Designated Survivor
Séries e TV - Drama
Designated Survivor (2016)
(Designated Survivor)
  • País: Estados Unidos
  • Classificação: Não definido
  • Estreia: None
  • Duração: indisponível

Designated Survivor - 1ª Temporada | Crítica

Série presidencial estrelada por Kiefer Sutherland é o que se pode chamar de razoável “feijão com arroz”

A prática de designar um sobrevivente para assumir o cargo mais alto da política americana pode parecer improvável, mas é real. De fato, parece mesmo surpreendente que Hollywood nunca tenha pensado em trabalhar com essa premissa antes, já que a ideia de um homem sem preparo acabar indo parar na cadeira presidencial é bastante sedutora para qualquer roteirista. Seja através da figura de um homem honesto ou de um corrupto que deu a maior sorte do mundo, essa história pode ser contada de muitas formas interessantes, sobretudo se levarmos em consideração que vivemos numa era em que Presidentes estão se tornando Presidentes de formas incomuns tanto na ficção quanto na realidade.

David Guggenhein escolheu a persona do homem honesto para ser a base criativa de sua série. Tom Kirkman (Kiefer Sutherland) é Secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano, um cargo que não o coloca sob nenhum holofote. Porém, geralmente, sobreviventes designados não são figuras de grande importância política, principalmente porque na linha de sucessão natural, cargos de mais peso vem primeiro. Então, suponhamos que num evento que reúna o presidente e todos os outros membros elegíveis de maior qualificação, um desastre aconteça e mate a todos. O Sobrevivente Designado cai no salão oval de paraquedas e o país passa a ser comandado por ele.

Na série, o presidente e todos os substitutos elegíveis são mortos num ataque ao CapitólioKirkman parecia estar numa noite comum, cumprindo seu papel de designado numa sala fechada, só esperando a noite passar para voltar para sua vida. Em termos de probabilidade, um desastre ou um ataque que matasse todos os substitutos possíveis seria quase impossível, mas a vida real está aí para nos mostrar que as engrenagens do mundo concreto são cheias de criatividade. Então, a premissa de Designated Survivor de repente não parece tão louca assim. Do dia para a noite. Kirkman se torna o Presidente dos Estados Unidos da América.

Uma Série Designada Para Entreter

A ideia original do piloto do show se fortalece no comecinho da temporada. Guggenhein se aproveita bem daquelas possibilidades já previsíveis da história. Kirkman é um homem honesto, que quer ajudar o país a se reerguer, mas que enfrenta muita descrença de toda a imprensa, da população e dos partidos. Esse é um aspecto importante da narrativa, porque o criador do show precisa que passemos a torcer pelo “heroi”. E acho que “heroi” é bem a palavra mesmo, já que a despeito de todos os presidentes que rondam o mundo seriado há alguns anos, o Kirkman de Sutherland é completamente maniqueísta, está dentro daquela ideia de presidente endeusado que já tinha sido bem explorada por Aaron Sorkin na clássica The West Wing.

Com esse heroi nas mãos, logo podemos esperar as cenas que mostram como ele vai conseguir dobrar cada um de seus detratores no decorrer dos episódios. Designated Survivor tem a mesma estrutura daqueles típicos filmes de superação que passam na sessão da tarde todos os dias: alguém que chega num novo emprego se enrolando todo, mas que no decorrer da história vai acertando e conquistando os outros personagens. Ainda que envolvida num certo verniz verbal, com muito vocabulário político, a série é uma plataforma otimista que eventualmente se aproveita do cenário político real para fazer seu papel de “dramaturgia consciente”.

Talvez o grande problema seja a necessidade de abraçar muitas frentes. Chega a ser um pouco irônico que Kiefer Sutherland tenha combatido tantos terroristas por anos em 24 horas, para agora virar um presidente que não tem a menor ideia de quem está atacando seu país. Kiefer sofre um pouco para se fazer crível na vulnerabilidade e acaba sempre meio engolido por Natascha McElhone, que faz sua esposa. Porém, quando os roteiros focam em manobras políticas e brigas pela imposição, ele cresce. A questão é que o criador da série quer brincar de ser 24 horas e divide a dramaturgia entre a luta de Kirkman para se firmar e a luta de Hannah Wells (Maggie Q) para descobrir quem explodiu o Capitólio. A série fica meio híbrida, mas um híbrido mal formado, que não consegue passear por essas duas vertentes de modo satisfatório. Da metade da temporada até o final, os episódios forçam a importância de uma trama policial que não se sustenta por não ter fluidez. Personagens surgem e desaparecem como encomendas igualmente maniqueístas, só que pro lado ruim. A série tem vilões e mocinhos bem definidos demais e isso empobrece qualquer narrativa contemporânea.

Entretanto, no meio desse desencontro entre drama político e série de ação, Designated Survivor tem lá seus momentos de catarse. É quase impossível não soltar um sorriso quando Kirkman consegue dobrar a mídia, algum detrator ou mesmo um adversário político. As tramas paralelas da congressista vivida por Virginia Madsen (também uma sobrevivente designada) e do porta-voz da Casa Branca que também acabou no cargo por acaso funcionam bem. Nada é surpreendente de verdade, tudo é previsível e corriqueiro, mas uma música de tensão, um discurso motivacional e palmas depois dele podem funcionar para te distrair (a série também tem bons efeitos visuais, que aumentam a credibilidade do enredo). Designated Survivor é uma série esquecível, mas às vezes tudo que você quer é assistir algo que você sabe exatamente onde quer chegar.

Nota do crítico (Regular) críticas de Séries e TV
 

Eu adorei a série, é bem cativante e fácil de acompanhar. Vale muito a pena assistir.

Assisti a todos os episódios disponíveis desta série e da "House of Cards". São propostas completamente diferentes, exceto pelo contexto ou, melhor dizendo, "cenário". "Designated" parece um libelo encomendado por organizações conservadoras da sociedade americana. O roteiro é mal escrito, apela para clichês, é superficial e maniqueísta na construção das personagens, tem uma trilha sonora que se assemelha muito à de um filme da mesma categoria ("Independence Day"). Apesar disso tudo, é compreensível porque faz tanto sucesso: a formação do gosto para produtos culturais está cada vez mais rasteira, as pessoas estão se distanciando do processo de desenvolvimento do senso crítico e estético porque a realidade cotidiana está se tornando desoladora e a preferência por respostas fáceis a perguntas difíceis é mais cômoda e menos perturbadora. Mas, se alguém se ousar a conhecer um "Macbeth", de Shakespeare, pode perceber a distância entre as duas séries...

Comecei assistir e concordo plenamente com a crítica. Vilões e mocinhos bem definidos, as histórias do presidente e da investigação são forçadas a terem conexão e acaba perdendo toda a fluidez. A série é previsível e totalmente sessão da tarde. Bem diferente de HoC que é muito mais burocrático. A trama e a ideia são empolgantes e mesmo ficando longe de ser aquela série que você comenta e discute com os amigos a frase do final define o pq está prendendo minha atenção. "mas às vezes tudo que você quer é assistir algo que você sabe exatamente onde quer chegar."

Apesar da critica ser uma coisa mais pessoal, discordo completamente... a série merece pelo menos 4 ovos..

boa mesmo

o ultimo ep acabou de ser lançado, revejam a critica.

exatamente

boa

Sinceramente, achei a crítica bem pertinente. O começo da série é até empolgante e prende demais a atenção do telespectador por conta da inovação do tema. Algo nunca explorado antes. Kiefer Sutherland até consegue sair bastante do papel de Jack Bauer e segurar as pontas por um tempo. No entanto, aos poucos essa admiração inicial vai se perdendo. O sobrevivente designado se demonstra a reencarnação de Dalai Lama. Não há uma gota de maldade ou malícia no personagem. Aliás esse maniqueísmo extremamente exagerado é uma constante em absolutamente todos os personagens. Com o tempo isso fez com que eu tivesse a sensação de que aqueles personagens jamais poderiam ser reais. As pessoas se resumiam puramente em boas e más, o que, pelo menos pra mim, fez com que aos poucos eu fosse perdendo o interesse pela Série. Outra coisa que me incomodou foi que, praticamente, não há evolução ou involução moral de personagens e essa linearidade me aborreceu bastante principalmente na reta final. Não há uma grande reviravolta. Nada. Tudo termina exatamente como o previsto. Senti que se a primeira temporada tivesse mais um ou dois episódios eu não teria mais força de vontade de finalizá-la. Talvez até o fato de ser muito fã de House of Cards tenha pesado nesse meu julgamento. Não há como comparar a construção dos personagens das duas séries. A diferença chega a ser gritante. Em minha visão, HOC cria com muito mais sucesso perfis que poderiam muito bem existir no mundo real. Provavelmente não acompanharei as possíveis continuações.

Para quem, assim como eu, perdeu tempo lendo essa critica sem nexo algum, segue um novo link para saborearmos uma boa critica juntos: https://7seasonsblog.com/2016/12/17/vale-a-pena-assistir-designated-survivor-critica/

Pois é kkkkk DEve ter visto outra série....

Viram outra série, só pode, já assisti a 13 episódios em dois dias.

Discordo totalmente da 'critica'. Deveria assistir novamente a série e tentar colocar um ponto de vista melhor do que esse, e ser mais claro. Achei uma boa série, diferente de séries ' mais do mesmo' que são empurradas pra nós.

Caralho curte demais a serie, entendi nada dessa crítica.

Discordo totalmente com a crítica, achei uma boa série.... Não chega a ser um primor o roteiro mas muitas das ações São bem interessantes em questões de valores e caráter além da trama do atentado em paralelo

kkkkkkkkkkk

Eu gostei da série. É mesmo do tipo que divide Bem x Mal. Ao contrário de todas as séries contemporâneas do tipo anti-herói. Presidente e a speaker of house são dois idealistas, servindo seus países de maneira altruístas. Uma variada nos personagens sempre cinzas de hoje.

Realmente o crítico pisou na bola. A série pode não ser uma Better Call Saul ou American Gods mas, da mesma forma que Scandal, prende a atenção. E quando você percebe já tá viciado, querendo saber o que vai acontecer a seguir. Não vejo nenhum demérito em ser uma "série esquecível". Tem horas que é bom, sim você saber, com certeza, quem são os mocinhos e quem são os vilões, tudo muito bem delineado.

Sei que crítica é algo pessoal, mas 2/5 aqui e 8/10 no IMDB não me parece algo muito condizente. Enfim, a minha opiniao está mais pro IMDB do que para o Omelete

Ué não tem nem na Netflix o ultimo episódio e já tem crítica?

Olá Pessoal do Omelete, gostaria de relatar um BUG no site, em especial nessa crítica, certamente deve ser algum erro no sistema pois só aparecem 2 Ovos! Será que é meu navegador? Já limpei cache e tudo mais mas não resolveu...deêm uma olhada aí, acho que eram 4 ovos!

Quem merece dois ovos como nota eh vc senhor crítico...

Que Critica ruim kkkkkkk uma das piores e mal feitas do Omelete, a série é muito boa, super recomendo.

Você viu outra série. Pelo site adorocinema (melhor que vocês) a série foi classificada como "série de melhor desempenho entre as novatas". Assista de novo. Obrigada

Não leio as críticas do Omelete porque já me deparei com vários spoillers. Corro pra baixo para ver a quantidade de ovos. E 2 ovos pro Jack Bauer presidente é ridículo. Essa série é animal.

Realmente esse critico viu outra serie. Ela é muito boa, comecei com um pé atras, por associar o Kiefer ao Jack Bauer, mas me surpreendi, ele está muito bem, está muito diferente do Jack, um homem comum. Quando comecei, já havia 10 episódios, e não consegui parar. Sempre acompanho, toda semana. A série é bem acima da média.

Tô começando a me perguntar que tipo de estratégia está ocorrendo no mundo da mídia. Como hoje em dia tudo se resume e vem da internet, muitos patrocinadores ou grandes estúdios estão engolindo até a "mídia independente" com $$$$ para tendenciar a opinião pública. Pq só isso explica tantos críticos crucificarem séries e filmes bons como Designated Survivor e exaltar produção blockbusters como O Demolidor e cia. A série em questão não é digna de um emmy mas esculachar a série ao patamar de um besterol é sacanagem!

Meu Deus, não basta o omelete TV com vereditos suspeitos, muitas vezes sem critério, agora as críticas aqui TB estão de mal a pior. Não é possível que tanta gente tenha gostado da série como eu e a maioria dos comentários aqui, e o "crítico" deu 2 ovos. Já não basta algumas críticas duvidosas quando há Merchant do filme na própria análise, agora uma análise rasa em uma série que sequer encerrou a temporada.

Realmente, análises e vereditos estão moscando ultimamente, qualidade cada vez mais cai. Haja visto vereditos pagos e ou preguiçosos. Uma pena omelete

Não entendi, a temporada nem acabou ainda e já saiu uma crítica? Na Netflix a previsão de término é pro dia 7 de junho. E ao contrário da nota a série é bem bacana, tem uma pegada de House of Cards com séries policiais misturadas.

A série é boa, mas para mim o Kiefer Sutherland entrou para o rol dos mitos como Stallone, Schwarzenegger, etc. e É Jack Bauer, não consigo dissocia-lo do personagem. Torço para que seja cancelada unicamente para que Jack Bauer retorne, nem que seja para morrer em uma última aventura. Com o terrorismo e presidentes corruptos em alta hoje em dia, precisamos de Jack.

E quem é esse HENRIQUE HADDEFINIR msm???!!!

Cara Diante de todos os comentários aqui, vc deveria reavaliar sua critica.

viram outa série, só pode...

Nota 2 sendo bonzinho pra ele

Concordo plenamente. Mande esse Henrique arrumar outras expressoes bonitas tipo 'maniqueista.'

Melhor passar mais tempo assistindo o que realmente vale a pena do que ler essas porcarias de criticas.

Ele nao assistiu nada, da pra perceber.

Da pra perceber que o critico nem esta acompanhando a serie nem leu muito a respeito. Designted Survivor nao caiu de paraquedas,e previsto na constituicao amercina,dai o termo designated. A Senadora que nos lembra Hillary Clinton e um personagem instigante. Tambem chama a atencao os personagens secundarios serem todos de origens diferentes e os conflitos pessoais e familiares. Melhor o comentarista assistir serie de zumbi ou comedia idiota. O Omelete vai de mal a pior.

Eu amo a série, não vejo esses defeitos que o crítico coloca, será a mesma série? Cada episódio fico tensa...nada é o que parece...e o Kiefer está explendido...como sempre. Série fantástica...esses críticos não entendem nada do que o público quer ver. Arruma outra coisa pra fazer e nos deixe amar nossas séries.

Designated Survivor é uma das melhores séries da atualidade

Meu querido, vc assistiu outra série, só pode!!!!

eu nunca levo critica como molde de opinião, somente como base pra medir a qualidade do filme ou série, mas ultimamente as criticas daqui nem pra isso serve. Parece que a série que eu vi e que o Henrique assistiu são duas completamente diferentes.

Dou nota 2, para o critico. Muito fraco.

Eu discordo da nota... gosto muito da série, e acredito que o enredo é muito bom. Tem uma visão política interessante e é superior a grande parte das séries que vejo hoje. Recomendo! 4 ovos de 5!

Entendo o ponto de vista da "crítica", mas discordo. Designated Survivor é uma série bacana de se assistir, é inteligente e prende o espectador. É fato que muita gente acabe esperando um roteiro de House of Cards mas, nem de perto, isso pode ser feito. A série tem seus pontos baixos e episódios massantes (Breaking Bad que o diga) mas consegue manter fluidez no roteiro. Pelo menos 3 ovos, né Omelete?

Sério isso!! Essa cultura que da 2 ovos pra uma série inteligente dessas e dá 5 ovos pra demolidor, arrow e derivados chicletes. O mundo está perdido mesmo

Série nota 7, merecia 3 ovos.

Como é que uma crítica em que aponta muitas qualidades dessa série mas no fim tem a coragem de dar só 2 ovos?

porque não tem a Lady Gaga

anos de treinamento como nikita? kkkkkkkkkk não leve tão a serio uma serie de tv

Esse Henrique viu a mesma série que a gente? O início da temporada é muito bom, depois dá uma bambeada de leve, no meio da temporada, visto que a série teria somente 13 episódios, só depois foi confirmada a temporada completa, depois a série encontra novamente o rumo e vai assim até o final. Serie no mínimo merece 3 Ovos.

Mas a questão é que ninguém acredita no Mulder. Já no caso dessa série o próprio presidente já deu autonomia a ela. A série começou tentando ser algo mais pé do chão( em que pese o absurdo do atentado) e de repente a Maggie Q virou uma mistura de Jack Bauer com Rambo.

vc acabou de humilhar o Fox Mulder kkkkkkkkkkkkkkkkk

A série começou melhor do o autor falou. É verdade que muito disso é por causa do Kiefer Suterland. O cara conseguiu anular aquela agressividade natural que ele tem de um jeito que eu não podia imaginar que ele conseguiria. O Presidente Kirkman não conseguiria roubar um doce de uma criança nem se quisesse. Mas a trama policial da agente Wells é fraca mesmo. Esse papo de ter uma agente sozinha no porão do FBI investigando a maior conspiração da história dos EUA não tem a menor credibilidade.

A serie passa na tv aberta dos USA. A netflix coloca o episodio da semana depois que ele passa lá. A temporada acabou, logo tem a temporada completa já no serviço de Streaming.

que eu me lembre essa serie tem a temporada completa na netflix.

Hum, acho que não vi a mesma série que o crítico. Concordo que não morro de ansiedade pelas quartas-feiras. Mas com certeza, assistiria numa tacada só se todos os episódios fossem disponibilizados de uma vez. Dois ovos é um tanto injusto. Mas fazer o quê? rsrsrs

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus