Séries e TV

Justiceiro | Primeiros episódios revelam série mais madura e visceral da Marvel na Netflix

Confira as impressões iniciais da série solo de TV do anti-herói dos quadrinhos
-

A nova incursão da Marvel na Netflix, Justiceiro, é para quem tem estômago forte e capacidade apurada de reflexão crítica. Depois da apresentação de Frank Castle em Demolidor, o homem marcado pelo terror da guerra ganha os holofotes para si em uma trama que mostra a dificuldade de fazer justiça em função do quão passível de ser relativizado esse conceito pode ser. Os quatro primeiros episódios se empenham para, antes da trama principal começar a engrenar de fato, ratificar o tempo todo o quanto o protagonista violento é paradoxalmente uma pessoa fragilizada. Jonh Bernthal dá vida a um homem quebrado por situações que são produto de uma sociedade que precisa ser repensada urgentemente.

Justiceiro, como não poderia deixar de ser em se tratando de uma série sobre um homem cujos traumas são frutos de um conflito bélico que realmente aconteceu e que por muito tempo teve destaque nos noticiários da vida real, assume um forte teor político em determinados momentos. Logo no primeiro episódio há uma cena que mostra um grupo de apoio liderado pelo ex-fuzileiro naval Curtis Hoyle (Jason R. Moore) e expõe o discurso problemático de um homem dizendo que é preciso "fazer algo sobre os babacas liberais politicamente corretos que estão levando os EUA para o buraco querendo tirar nossos direitos e nossas armas" - a história, que não usa didatismo exagerado, coloca essa afirmação em xeque sem dificuldade.

O próprio Bernthal já havia dito que esperava que a série alimentasse um debate sobre políticas para controle de armas nos EUA e Ben Barnes, que interpreta Billy Russo na trama, comentou que "a violência na série é para causar desconforto e mostrar o desgaste dos personagens ao serem violentos; ninguém é louvado por ser violento, especialmente se estiver usando armas" - saiba mais. Essa preocupação de não glamourizar conflitos e agressividade é muito óbvia e importante, mas isso fica claro quando, a todo momento, é fácil sentir empatia pela dor do protagonista, mas beira o impossível tratá-lo como um exemplo. Ao contrário de heróis clássicos, é difícil que alguma criança afirme que gostaria de ser o Justiceiro na mesma proporção que desejaria ser, por exemplo, o Homem-Aranha.

Há uma necessidade que circunda a série o tempo todo que é a de pontuar o quanto tudo ali é fruto de instituições, comportamentos e homens problemáticos. A Marvel já havia obtido êxito em humanizar seus heróis na Netflix com, por exemplo, Demolidor, evitando colocar o protagonista em um pedestal maniqueísta onde ele personificasse o bem. Matt Murdock (Charlie Cox) já apresentava conflitos pelo seu prazer em aplicar com as próprias mãos seu conceito de justiça - não por menos, Castle foi introduzido na série do herói cego. Em Justiceiro, essa discussão atinge sua forma mais robusta: Frank Castle não é exatamente o tipo de salvador que as pessoas querem para proteger sua vizinhança - pelo contrário, é possível que muita gente queira só que alguém tão problemático como ele fique distante. O que, obviamente, não faz dele um vilão, mas, nem de longe, o torna a definição perfeita de um mocinho.

Ainda sobre as outras séries da Marvel na Netflix, parece que Justiceiro reúne um pouco do melhor delas. Em Luke Cage, temos um homem que é vítima de um sistema legal que legitima exclusões sociais - o primeiro inimigo do herói acaba sendo a própria instituição que deveria lhe garantir segurança. Em Justiceiro, como já havia sido visto na série do herói do Harlem, existe uma forte problematização acerca do papel nocivo de um governo repleto de interesses escusos, mas ainda mais explícita, se é que isso parecia possível. Avaliando Jessica Jones, há a narrativa de uma heroína pouco carismática e, principalmente, completamente abalada psicologicamente pelos traumas que fizeram com que ela se tornasse o que é. Frank Castle também está fragilizado pelas coisas perturbadoras que aconteceram em sua vida e isso faz dele um personagem multifacetado e incrivelmente interessante.

As escolhas de elenco funcionam muito bem no geral, mas Jon Bernthal fica com os principais créditos. O ator já havia se revelado uma boa escolha para adaptar o personagem dos quadrinhos, mas, em sua série solo, isso fica ainda mais claro. Há muita interpretação nos longos silêncios de Frank Castle e muito sofrimento implícito nas horas de colocar a violência em prática através de golpes secos e efetivos. O ator carrega o personagem disfuncional por diversas emoções sem precisar muito esforço e sem soar falso ou exagerado. É um ponto muito positivo que, apesar da violência física não ser economizada na trama, os momentos mais dolorosos são os que dizem respeito a cicatrizes psicológicas.

Além de Bernthal, Amber Rose Revah, a agente Dinah Manami, criada especialmente para a série de televisão, faz um bom trabalho na hora de introduzir sua personagem na história e o núcleo que a circunda é bem contruído, indo desde o chefe com potencial para se revelar um sujeito abusivo até o parceiro que garante um breve e quase imperceptível alívio cômico em uma série extremamente pesada. Há também o rosto conhecido Deborah Ann Woll, a Karen Page de Demolidor, engrossando a lista de personagens com histórias traumáticas - as interações entre Karen e Frank funcionam justamente pela disfuncionalidade compartilhada por eles.

Justiceiro apresenta uma narrativa que começa na injustiça e, na tentativa de fazer justiça, cria-se uma bola de neve de outras injustiças - cada personagem tem sua própria noção de certo e errado, de bem e mal e, ao colocar as próprias convicções acima das dos demais, todos acabam se atropelando violentamente. Ainda que, à princípio, Justiceiro soe como a história de um homem buscando vingar a família assassinada, a série só funciona se o espectador estiver disposto a ver além disso - os quatro primeiros episódios já deixam a dica ao colocar o próprio protagonista questionando até que ponto suas ações foram determinantes no seu presente. O mais interessante, no fim das contas, é que os primeiros episódios da série cumprem bem seu objetivo: após apresentar a espinha dorsal que irá sustentar a história por 13 episódios, é difícil pensar em deixar de acompanhar o programa. E não é, nem de longe, a tarefa mais confortável do mundo: Justiceiro não desvia o olhar nem para espirrar sangue e quebrar ossos, nem para mostrar as dores que Frank Castle carrega na alma.

A estreia de Justiceiro acontece na Netflix em 17 de novembro.

Leia mais sobre Justiceiro

Galeria de imagens (147)

Sim, nas primeiras histórias até o Superman matava. Essa moral foi sendo construída com o tempo e eu acredito realmente que o verdadeiro herói não se considera um Deus, dono da vida e da morte. Não quero dizer que desgoste do Justiceiro ou outro que faça isso, mas essa moral faz toda a diferença para personagens como Batman, Superman ou até mesmo Homem Aranha. Por sinal, estou gostando demais da série do Justiceiro, até onde vi, muito bem feita.

na verdade , o batman foi baseado num personagem que matava . batman usava pistola e matava na primeira versão. pra não virar plagio , resolveram criar o código de não matar. depois disso esse código passou pra todos os super-heróis que a gente conhece.

to achando que a serie do Justiceiro está sendo feita com a jornada do vilão. ele inicia como vilão , no meio ele fica mais bonzinho e no final vira o vilão de novo.

mas o justiceiro é um vilão.

Não vai não

Para ver que uma boa adaptação pode trazer assuntos relevantes e atuais. Um bom papel de hqs e outros entretenimentos nas mãos de roteiristas inteligentes e hábeis, e um frescor para as mentes ávidas por coisas novas e ideias diferentes para crescer e ser até um ser melhor.

Olha, isso não me faz não gostar de BvS, muito pelo contrário - gostei do filme. Mas como disse antes, na minha visão, um herói salva, entrega para a justiça, Ele não se iguala ao bandido, ele não tira uma vida e busca sempre estar um passo à frente para evitar isso. Estou sendo puritano, você vai dizer, mas na minha visão essa é a faceta mais correta do herói. Homem Aranha é um claro exemplo disso, assim como o Cap América. E isso não me faz desgostar do Justiceiro, ou Wolverine ou qualquer outro anti-herói, somente me faz diferenciar um e outro. Se vc pensa diferente, eu respeito sua opinião, só queria que entendesse como eu vejo um verdadeiro herói. Afinal, o Superman não é somente o maior por ser poderoso, mas sim por saber usar a cabeça antes dos músculos (isso, nas mãos de um bom roteirista, é claro).

Eu não entendo esse negócio de Superman e o Batman não matarem ninguém.

Nada a ver. As séries da Marvel/Netflix estão entre as que mais tem sucesso no Netflix, junto com umas comédias bosta. Qualquer coisa presente nela vai ser dissecada e debatida...

Cê percebeu que no Trailer ele tá matando os militares? Acho que se fosse no Brasil, ia faltar bala pra tanto PM (bandido autorizado pelo governo) que ele ia atirar.

Porra e eu esperando que fosse ver somente uma adaptação dos quadrinhos.

Tem um futuro alternativo aonde não existe o capitão américa que isso acontece é uma historia contada pelo vigia ainda quando o formato era pequeno ..... eu tenho.

Bandido bom é bandido morto do contrario me faça um favor leve-o para casa e seja exemplo.

eu tbm quero !!!! #Bolsonaro2018

Mas você tem alguma dúvida disso? Essa "crítica especializada" que inclui o Omelete é extremamente politizada e parcial. Vai ser um sucesso.

Bandido invadindo minha casa vai virar adubo. Revogação do estatuto do desarmamento já!!

"fazer algo sobre os babacas liberais politicamente corretos que estão levando os EUA para o buraco querendo tirar nossos direitos e nossas armas". Verdades sendo ditas.

Essa não é a faceta de um herói. No início, até o Superman matava. Com o passar do tempo, a ideia de um herói sempre foi a busca pela justiça. Mesmo o Batman subvertendo o termo justiça com brutalidade, seu propósito sempre foi recorrer para a última instância, mas nunca sendo o juiz. Wolverine, Justiceiro, são justiceiros e vingativos. Mas o verdadeiro herói sabe até onde a justiça vai e não se considera um Deus que decide que morre ou quem vive. E isso ficou claro, com o passar do tempo, principalmente para o Batman. Algumas animações inclusive são enfáticas nisso. Essa é a grande diferença entre Batman, Superman, com relação a Diana inclusive - que apesar de ser uma heroína, sempre tem sido retratada como alguém sem muita compaixão e dada a decidir quem deve ou não viver, do tipo olho por olho - isso em algumas hqs mais modernas.

Eu acho que Justiceiro sera mt boa,nao sei se vai superar a primeira ea segunda de DD,mas acho que sera muito boa,pelo que eu fiquei sabendo,ela so e demorada no inicio como as demais series da Netflix,mas mt gente ta achando que por causa da ideologia do personagem ne,sei la,so vendo mesmo

PdF eu só assisti 8 eps., achei bem chata, Defensores tb ñ curti, gostei msmo da primeira temp. d Demolidor e JJ eu gostei principalmente do Killgrave, Inumanos eu nem tentei ver, eu já ñ consigo mais forçar a barra, agora se assistir uns 3 ou 4 eps. e ñ curtir, nem insisto mais, essa do Justiceiro eu pensei q fosse ser f0d*, mas só assistindo para ter certeza.

Po mano,eu nao achei Defensores e Luke Cage ruins nao,pra mim nao sao otimas,achei boa pra mim,mas achei melhor que JJ,o PdF eu achei a serie fraca demais,mas nao acho que foi isso tudo que disseram nao,agora Inumanos,foi a gota

O Batman matava na Era de Ouro e até depois dela em algumas ocasiões. Não achei que desvirtuou o personagem, só que mostrou uma faceta pouco conhecida do público leigo.

Kkk e com o reforço de todos heróis dos quadrinhos

Cara político que não rouba e porque já morreu

Para o Frank Castle, ser o Justiceiro no Brasil, seria como enxugar gelo. Morre um bandido, mas nascem cinco no lugar. Sem falar no "Direito dos Manos", STF, STJ, Congresso, OAB, Greenpeace, Globo, Igreja Universal, Filhos de Gandhi e etc, que iriam querer a cabeça dele numa bandeja.

Defensores pode ser alcançado, 63 é quase empate, mas LC ñ dá ñ, eu ainda tenho esperança q ao assistir, eu ache melhor q PdF e Def, pois essas eu ñ gostei, se for melhor já dá assistir d boa.

Hehe, na verdade não fico isento, apóio todos os partidos que assumem o poder, mas sempre me decepciono. Não sou ingênuo, apenas tento enxergar o lado positivo, por menor que seja. O problema não está nos partidos, e sim na corrupção. Não existe nada neste planeta que, se puder render alguma vantagem financeira, não seja corrompido pelo homem. A Essência do homem é podre. Pegue a coisa mais pura e bela que existe e o homem terá o poder de transformá-la em algo grotesco. Somos a única doença que existe no qual a cura depende somente de nós.

Ja esta maior que Defensores e mt a frente de PdF,o que me preocupa e que esta abaixo de Luke Cage,era pra pelo menos esta no nivel de JJ,entende

Sim,pelo que eu vi,Justiceiro so tem 9 criticos por enquanto e ja esta com essa nota,no metacritic ele ta com 61 se eu nao me engano,e olha que sao as primeiras criticas,o Luke Cage ta com 76 maior ea 1 temporada de DD que esta com 82 eu acho,e por isso que te pergunto que pode melhorar

que comentariozinho mais preconceituoso, ein. Faz todo sentido o q ele falou.

Ah, então você é um isentão? Brincadeira. Vivemos um momento triste de extremos, a guerra fria voltou com tudo, mas não é mais travada entre superpotências, e sim entre outrora amigos...

Doente.

Desde sua estreia na revista do Aranha, eu tinha percebido o quanto o personagem não era simplesmente um vilão,por assim dizer, ele é muito mais que isso.Muito bom saber que a parte psicológica do personagem será bem explorada. Galera, aproveitando o ensejo, conheçam um pouco da proposta de meu site, eu desenho desde os 11,e falo um pouco desse universo Nerd,por qual sou tão apaixonado faz anos. Dêem uma passadinha por lá... http://www.cactusproducoes.com

Alguns críticos já previam que seriam uma série de matança e sangue, algo do tipo do Rambo, Braddock, John Wick, Comando para Matar... O que eles não sabem, é que realmente esperamos que seja. Alguns vão criticar por achar que tem um recado político, que é tendencioso. Infelizmente, vivemos em um momento em que até em uma propaganda de papel higiênico eles vão querer achar alguma representação política. Seja direita, esquerda, ambidestro, aleijado ou um polvo. Nada escapa dos rotuladores. Eu quero apenas apreciar o momento.

" Há também o rosto conhecido Deborah Ann Woll, a Karen Page de Demolidor, engrossando a lista de personagens com histórias traumáticas - as interações entre Karen e Frank funcionam justamente pela disfuncionalidade compartilhada por eles", eu fico preocupado com essa parte. Eu adorei a Karen na primeira temporada de demolidor, o crescimento dela até aquele fatídico episódio, na segunda e em defensores eu não suportava quando ela estava em cena, espero que ela não fique naquela de segurar o castle como estava na segunda de demolidor.

Os Defensores tem 30 criticas d sites especializados, Justiceiro ainda deve ter mais reviews, acho q deve ficar nessa média d 60 e poucos msmo, espero q seja no mínimo melhor q Defensores e Punho d Ferro.

Acha que pode melhorar?

Colocaram a Karen Page p fazer compensar

Também achei. Ele é bastante eloquente e isso deixa suas críticas muito interessantes

Mas no caso ele não é a personificação de um herói e sim de um justiceiro - alguém que vinga, não alguém que salva. Algo que aconteceu com o Batman em BvS - o que desvirtuou bastante o personagem, diga-se de passagem.

Caramba, me deixou ansioso pra conferir.

Quem é esse?

Não acho que isso vá acontecer, 13 Reasons Why teve toda a atenção pq tratava de adolescentes, então pais e filhos simpatizaram com o tema. No caso de Justiceiro, ela vai ser vista apenas como uma série baseada em quadrinhos mesmo, nada além disso, porque esse tipo de conteúdo, (qualquer coisa baseada em quadrinhos) não costuma gerar debates ou ganhar atenção maior do que o prórprio objetivo de entreter, o que é uma pena na minha opinião.

Quando vejo os comentários das resenhas ou críticas de filme sou séries, sempre reclamam que faltou falar disso, que o crítico escreve palavras complexas, mimimi, mimimi. Nesta de agora, o Gonzaga analisou vários pontos e deixou bem claro a complexidade de um tema bem atual: a violência, a injustiça e suas consequências - é o que parece que ponta essa série. Mais do que excelente esse texto faz pensar (quem gosta de usar a cabeça com inteligência e não com ódio somente) o quanto um tema que sempre foi trabalhado de forma rasa demais, pode ser muito melhor avaliado, mesmo para quem só percebe um lado. Ver o bandido somente como uma "coisa" a ser ceifada da sociedade, esconde os verdadeiros motivos que fazem dessa sociedade esse caos que sujeita alguns muitos a essa violência e ao desamparo social, a a outros poucos a opulência desenfreada e absurda. Esse é um papel interessante no entretenimento: trazer a tona questionamentos que nos façam ver além do simples, e que nos ajudem e nos perceber como seres humanos e não como esquerda ou direita, vermelhos ou azuis (ou outra cor que quiserem), enfim, que tirem a venda que insistimos em colocar nos olhos.

Justiceiro o herói que o Brasil precisa! Sigam e deixem comentários, críticas e sugestões! https://www.youtube.com/watch?v=BNe-m4IKfBo

bem que Thanos poderia matar o Rhodes e a armadura ficasse com frank de alguma forma. lol não custa sonhar! hahahaha...

tem ela sim. aparece só uma vez, mas tem uma participação pontual e importante. Li noutro site.

Melhor mandar pra Brasília!!

Segunda parte da temporada de Demolidor é ótima, não tão boa, mas ótima, reassisti o décimo primeiro episódio da segunda temporada ontem e o roteiro é coeso e a produção competente.

Luke Cage tem uma fotografia bonita, a atmosfera é legal com todo o jazz e blues, tem essência. Iron Fist parece série genérica de ação com baixo orçamento, infelizmente.

Engraçado que eu vejo essa série bem parecida com o (ótimo) Guerra ao Terror, que muita gente gosta sem nem ter entendido. Parece que tá acontecendo a mesma coisa.

Alguns sim, não e mais ou menos. Os outros heróis, menos violentos, continuavam perseguindo criminosos. Justiceiro nasce como uma versão do que seria alguém que rompe a linha, mas sempre tendo autocrítica de boa parte dos autores das revistas sobre as consequências dos atos dele, não com condescendência. Ninguém torcia pra vida normal dele porque é quadrinhos infinito, não série fechada. Mas a vida dele poderia melhorar e sair desse loop.

Pra justificar em caps lock...

"Frank Castle não é exatamente o tipo de salvador que as pessoas querem para proteger sua vizinhança " EU QUERO SIM !!!! Colocar o Rafael Gonzaga para comentar Justiceiro, é como colocar o Sgto. Fahur para comentar um desfile gay.

AVISO: Bandido que entrar na minha casa, sairá em parcelas.

Desculpa? É a verdade, por acaso você já leu as críticas? Ah, esqueci, você é só mais um DCloide.

Metacritic é um site q junta notas d vários sites famosos, mostrando a média d tds d 0 a 100, por sinal ontem haviam 8 e hj até esse momento são 9 criticas, por isso a média subiu um pouco e está em 61.

Sem Claire nessa série :( Adoro a personagem mas faz sentido ela não aparecer nessa.

Ja veio com desculpa depois quer reclamar dos outros kkkkkkk, vou anotar aqui viu.

E a Claire? Tem q ter a Claire Fury em todas as séries da Marvel/ Netflix

http://ovicio.com.br/o-justiceiro-supera-nota-de-os-defensores-no-rotten-tomatoes/,entao esse site ta informando errado?

Aí, para dar conta da demanda, só com a armadura do Máquina de Combate...

http://ovicio.com.br/o-justiceiro-supera-nota-de-os-defensores-no-rotten-tomatoes/

Quem tem dó de bandido, que o leve para sua casa...

Ate agora esta com 74% no rotten,eos criticos tao começando ainda,mas de nota jae melhor que Defensores,a sequencia da critica e : DD,JJ,Defensores,LC e IF,o Justiceiro esta atras de JJ por enquanto

Se o justiceiro fosse matar bandido no Rio de janeiro teria que ter uma fábrica de balas pra dar conta de tanto vagabundo

Se tiver muitas mortes de psicopatas fico feliz D+

Justiceiro prova que até o drama pode ser divertido...

O dedo ta coçando pra matar vagabundo !!

olooooooooooooooco

Temas "polêmicos".

Pra você saber por que estão criticando a série, você deveria ler as críticas negativas e não as positivas.

A unica série "divertida" da Marvel com a Netlix é Defensores,as outras são todas violentas e essa com certeza vai superar nesse quesito.

Pra mim o caminho que o Justiceiro escolheu não tem volta, não é algo que ele decidiria um dia parar e pronto; Eu pelo menos gostava dele como um super heroi igual aos outros, só que mais extremo, e que encara inimigos novos periodicamente. Eu não me importava com o fato de ele vir a ter uma nova vida, pois isso "acabaria" com o personagem (destaque para as aspas), a menos que a vida dele fosse contada como um arco, igual Justiceiro MAX.

Qual seria a conexão com 13 Reasons Why? Não entendi.

Anotado.

E não, não tô falando nada com nada (você pensa isso só pq não concordo com você): você só deve acompanhar coisa de herói, e fala "série do ano"... com um espaço amostral desses, a probabilidade de ser "série do ano" é "real", mas só na cabeça de quem não acompanha séries diversificadas e boas. Foi mal. É que nem gente que acha que Supernatural "é a melhor série do mundo". Pq só vê b0sta.

Na verdade, o Justiceiro, com direito a colete e caveira estampada, aparece pouco. A trama é sobre ambição, orgulho, decepção, narcisismo, lealdade e o limite do que o ser humano é capaz de racionalizar para continuar sobrevivendo. Claro, com muito sangue e violência acima de qualquer outra série Marvel/Netflix. - Jovem Nerd Tá explicado porque criticaram a série, não é "divertido"

Cara, já pedi, me bloqueia. Se você faz questão de acompanhar meus comentários e rebater a maioria deles, o problema não está em mim. Vive falando nada com nada das coisas que eu comento, como se entendesse ou mesmo fosse pertinente às coisas do seu interesse. Sai câncer, fábrica de biscoito.

Meia dúzia de Petistas não curtiram a série e criticaram devido ao conteúdo apresentado, rsrsr

Rafael Gonzaga, revisa o texto, por favor! É 'Jon Bernthal', valeu?

Até agora vi tu comentando só em tópico de herói e de taylor swift... não me espanta esse teu comentário. Só deve assistir série de herói mesmo. O mundo não é seu quarto cheio de pôster do Capitão América e do Tony Stark e colcha de cama do Homem Aranha haha.

Estão reclamando porque a série "deveria" ser só ação e mortes, e a Netflix tentou transformar em drama lento

Top, o expressão escr0ta. kkk

Vaza poc.

Vai assistir Supernatural vai

Pode passar .

Semana promete , né não ?

"série do ano" e já arranjou desculpa kkkk

Cadê a série baseada no Justiceiro do Brasil ? Dizem que o diretor de 2 Coelhos esta produzindo um filme do Doutrinador

Esses rebeldes de universidade são todos uns hipócritas, demagogos e intolerantes

Verdade , o Justiceiro é assim e pronto, né não ?!

Considerando a influência de 13 Reasons Why eu imagino o BOOM que essa série vai fazer. Debates sobre armas de fogo e o endurecimento da lei

Pra mim ESSA série poderia ter 20 episódios facinho, é vagabundo demais . vai ser f#da depois esperar a segunda temporada .

Não. Definitivamente não. Sim. Porque é perturbador que alguém dedique sua vida para matar. Essa é a essência do personagem, te faz refletir

Será !

Como eu falei meses atrás , vai faltar rabecão nessa bagaça .

(*__*) MINHA NOSSA....estou doidão para assistir o Frank Castle quebrar osso, atear fogo e descarregar bala por New York a dentro HEHEHEHEHERS !!!

Contando as horas para a estreia do meu personagem favorito . Pra essa série vou fazer uma maratona, com certeza .

Não, mas traduziram assim e ficou top.

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus