Séries e TV

13 Reasons Why | "Culpar série por suicídio é como culpar termômetro pela febre", diz psicóloga

Profissionais da saúde mental e jovens que já tiveram tendências suicidas falam sobre série da Netflix
-

Baseada no best-seller homônimo publicado em 2007 pelo norte-americano Jay Asher, 13 Reasons Why mal chegou à Netflix e já se tornou a série mais popular do catálogo nas redes sociais. Em meio a críticas predominantemente positivas, no entanto, uma importante discussão foi levantada: a forma como o suicídio é retratado na atração.

Efeito Werther

Elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2000, o Manual de Prevenção do Suicídio para Profissionais da Mídia aconselha assiduamente que sejam evitadas descrições detalhadas do ato e do método utilizado. Isso para impedir que sirva de gatilho para indivíduos em situação de risco e promover um Efeito Werther – tese de que o suicídio, quando amplamente divulgado, torna-se contagioso. Contudo, em 13 Reasons Why, a cena de morte da jovem Hannah Baker é extremamente gráfica.

"Trabalhamos muito para que a cena não fosse gratuita, mas o objetivo era ser doloroso de assistir. Queríamos que ficasse muito claro que não há absolutamente nada que valha um suicídio", argumenta o produtor Brian Yorkey no documentário Tentando Entender os Porquês.

Uma decisão ousada, mas arriscada. "Para a maior parte das pessoas, pode até ser que tenha um efeito positivo, mas para aqueles que estão em situação de risco, é perigoso", alerta Luís Fernando Tófoli, doutor em psiquiatria pela Universidade de São Paulo, que se posicionou negativamente à série em sua página no Facebook.

"Eu tenho um paciente de 13 anos com esquizofrenia recém diagnosticada, duas internações psiquiátricas e vários episódios de automutilação e tentativas de suicídio. Para ele, que está vulnerável à realidade, eu desencorajo fortemente", exemplifica a psicóloga Danielle Zeoti. "Mas a instabilidade já existe, e culpar a série pelo suicídio de alguém é como culpar um termômetro por diagnosticar uma febre", completa, com uma visão mais otimista.

Para ambos os profissionais, é consenso que uma recomendação proibitiva não é válida. "Não se trata de uma situação polarizada", explica Tófoli. Entretanto, antes de assistir, alguns fatores devem ser considerados: a classificação etária (16 anos) e a avaliação da situação mental em que o espectador se encontra, por exemplo.

Os dois lados da moeda

Para a estudante Bianca, de 18 anos, que sofria de depressão e já tentou suicídio, a série foi positiva: "Eu não consigo enxergá-la como gatilho. Além de ser uma enorme lição àqueles que praticam bullying, é um porto seguro para quem está sofrendo. A identificação traz a sensação de que não estamos sozinhos".

Já para Júlia, que tem a mesma idade e enfrentou situações parecidas, tal identificação não foi positiva. "Eu me identifiquei demais com a forma que Hannah enxerga a vida; não consigo ver o lado positivo das coisas. E ver aonde isso a levou foi extremamente assustador – e se acontecer o mesmo comigo?", conta a garota, que voltou a ter crises de pânico e ansiedade e precisou retomar urgentemente a terapia depois de assistir à série.

A conversa precisa continuar

Atualmente, o suicídio mata mais que guerras, homicídios e desastres naturais em conjunto. Em 2012, foram mais de 800 mil vítimas em todo o mundo; uma a cada 40 segundos, de acordo com a OMS. Lançado pela Netflix, que possui mais de 100 milhões de assinantes em quase 200 países, é indiscutível: 13 Reasons Why trouxe à luz uma discussão profundamente importante. Dez dias após sua estreia, a busca pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) aumentou em 445%. "Antes, muitas pessoas nem sabiam que existiam serviços de ajuda como esse", enfatiza Tófoli.

Mas o assunto não pode parar por aí. "É necessário fornecer acesso a medidas eficazes de prevenção. A maioria dos casos de suicídio são premeditados, não impulsivos. Hannah deu sinais, buscou por ajuda – e no lugar certo. O conselheiro deveria ser um profissional preparado para acolhê-la, perceber o risco e atuar. Mas, como em muitas escolas ao redor do mundo, quem ocupa aquela cadeira é alguém extremamente incompetente", lamenta a psicóloga.

"Temos que estudar quais serão os efeitos [da série], mas sempre procurar aproximar especialistas no assunto daqueles que criam o produto artístico, para evitar algo que aumente riscos", finaliza o psiquiatra.

Onde buscar ajuda

O CVV oferece ajuda 24 horas por dia, via telefone, Skype, chat, e-mail e presencialmente. Para mais informações, acesse www.cvv.org.br ou disque 141.

Galeria de imagens (18)

Vou contar uma coisa aqui... Tive problemas com depressão durante dois anos.. Tomei remédio e fiz psicoterapia durante este período... Tive ajuda porque fui atrás e nunca tive preconceitos com cuidados referentes a saúde mental... Estou dizendo isso visto que se criou um tabu frente a esse assunto... As pessoas não podem falar sobre psicólogos e psiquiatras pois acabam quase sempre taxadas ou de doidas ou de frescurentas... E por essa razão consegui entender bem a situação da Hannah... A própria personagem que sofria de problemas psicológicos visíveis não conseguia ver o quadro em que se encontrava... A mesma colocou em suas fitas sua visão sobre sua situação... Porém, isso não significa que seja a verdadeira razão... Acho que as pessoas que assistiram a série e a taxam de romancear o suicídio estão com um problema de interpretação de fatos... Primeiro, porque a cena do suicídio foi seca, brutal e cruel... Nada romântica... Segundo, porque as pessoas esquecem que é só a visão de uma personagem e que isso não precisa ser necessariamente "a verdade" lembrando que Hannah fez uma interpretação exagerada na fita do Japonês... Terceiro... é a visão de um personagem sobre a perspectiva de outro... Ou seja, a impressão romanceada fica por conta da perspectiva do Clay... Que analisa os fatos de uma forma romântica por ter sentimentos pela personagem; mas, basta olhar a visão dos demais personagens para ver que a maioria não enxerga as circunstâncias como o Clay... Volto a defender a série. Não vou dizer que a série foi perfeita e não pecou, contudo, essa quantidade absurda de críticas negativas são exageradas e desnecessárias... Estão praticamente condenando um produto e ignorando os pontos positivos... Quanto aos gatilhos... Isso é relativo... Eu assisti número 23 na época que estava ruim e fiquei 2 noites sem dormi e tive vômitos e tremores durante esses dias... Não trazia o suicídio como premissa, mesmo assim a atmosfera pesada me fez mal... O que quero dizer é que isso é relativo, pois Tom e Jerry pode ser um gatilho para um psicopata sair matando... Eu não sei se assistiria ao show se estivesse ruim... Perguntaria ao meu médico eu acho... Só acho que enquanto as pessoas continuarem analisando a série como um programa para pessoas que tem essa tendência vai continuar complicado... A série tem mais haver com o que você pode fazer sobre... Não tem intenção de jogar a responsabilidade de um suicídio nas costas de ninguém como a maioria anda interpretando... Tem mais haver com a impotência e passividade de uma sociedade que não conversa sobre isso... Que não vê o quanto o bulliyng pode agravar uma situação... Além de uma crítica ao padrão educacional estadunidense.... Sabe quando o Clay diz algo como "devemos nos tratar melhor"... Então... Essa é a premissa da série...

Uai, mas nos EUA e Coreia do Sul os jovens n jogam videogame? kkkkkkkkkkkkkkk Acho q tudo faz parte de uma cultura. Mas jogos violentos deveriam ser evitados por pessoas mais jovens. É melhor prevenir do q remediar

Tb achei a serie mal escrita. Os personagens agiam de forma sem sentido algum.

Vc toma seu exemplo como regra. O que não é muito inteligente, concorda? Casos q se resolvem com psicologo podem ter um tratamento com remedios q causam alterações e mantém a pessoa dependente da medicação e não resolve o problema. Em outra situação, casos q deveriam ser resolvidos com medicamento n teriam sucesso com psicologos. Fora que existem psicologos e psicologos, psiquiatras e psiquiatras. Medicamentos e medicamentos. Não dá pra fazer essa comparação q vc fez dizendo q um é mais eficiente q outro.

Polêmico, mesmo. Mas se exste uma mínima chance da série funcionar como gatilho, entao eles deveriam levar em consideração as recomendações da OMS. O exemplo da psicologa foi ridiculo: "Mas a instabilidade já existe, e culpar a série pelo suicídio de alguém é como culpar um termômetro por diagnosticar uma febre". Ninguem com febre vai ficar mais com mais febre pq viu um termometro. Mas uma pessoa suicida pode identificar boas razões e motivações pra de fato consumar o suicídio..

Bem confuso, rs e pesado, e acredite, ser pesado nas palavras não o deixa com a razão, rs.

Olha, eu faço tratamento pra depressão e ansiedade, e passei por muitas coisas nesse período de escola. Assisti à série, que infelizmente não me fez bem. Realmente aconteceu o tal "gatilho", as recordações voltaram, assim como o pensamento suicida... Acho que isso vai de cada um... cada um reage de um modo...

Então está explicado, do jeito que você responde cada comentário acredito que queira mesmo. Pois é, procure ajuda, nunca é tarde

Mano, procura no Google o seguinte "estatísticas do suicídio no Brasil", não vou discutir nem nada, vou deixar que o Google te mostre os índices de suicídio, até eu me assustei quando vi que o suicídio é o segundo maior caso de morte entre jovens no mundo. Enquanto uns afirmam que a série pode servir de gatilho, o CVV teve um aumento de %400 na procura de ajuda, sendo que muitas dessas pessoas relatam a série

A arte já influenciou casos de suicídio, como quando ocorreu uma onda de suicídio após o lançamento do livro "Os Sofrimentos do Jovem Werther", de Goethe.

agr em uma pessoa que não tenha nenhum problema mental grave um jogo violento,não vai transforma la em um assassino ou algo parecido é obvio

é claro que é menor,o que eu falei é q jogo(e outros tipos de entretenimento) extremamente violento pode influenciar uma pessoa CASO ela JÁ tenha vários problemas de desordem mental

Aprende a interpretar o lesado mental

se a série ou não vai ser um gatilho pra o suicídio isso depende do grau de debilitação da doença em cada pessoa(ainda n assisti a série ,mas gostei que mesmo polemica ela incentivou a debater sobre o assunto)

Não. Mas pode estragar o psicológico de alguém.

Uma pessoa n se suicida por causa de uma série de TV

Pessoas que tem tendência ao suicídio possuem esta condição independente de uma série que fale sobre isso... Hannah Baker me pareceu uma menina com transtornos psicológicos sérios além de depressão... A série deixa nas entrelinhas a existência de um quadro clínico para a situação da personagem talvez porque o principal objetivo fosse abrir um diálogo sobre este tipo de problema que é uma constante na sociedade... Frequentemente somos abordados por situações deste tipo... É o garoto de medicina do campus que apareceu morto na piscina da faculdade, a professora que se mata e deixa um filho pequeno... Enfim... quadros que podem ser agravado com bullying e outras situações... A série teve a intenção exata de chamar as pessoas para uma conversa sobre uma tendência perigosa, além de nos alertar sobre a forma que tratamos o semelhante... Essa foi a premissa principal de 13 Reasons Why e não outra... Existem séries que falam sobre "n" coisas nocivas.... E nem por isso as pessoas vão explodir um hospital, participar de um grupo neonazista e quebrar os dentes de uma pessoa no meio-fio de uma calçada... Se for olhar para a industria televisiva e cinematográfica com esses olhos, não vão faltar incentivos a fazer coisa errada... Eu assisti alguns clássicos dos anos 90 em algumas de minhas aulas de educação sexual na época de escola: " O Diário de um Adolescente" e "Kids"... Isso é bem relativo... O maior problema aqui é culpar um filme por fazer sua função: retratar a sociedade... As pessoas deveriam falar mais sobre isso e procurar entender em que lugar se inicia essa problemática... A série é excelente... Inclusive quando alerta os telespectadores do quão pesadas são algumas cenas... Não vejo razão para acusações do naipe que estão fazendo não... Talvez a netflix pudesse ter trazido alguma informação amais quanto ao peso do produto porque realmente é uma série que todos deveriam ver, porém, nem todos de fato podem... Enfim... Acredito que acontecimentos em massa acontecem por uma causa não analisada e tratada como se deve e não por um programa de televisão tentar fazer as pessoas falarem sobre isso...

Que ridículo.

A série é sombria, fantástica e influenciável. Não sou alienado nem nada disso, mas só acho que o problema dessa série é a mensagem que está passando...

A série, até o pouco que assisti, parece ter pelo menos uma premissa perigosa: que o suicídio é responsabilidade dos outros ou das circunstâncias e não da própria pessoa. Se num campo de concentração as pessoas achavam esperança, por que não numa escola?

tem que ser alienado pra ligar a série com isso

''Vocês culpariam GTA pq algum adolescente jogou o jogo e decidiu sair na rua matando pessoas? Culpariam os filmes do Batman ou Matrix por causa das pessoas que se inspiraram nesses filmes para fazerem massacres?'' Depende, dependendo da sanidade mental da pessoa, pode influenciar. Como aquele garoto do Assassin's Creed há alguns anos atrás, o moleque já era perturbado. Existe classificação indicativa pra isso.

Tem que ser muito alienado pra negar a ligação dessa série com os suicídios que vem acontecendo...

Muitos se solidarizam, mas existe uma necessidade nessas pessoas de "mostrar que está querendo se suicidar". É disso que falo: as pessoas ficam na lenga-lenga por meses a fio a tal ponto que quem no início "ajudava" passa a tirar sarro.

Sempre quis atenção.

Você com certeza nunca esteve dentro de um hospital psiquiátrico para realizar tal comentário sobre medicação psicotrópica. Além do que, colocar ordem de hierarquia é um assunto como esse é tolice. A mesma tolice que levou seus pais a uma visão simplista para o tratamento do seu problema, e a mesma tolice em não saber que um neuropsicólogo se aproxima mais um psiquiatra do que de um psicólogo social, que se aproxima de um sociólogo.

Acho que quem quer atenção é você meu jovem, procure ajuda, não tenho certeza mas acho que retardo mental pode lhe causar uma vida triste e sem nenhuma perspectiva

Mas o que eu mais li das pessoas foi que os suicidas deveriam ter procurado outra forma. Então me diz... Essas pessoas nas redes sociais não estão pedindo socorro? Pq ninguém tenta ajudar? Até concordo que tem alguns que só querem chamar atenção. Mas é uma situação que eu não consigo lidar muito bem.

Ana, ninguém tem dó de suicida.

Ai Ai Ai Ana Darwin, policiando os comentários, e policiando muito mal! Eu disse: "uma pessoa se matar por influência de uma série"....não disse que o ato de suicídio é o centro do assunto, mas sim a pessoa fazer isso por causa que assistiu uma série. Se isso acontecer, que acredito que não acontece, esse indivíduo esta com um novo problema ainda não catalogado. Ahh, a base da teoria de seleção natural pode sim ser aplicada em outras áreas do conhecimento, principalmente na antropologia geral.

O problema é que tem muito suicida pra pouca rede social. A rede social virou uma vitrine; facebook hoje é palanque de suicida enchendo o saco, o tempo todo. As pessoas perdem a paciência, ninguém tolera resmungão fazendo "ameaça" de suicídio o tempo todo. Quando então o cara mete uma bala na cabeça, a pessoas já não aguentavam mais e praticamente agradecem pelo feito.

É um incentivo, óbvio. Pelo menos a série não inventou o suicídio da fedelha fazendo ela se jogar na frente de um carro, envolvendo um inocente nas artimanhas de uma louca.

Olá Gabi, tudo bem? (resposta do outra pergunta) Zero doutorado, sou comunicador e minhas especializações-badges são em comunicação e planejamento, e as infos que passei no comentário foi uma crítica a metodologia estrutural da matéria. Psicólogos são eficientes no campo das idéias, mas Depressão é doença do corpo primeiro Psiquiatras para sanar a baixa produção de monoamina-neurotransmissor as famosas serotonindas, depois entram os Psicólogos para tratar alguma resistência-sofisma no campo das idéias. Agora, se você espera de mim alguma especialização técnica de saúde, não tenho, mas sofro da doença - hoje diagnosticado e medicado - e talvez por ignorância dos meus pais tratei da doença por anos com psicólogos, uma doença química-hormonal foi tratada como um sofisma, uma resistência de pensamento. Até que a situação tornou-se impossível e o choque e através de psiquiatras o veio o diagnóstico final e os remédios e hoje vivo normal. O que me deixa intrigado (meme renatasorrah) na matéria é que o especialista do caso não é o psicólogo, mas o Psiquiatra - autoridade no assunto depressão - fala sobre o perigo da série e o título da matéria dá crédito ao Psicóloga. Sem tirar ou colocar mérito em ambos, mas fazendo uma análise de currículo, como você fez questão de me exigir, talvez os dos colaboradores matéria possa lhe a ajudar: Tofóli: Psiquiatra é Doutor em Psiquiatria, entende-se 5 anos de formação médica-geral, 3 anos de residência médica, 2 anos de mestrado (mínimo), 2 anos de dourado (mínimo). Zeoti: Psicóloga pela USP.

Ai, que nojo...

Zero doutorado, sou comunicador e minhas especializações-badges são em comunicação e planejamento, e as infos que passei no comentário foi uma crítica a metodologia estrutural da matéria. Psicólogos são eficientes no campo das idéias, mas Depressão é doença do corpo primeiro Psiquiatras para sanar a baixa produção de monoamina-neurotransmissor as famosas serotonindas, depois entram os Psicólogos para tratar alguma resistência-sofisma no campo das idéias. Agora, se você espera de mim alguma especialização técnica de saúde, não tenho, mas sofro da doença - hoje diagnosticado e medicado - e talvez por ignorância dos meus pais tratei da doença por anos com psicólogos, uma doença química-hormonal foi tratada como um sofisma, uma resistência de pensamento. Até que a situação tornou-se impossível e o choque e através de psiquiatras o veio o diagnóstico final e os remédios e hoje vivo normal. O que me deixa intrigado (meme renatasorrah) na matéria é que o especialista do caso não é o psicólogo, mas o Psiquiatra - autoridade no assunto depressão - fala sobre o perigo da série e o título da matéria dá crédito ao Psicóloga. Sem tirar ou colocar mérito em ambos, mas fazendo uma análise de currículo, como você fez questão de me exigir, talvez os dos colaboradores matéria possa lhe a ajudar: Tofóli: Psiquiatra é Doutor em Psiquiatria, entende-se 5 anos de formação médica-geral, 3 anos de residência médica, 2 anos de mestrado (mínimo), 2 anos de dourado (mínimo). Zeoti: Psicóloga pela USP.

Kd seu doutorado?

Que nojo da sua pessoa, dizer que quem comete o ato quer atenção mostra que vc não tem cérebro e deveria fazer o mesmo

Extremamente.

Que ser desprezível você é.

Discordo dela, mas beleza. '-'

Kkkkkkk

Tu é da area de saude mental? Psiquiatra > Psicólogo= Depende do enfoque. Corpo e Hormonios > Campo das idéias= ja´ouviu falar de epigenetica? Depressão > estado depressivo= meio obvio, mas me pergunto se tu sabe diagnosticar e diferenciar um do outro.

Antes de falar besteira por aí, procure entender sobre o que vai falar. "Seleção natural", pelo jeito nem sabe o que é, não se aplica aqui. Suicídio não tem a ver com seleção natural.

Exato, esse é um dos grandes problemas. Se a pessoa tem uma doença física, tudo bem, será compreendida e terá apoio de outros... Agora, se o problema for mental, aí é um monte de gente apontando o dedo e rotulando como fresco, fraco, ou dizendo coisas como "quer se matar? vai em frente", "faça um favor para o mundo e se mate logo" ou coisas semelhantes. Isso quando não vem com aqueles papos de "isso não é nada, tem gente com problemas maiores".

Até acreditam, apenas não ligam. Infelizmente muita gente desdenha, diz que é frescura, ou que é coisa de gente fraca "então que se mate mesmo"... Coisas do tipo.

Lucas Amirati acho que você está confundindo o filme Anticristo... Anticristo é um filme de 2009 e nem é de terror (alguns sites até o classificam assim, mas tá mais para drama do que terror).

Hannah era um menina complexada e que queria atenção. Ela grava fitas antes de se matar na tentativa de incriminar seus algozes. Tal qual a maioria dos suicidas, não consegue deixar de encher o saco sozinha. Assim como o suicida que se joga de um prédio e acaba por estragar o carro de outra pessoa, Hannah resolveu criar seu espetáculo de choramingos e de ser, finalmente, ouvida. Conclusão: ela traz a desgraça para a própria família e é comida pelos vermes não sem antes sujar uma bela banheira. Fim.

Em suma, Hannah é um menina complexada e que queria atenção. Ela grava fitas antes de se matar na tentativa de incriminar seus algozes. Tal qual a maioria dos suicidas, não consegue deixar de encher o saco sozinha. Assim como o suicida que se joga de um prédio e acaba por estragar o carro de outra pessoa, Hannah resolveu criar seu espetáculo de choramingos e de ser, finalmente, ouvida. Conclusão: ela traz a desgraça para a própria família e é comida pelos vermes não sem antes sujar uma bela banheira. Fim.

Como série é fantástica, como alerta e tanta critica, eu me pergunto, se tivermos 100 pessoas com tendencias suicidas que assistam a série é dessas 100 50 ficarem melhor e 50 ficarem pior a ponto de ser o empurrão que faltava, a série tera sido ruim? Quero dizer, é simplista, mas pode-se dizer que a série teria corroborado com o salvamento de metade e com a morte de metade? Será que essa outra metade não encontraria mais a frente algo que incentivasse? Quero dizer, basta uma pesquisa no Google para saber uma forma de se suicidar, entendo que a oms tenha uma porrada de pesquisa em cima disso, mas será que a série não conquistou o propósito? Que é alertar sobre o tema, e dar um tapa na cara de quem culpa a pessoa que cometeu bullubg e corroborou com o suicídio?

Amigo, preocupe-se com o cartão de crédito.

Isso é por que vc se identificou com quem foi criticado provávelmente

Ia escrever um textão, mas fica só esse: Psiquiatra > Psicólogo Corpo e Hormonios > Campo das idéias. Depressão > estado depressivo. Bjos.

Mas se fosse videogame...

Já tive depressão com pensamentos quase 24h de suicídio, sei que tenho que me cuidar até hoje mas a série em nada me despertou vontades. Mexeu muito? Demais. Fiquei dias pensativo e relembrando a tal cena? Sim. Mas como a jovem da matéria falou: 'é um porto seguro para quem está sofrendo. A identificação traz a sensação de que não estamos sozinhos'.

Sinceramente não gostei dessa serie, achei longa demais, o conteudo podia ser facilmente transmitido em 8 episodios, mas eles optaram por fazer um trocadilho com o titulo da serie e isso deixou a serie MUITO lenta e chata. Outro ponto foram os personagens que ao meu ver não foram bem trabalhados, todos pareciam ter a mesma personalidade, sem contar que a protagonista me deu mais raiva do que pena.

A serie e boa ao que se propõe..e funcionou , gerou debate, que venham outras , que abordem sobre o assunto...

Obviamente não vai influenciar pessoas saudáveis psicologicamente . Mas que pode fazer pessoas suscetíveis, pessoas que já estão sofrendo de depressão.... talvez possa sim. Que nem aquele jogo da Baleia Azul, quem joga aquilo são pessoas já suscetíveis a cometer suicido. O jogo só e um empurrãozinho pra quem tá a beira do precipício. Mas a serie tem ao menos o mérito de se falar desse tema. Já que suicídio é um baita de tabu. Lembrando que na grande imprensa não se noticia suicídio, dizem que e pra não incentivar a pratica.

metáforas são boas porque não precisa de nenhum dado científico, é só soar bonito que já convence qualquer um.

Mas e simplista mesmo! Tú quer entender de depressão mais que um psicologo que trabalha e conhece o problema de perto!

Eu tenho opinião que alguns pode considerar polêmica,mas na questão de jogos,por exemplo,JOGOS VIOLENTOS,sinceramente acho que um jogo tipo GTA,não vai transformar alguém em um assassino,ou ter tendencias violentas,CASO a pessoa não tenha alguma desordem mental PORÉM... Eu acredito que se a pessoa tiver não só problemas mentais,mas na vida em geral em vários aspectos que podem afetar o psicológico da pessoa,ai sim,eu acredito que JOGOS violentos,podem ser o ''empurrão'' ou ''gatilho'' que faltava para a pessoa fazer algo violento...

Fazendo um parentese.....as vezes a gente tem a janela que podemos ter, mas e nossa escolha pular dela, ver algo bom nela ou lutar pra sair dali, com ou sem ajuda....

Odeio série teen(até por isso relutei em assistir de inicio), mas reconheço que essa é boa. Realmente tem uma mensagem e tema interessante para discutir. Não é como se fosse uma série de adolescente estilo Teen Wolf, Pretty Little Liars, etc. Logico não é a melhor série da história como alguns retardados dizem, mas é muito boa sim.

Eu achava a msm coisa sabe concordo com tudo,mas como amigo em cima disse não há nenhuma vingança,apenas os motivos,como o próprio título da série propõe,te recomendo a assistir o 1ep,acho que é uma ótima série para qualquer faixa de idade.

coitados das pessoas q se suicidam por casa dessa serie, eles não estao bem psicologicamente , estao precisando de ajuda. A serie nada tem culpa , porq a verdade q eles não estão com o psicológico bem...

O omelete perde a oportunidade de debater a questao sem se colocar como parte pos ou contra esta polemica.....pra eles a onda agora e "vamos causar porque so assim temos vitrine"

Hannah, a garota que se suicida, deixa as fitas indicando os motivos que a levaram a se suicidar. Na fita não tem nenhuma instrução para se vingar de cada um deles, aliás não faz sentido tu querer vingança e gravar fitas que serão ouvidas justamente pelas pessoas que em tese ela queria se vingar. Quem decide começar a se vingar é um outro personagem que ouve a fita, ou seja, não é como se a Hannah tivesse deixado instruções para matarem cada um dos que fizeram algo para ela. Quem toma essa decisão é outro personagem.

A janela e culpada pela paisagem ou eu que tenho que mudar pra ver uma paisagem melhor em outra janela!?

Culpar 13 razosn por suicídio é a mesma coisa que dizer que os jogos de briga entre torcidas que a RECORD vive falando naquele Jornaleco realmente cria futuras brigas de torcidas.

Incentivo e algo que cada um usa para se chegar ao que se deseja. Portanto, nunca consegui compreender esta onda de usar qualquer dramatizaçao como algo que induz a alguns. O catilho quem aperta e o proprio individuo. Mas e mais facil culpar os outros ou algo. "Eu" sou sempre a vitima!!!......a humanidade ainda nao consegue compreender que todos sao responsaveis por todos incluidos os "si" mesmos.

Eu ainda não assistir a série. Acredito que seja mais um série superestimada pelo púbico da Netflix. Busca-se ao cometer suicídio, solucionar todos os problemas que lhe aflige, que lhe tira toda força de potência e afirmativa. A pessoa que suicida não busca culpado, muito pelo contrário, essa acha-se fraca, responsável pela sua deplorável condição e incapacidade. Eu posso estar errado, mas, pelo que vi, a moça que cometeu suicídio buscou os culpados por tal ato. Ela se coloca no quadro que descrevi? Tenta-se falar do tema de maneira séria, mas comete certos equívocos, que leva ao público acreditar que é de fato dessa maneira.

Se existe ou não possibilidade de efeito negativo pode estar a ser discutido, agora que essa chamada do Omelete é completamente irresponsável, isso é.

Artigo bem superficial, que induz com um título sensacionalista ao entendimento contrário do que realmente propões a psicóloga. Parece mais uma carta em defesa ao Netflix do que um posicionamento sério sobre o assunto. Estranhei não achar nada relacionando a um post patrocinado. Que é realmente o que parece.

mas é realmente simplista

O problema da série é que ela enaltece o suicídio de modo a fazer pensar que isso seria uma boa estratégia para se vingar das pessoas que ficam. Para quem tem depressão e males similares a série pode acabar sendo SIM um incentivo ao suicídio!

Isso. A série não esta ai para fazer apologia ao suicídio (já li sobre essa afirmação), essa associação ao jogo "baleia azul" prejudica a real discussão, que é o fato dos jovens crescerem e dos pais, deixarem de ser "adolescentes com filhos". Os pais precisam ensinar e acompanhar seus filhos, conversar e deixar claro que estão prontos para ouvir. Creio que essa medida, já seria suficiente pra evitar muitas tragédias.

E a Record ontem fez uma reportagem falando de suicídio e em um momento dela aparece um dito "psicólogo" dizendo que essa série aborda o tema de forma simplista ¬¬

Apesar de eu nao querer assistir a serie por nao querer ver algo triste (escolha minha e somente minha nao fui incluenciado por nada) acho importante a serie para mostrar o q leva uma pessoa a cometer algo tao triste como o suicidio e mostrar para os Bullies as conseuqencias q suas ações podem trazer. Como disse antes nao assistirei a serie, pelo menos nao por enquanto, mas a parabenizo por tratar de um tama tao polemico mas q ao msm tempo merece toda a atencao

Acho que minha visão de "fora" achei a serie bem fraca e arrastada, mas tem gente que praticava bullying e parou pela serie, e acho que para pessoas com problemas qualquer coisa pode ser um gatilho. Mas não da pra culpar uma serie se os numeros aumentarem.

Credo que matéria ruim. Achei a série de muito mal gosto

Ótimo Thanos. Conversar é a chave para iniciar um contra ataque. Ficar isolado não vai resolver. Os adolescentes estão ficando cada vez mais mimados e afastados dos pais, isso é culpa do muitos pais também, pois não souberam se impor como educador e se tornaram amiguinhos adolescentes dos próprios filhos. Onde estes filhos irão buscar ajuda? É preciso quebrar a barreira dentro dá própria família, só assim, estas "crianças" deixaram de dar ouvidos a jogos e gatilhos de verdade espalhados pelas redes sociais.

Isso. Vivemos no mundo real, não somos artistas que possuem "uma bolha" que os separam da realidade das pessoas comuns. O mundo não é lindo e maravilhoso, é cruel e difícil de se viver. Observe, a quantidade de porcaria que é espalhada pelas redes sociais, um local de fantasias e maravilhas, onde todos estão sempre lindos e felizes, prato cheio para "baleias azuis" da vida.

Aos poucos tá mudando, mas ainda falta muito, acho que tem muito a ver com a falta de informação do nosso povo... parece que se você tem os dois braços funcionando e as duas pernas então nada está errado ..

Eu gelei quando quiseram proibir o counter strike 1.6 aushauhsuhsa

Concordo, filmes como essas servem pra abrir nossas mentes dormentes que existe muito mais desgraça por ai do que agente imagina. Pelo menos é o caso de beasts of no nation, anticristo eu assisti quando criança e não lembro de quase nada...quando criança lembro de ter achadomeio bosta (na época o terror japonês era o "must" uashuahsuas)

O foda é a associação que estão fazendo entre a série e a baboseira difundida pelos abtolados que vivem com a cara em redes sociais. Sou pai e já recebi inúmeros textos sobre a relação entre o tal jogo "Baleia azul" e "13 Reasons Why". Vejo a série muito mais como um alerta ao problema do que um gatilho para mais suicídios. É extremamente importante conversar com nossos filhos, sobrinhos etc. Se você é adolescente, não tenha medo de se abrir com o seu pai, avó, tio, irmão mais velho etc. Não caiam nessas baboseiras das redes sociais, busquem ajuda na sua família. Certeza que irão encontra alguém que possa ajudar.

Parabéns pela matéria, o Omelete devia ter mais como essas, com cunho mais jornalistico, são interessantes e ajudam em discussões mais profundas que Marvel V Dc por exemplo.

Quando a pessoa tem uma tendência ao suicido qualquer coisa por mais banal q possa parecer vai dar a ela o empurrão para fazer isso e serie na minha opinião mais ajuda do q atrapalha pois joga luz em temas delicados que evitamos de debater

Sim. Me lembrou daquele episodio do livro Seduction of the Innocent. Que criou na decada de 50 nos EUA, uma histeria associando hqs com delinquencia e outras cousas.

Jogos, filmes, músicas Etc. Sempre tem essa discussão. A trilogia do Nolan passou por isso. Jogos Bandas de hardrock/metal. É cíclico.

tem coisas q só podemos ver qnd estamos muito bem e feliz com a vida.

Beast Of No Nation, é um retrato bem cru de um conflito entre milícias africanas. Serve para alertar e conscientizar sobre o mundo em que vivemos. O mundo real, é cruel e não tem nem um pingo de fantasia. Vale muito a pena assitir. A pele que Hábito, é um belo filme, merece audiência. Anticristo eu não vi. E 13 Reasons Why, vou assistir assim que tiver tempo. Não sei os motivos que fizeram você desistir ou deixar de ver estes filmes/séries, porém é sempre bom entender que estamos diante de ficção e representação da realidade mesmo que, nem sempre seja a realidade da nossa vida cotidiana.

A série apenas abordou um tema que quase não se fala. Pelo que eu sei, o livro da qual a série foi baseada ajudou várias pessoas, com a série acho que vai acontecer o mesmo, na verdade já está ajudando, muitas pessoas começaram a procurar ajuda. Uma coisa que as pessoas tem que entender é que as pessoas se matam e isso nunca vai mudar, não falar sobre isso, não significa que o problema não exista.

Ótima matéria. Parto do princípio que qualquer obra pode incentivar qualquer pessoa a cometer qualquer ação. Tb defendo o 'impactar pra conscientizar'. A série trouxe resultados positivos e negativos. Não é uma série de auto-ajuda, é apenas uma ficção com temas sérios que acontecem na vida real. Popularizam um assunto outrora tão ignorado de forma que mexa com o público e que ocorra debates. E não tiveram medo de polemizar. Por mais depressiva que seja, sempre temos alguns personagens buscando um fio de esperança em meio a todo o caos. 'A arte imita a vida, a vida imita a arte'.

Tem alguns filmes e/ou séries que eu até queria mas prefiro não ver. Anticristo (do Lars von Trier) , A Pele que Habito, Beasts Of No Nation e agora 13 Reasons Why. Infelizmente não tenho estrutura pra isso...

minha sobrinha fala que incentiva o suicídio porque a serie é comercial .

Acho que a série não foi bem em explorar o assunto. Eu gostei bastante, mas ela deixa a desejar em vários pontos. O que mais me assusta é que muita gente colocou sua opinião desnecessária sobre o tema nas redes sociais. Digo desnecessária pq parece que não acreditam que suicídio existe.

Não tem como assistir a cena final do suicídio e achar legal ou inspiradora.

Mas não duvido nada,se mais pra frente aparecer alguma "autoridade" ou político cheio da "vontade de mostrar serviço" e querer banir ou censurar a série.Algum tempo atrás na cabeça dessa gente,jogos eletrônicos eram (ou são) responsáveis por determinado tipo de violência.Devemos ter cuidado com esse pessoal.

As pessoas não conversam sobre assunto de depressão, ansiedade, tristeza Se uma pessoa tem cancer e avisa outras, ela recebe ajuda, doação, apoio De uma pessoa tem depressão e avisa as outras, ela é tida como fraca....ou em alguns casos, doida Isso na maioria das vezes acho que isso precisa mudar, a serie pode ajudar a criar um debate

Uma pessoa se matar por influência de uma série (que é muito tosca por sinal), isso só fortalece a teoria de seleção natural.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus