HQ/Livros

As principais histórias de Morbius, o Vampiro Vivo

Vilão do Homem-Aranha tem seus momentos de anti-herói
-

Assim que o código de censura que vigorava sobre os quadrinhos americanos foi revisto no início de 1971, personagens sobrenaturais e de horror deixaram de ser proibidos na Marvel e na DC, o que deu início a uma onda de histórias do gênero. Naquele ano nasceu Michael Morbius, um bioquímico premiado que realizou experimentos em si mesmo para tentar remediar uma condição sanguínea e acabou ganhando traços vampíricos.

Como vilão do Homem-Aranha e em histórias solo, com perfil de anti-herói, Morbius nunca teve um grande status na Marvel, mas ainda assim é um dos principais vampiros da casa. Na galeria abaixo listamos as principais histórias de Morbius, o Vampiro Vivo:

MAIS LISTAS

Sim, populares foram às ruas carregando faixas e cartazes pedindo um filme do Morbius. O trânsito tá caótico!

Eu gosto do personagem, de todos os filmes que anunciaram e o único que me interessei em ver, da para seguir uma parada terror, ação sobrenatural.

Quando criança, eu ficava intrigado com Morbius, pois ele se chamava "o vampiro vivo". Gostava quando era desenhando por Gil Kane. O arco "Os Filhos da Meia-Noite" é muito bom.

Não teve também uma história em que o Morbius foi preso e julgado pelos seus crimes e a Jennifer Walters, a She-Hulk, defendeu ele como advogada dele como um agradecimento por ele ter curado ela de uma doença?

Uma das primeiras historias que eu li do Aranha tinha o Morbius como antagonista. Foi uma historia que me marcou e dali, praticamente, comecei a ler quadrinhos.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus