Sense8
Séries e TV - Drama, Science Fiction
Sense8 (2015)
(Sense8)
  • País: EUA
  • Classificação: livre
  • Estreia: None
  • Duração: indisponível

Sense 8: A Christmas Special | Crítica

Depois de um longo hiato, Sense8 retorna para um especial de Natal que não avança na história, mas demonstra a grande ligação emocional que tem com seu público

Não é incomum que o mundo de Sense8 seja visto com desconfiança por aqueles que não conseguiram se conectar com sua trama. Essa é uma série sobre conectar-se, definitivamente, em todas as instâncias. Porém, por definição, conectar-se é explorar lentamente as duas pontas dessa ligação e exatamente por conta disso, toda a narrativa do primeiro ano foi considerada por muitos lenta e cansativa. As Wachowskis têm um ponto de vista: não pode haver nenhuma conexão entre os personagens ou entre eles o público, sem que aquelas vidas fictícias sejam aprofundadas em níveis seguros. Para quem conseguiu atravessar esse campo de preparação, Sense8 se tornou uma experiência de contemplação do outro e por isso mesmo, bastante emocional.

O tempo passou rápido, então, vale uma menção à premissa: a série conta a história de oito pessoas ao redor do mundo que passam, subitamente, a viver uma experiência de conexão entre si. Essa conexão não é meramente intuitiva, contudo. Ainda que uma pequena mitologia que envolve organizações secretas e perseguições se forme no decorrer dos episódios, a dramaturgia do show se baseia na metáfora para as relações interpessoais. A conexão que afeta esses oito personagens é absoluta. Trata-se não só de sentir, mas de estar de lugar do outro, estar diante do outro, de uma maneira que oscila entre os presencial e o metafísico, de uma maneira elegante que a série passou a dominar muito bem.

Passado o primeiro ano e todo o burburinho que a série causou, vieram os problemas. Além de uma logística complicada (os criadores fazem questão de filmar a série em países diferentes), problemas com o ator Aml Ameen levaram até seu afastamento depois que várias cenas já tinham sido feitas. Assim, a Netflix adiou o lançamento do segundo ano para 2017, mas prometeu aos fãs um especial de Natal que traria todo o universo dos sensates de volta. A Christmas Special (também chamado de "Benção de Ganesha" na sessão especial para convidados da CCXP 2016) cumpriu em duas horas de duração aquilo a que se propunha: fazer o público relembrar os personagens e suas motivações, trazer a emoção do espectador à tona e preparar o terreno para os episódios inéditos, em maio do ano que vem.

Making Sense

Sense8 ficou conhecida por dois detalhes de sua gênese: o sexo e a música. Não é uma questão reducionista, mas é como se a série já tivesse conseguido formar sua “mitologia paralela”. Quando o especial de natal começa, todos os personagens já aparecem juntos numa linda sequência de mergulhos nus. É o primeiro sinal de que os criadores  sabem e entendem onde estão situadas as expectativas do público. Apesar da trama central estar sob a atenção dos espectadores, a catarse musical e a sensualidade são partes essenciais da natureza do programa. Sabiamente, o roteiro não lutou contra isso e sem poder dar passos muito largos na direção da resolução do mistério, privilegiou o carinho que o público tem por esses detalhes e firmou o desenrolar do especial nesse propósito.

Nada de grandes reviravoltas, nada de grandes eventos. A Christmas Special é todo uma celebração emocional. Se fosse parte da temporada regular seria um primeiro episódio eficiente, situaria bem o público na história depois de tanto tempo fora do ar. Também teria menos tempo e menos gorduras. Mas, suas duas horas de duração também acabaram por proporcionar ao episódio a chance de ser detalhista nesse investimento emocional. O especial começa envolvendo o espectador de sensualidade, hedonismo e luxúria. Logo em seguida, adentra o terreno da delicadeza, da comoção, usando para isso as infalíveis sequências que reúnem todos os sensates em propósitos fraternais. Orgia, festas de fim de ano, aniversários... Cada um desses momentos construídos para manipular as emoções do espectador. Reencontros, cenas de grande suporte emocional, um humor até escrachado e canções arrebatadoras estrategicamente situadas, fazem o trabalho de catarse com muita competência. "Hallellujah" pode ser uma canção que já tocou em mil programas (veja aqui), mas Sense8 ainda consegue encontrar uma maneira especial de fazer tudo funcionar.

Sensates

Para alguns personagens o momento em que a história recomeça é decisivo, para outros nem tanto. As mudanças mais consideráveis ocorrem com Lito (Miguel Àngel Silvestre), que tem a revelação de sua homossexualidade como ponto de partida e com Sun (Doona Bae), que acabou sendo presa por causa do irmão. Os outros estão se movimentando sim, mas dentro da mesma esfera que já conhecemos. Nomi (Jamie Clayton) continua fugindo, Capheus (Toby Onwumere) ainda às voltas com seu ônibus, Wolfgang (Max Riemelt) vivendo seus conflitos relacionados ao legado de sua família e na crescente paixão por Kala (Tina Desai), que precisa lidar com a evidência cada vez mais constante de que não ama o homem que lhe foi destinado pelos costumes. Will (Brian J. Smith) e Riley (Tuppence Middleton) estão juntos, ainda afetados pela perseguição de Whispers (Terrence Mann), mas sem nenhum avanço significativo nesse plot. Não se trata mesmo de trama, mas de envolvimento.

Ser uma “série de metáfora” não é fácil, mas Sense8 faz esse trabalho muito bem. Ela lida com emoções e isso quase sempre leva ao vislumbre do clichê. Atuações choradas e texto simplório fazem parte da receita. Entretanto, tudo é perdoado quando a série consegue convencer de seus propósitos lúdicos. Tudo sobre Sense8 diz respeito ao quanto é especial a capacidade do homem de ter empatia, ainda que a empatia seja um movimento que flerta com a extinção a cada década. Cada vez que uma sequência intensa se desenvolve com sensates ocupando um o lugar do outro, a série está tornando palpável, presencial, a sensação que temos quando vivemos grandes experiências e desejamos – ou mesmo sentimos – pessoas especiais ao nosso lado.

Viver experiências é dividir com o outro. Negar-se ao interlocutor é travar a chance de evolução, de mudança. Toda vez que você se coloca no lugar de alguém, sai disso com um pedaço dessa pessoa e deixa com ela um pedaço seu. Não é surpreendente que Sense8 sofra certa rejeição... Vivemos numa era de distanciamento, em que pessoas que se conectam com outras são chamadas de “especiais”, de “diferentes”, onde elas se situam como transgressoras. E tudo isso numa ficção que escancara a verdade: queremos cada vez mais ironizar e cada vez menos sentir.

*O especial de Natal será disponibilizado na Netflix em 23 de dezembro.

Nota do crítico (Ótimo) críticas de Séries e TV
 

Boy, você chegou a pesquisar o motivo da saída do outro ator ??

Concordo. Olha a cena do Wolfgang, transando com uma mulher, ele só aparece para a Kala Dandekar! Qual o sentido daquela cena? Qual a interação com os outros? O sexo está se tornado o fator principal da série! A rede deles foi invadida eles estão em perigo agora era hora de focar na integração. Porque se a única saída for o Will fica se drogando teremos mais uma série com sexo e drogas e mais nada!

Sim, você pode até não ter falado da série, mas o cara falou e você respondendo ele sem ser especifico entende? Ele falou da serie como um todo e você respondeu sobre o episódio... O caso é, vc não deixou claro que tava falando do episódio apenas (no primeiro comentário) por isso disse para não assistir. Também não quero que a série seja só surubão e tal, então estamos no mesmo barco. Eu também não disse que você falou que a série era ruim, mas novamente, como o primeiro comentário pareceu isso pq você fugiu do contexto que o camarada tava falando.

Mano eu n estou falando que a serie é ruim, não importa se estavamos com saudade, eu n vi nada ali da primeira temporada. estava estranha só estou criticando o ep pq n quero que a serie seja assim cara,

Muito boa essa série, nossa senhoooora! Choro o tempo todo, amo cada ceninha dessa série...

Pq o povo tava com saudade

kkkk Engraçado que o cara ta falando da Serie ali (isso obviamente incluí a primeira temporada + especial), e você veio reclamar, agr diz que gostou para caralho, parece que você que não entendeu que o cara tava falando da série e não do episódio especial apenas, Se ligaaaaa!!!!

Espero que a segunda seja melhor ainda. Só n curti esse especial, e n sei pq esse alvoroço de notas boas.

Se estou criticando é pq eu curtia! Vi a primeira temporada em 2 dias meu caro, gostei pra caralhooooooooooo, se liga.

Man, não quer ver? NÃO ASSISTE!!!

E aquela troca de ator do nada, nem se deram o trabalho de mudar a historia vei, sei la fazia um ajuste, um desligamento daquele outro personagem, ficou meio idiota isso dai! A nota plausível seria 3 de 5.

sexo e depois, sexo. Ai logo em seguida, sexo. A cara, mostra so uma cena de 5 min sei la se eu quiser ver surubao tem o Xvideos porra

Acho engraçado como a maioria da galera critica a série por falta de exploração pro lado da perseguição do Whispers e sua organização. Isso não é uma série de ação, o foco realmente está nas relações entre os sensates, a empatia, seus problemas e afins. Provavelmente muita gente não entendeu o verdadeiro sentido da série.

O episodio é até legal, mas foi muito longo. Sense tem algumas situações que se repetem em alguns episodios, para reforçar o elo de ligação e conceituara historia... mas ao fazer o episodio tão longo, eles colocaram situações parecidas dentro do mesmo episodio e fica aquela sensação de estarmos vendo a mesma coisa o tempo todo. Como por exemplo o fato deles comemorarem o aniversario e as festas de natal e ano novo no mesmo episodio; vc acaba de ver eles festejando juntos, daqui a pouco vê de novo....... a serie é boa, mas a ideia de um episodio longo não funcionou.

As estrelas do Netflix são baseadas "apenas" no seu perfil. Pra saber a qualidade da série baseada em estrelas por todos, vai no imdb. A série lá está com 8,4 estrelas.

Essa série ja ta com 2 estrelas no netflix, rumo a uma estrela. Fazer alguém assistir 1 episódio dessa série é um bom método de tortura.

Matrix Gay na sua opinião é muito melhor né ?

Eu acho massa a tentativa de Sense 8 de trabalhar a empatia e também gosto do plot básico, das pessoas sendo caçadas por essa suposta capacidade metafísica. No entanto, a execução é uma lástima. Tantos clichês, videoclipes e pausas para algum discurso panfletário, e pouco desenvolvimento real da trama. Não avança. Uma série de fillers... Sei que representatividade importa, ainda que gordos e pessoas desprovidas de beleza padrão, por exemplo, parecem ser invisíveis nesse mundo de Sense 8, em que todo mundo é lindo. Mas não acho que a qualidade de uma série deva ser reduzida apenas a qualidade do seu discurso. Como panfleto, é lindo, quase uma propaganda da Coca-Cola, mas como série não se sustenta.

ZzZense8

"Não é surpreendente que Sense8 sofra certa rejeição... Vivemos numa era de distanciamento, em que pessoas que se conectam com outras são chamadas de “especiais”, de “diferentes”, onde elas se situam como transgressoras. E tudo isso numa ficção que escancara a verdade: queremos cada vez mais ironizar e cada vez menos sentir." Estamos nós tornando Black Mirror rs

Vc leu oq eu escrevi cara? Se leu e ainda escreveu isso, vc sofre de microcefalia, eu nunca escrevi q n gostei da serie por causa dos relacionamentos homossexuais, eu n gostei pq achei chata! Releia varias vezes, e te desafio a me mostrar aonde escrevi q n gostei por causa do Lito e da Naomi?

Vc como coco com colher né brother? Eu comentei, q n me incomodava os relacionamentos homossexuais, e o motivo por eu n ter gostado, n foi isso! Nossa cara, aonde eu escrevi, q n gostei pq tem relacionamentos gays? Eu n gostei pq achei chato! Eu n faço media com ninguém, se eu n tivesse gostado por causa dos gays, eu falaria, n gostei por causa das viadagens, mas n foi por isso. N GOSTEI PQ ACHEI CANSATIVA! A Naomi ser gay, ser trans, ser uma uma arvore, ou um papagaio, n me importa, eu n gostei pq achei ruim!

Pra quem ama a série foi um lindo presente de natal. Feito pra fãs.

a proposta da série não é essa. Ela até poderia muito bem existir sem um vilão. Além disso enquanto tem gente que adora uma trama mastigada e bem explicada, outros preferem que pouca coisa sobre a mitologia seja explicada, ficando na subjetividade.

Suruba gay? Meu bem suruba é suruba e tinham várias mulheres no meio se agarrando com homens e vice-versa.

Impressionante como só enxergar os relacionamentos homossexuais. Eles ocupam na série o mesmo espaço que todos os outros. O romance do Will com riley que eu shippo, tem a indecisão do futuro da Kala com o Wolfgang e a paixão sutil nascendo em Capheus com a Sun. Mas o pessoal só repara no Lito e na Nomi...

Eu amei conhecer os familiares da Amanita e do Lito. Também gostei de explicarem porque a morta da Angélica continua aparecendo na mente dos Sensates.

Kkkk amig@, eu já sou arco íris! Agora você... Fez o típico "comentário hetero" de gay enrustido!

Achei interessante o especial de Natal, apesar de ficar bem aquém de certa forma até mesmo dos piores episódios da primeira temporada. Espero que a segunda traga algo mais emergencial para os sensates, como disse o texto, para aqueles que passaram por todo o "matagal" que foi a primeira temporada, acredito que agora querem não apenas uma construção das relações ou dramas dos personagens (que pra mim ficaram muito bem situadas ao final), mas ver como eles lidarão com a ameaça de Whispers, principalmente Capheus, Kala, Wolfgang, Sun e Lito que não foram diretamente colocados na linha de fogo como Will e Riley... Espero que seja uma temporada que traga a emoção do perigo e não apenas de dramas pessoais.

por ser um especial pode-se relevar muita coisa. pra mim se episódio tivesse uma hora apenas ficaria menos massante tanto discursso de aceitação. a primeira temporada foi excelente, tomara q esse especial seja somente isso msm, um especial, e não uma prévia do que será o andamento da segunda temporada

Não precisava de duas horas pra isso. Eu não gostei do episódio, mas como é um especial de natal, vou fingir q não vi rsrs

Detectou vc? kkkkk

Meu gaydar apitou novamente!

Kkkk eu acho que meu gaydar apitou...

Nào concordo. Muita ação, tiroteios, e situações que nem precisariam srr mostradas por ser um especial de Natal.

Gente... Teve morte, tiroteio, Sussurros. ... Como assim, não existiram novidades!

Eles deram uma boa melhorada na contextualização do personagem mafioso.

Esperar que se resolva a trama principal da segunda temporada que é a perseguição aos 8 num especial de natal?

O texto pode ser simplória, mas a discussão é muito válida.

Vocês queriam o quê? Um Matrix 2.0?

Mas a primeira temporada inteira é repleta de atuações choradas e texto simplório

Eu gostei da 1º temporada, mas esse especial..."Atuações choradas e texto simplório fazem parte da receita." É o que resume bem, principalmente a questão do texto simplório. Achei uns diálogos muito vergonha alheia, sinceramente ainda não consegui terminar.

Honestamente, não curti o especial de Natal. É bem isso, em termos de história não trouxe nada interessante e me pareceu videoclipe/panfletagem de movimentos sociais. São duas horas de montagens de cenas bonitas, "desconstruidonas", discursos sobre aceitação e contra a homofobia. Ok, entendo que é um dos temas que a série trata, mas com uma história por trás. Esse episódio não teve nenhum desenvolvimento de história e mesmo as discussões estavam inteiramente rasas. Parecia um copilado de textões de Facebook sendo recitados por atores. Espero que não seja uma prévia da segunda temporada, pq a primeira foi uma das melhores que eu vi recentemente.

Excelente texto. Parabéns! O único ajuste é que eu daria cinco ovos 😃

Achei original o lance da conexão com o os outros personagens. Alias o que mais curti mesmo. A parte da sensualidade poderia ser nula. Mais respeitamos a obra como foi apresentada. Claro que é só uma opinião. Não sou o dono da verdade.

Citou um exemplo muito ruim. O especial de natal de Sherlock ainda que excelente também serve como um especial, ou seja, também não avança trama nenhuma. É só um plus enquanto a nova temporada não chega.

Eu acho um erro muito grande se concentrar no plot do vilão quando o principal sempre foi a ideia da empatia. Das conexoes, da metafora com o ser humano evoluido etc. Se até aqui ainda não entenderam isso tem que abandonar mesmo.

Eu confesso que não gostei muito de Sense 8. E não por ter um certo foco em relacionamentos homossexuais, n tenho problema nenhum com isso e achei até legal a premissa q todos estamos conectados de alguma forma, mas achei a serie chata mesmo, enrolada, existiram momentos bons, nada q me faça assisti-la novamente!

A série se reduziu a yan suruba gay. Não tem história, ela no.maximo é pano de fundo.

Algumas séries aparecem para desaparecer. Isso acontece pela absoluta incapacidade de mostrar alguma coerência ou de não conseguir emplacar a mitologia. Sense 8 não faz sentido, desculpe a frase. Ver uma série apenas pq ela mostra ênfase em relacionamentos que muitos dizem estar acabando, não segura o pião. As pontas soltas são muitas e, como costuma acontecer em roteiros elaborados para captar o telespectador para a segunda temporada, Sense 8 não consegue desenrolar o barbante. Chega ao final da primeira temporada sem que se saiba quem são as figuras dotadas de poderes especiais, de onde vieram, como, porque se ligam? E o tal sussurro, figura solta. É para se ter um vilão???? Nem com suruba de natal!! Para isso, existem outros e melhores canais!!!

As reviews do Henrique são incríveis como sempre. Quanto ao episódio, se eu fosse reclamar de alguma coisa seria plot, que é bem fraca, são 2 horas onde a trama não avança em quase nada, talvez eu fiquei mal acostumada com os especiais de natal de Sherlock e Doctor who que são bem diferentes. Mas enfim, o forte da série é realmente os personagens e a conexão entre eles, e isso a serie sempre mostra muito bem.

Não sei se achei a crítica ótima ou o texto tão emocional e sensível como a série. Aliás, pertinente a análise sobre nossa capacidade de nos relacionar com uma dada série ou mesmo com o próximo nos dias de hoje. Parabéns! Estava quase furando um compromisso de fim de ano para ver esse episódio, mas acabei de perceber que não posso deixar de me conectar com meus próximos, como os Sense8! ;-)

Falou tanto que eu achei que iria dar 10000 ovos rsrs

Que crítica linda, parabéns!

É um especial, não é pra continuar a história msm.

Curti a primeira temporada quando a assisti ano passado, mas hoje já não lembro de mais nada da trama... rs

Ótimo texto. Sense8 retrata de forma lúdica a realidade que a gente rejeita. Estamos todos conectados.

"Não é surpreendente que Sense8 sofra certa rejeição... Vivemos numa era de distanciamento, em que pessoas que se conectam com outras são chamadas de “especiais”, de “diferentes”, onde elas se situam como transgressoras. E tudo isso numa ficção que escancara a verdade: queremos cada vez mais ironizar e cada vez menos sentir." DISSE TUDO HENRIQUE. Bela definição e belo paralelo da série com aqui fora. E tb explica, de modo simples e direto, o pq de tanto mimimis. Infelizmente a sociedade caminha para um destino em que as relações humanas estarão em quinto plano, em detrimento cada vez mais da necessidade de alimentar a vaidade, o ego, o próprio eu.

Já está disponível?

Tudo em seu tempo, pequeno Padawan....

Henrique, tas aqui agora é?! Só não me abandona The Leftovers no Seriemaniacos, te imploro! Amanhã assisto sem falta.

Já viu especiais de Natal de uma série britânica? Mas tudo bem, são produções diferentes. Sabemos que em nenhum momento esse especial era para ser cânone, era só um fan service mesmo.

Linda análise!

O negócio é que, até na primeira temporada, a história em Sense8 não avança tanto. As conexões, as cenas bem feitas, etc, foram em detrimento do avançar da história. Por isso que este ponto foi levado em consideração.

"Trama não avança" em um especial de natal... aonde o omelete encontra essa galera???

É só um especial, relaxem aí, queriam que a trama toda já se iniciasse? deixa pra quando estrear a segunda temporada mesmo!

Espero que The Expanse não comece a enrolação como Sense8 parece estar caminhando... a praga de Lost, uma ideia genial, cujos autores não sabia como evoluí-la...

Quero saber quem foi o primeiro a morder um pedaço do PERU não ceia. kkkkk

Um amiga me passou o link da matéria. Dizendo que é um especial de natal Sense8, dizendo. "Se prepara pra surubada de natal, até papai noel sense8 entra no rolo" Eu disse "o q?" Mas confesso que fez ate certo sentido, pelo estilo da serie rs

Torcendo pra que algum dia a história avance...

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus