a ver com a genialidade da ideia principal da história, de que existe um mundo mágico secreto bem debaixo de nossos narizes”, opina a escritora carioca Renata Ventura, cuja série A Arma Escarlate (Editora Novo Século) traz para o Brasil cinco escolas de magia. “São muitos elementos necessários para fazer um livro de sucesso tão grande quanto Harry Potter. Dentre eles, o intercâmbio de estilos, pois na trama há aventura, suspense e romance, associado à discussão de questões universais e atemporais, de orfandade a política”, completa Monica, da Rocco.

Muito antes da existência do Twitter e da publicação de Morte Súbita (Editora Nova Fronteira), seu romance de crítica social, Rowling já mostrava opinião forte sobre diversas questões. Em 2014, um estudo europeu publicado no Journal of Applied Social Psychology indicou que os leitores de Harry Potter são menos preconceituosos e mais empáticos. “Por um lado, através dos livros podemos deixar de lado uma vida monótona e frustrante e ir ao encontro de um mundo de magia e aventuras. Por outro, somos confrontados com a realidade escancarada de um mundo com preconceitos, violência, injustiças e intolerância”, explica a psicóloga e fã Mariana Moreira, de 24 anos. “É mais fácil identificar esses problemas em uma realidade paralela, para depois se dar conta de que são os mesmos que temos em nosso próprio mundo.”

"A comunidade de fãs é tão inclusiva quanto a própria história”, conta o jornalista Luiz Guilherme Boneto, de 26. “Nascida em uma família trouxa (não-bruxos), Hermione é alvo de preconceitos, mas é a bruxa mais inteligente de sua idade; Dumbledore, o maior bruxo de todos os tempos, é gay. Assim, não interessa sua origem, religião, gênero ou sexualidade: o fandom estará sempre de portas abertas.”

Em comemoração, a editora britânica da série publicou quatro novas edições de A Pedra Filosofal, destacando as casas de Hogwarts. Imagem: Divulgação/Bloomsbury.


Relíquias

Ao completar 20 anos de sua primeira publicação, torna-se indiscutível: o que os fãs sentem por Harry Potter não é uma paixão efêmera. Afinal, a série literária mudou por completo o rumo de muitas vidas e deve conquistar ainda muitas outras.

É o caso da mineira Karen Soares, que foi apresentada à história aos 16 anos, por sua irmã e, hoje, aos 29, cativa na filha Karina, de 7, o amor pelo Mundo Bruxo. “Muito mais do que entretenimento, Harry Potter representa parte da minha vida e, por meio dos livros, passo a minha filha os valores morais transmitidos na história, de justiça e perseverança.”

Semelhante à Karen, a paraense Eliene Martins, que tem 35 anos e é fã há 16, acentua que incentivo não significa imposição: “Comecei a ler para eles antes de dormir, sempre intercalando com outras histórias, preocupada em não impor minha paixão. Mas eles gostaram tanto que chegaram a insistir para eu ler mesmo quando estava cansada e não queria. É maravilhoso ver a empolgação e a emoção espelhada nos olhos dos seres mais importantes de sua vida.”

Orgulhosa, Karen conta que a própria filha pediu que o tema de sua festa fosse Harry Potter. Foto: Talita Ellen


Potter em Orfanatos

Ao refletir sobre como a história do menino bruxo havia incentivado milhões de crianças a descobrirem o prazer da leitura, a escritora Renata Ventura pensou: por que não influenciar aquelas mais carentes? Órfãos, como o próprio Harry. Então, surgiu o Potter em Orfanatos, que reúne milhares de voluntários em todo o país para visitarem casas de acolhimento e fazerem uma leitura encenada dos primeiros capítulos de A Pedra Filosofal.

Ao fim de cada visita, uma coleção dos livros da série é doada para que as crianças possam continuar a ler por conta própria. “Talvez torne um pouco mais suportável o fato de elas morarem em uma casa de acolhimento com outras crianças”, contempla a criadora do projeto. “Algumas são órfãs, como Harry, outras vêm de lares abusivos, também como Harry, então existe a possibilidade de elas se identificarem com a história e passarem a ver seu dia-a-dia com um pouco mais de magia.”

Em 2011, durante a première de Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2 no Rio de Janeiro, o ator Tom Felton (Draco Malfoy) foi recebido com euforia pelos fãs brasileiros. Fot: Alexandre Durão/UOL.


Fã sites e YouTube

Presentes em todo o mundo via internet, outros grandes responsáveis por manter a magia viva são os fã sites, ativos no Brasil desde a década passada, e o PotterTube, inaugurado em 2013 pelo jornalista Thiego Novais.

O Observatório Potter explica, de um jeito muito simples, todas as questões da história. Embora eu recomende muito, você não precisa ler os livros para ser fã”, argumenta Thiego, que produz conteúdo sobre a série desde os 13 e hoje, aos 27, fez da paixão seu trabalho. “A possibilidade de fazer outras pessoas descobrirem e se apaixonarem por esse universo me encanta.”

É um trabalho feito de fã para fã, mas, mesmo assim, somos um intermédio entre a marca e o fandom”, explica a cineasta Marina Anderi, que, aos 21, é gerente de conteúdo do Potterish, o maior fã site sobre a série no Brasil. “Receber o agradecimento caloroso dos fãs e ser premiado pela própria autora supera qualquer recompensa financeira.”

Influenciada principalmente pelo meio online, a designer de moda Lúcia Robertti é um exemplo da nova geração de fãs. “Quando veio o boom de Harry Potter, eu era chata. Dizia que não gostava da série quando, na realidade, nem a conhecia”, lembra entre risos. “Eu não queria ler, ou assistir, pelo simples fato de que todo mundo estava elogiando. Essa supervalorização me incomodava.”

No entanto, quando entrou para o Cabine Literária, um canal no YouTube dedicado à literatura, Lúcia conta que começou a se sentir excluída, como se Harry Potter fosse um clássico obrigatório e, ela, a única que ainda não tinha lido. Ano passado, aos 21 anos, a jovem, então, resolveu dar uma chance. Comprovando a longevidade da obra de Rowling, ela confessa: “Não tem jeito, mesmo tendo lido tantos outros livros, Harry Potter sempre aparece como base ou exemplo para temas dos quais quero falar.”

Animais Fantásticos e Onde Habitam: uma nova era da magia. Imagem: Warner Bros. Pictures/Divulgação.


Até 2024, os fãs não precisam se preocupar: mais quatro filmes de Animais Fantásticos estão a caminho, e em 2018, de quebra, a peça Harry Potter e a Criança Amaldiçoada estreia na Broadway. E nas palavras da própria criadora, “Hogwarts sempre estará lá para recebê-los em casa.”

Leia mais sobre Harry Potter

Harry Potter e a Pedra Filosofal
(Harry Potter and the Sorcerer´s Stone) Direção: Chris Columbus
sobre o filme

Nostalgia. Lembro que ganhei a primeira edição brasileira do livro em agosto de 2000 - bem antes de sair o filme. O nome Harry Potter escrito numa fonte Times New Roman, erros estranhos no texto (Draco era "Drago" e lembro que havia um personagem que era ELA, mas depois virou ELE), mas foi assim mesmo que li o livro, e viciei na leitura. Não em Harry Potter, mas na leitura! A saga em português li apenas até o 4º livro, os últimos 3 encarei a leitura no original britânico e adorei. . Não havia os Potterheads ainda, apenas "o pessoal que gosta de ler". . Lembro ainda das grandes discussões que aconteciam no fórum do Aluado, achava interessante os boatos, diziam que o último livro se chamaria "HP e a Fortaleza Verde" (algo do tipo kkkkkkkkkkk). . Fez parte da minha infância, mas deixei de acompanhar os escritos no último livro mesmo. Não me atraiu ler os livreto de Contos, nem o roteiro-livro. ((teria feito caso fosse romanceado)) . Enfim, acredito que HP tornou-se um clássico. Algo que era muito debatido se ele poderia ser chamado assim na época. .

HP é a jornada do herói... imagino qual criança (e muitas viviam em situações semelhantes a nosso amigo Harry) não gostaria de se descobrir em um mundo mágico e cheio de aventuras. J.K conseguiu criar algo belo, inocente e duradouro. Tanto nos livros como nos filmes (que mesmo como adaptações e tirando muita coisa legal, conseguirem representar bem a obra) vemos os personagens crescendo e passando por provações (tanto que ao final, chegam completamente diferentes do primeiro livro). Por isso digo, HP é uma metáfora de crescimento, amadurecimento, amizade e a descoberta do amor. São temas universais, que nunca envelhecem, por isso essa obra foi e continua sendo um enorme sucesso. Já vi muitos fãs inveterados, e muitos haters também, eu mesmo confesso que não sou um Potterhead, mas boto minha mão no fogo pelo que essa autora conseguiu, espero que essa mitologia fantástica que ela criou sobreviva por muito tempo, como o próprio Harry.

A franquia da minha vida... Curto mto Star Wars e tal, mas posso falar com orgulho que sou da geração Harry Potter...

Só gente feia na Foto. PQP, será que as pessoas bonitas n curtem H.Potter?

Não é só uma história de um mundo mágico e fantástico. É uma história de amizade, lealdade, preconceito, discriminação, revisão de valores, bravura, ecologia, poder, política, ideologia, escolhas, esperança, amor e muito mais num mundo mágico e fantástico criado pela JK. Aprende-se com cada personagem que ela criou.

Harry Potter... só sei sentir! Conheci a saga na escola, ao me deparar com Câmara Secreta na biblioteca. Não sabia do que se tratava, mas li metade... na época não entendi direito e fiquei sabendo que era o segundo da coleção. Fui atrás e achei A Pedra Filosofal para ler... o amor bateu logo em "Você é um bruxo, Harry!". Nunca mais parei de ler ou assistir! É muito amor!

O artigo fala que é a série literária de maior sucesso de todos os tempos, só um cego discordaria disso.

Ótimo texto! Eu não tenho palavras pra descrever o quanto Harry Potter significa na minha vida. Minha irmã de 10 anos sente um apreço enorme pela saga mesmo tendo nascido anos depois do início de tudo e nesse momento, enquanto estou no trabalho, ela está vestida de Hermione em casa pra comemorar os 20 anos da saga; sem contar que pela manhã ela fez vários óculos de papelão com "20" desenhado nas "lentes" e me presenteou com eles kkkk

Meu Deus!!! Que sensacional ver minhas fotos aqui! Fotógrafa potterhead com uma família potterhead só podia dar nisso <3 hahahhaa Muito obrigada Omelete por divulgar as fotos e dar os créditos!! <3 Para quem quiser ver o ensaio completo: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1654562317911152.1073742086.462606137106782&type=1&l=1f267357d8

Conheci Harry Potter em 1997 e li em 2000 quando foi publicada , foi uma série de livros maravilhosos , tinha um encanto e brilho que me fascinou por aquele mundo de Hogwarts . Discordo em ser a melhor saga de livros que existe , mas de certo foi umas das poucas sagas que tirou a criançada dos games para entrar no universo literário . Para sempre Hogwarts , Para sempre Grifinória

Whaaaat o Dumbledore revela tudo pro Harry nesse livro (OdF),como é chato? O filme eu concordo que é meio pombo KKKKKK Assim como Calice de Fogo e Enigma do Príncipe que foram adaptados fracamente.

Já tinha 20 anos na época, se ver hoje ainda sentimos a mesma sensação.

Me influenciou de uma maneira como nenhuma outra história fez!

Conheci Harry Potter através dos filmes,mas me apaixonei pelos livros e por tudo que envolva esse maravilhoso universo!

Lançaram versões aquém a qualidade da obra, aí depois que acaba, lançam versões bonitas kkkk

É muita cara de pau do pessoal da Rocco, depois do descaso com que eles tratam os livros vir falar alguma coisa, comprei os sete volumes juntos, além dos erros de português ainda as capas de alguns vieram soltas ou paginas não coladas, falta de respeito com os compradores, a autora e os livros, deviam ser processados. Ganham tanto dinheiro por um trabalho porco.

HP é fantastico, como não se apaixonar por esse universo magico maravilhoso?, eu como um admirador de livros de fantasia, a cada livro que lia de HP ficava admirado pela construção daquele mundo, em minha opinião é a terceira melhor obra literária de fantasia que já tive o prazer de ler, fica atras apenas do universo criado por Tolkien e os livros de Patrick Rothfuss

Foi por 10 anos minha saga favorita, até chegar os livros finais de Gane Of Thrones, e depois o Nome do Vento e também O Temor do Sábio que é o livro mais incrível que já li.

Sobre ser fã de Harry Potter aos 26 anos: "Mesmo depois de tanto tempo?" - Dumbledore. "Sempre." - Snape. :')

E o megalodon obeso acefalo ataca outla vez

Amo Harry Potter, foram, e são, os melhores livros que ja li na minha vida, quantas horas eu ja perdi vendo as aventuras Harry, Ronni e Katniss na escola de magia e bruxaria de panem, as desavenças com o Quatro, mas no final depois de Uma Prova de Fogo e vencer o Lord Sith podiamos respirar aliviados, EU TE AMO JK Martin, Harry melhor saga!

toda vez que eu assisto o plimeilo hally potter, eu me sinto uma cliança, aquele filme é espetacular, todos são, com exceção da "Oldem da fenix" que até o livro é chato. Vida longa a hally potter, maior saga

Cadê o botão de curtir desse texto?

onde fica a Liberdade de expressão. kkkkk Tem cada palavra que eles bloqueiam.

Nao sei se é a moderação do Omelete ou do Disqus, mas tá estranho msm kkkk

Minha saga favorita de filmes fantásticos desde sempre! Cresci assistindo e me recordo das boas sensações ao assistir cada novo filme. Harry Potter define meu conceito de nostalgia da infância, pelo menos que se refere a filmes. #saudades

Mudei m ã e pra m@e e foi. Eita omelete, cada filtro hein! hahahahaha

/Que estranho, o omelete bloqueou este comentário Eu lembro da minha m@e lendo trechos desse livro pra mim antes dos filmes saírem, um dia eu perguntei pra ela o que acontecia depois e ela disse para eu ler. Quando eu peguei pra ler MESMO, depois de algumas tentativas fracassadas, eu comecei pelo Prisioneiros de Azkaban que até hoje é o meu favorito. Li a Pedra Filosofal depois, ler e reler Harry Potter virou um costume. Hoje estou lotado de livros técnicos que vão se empilhando cada vez mais, olho para as edições de Harry Potter na minha estante e penso em jogar tudo para cima e relê-los pela enésima vez.

Harry Potter e um dos filmes, mesmo você assistindo de novo, passa a mesma sensação de que assistindo pela primeira vez a mesma coisa acontece com o livro.

a serie HP foi a minha porta de entrada para a leitura, os personagens e o universo criados pela a JK fizeram minha infancia e pré adolescencia

Foi o primeiro livro que li na minha vida (Tinha 9-10 anos), desde então não parei de comprar mais e mais livros.

A esperança é algo bonito de ser ver nos livros, assim como a aceitação, Luna Lovegood, meu alter ego, estranho não quer dizer algo ruim, além que em todo momento ela ser integra com sua personalidade e emoções. Obrigado por trazer essa personagem J.K <3

Eu tinha muito preconceito com Harry Potter. Quando eu era criança não entendia porque que todo mundo ficava pirando nesses livros. Passei minha infância inteira ignorando o Harry e achava muito superestimado. Até que ano passado, aos 18 anos, li Harry Potter e a Pedra Filosofal, e foi uma experiência transformadora! O que mais me impressionou é a riqueza dos temas abordados no livro de uma forma muito sutil. Está tudo lá; diversidade, aceitação, respeito às diferenças, tolerância. Enifim, posso dizer sem sombra de dúvidas que esse livro mudou a minha forma de enxergar a vida. Obrigado J.K. Rowling por compartilhar com a gente a história do menino que sobreviveu!

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus