Sense8
Séries e TV - Drama, Science Fiction
Sense8 (2015)
(Sense8)
  • País: EUA
  • Classificação: livre
  • Estreia: None
  • Duração: indisponível

Sense8 - 2ª Temporada | Crítica

Segunda temporada investe na ficção científica, mas perde valor emocional nesse processo

Toda dramaturgia tem seu próprio processo de amadurecimento. Os autores colocam os personagens em situações de limite emocional e, pela coerência com a realidade, eles crescem (ou não) e a história precisa seguir esse ritmo. Porém, apesar desse amadurecimento criativo ser importante, a obra não pode esquecer porque foi criada e confundir esse amadurecimento com uma perdade de unidade. Ou seja, a atração não pode deixar de lado o conjunto de coisas que montam aquele universo e que correspondem a ele nos campos do espaço, tempo, estilo, estética, etc. Por exemplo, se um drama familiar tem uma feiticeira realizando um encantamento, ele sai da sua unidade criativa. 

Sense8, criação de Lilly e Lana Wachowski e de Michael Straczynski, chegou à Netflix com uma recepção bastante positiva. Embora os primeiros episódios fossem um pouco mais lentos e a trama demorasse para se organizar, a série tinha uma qualidade técnica atrativa e personagens com dramas humanos bastante reais e identificáveis. A história das oito pessoas ao redor do mundo que se conectavam até o ponto de literalmente se colocarem no lugar do outro, tinha uma metáfora inteligente sobre  empatia e espalhava uma catarse de envolvimento emocional muito eficiente. A história teve paciência na hora de apresentar seus personagens, situá-los nas vidas dos outros e sua mensagem de aceitação logo se tornou um exemplo para todos os que compartilham da importância da tolerância social, sexual e religiosa.

Os fãs do seriado sempre souberam que havia um mistério envolvendo os sensates. Os roteiristas incutiram essa ideia na primeira sequência do primeiro episódio e depois ela foi sendo colocada de lado para que as vidas dos protagonistas pudesse ser desenvolvida. O resultado disso foi uma primeira temporada que valorizou o material humano da trama. Os fãs torciam pelos personagens, se empolgavam quando um tomava o lugar do outro numa situação de perigo, assistiam maravilhados as orgias e encontros coletivos sensoriais. Numa série chamada Sense8, fazia todo sentido que o foco principal fossem as questões sensitivas. E os autores foram muito competentes em estabelecer essa dinâmica, em fazer com o que o público sentisse a série.

Making Sense

Contudo, para os devoradores de mistérios, a série pecava em conduzir o seu. Após um pequeno investimento no season finale do primeiro ano, a série retornou disposta a “dar uma liga” ao seu lado de ficção científica e equilibrar melhor as questões emocionais com as questões práticas. A temporada então, foi planejada para começar com um longo especial de natal exibido em dezembro e com os novos episódios liberados no começo de maio. Quando colocamos em perspectiva o teor do especial com o começo dessa segunda temporada, percebemos que embora a promessa do maior investimento nos aspectos científicos tenha sido cumprida, a promessa do equilíbrio precisa de mais manutenção. Aflita em desenvolver seu mistério, Sense8 acabou entregando uma temporada mal organizada, que por muito pouco não caiu na completa quebra de unidade.

A exibição do especial de natal foi puro emocional. Os criadores foram até mesmo acusados de terem produzido um episódio que era puro fan-service, com direito até a esperada orgia. E justamente por terem pensado nos fãs que cativaram, os criadores foram certeiros ao não abordarem o “mistério”, deixando que o público pudesse se deliciar com as viradas afetivas dos seus personagens. Se exibido logo em seguida, o primeiro episódio (ou segundo se você seguir a organização da Netflix), demonstra uma forte discrepância de investimento criativo. A primeira metade dessa segunda temporada se concentrou completamente em estabelecer as descobertas dos sensates a respeito da organização secreta que os persegue, incluindo muitos diálogos sobre descobertas biológicas, detalhes genéticos, a origem dessa organização e muitos, muitos flashes que informam ao público a derradeira verdade sobre as capacidades sensitivas dos protagonistas. Enfim, não há mais mistério.

No Sense

Livre disso, a história se concentra na ação e tudo passa a ser um jogo de gato e rato em que os sensates querem pegar o “vilão” do jogo e ele quer pegar os sensates. Há cenas longuíssimas em que explicações sobre passado e presente são dadas com diálogos picotados e embora haja grande esforço em estabelecer a importância desses detalhes, Sense8 não tem uma ficção científica original para contar e tudo vira a velha trama de “organização secreta” persegue “pessoas especiais”. Não há um cuidado em fugir das obviedades clássicas desse gênero e aos poucos, lobotomias, “pílulas bloqueadoras” e coisas do tipo vão reformulando os códigos criativos da série, com direito a mais sensates surgindo para aumentarem a rede de deux ex machinas que já facilitavam muito as coisas para os roteiristas.

Na segunda metade da temporada, as Wachowskis já estabeleceram a resolução de seu mistério e então o desequilíbrio de narrativas fica mais evidente. Alguns dos personagens passam quase toda a temporada em função do mistério e outros não. As narrativas mais interessantes acabam sendo a de Lito (Miguel Ángel Silvestre), que corre quase toda por fora da trama central (com direito a um emocionante discurso na parada gay de São Paulo) e a de Nomi (Jamie Clayton), a única personagem que consegue unir perfeitamente seu envolvimento com o mistério e com a própria vida pessoal. Não por coincidência, esses dois personagens são ligados às causas LGBT. Capheus (Toby Onwumere) e Sun (Doona Bae) também tem jornadas paralelas com a trama de ficção científicamas enquanto ele some como mero coadjuvante, ela ganha metade da finale, com direito a perseguições e explosões que fazem do show quase um blockbuster de Michael Bay.

O saldo é controverso, estranho. A série luta por uma posição de híbrida, mas sofre para fazer suas revelações serem interessantes de verdade. A cada momento em que volta a investir no material humano, ela cresce, para logo depois voltar ao enfadonho palavreado científico cheio de chavões de efeito. Sense8 sempre foi uma série de catarse, mas seu texto nunca foi dos mais elegantes. Com essa discrepância de intenções narrativas, os clichês textuais ficam mais evidentes e os autores nem mesmo se preocupam em analisar se colocar num personagem a frase “rótulos são o oposto do entendimento”, é coerente com a natureza da série, que luta pela tolerância aos rótulos, seja eles quais forem (afinal de contas a transição de gênero se faz necessária em alguns para que haja adequação de signos pessoais e embora a palavra “rótulo” seja tão demonizada”, ela é somente um outro nome para “símbolo”). Cis, trans, gays, lésbicas, conformistas e não-conformistas... Todas essas nomenclaturas são “rótulos”, “símbolos” e eles precisam ser respeitados (o respeito a eles é devidamente cobrado, inclusive). Compreendê-los é parte do caminho para isso.

Sense8 tem muitos aspectos positivos e sua existência é preciosa e comovente sobretudo para as causas das minorias. Mas, seu segundo ano tropeçou na estrutura dramatúrgica apenas porque se sentiu obrigado a “dar explicações”. O que ficou foi a sensação cada vez maior de que o importante nunca foi saber “porquê” e sim apreciar as belezas que eram provenientes do “como”. 

Leia mais sobre Sense8

Nota do crítico (Bom) críticas de Séries e TV
 

Pra mim essa temporada foi mais legal que a primeira! Realmente me diverti muito assistindo e achei uma pena que tenha sido cancelada. Havia um esboço de um universo ali com novos grupos surgindo. Mas realmente tenho que admitir que sense8 era bem provocativa e levantava sem medo as bandeiras liberais. Para mim isso também é uma virtude porque se uma série pode ser abertamente panfletária de esquerda, então também tem espaço para séries conservadoras. Felizmente o mundo é grande e tem espaço para todos!

Lacrador ? Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Não sei o que significa essa giria bizarra, mas essa pauta de golpe não tem nada de bom, apenas evidencia a ignorância de alguns.

Desde que ele é lacrador.

"Golpe com o símbolo da Globo". Aí a gente já vê o nível.

Nossa, discursinho de mais de 20 anos atrás. Muda pouquinho, benhê.

A lacração foi tanta que até o Omelete enjoou. kkkkkkk

Diz logo que vc gosta pq é lacradora.

Se tivesse a 3 temporada e eles explicando como isso aconteceu. Como aconteceu o encontro deles. Qual foi o planejamento para resgatar Wolfgang o seria bom. Pq no penúltimo/ultimo (não me lembro) episódio, estavam no aeroporto pegando o avião e ai pronto, estão resolvendo a briga Will x Susurros, e pronto entra no furgão lá e acabou, QUE PORRRAAA!

Melhor serie de todos os tempos! Alguém pode me dizer uma serie que reúne todos os gêneros em único lugar? Não. Ela é polêmica, tem suspense, ação, violência, é dramática, criminal, nerds? talvez horror? fala de amor, respeito ao próximo diversidade. é ousada em fazer algo que ninguém tem coragem, tem história, customizada, com a audácia de mostrar vários lugares do mundo, talvez historicismo cultural eu diria e ainda por cima consegue ser fictícia que é meu estilo favorito. Só as vezes acho que estou assistindo Emanuelle na Band, mas isso é o de menos lol Ah Acredito que o Omelete precisa escrever algumas baboseiras para causar alguma polêmica de alguma forma. Se ele só escrevesse pontos positivos não teria comentários aqui em baixo. É a única explicação.

Série fantástica.

Viadagem é ótimo. Heterozagem é que desgraça as coisas.

Obviamente nao gostou da serie s2. Poderia ter elogiado algumas coisas tal como a forma q a serie aborta as lutas sociais em varias esferas... Sobre a parte dos rotulos, se perdeu totalmente no comentário. Sim, "rótulos são o oposto de entendimento". Estuda um pouco mais antes d falar sobre o que nao sabe.

Uma série que começou sendo a nova Lost + minorias + esteriótipos (o que soa irônico) e se tornou um Heroes com todo mundo transando.

EXATAMENTE. Tô bem triste e decepcionada 😒

Concordo em algumas parte , a serie ficou lenta principalmente do ali no EP 4,5 e 6 , mas eu gostei muito de saber que ah outros sense dessa organização que viver caçando eles , tem algumas cenas de sexo sem sentido no decorre da serie... mas enfim , na minha opinião merece 4 ovos , adorei mas podia ter sido melhor.

E o maior mérito pra mim, que nem foi comentado, são as cenas com o grupo todo, o modo com que eles definiram o ritmo com que eles todos trabalham juntos, as melhores cenas da série são as que eles estão todos juntos, perfeito. O final deixa bastante a desejar, principalmente sendo a primeira vez que todos se encontram de verdade. O irônico é que pra mim Sense8 é muito mais sobre as relações e coragem de mostrar as diferenças, inseridas em uma ficção científica, e por mim isso está tudo bem.

Já não acompanho as críticas do omelete faz tempo. Nem perdi meu tempo lendo essa aí de cima quando passei a ver os comentários. Sobre a 2ª temporada, pouquíssimas tramas e, como sempre, mais para o final (da Sun, Capheus etc). O interminável "drama da carreira de Lito", o assunto "já esgotado das questões LGBT". OK, OK, somos todos iguais perante a natureza, cada um tem o direito de optar independentemente das regras antigas etc, mas dá para colocar mais socos, pontapés e embates na série?! Não é necessariamente a questão da violência: existe a violência chata (briga da Sun com o policial) e a cena que "quebra a banca" (prisão do irmão da Sun, ou quando Gorski fica face a face com o Sussuro). Ou da primeira temporada, quando Lito bate no ex-namorado de Daniela. O que eles vão colocar na 3ª temporada: o tema da "adoção de bebês" por casais homossexuais (Lito e Nomi) e temas afins durante 10 episódios. E só no último episódio vão matar o Sussurro, quando estiver faltando 15 minutos para acabar o episódio. Aí vai ter uma festa de despedida e acabou a série. Ou seja: uma série com um potencial incrível, essa temática dos senses, vira palco de debate e exposição de problemas sociais. É bom que seja caro mesmo cada episódio de sense8 (cerca de 9 milhões cada), para que tenha mais "cinema" nessa série e menos "debate social".

Ótima análise, quadrinheiro. Alguém fala pro Omelete estudar mais semiótica e discurso antes de querer falar de símbolo/sígno etc ( e não vale pierce de graduação) Ou mesmo estudos culturais para entender questões de corpos marginais, sujeitos assujeitados, hegemonia...

hmm se perdeu ao falar em rótulo, símbolos... Deixemos a análise acadêmica para a academia, por favor! Aliás... O argumento de que a estrutura é diferente da primeira temporada está correta. Toda elaboração desse texto ao redor dessa premissa, muito forçado. Ademais, LGBTQQQRSTX é o de menos. É só uma fração do que é e do poder de sensate. Omelete já era chato com metidos a críticos de cinema, agora com metidos a academicista, ficou pior. A season finale deixou a desejar. Mas a temporada foi magnífica.

Não sou de publicar contra as criticas do Omelete...mas essa ficou uma b*sta ...por isso diminui muito de seguir o site...

Concordo. A ânsia em parecer um crítico que não perdoa as falhas de roteiro e ritmo fez com que o autor ignorasse o diferencial dessa série. O fato é que ainda me impressiono como conseguem abordar tanta diversidade numa obra só. Enquanto a maior parte dos filmes e séries não abordam nenhum aspecto que fuja do padrão de hollywood, as tramas permanecendo no conveniente (brancos/héteros/sociedade estadunidense), essa série é globalizante, multi étnica e sexualmente livre. É de dar pena ver uma crítica dessas.

Nossa temos um hétero machão aqui, ainda bem que você não assistiu, sério riscos de virar um gayzão quando a masculinidade tá frágil e abalada.

Se tivesse como curtir 1000 vezes estes comentário!! Vou imprimir e mandar emoldurar esta obra prima!!!

Sinceramente, este crítico do omelet está de parabéns pelo papelão escrito. Nem se quer elogiou a série por mostrar de forma clara e audaciosa os males que permeiam a nossa sociedade moderna: o lobby farmacêutico, a miséria que existe na África ( mostrada apenas pela ótica do Quênia sim, mas que nos faz parar para pensar), a forma como as mulheres ainda são vistas em países como Coréia e afins (obviamente podemos ligar à vários países China, índia, Brasil etc...). sem contar a causa LGBTQ enfim. O enredo pode até ser complexo, mas os temas que a série propõe e debate para mim já anula tudo isso, e o fato disto estar mergulhado de forma rica nas histórias das personagens deixa a fantasia ainda mais linda. Crítica fraca, montada com um monte de palavras bonitas e difíceis para disfarçar o pedantismo do crítico. Nota: 1 de 5.

Além de escrever essa péssima crítica, o que incomoda é a arrogância do rapaz. Abre o facebook do cara para ver ele dizendo o quanto "se diverte com os xingamentos na crítica". Não é só xingamento, mas se todo mundo ta simplesmente dizendo o quão pobre está o texto, o cara podia deixar a pré-potência de lado e passar pelo menos 5 minutos refletindo se o que ele escreveu é ou não uma grande abobrinha (que no caso é).

Achei também que a segunda temporada foi muito perdida, uma ansiedade de cenas sexuais e sem sentido para fazer algum sentido artístico para a coisa toda. Poderia ter sido bem legal. Mas foi meio arrastada. Tardei em terminar.

o último episódio principalmente foi um barata voa, uma correria, e uma porrada de coisas sem explicação foi season finale mal feito pacas

nao, esse é meu nome mesmo.

E ainda se diz fã de Fullmetal, pqp...

Do jeito que terminou a segunda temporada eu duvido muito.

Sei la, eu ate aceito, mas ainda me causa estranhamento esse fenômeno contemporâneo, as pessoas sempre acham q o que a novidade e' sempre a melhor. Nem digo em relação a critica, ela tem pontos que exemplificam bastante o q se passa na serie, falo em relação aos comentarios desta serie e outras mídias .. Não sei se e' por causa do hype, modismo, sei la.. E' meio evidente q a primeira temporada seria melhor, nem e' questão de gosto, e' que esta temporada carrega alguns erros básicos q nao foram apresentados na primeira.. Acontece o mesmo com muitos filmes ai q estão no cinema.. Citando uma serie, lembro de muita gente defendendo com unhas e dentes q a segunda temporada de Demolidor foi melhor do que a primeira..

Também senti que a segunda temporada se perdeu. Talvez se eles tivessem cozinhado mais o Will fugindo do Susurros. Mas logo no segundo episódio eles já resolvem isso. E dai até os últimos episódios focam mais em histórias paralelas. Não que eu tenha desgostado, mas em alguns momentos me perguntei "qual é a trama final aqui" ?

Essa segunda temporada rasgou meu cool de tão boa.

Sense 8 é legal o que fode é o fã clube

Eu imagino que na próxima temporada isso tudo dos 10 minutos finais da temporada será bem discutido, pq realmente, se aquilo for tudo fica aquela decepção! SPOILERRRR, e se percebi bem eles nem mostram o Wolfgang, mas imagino q deve estar em alguma filial da OPB em Berlim.... Vamos ver como será essa próxima temporada, espero que seja ainda melhor

Temporada caminha bem até o último episódio que é deprimente. Tudo acontece muito rápido, um evento de extrema importância que foi o *SPOILER*SPOILER*SPOILER* encontro físico do grupo completo pela primeira vez simplesmente foi ignorado nesse episódio. As resoluções foram todas empurradas com a barriga. Já estava achando a temporada inferior a primeira, de longe, mas ainda assistia com empolgação. Depois desse último episódio terrível, minha animação e ansiedade para a terceira temporada simplesmente foi embora. Eu sinceramente não sei como um estúdio de TV aprova esse último capítulo. Parece que a série foi planejada para ser dividida em 12 partes e no fim alguém decidiu que teria que cortar uma delas e o resultado foi esse aí...

Pessoalmente preferi mais a segunda temporada, a primeira é ótima mas pesa muito ter que apresentar todos os 8 protagonistas e desenvolver suas histórias pessoais e ainda explicar o que é um sense8. Por isso essa temporada teve um ritmo melhor desde o primeiro episódio, e acho normal que alguns personagens acabem entrando de cabeça na trama principal, enquanto outros ainda tentem seguir suas vidas e não se abriram com as pessoas a sua volta, normal, cada um reage de uma forma. Em relação a mistérios é aquela coisa, se não revelam nada é um novo Lost, se revela é criticado tbm, mas essas revelações só indicam que a série não terá muitas temporadas, acredito que como já circula a notícia será apenas mais uma temporada.

Acho incrível! Na hora de falar de filmes sem conteúdo, que contam sempre a mesma história, só mudam os personagens principais, o Omelete rasga elogios, fala bem demais, cita os defeitos, mas só. Agora na hora de falar de uma série que mais do que os textos ou a trama "batida" de vilão e mocinho (tipo os filmes da Marvel, só que na série o vilão dá medo, diferente dos vilões da Marvel que se quiserem podem se passar por simples bobalhões, ou, simplesmente, não existir, pq não oferecem ameaça ou causam uma grande consequência), mas na hora de falar de uma série que consegue prender o público, que trata de assuntos que precisam ser discutidos (que, sim, tem defeitos, mas que ao menos inova na mesma história de sempre) vcs fazem uma avaliação dessas? Me desculpa Omelete, mas ultimamente os leitores (já li vários comentários) estão cansados desse "partidarismo" de vocês! Ajuda a gente, de coração! Ps: Saudades da Carol! <3 com amor, uma leitora antiga do canal!

Preferi essa do que a primeira exatamente por ver o contrário, achei a primeira bem devagar enquanto essa bem mais acelerada. Em vista que está tendo boato que Sense8 só deve ter só mais uma temporada, faz sentido acelerar as coisas. Mas bom, não dou nota nem recomendo acharem meu comentário relevante, porque afinal, todo mundo que estuda semiótica sabe que fazer análise com algo que você viu só uma vez é bem pobre e supérfluo.

Sinceramente, li criticas onde simplismente os tais especialistas arrotam que o foco se perdeu por deixar em segundo plano o lance da organização secreta e formentar d+ a vida doa Sense8 mas esquecem que a premisa da serie é a vida deles interligadas. É o mesmo que Gossip Girl acompanhar a vida de cada personagem, só que em realidades diferentes isso que eles estão caçados e que iram fugir não está na sinospe da serie. Então o foco central só eles, eles são a história o resto é só consequencia.

Vou assistir com as expectativas baixas, foi assim que fiz com 13 Reasons Why e acabei por adorar. Já no caso de Stranger Things, assisti com expectativas altas e detestei.

pelo visto agora o Omelete não presta mais kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

o que é viadagem danada?

3 ovinhos para Sense8, 4 para Cara Gente Branca. Esse é Omelete de sempre. Onde as notas se resumem numa palavra: Q U A L I D A D E

Geralmente nunca falo só leio as críticas e alguns comentários, mas a Série conseguiu dá um salto enorme expandindo o universo de sense8, tornando-se uma série 5 estrelas fácil, os assuntos abordados são amplos e o que para alguns é arrastado faz parte do universo que está tomando vida própria, parabéns as irmãs wachowski, não posso compara a Matrix, mas a sua obra de uma relevância ímpar a sétima arte.

Sofri pra acabar a temporada, porque tava bem ruim. Arrastada. o ultimo ep foi o melhor da temporada e um dos melhores das duas temporadas. Ela peca em dialogos repetitivos, camera lentas interminaveis e cenas descartaveis. tinha tudo pra ser melhor que a primeira - que gostei muito. uma pena

Estou no quinto episódio ainda e por enquanto a série está ótima. Com direito a easter egg de Mr. Robot no 4º episódio kkkkkkkkk rachei de rir. Só deviam diminuir um pouco o jogo de câmeras lentas. Tem hora que cansa.

Ufa! Até que enfim alguém que tenha adentrado na série de fato e absorvido as grandiosas coisas que ela quer passar. Muito bem! Comentário digno de aplausos, pois o que vemos aqui é mais a preguiça de imersão da galera (ou será comodismo com o óbvio).

Criticou, criticou e deu nota BOA. Fato é que essa série na primeira temporada não teve história, na segunda é uma bagunça sem sentido mt dificil de entender. Só assisto pelas fotografias.

gente........

eu particularmente achei que teve bastante cenas de ação. Não faço ideia pq esse povo reclama

A temporada foi evoluindo e terminou deixando gosto de quero mais. Passo longe dessa crítica

Eu assisti a série antes de ler essa crítica. E particularmente parece q esse crítico nem prestou atenção nos episódios ou é hater mesmo. Temporada incrível.

Parece que esse crítico só quis imitar o estilo de outros kkkkk Crítica meia boca

Eu não sei qual série esse crítico assistiu, mas não foi sense8. A temporada foi evoluindo bastante, as cenas de ação foram incríveis.

Espero que façam isso mesmo, pq resumir uma trama que vinha sido contada a temp. inteira em 10 min. é um tiro no ep. O ruim é que Sense8 demora muito pra voltar, mas espero que façam isso que vc falou

Enrolação... sei. HAUHAUhAUhAUhAUhA Então não viu a série

Ou é questão de gosto pessoal mesmo. HAUHAUhAUhauhAU Para mim ela é muito boa. Ai vem alguém simplesmente falando que não gostou. Blz, mas e os motivos? Você estava querendo alguém que perguntasse para falar neh?

Também achei. Em relação a correria do final, acho que o ultimo episódio vai ser recontado no primeiro episódio da série. Isso se não fizerem um especial de novo só para contar o que aconteceu realmente no final do ultimo episódio porque pareceu 11 homens e um segredo nessa parada.

Como toda crítica do Omelete, uma perda de tempo enorme ler isso. Visivelmente pouco foi entendido em termos da fundamento base da série. A história central não tem a menor relevancia, ela só está ali pra trazer as pessoas de mente pequena. O foco da série está em outros pontos. Quando se fala de rótulos, você poderia ter ficado quietinho... foi onde se perdeu. A série fala justamente da desimportância dos rótulos. Os tais simbolos no entendimento que você colocou, Henrique, estão lá apenas para referencia. Como Star Trek bem revela em todas as suas temporadas, não se deveria respeitar um simbolo. A necessidade de se respeitar um simbolo é a grande falha do simbolo, porque o coloca acima do ser humano em quem o simbolo foi colocado. Se existe a necessidade de um simbolo, é porque aquele ser humano não está sendo visto como o básico, como o humano, como o normal. Quando se diz que precisa aceitar, respeitar, ou etc... já começou o preconceito. E é sobre isso que se trata a série. Quando se diz que a evolução foi e voltou com relação ao uso da telepatia, mostrou que as pessoas perderam o poder de telepatia porque a mentira se tornou necessária. E a massa crítica, na mitologia da série ( obvio ), já está vencendo esta necessidade de mentir, e ver o outro como uma pessoa normal e comum, independente de qualquer rotulo ( ou simbolo como você prefere ), não se faz mais necessária. Claro que as irmãs não vão colocar foco na ideia central, na perseguição. A série ñ é sobre isso. É sobre pessoas, sobre amor, sobre o mundo ser um lugar tão pequeno e as pessoas se distanciarem mesmo morando a metros uma da outra. Fora a inovação em termos de produção, a ousadia, a coragem de ser visionário mesmo sabendo que pessoas como você não tem o que é preciso pra entender do que se trata. Triste... Mas, é Omelete. E todo mundo já sabe do que se trata o Omelete, não é ?

Eu também percebi isso, e amei.

Concordo um tanto. A temporada não fez com muita qualidade ou originalidade o que a maior parte das pessoas espera, que é explicação da mitologia. Por estar no ar agora, me vem fácil a comparação com The Leftovers, que é uma série pouco preocupada em explicar e mais focada em explorar como os personagens ali reagem aos mistérios. Agrada menos, é menos fácil, mas é FODA. A maioria das pessoas que resoluções e clareza sobre o que está assistindo e é possível fazer isso com qualidade sem deixar o resto em desvantagem, mas não foi o que aconteceu em vários momentos dessa temporada. Acho que ela começou bem, mas houve uma queda e o final foi corrido, abrupto. Me deu impressão de ter entregue menos do que prometeu no bom começo. Maaaas, de toda forma, com tudo isso, continua sendo uma das séries que mais gosto de ver e rever. Seja pela mitologia, seja pela diversidade e beleza dos personagens. Se for errado já estar revendo, me processem.

quero a 3º temporada!

e você criticando as pessoas ao invés de argumentar sobre a série

moleque, criou um fake para xingar?

Bom, ele argumentou sobre todos os pontos, enquanto vocês só estão hateando o cara por falar mal de algo que vocês gostam. Já dizia Pablo Villaça: A crítica deve caminhar com a razão e a emoção. Um ou outro separados não é crítica.

Particularmente achei essa temporada superior do que a anterior em alguns momentos. Ela teve um ritmo mais "rápido" em comparação a primeira temporada. Ela já te prendeu no primeiro ep. e a trama e o mistério só crescia dali para frente. A série já nasceu com o propósito de ter uma ótima crítica social, então as pessoas não têm nem o que reclamar. A única coisa que realmente me incomodou nesse segundo ano, é que ficou perceptível em algumas cenas, que a produção fez vários cortes na trama. Muitas cenas pareciam vazias, como se faltasse alguma coisa. Isso ficou perceptível no último ep, onde o ep. teve um ótimo início e meio, mas no final virou uma bola de neve de informações, talvez a série precisasse de mais 2 ou 3 eps para que a trama pudesse ter sido fechada sem furos.

Thiago, eu não acho que ela enrola demais não. O grande problema da primeira temporada é que eles focam demais nas relações entre eles, se descobrindo, cada um passando pelo seu proprio problema que deixaram a outra parte que é o que era o BPO, quem era o Whispers de lado, o que se você repara hoje nessa segunda temporada, vê que funcionou bem assim. Essa segunda é infinitamente melhor que a primeira, cada um esta passando pelo seu problema, ao mesmo tempo que temos o problema central do vilão, alem de que aparece mais sense8s. A serie ficou bem mais dinâmica e flui de uma forma muito boa. Também não curti muito o final, achei corrido demais, poderia ter tido pelo menos mais um episodio, mas é errando que se aprende né, espero que venha uma terceira temporada ainda mais foda. Mas na sua opinião, aonde que eles enrolam?

Nao é pq nao concorda com a sua opnião que a critica tem q ser ruim. Maldito.

Nao é pq nao concorda com a sua opnião que a critica tem q ser ruim. Imbecil.

Essa é a série mais superestimada que existe

Tecnicamente tem coisas coerentes. Mas conceitualmente defende conceitos muito próprios (o critico) o mais desastroso foi associar simbologia de esteriotipo. Mas ta de boa, a grande maioria das pessoas comete essa mesma cagada.

assisti a primeira temporada e achei daora até, mas a segunda temporada antes msm de sair ja dava indícios q seria uma VIADAGEM danada e iria apostar forte em agradar a galerx, logo desisti ...

Bom, pode até ser, mas pelo visto a "participação" do personagem deve diminuir de toda forma, visto o que foi mostrado nessa temporada.

Ele é adepto das ideologias que colocam siglas nas pessoas para se "afirmarem"; mas que na verdade tornam essas pessoas parte de grupos antinaturais; pessoal que adora dividir as pessoas em nós e eles.

Especial de Natal é para fazer as pessoas se importarem com o personagem que é pego no final da série.

o cara sabe mais que o resto da humanidade kkkk

foi explicado na série que eles são perigosos pois podem ser usados como armas pelos governos; ou podem se associar entre os grupos contra os "humanos normais".

Problema é da edição, e não da narrativa.

Tiago, essa série não é pra você. Se todo o resto é nada, então vá assistir flash com o monstro da semana.

- temos as lembranças, os momentos em que eles revivem situações como ponto positivo - a existência de outros grupos justificou a agência de caça - a troca do nome do Sussurros não era necessária - as cenas da fuga da prisão e caça ao irmãozinho foram muito boas - a luta no restaurante muito massa - a descoberta de que o Sussurros não era o único pervertido do grupo dele é a parte mais aproveitável, mas deveria ter refletido nas expectativas e ambições do grupo da série criando conflitos o que não aconteceu

- essa é uma das piores criticas que já li, o cara critica a série por questões ideológicas próprias, por não concordar com os conceitos apresentados na série. -- a série apresenta personagens e como as situações cotidianas afetam a personalidades e sensibilidade deles; não é uma série sobre panfleteiros; as pessoas querem ser tratadas com naturalidade, não como bichos de zoológico, ou como ETs (rótulos) -- a parte da política que o crítico reclama de ser o mesmo de sempre é algo que não é comum em produções dos EUA; ele deve ter se enfadado por ter se sentido vendo produções brasileiras na tela falando sobre política, o que não justifica a crítica relacionada - a crítica deveria indicar que o leitor revisse o especial de fim de ano antes de seguir com a série pois o personagem com quem as pessoas precisam se identificar nessa temporada é apresentado melhor nesse especial - o crítico reclamou da ação na série que foi um ponto alto a se valorizar nessa temporada - ficou parecendo que cortaram dois episódios da série pois do penúltimo para o último tem um BURACO IMENSO de descontinuidade. A série apresentou nítida tesourada, o momento que voltam de São Paulo e encontram os pais da doida lá ficou muito sem sentido.

Um crítico egocêntrico, crítica em busca de um sentido, Sense8 é entretenimento e consegue o seu intento com louros. O que este senhor escreveu é uma tentativa de mostrar uma erudição dramatúrgica, mas não deu certo. Esperando a terceira temporada de Sense8 também mereço um pouco de escapismo. Omelete para a próxima temporada troque o crítico!

O especial de natal eu nem considero, além de ser um especial, foi feito só para encher linguiça e não deixar a série tanto tempo parada por causa da troca do ator que fazia Capheus, oq gerou regravações e atrasos no lançamento da 2ª temporada. De resto concordo com vc, essa segunda temporada soube andar mais com a história em si, mas sem ficar só no discurso de aceitação e respeito ao próximo (que é um dos melhores pontos da série, mas tbm concordo que não pode ficar só nisso).

Acho que Sense8 cabe críticas sim, aos clichês colocados na série, à outras quebras no roteiro. Mas achei essa crítica em especial tãoooo coisa de Hater, aquela pessoa que precisa precisa falar mal de algo pra se sentir o especial do Rolê. Achei a crítica forçada e desesperada, não dá pra levar a sério.

falou tudooo kkkk

man, essa Haddefinir ta de palhaçada, pqp doiod, onde omelete tirou essa cara ?

critico de bolas kkkkk

chega a ser ridículo ler essa critica

faço das suas palavras minhas tambem

Gostei muito dessa série e estou ansioso pela 3 temp, o q eu acho engraçado nessas pessoas q criticam uma série dessas é q na maioria das vezes são um tipo de pessoa q assisti uma porra de uma novela todo dia q passa na globosta. Pow galerinha vamo curtir a série numa boa, imagina se num existisse Netflix? Era bem pior né não.

Eu não gosto muito de série de ação, curto mais série diálogo, então, amei a primeira temporada e sou um dos poucos que gostou dos primeiros episodios da primeira, enfim, gostei mais da primeira, sobre a segunda, tava boa, mas achei desnecessário alguns comentários toscos tipo o do oscar e uma falas apelonas e sem nexo, já sobre a enrolação entre o inicio e o fim, gente, é uma série sobre a vida pessoal e a conexão entre OITO pessoas, então tem que ser assim, quem quiser muita ação vá ver demolidor.

O Haddefinir já cagava nas criticas desde a época do SeriesTV. Omelete deve estar em falta de redator pra contata-lo. Essa segunda temporada merecia 4 ovos sim.

A única coisa da série que eu achei ruim, não foi o desenrolar da dramatização, nem personagens, nem história, e nem o mistério em si (apesar que o mistério da série diminuiu um pouco), mas sim o fato do tempo de lançar a 2° tempo, pq dai como já foi dito, fizeram a série a 2 anos atrás, e gravaram o especial de natal e a 2° tempo, a uns 8 meses atrás, mas com a demora, muitos contratos do elenco acabaram vencendo, e nisso a netflix tá correndo atrás pra tentar garantir uma 3° tempo, tanto é que o elenco já teve 1 baixa, que no caso foi do Naveen Andrews, que mesmo não sendo um dos 8 protagonistas, teve papel importante no enredo, mas recentemente foi contratado para um piloto do canal americano CBS chamado Instinct. Com isso, no caso da série ser de fato confirmada, o Naveen Andrews provavelmente não fará mais do que uma participação especial em Sense8.

Vocês estão esquecendo que são 8 vidas, que vivem os problemas da vida "real" todos os dias, eles simplesmente focarem no objetivo do seriado acaba pulando a ordem natural, além de que como eles se envolvem nos problemas de cada um acrescenta muito no seriado.

se você espera ação durante a série toda, vai assistir outra coisa. Não vi nada de enrolação, a história é bem desenvolvida, se não gostou da primeira, não devia ter assistido a segunda, pois o enredo é bem desenvolvido e distribuído e deve se concentrar bastante pra entender a história, principalmente nos detalhes. Uma coisa eu não concordo desta série, é que a segunda temporada precisava de mais episódios para um final que eu achei que deixou a desejar. Enfim, é uma das melhores séries da Netflix, e quem não vê isso, ou tem cérebro pequeno ou é simplesmente uma opinião própria que não deve ser exposta, fique com ela e pare de assistir, fácil assim.

Não tem nada de profundo, levaram 2 anos para fazer uma série cheia de enrolação.

A série se enrola demais cara e deixa toda a parte interessante para 10 minutos do ultimo episódio. As coisas acontecem do nada a todo momento, isso é muito chato.

Quem fez essa critica com certeza viu uma serie totalmente diferente da que eu vi.

alguém demite esse estagiário

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus