Séries e TV

13 Reasons Why | Com produção de Selena Gomez, série da Netflix discute suicídio adolescente

Além de machismo, homofobia, estupro, automutilação...
-

Enquanto livro, Os 13 Porquês vendeu mais de dois milhões de cópias e marcou leitores em 35 países ao redor do mundo desde o seu lançamento em 2007. Na trama, ao voltar da escola, Clay Jensen encontra uma misteriosa caixa com várias fitas cassete gravadas por Hannah Baker, sua colega de classe e paixão secreta. Ou melhor: ex-colega de classe. Afinal, todos sabem que a garota se suicidou. O que apenas 13 deles estão cientes, porém, é que Hannah decidiu narrar em detalhes as razões que a levaram a tirar sua própria vida: “Talvez eu nunca saiba por que vocês fizeram o que fizeram. Mas eu posso fazê-los sentir como foi.

Produzida por Selena Gomez, a adaptação da Netflix de 13 Reasons Why abre espaço para um relato amplo e autêntico dos problemas que fazem parte do cotidiano juvenil: machismo, homofobia, estupro, automutilação, bullying e outras diversas injúrias emocionais. Mais do que isso, faz pensar sobre o poder das palavras: para quem diz, pode não significar nada; para quem escuta, pode ser letal.

As pessoas estão sofrendo e merecem ser escutadas”, publicou Gomez, que já falou publicamente sobre depressão, em seu perfil no Instagram. Anos atrás, junto à mãe, a cantora se sentiu tão tocada pelo livro que decidiu levar a discussão adiante. À época, a ideia era produzir um filme onde ela mesma interpretasse Hannah. No entanto, a história encontrou um formato diferente e  Gomez não quis mais atuar: “Estava passando por um momento muito difícil quando iniciamos a produção. [...] Nas gravações do último episódio, fiquei acabada só de ver aquilo tudo tomar forma. Quis ter certeza de que, apesar de tudo, ainda estaria um pouco distante do projeto”, relembrou em um painel da Netflix no início de fevereiro.

Adaptadas em 13 episódios, cada um com quase uma hora, as 250 páginas de Jay Asher serviram como esqueleto para o roteiro da série, que corrige graves deslizes de estruturação e continuidade do livro. Ao contrário de muitos filmes e séries vindos da literatura, em 13 Reasons Why a expansão da história é coerente à narrativa e dá consistência à trama.

Um exemplo claro de preenchimento são os personagens, que no livro são construídos sem quaisquer nuances, sobre um único arquétipo. Na série, o elenco, composto predominantemente por estreantes, encaixa-se bem aos novos arcos de seus papéis e entrega boas atuações. Ao condensar os dramas de Clay, especialmente nas cenas de explosão emocional, Dylan Minnete é um dos que mais chama atenção. Ademais, é emocionante ver Kate Walsh (Grey’s Anatomy) expressar tão genuinamente a dor de uma mãe que acabou de perder a filha de maneira tão trágica quando sequer estava ciente do problema.

Apesar de muitas vezes não receber a devida atenção - principalmente no caso de adolescentes -, o suicídio mata uma pessoa a cada 40 segundos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Seja 2007 ou 2017, esta sempre será uma discussão indispensável, e o apoio de uma potência como a Netflix e de uma influenciadora como Selena Gomez só tem a acrescentar.

Os 13 episódios de 13 Reasons Why já estão disponíveis na Netflix - leia a crítica

Leia mais sobre 13 Reasons Why

Galeria de imagens (18)

Sou Psicóloga e este é meu comentário sobre a série! https://www.youtube.com/watch?v=5gDcYwkxPK0&t=8s

Pé no saco! Não aguento mais o politicamente correto e os casos esparsos sendo elevados a bandeiras de guerra!

Curti essa série não (opinião minha então...)

É bem pesado mesmo, principalmente os capitulos finais, mas é um tema que tem que ser assistido por todos.

Bem maduro da sua parte #Sqn

Azar o seu. Está perdendo de assistir uma série do car#$@%

Gatinha essa protagonista.

Até o momento não tive tempo de ler o livro, mas quero muito. Sinto que vai ser uma ótima série.

Não sei se você sabe, mas existe um termo em português para review: crítica. E isso aqui não é uma crítica. É um artigo. Assim como uma matéria, um artigo é escrito seguindo uma pauta - a diferença entre um e outro é que, nele, além de informar também pode-se estabelecer "juízo de valor" sobre os pontos; criticar. Acalme-se, Omelete provavelmente publicará uma crítica da série mais para frente. Por fim só não entendi sua insistencia em alegar que ele não leu o livro quando voce por outro lado nao assistiu a série pra ter base de discordar ou concordar com ele

Pq mesmo?

Desculpa, eu achei que você estava interessada em fazer um comentario sério e fiz um alerta, mas ja vi que você só quer discutir e estar certa....

ão sei se você sabe, mas existe um termo em português para review: crítica. E isso aqui não é uma crítica. É um artigo. Assim como uma matéria, um artigo é escrito seguindo uma pauta - a diferença entre um e outro é que, nele, além de informar também pode-se estabelecer "juízo de valor" sobre os pontos; criticar. Acalme-se, Omelete provavelmente publicará uma crítica da série mais para frente.

Ugh, a premissa é interessante e eu gosto de ver uns dramas adolescentes de vez em quando, mas parece pesado demais pro meu gosto, eu particularmente detesto tragédias. Mas como é uma série da Netfilx eu talvez dê uma chance.

Mas esse artigo não é um review. Ele apenas comparou o conteudo do livro com o conteudo da serie enfatizando as questoes que devem voltar a ser discutidas com o alcance que a Netflix oferece...

Ainda bem que não virou filme com a Selena Gomez...

To louco pela estreia da série e pra poder relembrar a história, já que faz anos que li/ouvi o livro.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus