Sem Dor, Sem Ganho | Omelete Entrevista Michael Bay

Diretor fala sobre a filmagem do longa

Em uma entrevista exclusiva, Marcelo Forlani conversou com Michael Bay, diretor de Sem Dor, Sem Ganho (Pain & Gain). O diretor falou sobre sua visita ao Brasil, a filmagem e mudanças no roteiro.

 

Muito obrigado por me receber mais uma vez. Nós nos conhecemos no Rio.

Michael Bay: Sim.

E como foi a sua estadia lá?

MB: O Rio foi incrível. O hotel era fantástico. Eu queria ter ficado mais nas praias.

O que...?

MB: Muitas mulheres bonitas.

Sim. Sim, nós temos. Você está tentando fazer esse há muito tempo, quase uma década.

MB: Sim, dez anos.

Quanto mudou no roteiro e em todo o projeto do início até agora?

MB: O roteiro não mudou muito. Nós reescrevemos algumas coisas. Mudamos alguns voice-overs, coisas assim, mas é basicamente como era antes. Até o estilo do filme.

Você usou algumas câmeras 4K aqui. Como foi isso?

MB: É uma mistura de estilos. Tem película, digital, GoPros, até Cannon 5D. Foi a primeira vez que filmei em digital, o que foi legal. Essas câmeras são tão pequenas.

A GoPro... Elas o deixam livre para usá-las como quiser.

MB: Sim, a empresa me enviou 30 ou 40 câmeras e fizemos ligações diretas com elas.

É um ótimo brinquedo.

MB: Eu não posso falar a GoPro como fizemos, mas nós a tornamos especiais. Fizemos melhor que uma GoPro.

Quando eu vi o primeiro trailer desse filme, eu achei que era a versão do Michael Bay de "Se Beber, Não Case". Claro que você já havia pensado no filme antes desse.

MB: Certo.

Mas era tão divertido quanto.

MB: Sim.

Esse é um tipo de mercado que você quer investir mais? Do tipo divertido e real.

MB: Sim. É um filme diferente. É simplesmente... É uma história de crime contada pela perspectiva do criminoso e você meio que gosta desses caras. Eles são meio cativantes. Na história real, esses caras eram realmente charmosos. Eu amo a cara do público depois de verem o filme, porque eles ficam: "Que viagem, esse filme é louco!"

Christopher Nolan fez "O Grande Truque" e "A Origem" entre "Batman". E você está fazendo esse filme entre "Transformers". É uma forma de revigorar a sua...

MB: Sim, é só para sair do mesmo lugar que eu estava com "Transformers". Você não acorda pensando em robôs. Este filme era só atores atuando. Foi um filme de baixo orçamento e foi fácil de fazê-lo.

Não é fácil ver que é um filme pequeno do Michael Bay, como todos estão dizendo, porque na tela parece grande.

MB: Que bom. Porque foi aí que eu peguei todos os truques de como fazer. Há muito truques para parecer caro, quando não é.

Você pode dizer um truque de que você se orgulhe?

MB: Uma é a cena que a tiramos do carro. Seis caras filmaram isso. Não foi uma equipe de 50 pessoas. Seis caras. E isso é por causa das câmeras digitais. Então, nós conseguimos fazer rapidamente, com eficiência e barato.

Quando você foi ao Rio, nós falamos sobre você filmar alguma coisa lá.

MB: Eu estava planejando fazer o terceiro ato de "Transformers" no Rio, para "Transformers 4", mas não vamos, vamos fazer em Hong Kong. Mas foi uma disputa acirrada.

Alguns leitores pediram para você adicionar um ônibus, um ônibus transformer no próximo filme.

MB: Um ônibus?

Sim.

MB: Eles querem um ônibus?

Sim.

MB: Certo. Tudo bem.

Você vai pensar?

MB: Eu vou pensar nisso.

Obrigado.

MB: Muito obrigado. Obrigado.

 

 

 

 

Sem Dor, Sem Ganho estreia 23 de agosto nos cinemas.

Leia mais sobre Sem Dor, Sem Ganho

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus