A Chegada - O Veredito | OmeleTV

Longa chega hoje aos cinemas!

A Chegada é um dos filmes mais elogiados do ano, mas não é uma unanimidade. Neste bloco, discutimos se o longa de Denis Villeneuve é tudo isso que estão falando. 

Todo dia tem um programa novo! Para assistir aos OmeleTVs desta semana sem pausas, clique aqui e tenha acesso à nossa playlist!

Pois é, a galera está desenvolvendo umas teorias na postagem da crítica, mas ainda não estou convencido... dá uma olhada lá depois, abaraço!

Cara, eu também achei um furo essa parte, a Dra Banks vê com detalhes todos os insights do futuro e me causa estranheza neste insight da reunião de celebração a ONU quando ela encontra o General Shang pois no futuro ela deveria se lembrar que ligou para o general há 18 meses e alterou toda a história da humanidade!

Eu não sei se alguém vai me responder, já que faz muito tempo que esse veredicto foi publicado, mas, enfim, só hoje eu assisti ao filme e estou com uma dúvida maldita na cabeça. Vejam se podem ajudar: Quando ficou claro que o tempo para os aliens não era algo linear, mas sim “simultâneo”, onde presente e futuro coexistem (como acontece com o Dr. Manhattan em Watchmen), logo pensei: “- Ahá! Aí está uma falha! Afinal, se os Aliens sabem do futuro, então de lá eles poderiam trazer o ‘dicionário’ pronto que resolveria o problema da comunicação!”. Porém, pouco depois, cheguei à conclusão de que uma coisa não exclui a outra, afinal, para que o “dicionário” exista no futuro, ele tem de ser criado, de qualquer forma, no presente. Tudo estaria resolvido se não fosse pela maneira como a história chega ao seu desfecho. Explico: Para convencer o General Shang a mudar de ideia sobre o ataque à nave, a Dra. Banks busca informações no futuro: o número pessoal do general e até mesmo as palavras exatas que deveria dizer. Pergunto: como diabos essas informações foram parar no futuro se elas não existiam no presente? Como ela poderia saber das últimas palavras da esposa do general? Não havia como ela saber dessas informações no presente, então... como chegou ao ponto no futuro em que a guerra foi evitada e todas as nações se uniram? A informação veio unicamente do futuro? Entendem meu ponto de vista? As duas situações não batem. Se o filme admitir que informações podem ser trazidas do futuro, sem ligação com o presente, então os aliens deveriam ser capazes de trazer de lá o conhecimento sobre a linguagem. Caso contrário, se o filme não admitir essa possibilidade, a Dra. Banks não deveria ter sido capaz de trazer do futuro a informação do número do general e da conversa que nunca teve. Só eu vi isso? Alguém me dá uma luz aí!

EU Concordo com o Hessel, curti o filme mas ele constrói algo que o faz esperar mais e esse mais não chega e qdo você vai ver o filme acaba , sem ter um momento de ápce. O filme The Signal conseguiu trazer esse momento de apce onde vc fica boqueaberto quando o filme acaba. achei muita fumaça também para pouca fogueira. mas é um filme bom sim.

This!!!!

Eu gostei do filme, achei ele muito bonito, mas tbm concordo um pouco com o Hessel, parece q falta alguma coisa!

Já comprei e já li. ;)

Não entendi. Você não concorda com o quê? Que A Chegada NÃO é inferior a 2001 ???? Caramba! Vou correndo baixar pois pra um filme estar no mesmo patamar que 2001 é de uma genialidade impressionante. O_o

Brincando com você, bróder. Mas pra mim é uma questão de objetividade. Se tenho como resolver mais rápido, por que vou enrolar só pra ficar mais bonito? É isso.

belebelobolobo.

OJR, Pra mim a história está longe de ser confusa, ainda que abra espaços para algumas interpretações (a semiótica sempre permitirá isso). Sobre ser ficção científica, basta olharmos para aspectos presentes no gênero. Coisas tipo: ETs, Cientistas, contato extraterrestre, naves espaciais e outras coisas. É sempre bom lembrar que, o fato de ser ficção não significa relação direta com a ciência que temos hoje. 2001, por exemplo, não explica a viabilidade de uma viagem espacial, coisa que será muito difícil fazer para Marte com a tecnologia que temos hoje, por exmplo;

Ainda procuro a ficção científica no filme até agora.... Filme para pessoas que gostam de histórias confusas...

Interestellar tem roteiro, uma moral. Não há comparação. Esse filme aí da chegada compete com o "Contrato Vitalício". Ambos são confusos e possuem alienígenas.

Ah... lembrei o gênero do filme... Trata-se de drama. Drama pessoal que a personagem ainda não tinha vivido mas estava vivendo ou iria viver... ah... isso pode ser, com todo respeito, uma questão psicossomática que outras obras retratam com mais propriedade.

Filme sem objetividade. Não existe mensagem a ser extraída dali. E ficam diversas questões no ar que propositalmente não foram explicadas. A personagem principal vive uma eterna confusão de tempos em que não sabe se alguns fatos realmente aconteceram... Sinceramente, algumas pessoas que gostam de confusão devem ter se identificado com o que viram.

Hessel eh o cara mais chato do mundo

O fato da história não ser linear, mas cíclica, não implica que ela não deva acontecer, ou que possa ser pulada... Os fatos que vimos tinham que acontecer, assim como todos os outros que achávamos ser um flashback ou flash forward, a questão é que a narrativa requer que vejamos o desenrolar dos fatos naquele determinado momento. Ex: os heptapods certamente sabiam que havia uma bomba ali, tanto que em um determinado momento, jogam os protagonistas para longe, e ainda que um deles tenha ficado bastante ferido, algo que poderia ser evitado, já que têm conhecimento do tempo de forma não linear, eles precisavam passar por aquele momento para o conhecimento da tradutora.

Desculpem a quem elogiou mas eu achei o filme muito ruim. Gosto de filmes com esse tema porém não me envolveu e nem me prendeu na história. O filme passa 80% do tempo somente tentando entender o que são aqueles símbolos. Não existe propriamente um Climax ou se existe eu nem percebi. Me deu muito sono. Sem mais.

Esse veredito foi decepcionante... Esperava mais da galera do omelete. Vcs deveriam chamar um linguista, acho que melhoraria bastante o nível da discussão. Do jeito que vcs fizeram ficou mega superficial, uma analise rasa para um filme sofisticado. Uma pena...:(

Raso, realmente. O climax destrói a premissa do filme. Por que os aliens não se "lembram" de um futuro onde já tem uma apostila alienês-inglês e trazem ela para o presente? Evitaria muita dor de cabeça. E o filme.

Bom saber que você reconhece que Christopher Nolan tem grandes filmes. Mais as explicações no filme Interstellar não me incomodaram, mesmo porque num país como o Brasil o ensino fundamental e Médio são muito fraco e nem sempre nos dão esse conhecimento de física e química que precisamos. Entendi o que você quis dizer e foi mal pela resposta acima.

Calma, Calma, James! HUAHUAHUAU! Convenhamos que "O Grande Truque" e os "Batmans" não carecem de explicação. O "Amnésia" é um clássico justamente por ele não explicá-lo. Mas não há problemas em explicar algo sobre o filme, o problema é colocar a explicação em situação totalmente inconveniente no filme. Ficção no cinema é um chamado para uma imersão numa situação onde há metafísica, mas a situação precisa invocar uma situação de base mais realista, senão avacalha. Não existe ódio ao Nolan. Ele é usado como parâmetro justamente por ser ousado. Mas ousadia no cinema é um dos pontos somente.

Explicação não é problema em filme nenhum, você acha que todo mundo já estudou sobre buraco de minhoca. Você citou apenas um filme, talvez você não tenha assistido O Grande Truque, A Origem, Batman Begins, Batman o cavaleiro das trevas e Amnésia. Christopher Nolan tem 3 filmes na lista dos 100 melhores filmes de todos os tempos e vocês que odeiam ele vão ter engolir.

Uma das maiores idiotices que eu já li.

Volto a dizer: Villeneuve é o novo Iñarritu do Hessel... tá perdendo a graça da vida. A Chegada é muito melhor que Interestelar.

HAUHAUAHUHUHAUHAUHUHAUHAU

HUAHUAHUAHUAHUHAUAHUAHUAHUHAUUHA

Ele não entendeu o filme, só pode.

Perfeito.

HUAHAUHAUHAUHUAHUHAUHAUHAUHAUHAUHUAHAUHAUHAUHUHAUHAUHA

De acordo. Infinitamente melhor do que Interestelar. Só não em que é inferior a 2001.

O Nolan é citado por ser referência em criatividade e ousadia nas ficções, todavia deixa a desejar nos roteiros de seus filmes, muitas vezes deixando o espectador com vergonha alheia (como a explicação do buraco de minhocas para um astronauta). Isso dá uma broxada fenomenal em quem está assistindo.

O Hessel deveria manter-se no laguinho ao qual ele domina. (sim, isso foi um elogio)

Filme muito bom, fotografia linda e trilha sonora super intrigante.

"Mas, você pode pensar que o objetivo dos aliens não era aprender inglês, mas sim nos ensinar sua língua. Bem... divagações". Ensinar a língua não é uma divagação... Este é o objetivo explícito pelo próprio alien: dar uma ferramenta aos humanos (ver o futuro) que é conseguida com o aprendizado da língua deles. Porém, vc não acha muito mais fácil vc ensinar sua língua se vc entender e falar a outra?? Se a outra pessoa entender uma palavra errada, vc pode dizer na lingua dela que ela entendeu errado até chegar no significado correto. Como diretor, vc é um ótimo pai. kkkkkkk Quando ele acorda, ele não pergunta pelo filho, mas tb não pergunta pela filha. Pra ele, ambos ja estavam mortos. Tem muita falha pra apontar em A Chegada, mas fico por aqui.

Mas cara, pelo o que o Hessel diz, o diretor de A Chegada tenta dar uma de Nolan (ou seja, ele tenta mas não consegue). Ou seja, ele ta colocando o Nolan acima deste diretor.

"Por exemplo, ele não perde tempo explicando o sistema linguístico dos ETS." E nem poderia, pq a língua não existe. Não tem fundamento real ou científico, como muita coisa do filme. Ainda assim, o físico explica em off o trabalho da linguista e ela própria explica alguma coisa. A Chegada é cheio de furos, justamente por não seguir regras (nem a lógica, nem a ciência)... Vc viu o Nolan explicando sobre World Tubes? Um conceito físico de Relatividade Restrita por trás do mecanismo que permitiu que ele enviasse sinais gravitacionais através dos objetos no hipercubo tesseract? No livro do Kip Thorne sobre o filme vc vê muita ciência que o filme usa, mas não vemos a explicação na tela. Vc vê ele explicando de forma didática como a Terra foi parar naquele estado? Ficamos sabendo que o problema na Terra é a praga (lembrando que praga é um termo geral pra patogenos, seja ele fungos, virus, bacterias). É dito no filme que quem nao morresse de fome morreria asfixiado, mas nao explicam essa questão. Uma série de patógenos que atacam cloroplastos surgem, e começam a infectar grandes áreas da biosfera da Terra. Fotossíntese gradualmente chega a um impasse em poucas décadas. Produção de O2 se encerra, e a vida vegetal em decomposição converte alguns O2 existentes em CO2, aquecendo o planeta. A reviravolta dos oceanos ocorre globalmente, possivelmente desencadeada pelo aquecimento do novo excesso de CO2. Sedimentos do fundo do mar contendo milênios de matéria orgânica degradados são trazidos para a superfície e são expostos ao ar. O2 é convertido em CO2 no processo de decomposição, deixando a maior parte da vida animal na superfície da Terra mortos ou por falta de oxigênio ou envenenamento CO2. Essa explicação é dada no livro do Kip Thorne sobre o filme e eles chegaram nesse cenário numa reunião com vários especialistas da área que consideraram o cenário improvável, porém plausível. Mas não vemos no filme essa explicação. Cade o didatismo? E diferente de A Chegada, temos uma explicação baseada em ciência, ela só não nos foi mostrada,

O presente/arma é a linguagem de símbolos que eles usam. Mas a história do filme é toda cheia de furos e remendos. Sobre muita coisa você não vai conseguir extrair o menor sentido, e não é porque você é burro, ou porque não prestou atenção no filme. É porque NÃO tem sentido mesmo. A não ser que você ache super lógico alguém ver o futuro depois de aprender a ler uma linguagem de sinal. Isso não é ser inteligente, isso é chamar o espectador de idiota.

Christopher Nolan tem uma filmografia muito boa.

Após conferir ¨Arrival¨, desse circuito comercial redundante, posso afirmar que vi o primeiro filme com caráter de 2016. Algo bom estava faltando para crer que ainda é possível ser original perante o populismo, o que triunfa com maestria nesse novo longa de Villeneuve.

O que você classifica como falta de profissionalismo me faz admirar mais o site. O Nolan não é um mal diretor. É um diretor bom, acima da média. Nota 7. Mas não é essa última bolacha d pacote não.

Primeiro é que é limitar muito a ficção científica. Segundo...tem uma corrente bem forte e interessante na física teórica atual que acha grande as chances do tempo simplesmente não existir, uma vez que falam que todas as reações físicas podem ser explicadas como trocas de forças, sem a necessidade do tempo...enfim...estão limitando muito um genero que já é de nicho.

Hessel está com uma visão muito curta do filme. A Chegada é muito bom, vale a pena conferir. Sci-fi de qualidade, muito bem feito. Mas é pra quem gosta... não vá pensando que terá tiros, bombas, perseguições, pq não tem. Encontrará questões boas de serem pensadas, ótimas interpretações do elenco e um belo trabalho do diretor.

O maior desafio atual para a física e ciência como um todo é o (entender) tempo. Encontrar um equação que presuma entender fenômenos que são observados e jamais entendidos é o objetivo atual. Muitos acreditam que nossas equações para o tempo ainda são muito imprecisas e essa busca está, e continuará a ser representado em sci-fi durante décadas. E o melhor de tudo.... eu gosto (rsrs)

Parabéns pela discussão, uma das melhores do Omelete, colocando o Borgo como o cara a favor e o Hessel contra, Bridi mediando, trazendo prós e contras, e explorando analogias do filme com clássicos do cinema...todo Omeletv tinha que ser assim. E o filme é bom. Esqueçam o Hessel.

O filme é tenso o tempo todo... prende muita a atenção!! Achei excelente... diferente!

Concordo com o Hessel nessa, é interessante, mas no fim nada demais... Tbm achei o negocio de ver o futuro bem nada a ver, deixando o filme bem confuso...

Vou tentar pontuar novamente... kkkkk Falando de didático, nada mais didático do que isso... kkkk 1) As composições (misancene) são elementos importantes na construção de um plano e do próprio cinema. Por isso, considero mais bonito A Chegada. Apesar de ser lindo na tela ver o espaço, as imagens no final sempre será misancene (aqui considero o filme de DV melhor) . De fato não dá pra compar Nolan com Marvel. Nolan trabalha com diferentes gêneros e não trabalha sobre fórmulas. É muito melhor do que isso. Acho ele bom diretor, ainda que goste mais de outros (prefiro não citar, pois é capaz de criar polêmica kkkk). 2) Não há originalidade em lugar nenhum amigo. Nem em Interestelar, nem em A Chegada e nem em 2001. Pra mim, o que temos que olhar é como ele desenvolve os clichês do gênero. Villeneuve faz isso bem no seu filme (logo, não há reforço aqui de ideia). 3) O fato dele construir o roteiro pensando nessa premissa não retira a solução deus ex-machine. O que incomoda no filme, é desenvolver tudo legal na parte da ciência e, no terceiro ato, descambar nisso. Mas, isto não torna o filme regular (como li em alguns lugares). Acho o filme ótimo. 5) Cara, aqui poderíamos morrer discutindo e não chegaríamos em lugar nenhum. Por questões teóricas mesmo. O filme não deve ter falado bobagem, pois, vendo os créditos, eles tinham orientação científica. Mas, você pode pensar que o objetivo dos aliens não era aprender inglês, mas sim nos ensinar sua língua. Bem... divagações. 6) Cara, ainda que o filme aborde o mundo. O foco é familiar. Por isso, a falta de debate. É uma escolha mesmo. Como Contato, que se voltou para falar de algo importante usando aspectos familiares. 7) Cooper nem lembra do filho ao chegar. Nem cita. Isso não existe. Sou pai, amigo, a primeira coisa que perguntaria era pelos meus filhos no plural. Não apenas um. A verdade é que não comprei a relação (não apenas eu, é bom que se diga). O modo de endereçamento de interestelar não funcionou pra muitos. Também não vi ninguém chorar em Interestelar. Como não vi agora. Abraços! ps.: Gravidade é tecnicamente perfeito. E há quem veja reflexões filosóficas no filme. Particularmente não vi isso. Abraços!

Só acho que devem falar dele nos filmes dele, porque agora qualquer veredito tem citações maldosas aos filmes de Christopher Nolan. Eles não conseguem mais esconder de ninguém o ódio ao diretor e em várias live eles á deixaram isso bem claro.

As explicações são fruto do cinema de hoje. Não podemos esquecer disso e nisso concordo contigo. Todavia, Nolan sempre explica mais um pouco. Isso não quer dizer que ele é um diretor ruim (espero que não me veja como aqueles hater intragáveis). Longe disso. Fico é feliz de Nolan entrar na industria e produzir coisas interessantes, fugindo do mais do mesmo (gosto de filmes de heróis, por exemplo, mas tem uma hora que basta). Sobre a Origem, não podemos confundir, deixar o final aberto não significa que ele não tenha cometido excessos de explicações no percurso (que é o que ele faz). Villeneuve também comete esses equívocos, mas explica menos que Nolan. Por exemplo, ele não perde tempo explicando o sistema linguístico dos ETS. Mostra, mas não perde tempo didatizando (acho que a palavra certa é essa) que muitos diretores fazem no cinema blockbuster.

O Nolan explica sim, mas é a natureza do filme: blockbuster. Sinceramente, Denis Villeneuve explica o mesmo tanto em A Chegada . Porém, é aquela coisa: se vc estigmatiza alguém, as pessoas vão tender a procurar elementos pra justificar esse estigma, o que acaba causando o destaque desses elementos. A Chegada tem uma conclusão, explicada em off pela protagonista. Já A Origem deixa um final em aberto sem explicação. Quem explicou de mais nesse caso?

1) vc tá ficando doido! kkkkkkkk Visualmente, é muito mais impactante e bonito Interstellar que A Chegada. Mas aí é algo bem subjetivo. Seria como dizer o que é mais interessante: uma pintura do Da Vinci ou uma pintura cubista do Picasso? A Chegada possui enquadramentos e composição com a trilha menos convencionais, por isso disse que é mais artístico, mas ainda acho Interstellar visualmente mais instigante. E o Nolan tem sofisticação tb. Não é como se o cara fizesse filmes da Marvel. No trailer de Dunkirk vc vê elegância e sofisticação nos enquadramentos e composição dos elementos das cenas. 2) O fato de vc apontar que elementos do filme são regras só reforça o meu ponto de que o filme não impressiona tanto quanto poderia caso não os usasse. Não é lá tão original/genial. 3) A solução seria um deus Ex Machina caso ela tivesse ignorado as premissas do filme, o que não aconteceu. A solução é construída e faz parte da temática do filme (distorções espaço temporais), ainda que apresentada num plot twist. Em Interstellar, o Cooper envia informações a si mesmo do futuro (e isso é possível pq ele está no hiperespaço, "fora" da nossa malha espaço temporal e consegue enviar sinais gravitacionais que, como o filme colocou como premissa, são a única coisa capaz de viajar no tempo). Em A Chegada, a linguista recebe informações de si mesma do futuro. e isso é possível pq... bem, porque é! Pq ela aprendeu uma língua e o aprendizado da língua a fez perceber o tempo como os usuários dessa língua que possuem um organismo muito diferente que por sua vez experimentam o tempo de forma diferente, porque... sim. 5) Difícil de engolir o suposto twist que o cara deu em filmes de alienígenas? É uma reviravolta pro gênero. Enquanto A Chegada trabalha com o esperado. E olhe que a hipótese dos tais seres do hiperespaço serem nós é só uma teoria do Cooper. Não necessariamente a realidade. Vc pode imaginar que esses seres são pura consciência. Vc pode teorizar eles como sendo até Deus. Há 100 milhões de anos, os ancestrais dos humanos não tinham nada do que somos hoje. Não podemos dizer que eles e nós somos os mesmos seres. Vc acha mais fácil engolir alienígenas que experimentam o tempo de forma não-linear (algo que só é possível se estivessem fora da nossa malha espaço-temporal) e possuem uma linguagem que quando aprendida permitem a outros seres, que por sua vez possuem um organismo e um aparato perceptivo completamente diferente, enxergar o futuro? Alienígenas que vêm em naves sólidas que se sustentam no ar, na nossa malha espaço-temporal, não causando alterações no ambiente e ignorando as leis físicas? A Chegada é mais fantasioso e até ilógico. Os aliens supostamente experienciam o tempo de forma não linear. Porém, eles conseguem se comunicar com os humanos, o que só é possível numa linearidade temporal e no entendimento da mesma. Se os aliens podem ver o futuro (como fica implícito quando eles dizem que precisarão dos humanos em 3 mil anos), eles já deveriam conhecer a linguagem humana (da mesma forma que a linguista o faz acessando o futuro). E conhecendo a língua humana, seria mais fácil eles explicarem a linguagem deles e não daria margem pros humanos acharem que eles queriam fornecer armas ou coisa do tipo, o que acabou causando a desunião dos governos que até então estavam unidos na cooperação dos pesquisadores das várias partes do mundo. A nossa dificuldade de comunicação foi causada pelo furo no roteiro de que os aliens não conhecem a linguagem humana. 6) Como vc disse, o futuro não mudará, o que é característica de um loop. Não se sabe qual é a causa e o que é o efeito. A linguista liga pro general, mas ela só sabe o número pq no futuro ele fornece o numero pra ela; e ele só fornece o numero a ela, pq no passado ela ligou pra ele. A linguista ligar pro general é a causa ou efeito dele responder a ligação dela, fornecendo o numero pra ela poder ligar pra ele? Em Interstellar, o Cooper fornece as coordenadas da Nasa do futuro pra ele no passado. Mas ele só chega ao ponto futuro por ter recebido as coordenadas da Nasa. Mas A Chegada trabalha com a possibilidade de mudança. Pelo discurso dela no fim do filme, fica entendido que ela poderia sim mudar o que vê. tanto que ela diz que o marido a deixou por ela ter dito a ele que a filha morreria, e ele diz que ela escolheu errado. Ela tb pergunta a ele no fim do filme se ele pudesse mudar algo na vida dele o que ele faria, e ele responde apenas que falaria com mais frequência o que sente. Se não houver possibilidade de mudança, a ferramenta alien não serviria de muita coisa. E todos viveriam presos em loops. Isso tb nos leva a outro furo: no futuro todos saberiam a língua alien e poderiam ver o futuro, certo? O que impediria as pessoas de ficarem alterando o futuro e influenciando a vida de outros com isso? A própria linguista que consegue ver o futuro... o filme só mostra o dilema que ela tem sobre a filha, mas e os problemas do mundo? Por isso eu coloco esse filme no terreno de um episodio de Blackmirror. Tem esse descompromisso com a realidade, ainda que problematizando coisas reais. 9) A Chegada acaba por se resumir ao dilema: se vc soubesse que sua filha sofreria terrivelmente por uma doença e morreria ainda jovem, vc a teria mesmo assim? O dilema é muito interessante e fala não só sobre filhos, mas sobre o nosso próprio sofrimento e nossa forma de encarar a experiencia de viver, mas a filha como personagem é mal construída. Ela não parece real e portanto tem menos peso emocional a decisão. Fica mais como uma coisa intelectual. Mas ja vi pessoas falando que choraram em A Chegada. No meu cinema, em Interstellar o povo todo estava fungando. Já quando vi A Chegada não. Tem uma parte das cenas com a filha que achei comovente até. Mas nada tão intenso como Cooper vendo os videos dos filhos ou o reencontro com a Murphy. O filho do Cooper foi usado em vários momentos, mas é colocado de lado no final, pq ele já está morto e é conveniente pra história não mostrar o Cooper recebendo a notícia, pra deixar todo o foco dramático no reencontro dele com a filha. É uma conveniência de roteiro, da mesma forma que em A Chegada, convenientemente, a linguista não vê o marido nas visões; da mesma forma que não vemos outros familiares da linguista; da mesma forma que a linguista tem apenas uma filha; é tudo feito pra se focar na relação dela com a filha e no dilema de ter essa filha, apesar do grande sofrimento que ambas passariam. A comunicação é uma questão de A Chegada, assim como o tempo é uma questão em Interstellar. Vc fala em medo de não nos entendermos Em A Chegada; Interstellar é o medo de estarmos usando mal nosso tempo. Sim, acho muito bom termos filmes assim. Gravidade eu não curti muito, pra te falar a verdade. é bom, mas como um passeio de montanha russa: emocionante, mas que não te dá muitos elementos pra refletir como Interstellar ou A Chegada. Até mais!

De curioso vou conferir que filme é esse tal de Magic Mike que nunca ouvi falar.

Nem sempre concordo com as opiniões dele (até porque prezo ouvir opiniões diferente das minhas), mas o cara é engraçado e faz parte da alma do omelete. Todos eles tem opiniões bem divergentes entre si e essa é uma das coisas boas do omelete.

Gostei do filme, mas no final parece que deixou algo de quero mais, que faltou algo. Deu a impressão (para mim) de que foi o primeiro episódio de um seriado fantastico e que já queria ver aos demais capitulos. Mas não, não é um seriado e não tem mais epidodios deste. Mas é um bom filme!

O que quiz dizer é que essa talvez não seja a opinião de todos de lá, mas não vejo problema se algum deles tiver uma opinião desfavoravel ao diretor. Acho até ruim se todos tivessem que ter uma opinião em unissomo de todos oassuntos. E as partes mais legais são quando discordão entre si, de forma respeitosa e com humor.

A Chegada, que filme, impressionante, espetacular, maravilhoso, reflexão pura.

Não vejo motivo para eles falarem o que falam dos filmes de Christopher Nolan. Mais se você acha que eles estão com a razão, direito seu.

Nem todos, as opiniões são bem diversas entre um e outro no omelete. O ruim é quando alguém não suporta que outra pessoa tenha uma opinião tão diversa da sua.

Olha Tiago, não sou Engenheiro, nem cosmólogo e nem astrobiólogo, ainda que seja biólogo (kkkkk), mas, até por estudar mesmo e "perder" tempo vendo documentários sobre estas "coisas" ficou claro pra mim o fato dela ser esférica logo na primeira ou segunda imagem (por sinal, é uma cena linda). Será que ele (personagem) nunca leu, como eu, sendo ele um cara do "espaço"? Bem, eu gosto dos filmes do Nolan, sem exceção (os Batman são os menos legais - ainda que o segundo seja um filmaço). Amanésia, Grande Truque, Insônia, Origem e Interestelar são todos cinemas acima da média e espero que ele continue trilhando outros gêneros, mas, acho que vou continuar achanado que Nolan explica demais (não é uma coisa de Interestelar, apenas).

ENGENHEIRO, cara! Não cosmologista! kkkkkkkkk ele entende de engenharia mecânica ou elétrica (vemos ele consertando os tratores)... É muito diferente ser um físico teórico ou astrofísico. São ciências distintas. Se vc digitar "wormhole" no Google e ver as ilustrações, dificilmente vc vai encontrar algo como o que vimos em Interstelar. Ele sabia o que era um buraco de minhoca, mas nunca tinha visto algo como aquilo. Se me lembro, ele até fala que nas ilustrações não era daquela forma. Nem é absurdo, cara. Vc pode até achar improvável, mas é plausível. Tenho um exemplo real de uma astronauta que não sabe explicar oq é um buraco negro. A explicação não é redundante se vc é um espectador que não faz ideia do que seja um buraco de minhoca. O diretor pega o gancho da explicacao da forma esferica pra explicar pra audiencia oq é um buraco de minhoca e o que ele faz.

Tiago, o cara era engenheiro. Devia saber. Ele, no filme, não é apenas um piloto. É um estudioso. Mas, ele (Nolan) não precisava explicar mesmo. Pois, a imagem (aquela cena é uma das mais bonitas do filme) já mostrava. É disso que o povo reclama, explicações redundantes, mas tem gente que gosta. É bom lembrar. Eu curti Interestelar, como disse fiz questão de comprar o blue-ray, pois acho um filme acima da média.

Vamos lá... Primeiro, só afim de que não confundamos as coisas, ninguém é do dono da verdade e aqui é só um bate papo de quem gosta de filme. ;) 1) Mais cinema, por que tem soluções visuais mais interessantes. Ainda que goste muito do filme do Nolan, percebo que ele carece de misancene, ou seja, ele tem dificuldade em enquadrar as coisas num único plano (cena dentro da nave na hora do pouso é um show de descrição, pois ele não tem habilidade para fazer mostrando em imagem (esse por sinall é um problema dos filmes dele). 2) Sobre os pontos de relação entre Contato. Bem, são regras do gênero. Vimos isso em 2001, Contato e O dia em que a Terra parou, por exemplo. Não se trata de cópia. Apenas é um elemento marcante nesse gênero quando envolvemos seres de outros planetas (uma espécie de Rede de memória). 3) Aqui vejo um pouco diferente de você, ainda que tenha pontos de contatos. Em Interestelar a solução encontrada pelo roteiro soou (pra mim) um Deus ex-machine, pois foram os humanos que proporcionaram todas as situações que ocorreram no filme. Como? Bem, é meio inexplicável. Ainda que já tenha lido mil explicações. Em A Chegada, os ETS nos proporcionaram uma tecnologia para vermos o futuro. É um pouco diferente. 4) A reação da Terra. Acho que seria aquela mesmo. Não tem muito o que inventar ali. O medo, na biologia, é o instinto mais forte nos humanos, por isso estamos ainda aqui. 5) Alienígenas e a noção de tempo. Bem, em Interestelar os Alienígenas de eramos nós. Isto foi difícil de engolir. Em outras palavras, não havia ETS. Em A Chegada existe. 6) Seu tópico seis cai na mesma coisa que falei. Isto é do gênero. Vemos isso em filmes como O último homem da Terra, por exemplo, vemos também em Interestelar (os notáveis) e em Contato. É do gênero. 7) Bem, aqui não foi bem um loop tempo espaço. Até por que, o futuro não mudará (isto foi uma coisa que me incomodou, a impossibilidade de mudar o futuro que o filme deixa no ar). Foi o presente dos ETS pros humanos. Ela ganhou esse presente ao decodificar a linguagem. 8) Seus oitavo ponto é elemento dos tempos de hoje. Não consigo ver um mundo sem fundamentalistas. Se não botássemos lá estranharíamos. Colocando, temos que dizer que é clichê (e é mesmo). Só que o clichê é bem trabalhado e sutil. 9) Sobre drama familiar, confesso que comprei o de Contato e A Chegada, mas não consegui comprar de Interestelar (gostei do filme pela grandeza e as cenas no universo - aquele buraco negro é lindo). Na verdade, até estranho como as coisas foram mal usadas por Nolan que, ao final do filme, faz com que o personagem se quer se incomode com o filho. Em A Chagada não. A ideia de você escolher um percurso sabendo o final foi doído (talvez por que tenha filhos e a situação seja mais próxima da realidade de hoje). - PS.: Eramos nós que estávamos aprendendo com eles. Eles vieram para nos ensinar aquela nova linguagem. A verdade é que o contato era contrário. O filme, amigo, é o tempo todo na base do pessoal, por isso, o elemento união dos povos foi pra segundo plano. Como eu disse acima (outro comentário): é uma história sobre ter medo de viver nosso ciclo de vida. Medo de não nos entendermos. Independente disso, fico feliz que tenhamos estes filmes no cinema. Desde Gravidade, estamos tendo filmes interessantes sobre viagens espaciais, alienígenas e outras coisas... Que continue assim... ;)

"Mais cinema" é ótimo. A Chegada é mais artístico, até concordaria. Mas como uma experiência cinematografica, Interstellar é bem superior. Fora que é mais criativo. A Chegada se vale de elementos e soluções que já tinha visto em outros filmes, inclusive em Interestelar. - Alienígenas mandando uma mensagem pra Terra e governos confundindo a mensagem com uma arma: Contato. - Protagonista resolvendo o problema do filme através de informações vindas do futuro: Interstellar. - População reagindo de formas distintas à descoberta dos aliens (cena com uma multidão acampada próximo ao local, reação de grupos religiosos etc): Contato. - Alienígenas que possuem um entendimento do tempo diferente de nós: Interstellar. - Protagonista solteira e uma das melhores da sua area e que dedica sua vida ao trabalho: Contato. - Existência de um loop espaço-tempo essencial pra resolução do problema: Interstellar - Grupo contrário aos aliens sabotando com explosivos: Contato. - Drama pessoal (relação forte com um familiar) é um dos pilares do filme: Contato/Interstellar. Um outro aspecto parecido: o que importa é o amor. Em Interstelar, diante do exterminio da espécie humana e com a informação de que existem "alienígenas", o protagonista se volta pro amor dele pela filha e a necessidade de estar junto. Em A Chegada, diante da informação de que existem alienígenas e do absurdo de podermos ver o futuro, a protagonista se volta pro amor dela pela filha e a necessidade de estar junto. A mensagem de uniao dos povos acaba ficando enfraquecida, pq os povos já estavam trabalhando em conjunto, até o momento que o alien fala em "arma"; o que nao faz sentido se o filme respeitasse a prerrogativa de que eles podem ver o futuro e altera-lo intervindo no presente, e já deveriam conhecer a linguagem humana.

Eu também gosto das discordâncias, o problema é que é sempre o Hessel o cara que discorda de tudo. As vezes fico achando que ele nem está discordando de verdade, é uma espécie de birra proposital só pra gerar assunto nos vídeos.

Mas não precisa mesmo ter muito além do que vimos, pois é um filme sobre aquilo que está em tela. Maas ele é MUITOP bem sucedido nisso e trata de dois assuntos importantes ao mesmo tempo. Ele trabalha com a crítica social ao alfinetar a maneira como essas operações e a justiça funcionam e ao mesmo tempo alfineta a noção de justiça do público que sempre espera reações heroicas dos protagonistas. Mas infelizmente o filme é realista. Ele lida com a mesma macro-temática de justiça que tem em Os Suspeitos (Prisoners). E mais do que isso, como voce mesmo disse, o mérito é o modo como a historia e contado. Interestelar é realmente muito bonito de se assistir e realmente cientificamente correto e merece méritos por isso, mas ele falha em contar sua história. Qualquer um que tenha assistido filmes anteriores do Nolan saca a parte narrativa da história logo no começo. E eu queria muito dizer que é por que ele colocou as pistas lá, mas é simplesmente por que é previsível mesmo. Interestelar funciona muito bem pra quem se interessa pela parte científica da coisa, mas tire esse mérito e os belos visuais e sobra apenas um enredo comum que já vimos em outros filmes dele e de outras pessoas. O filme está LONGE de ser ruim, mas ele só é isso tudo pq estamos em tempos de blockbusters pouco inteligentes. E não acho que Interestelar instigue tanto assim, justamente pq ele é muito explicativo e expositivo. Ele explica tudo, tim tim por tim tim da história, não fica muito pro espectador pensar por que ele torna a solução óbvia demais, e é aí que se encontram os exageros ao compará-lo com outros sci-fi clássicos.

Também tenho esse medo. Mas até agora ao que parece, ele se mantém fiel! Espero que ele filme um Blade Runner digno do original...

O que é muita falta de profissionalismo do site.

Eles fazem o veredito de Doutor Estranho e A Chegada e ficam o tempo todo falando mal de Christopher Nolan e agora incluíram também Alejandro González Inárritu. Não conseguem mais esconder de ninguém o ódio a esses dois diretores, falam mal das obras de Christopher Nolan e Alejandri Gonzáles Inarritu sem motivo algum, o que é muita de profissionalismo do omelete tv. Melhor nem irem assistir Dunkirk, porque todo nós já sabemos que vocês odeiam o filme, mesmo antes do lançamento.

Vou assistir no cinema pq bons filmes de ficção científica são raros hoje em dia e a premissa me lembrou livros do Arthur C. Clarke. Mas claro que vou com a expectativa baixa e sem esperar algo no mesmo nível de geniosidade. Se o Hessel não gostou deve ser bom mesmo. Interestelar foi excelente mas acredito que era outra proposta. Comparar com 2001 (que teve a mão de dois gênios, Clarke e Kubrick) é no mínimo burrice. São outros tempos. Borgo falou a mais pura verdade "2001 jamais seria feito nos dias de hoje". É triste mas é verdade. Hoje em dia num mar de cinema pipoca, explosões e histórias rasas, assistir um Sci-fi de verdade (ainda que com um pé no cinema) é no mínimo um oásis nesse cinema atual. Assim como foi Interestelar em termos de representatividade.

Acho meio difícil, os maiores escritores de ficção científica sempre abordam essa questão de uma forma ou outra, mas respeito seu ponto de vista.

A Chegada é bem melhor do que Interestelar, ainda que tenha gostado deste último. A Chegada é mais cinema. Nolan se preocupa com a engenhosidade e esquece que cinema é imagem em movimento, misancene. Isto, não quer dizer que Interestelar seja ruim. Longe disso. Fiz questão de comprar o blue-ray.

Cara, confesso que gosto das discordâncias. O cinema é arte. Então, determinada arte agrada mais alguns do que outros. Penso que o importante mesmo é que temos um filme (A Chegada) que foge dos padrões arrasa quarteirão, ainda que possa ser palatável para plateia menos exigente e faça feliz a plateia mais exigente.

Os filmes que citastes tem uma pegada filosófica (não gosto da expressão transcendental, pois passa a ideia de essência), mas não são ficção-científica, pois os elementos do gênero não compõe os filmes. Ainda que Melancolia e A Árvore da Vida sejam grandes filmes. Inclusive, neste A Chegada, a uma visível pegada no cinema feito por Terrence Malick, bem como a uma pegada dos melhores filmes de ficção científica, como 2001. É filme pra cinéfilo ir ver, goste ou não ao final da sessão.

...tinha que descambar para viagem no tempo...não conseguem fazer uma boa Ficção sem isso? Encheu...

Por sinal, gostei das discordâncias. Isto torna o veredito mais interessante.

Discordo que a temática seja simples, colocação do Hessel no vídeo, falar sobre nossa incapacidade de se comunicar é um tema grandioso. Não por acaso encontramos esta discussão até mesmo nos livros ditos sagrados. Mas, o filme não fala apenas da dificuldade de se comunicar com os outros (ETS). Fala da nossa dificuldade de nos comunicarmos com nossa espécie. Fala da dificuldade nos comunicarmos com a própria vida. De nos comunicarmos com nosso percurso. Isto também deve ser visto como comunicação. Entender a vida como ciclo e querer vivê-la (mesmo com a dor e o medo - tema forte neste filme) é uma forma do ser humano comunicar com si.

Concordo com Borgo quanto a se produzir 2001 hoje. Não seria. Já que filme é demasiadamente filosófico (melhor nem falar de Solaris). Daí, considerando os dias atuais, A Chegada é um achado no gênero ficção científica. Um filme melhor que Contato, inferior a 2001 e infinitamente melhor do que Interestelar.

Crítica sobre "A chegada": https://cinematographecinemafilmes.wordpress.com/2016/11/24/a-chegada-2016/

Cara normalmente não concordo c Hessel não, mas desta vez acho q ele tem razão, vi o filme e é bem por aí mesmo.

Esqueceu do fantástico Nerve kkk

Cara na hora q vi os aliens do filme lembrei daqueles Ets dos Simpsons kkkk, mas fora isso tenho q dar razão p Hessel filme bem mais ou menos, visualmente legal..mas da sono.

Filme é legal, mas não chega aos pés do Contato. Não dá pra comparar.

O presente é uma linguagem universal na qual toda a humanidade vai se conectar e supostamente chegar num entendimento como nunca aconteceu em nossa história.

Não me referi a divulgação.

Esse cara é um porre! Deve ser pago pra ser o pé nos eggs mesmo

Não dá pra assistir. Borgo e Natália arrogantes demais pra quem vomita ignorância muito mais do que de vez em quando. Pra quem já falou em "visão BInocular do Falcão", (como se nenhum outro ser humano com visão normal a tivesse), ou que primeiro reclamou que Nolan explicou demais o buraco de minhoca , e pouco depois reclamou que não foi explicado como o "TARS se deslocava de A pra B" (Porra, filho. Se vocês são tão inteligentes assim, prestem atenção ao resgate da personagem Amelia Brand que com um Tico e um Teco funcionando dá pra abstrair), falta mais humildade. Falam e falam de ciência e não devem saber resolver uma integral.

Hessel sendo Hessel..

Hessel gosta de algum filme? Ah, lembrei, Magic Mike.

hummm, Eu assisti o filme, não gostei muito, ele não dá conclusão final e fica no ar as coisas, odeio isso! pq não informou quem eles são e o motivo de estarem aqui, só a unica explicação no futuro daqui 3 mil anos seremos importante para eles, nós ajudaremos eles... e eles querem dar um presente para nós! não deixa claro! o que seria o presente ? bom posso ter sido meio burrinho, neste filme! não o entendi!

ví ontem o filme e gostei muito, ele se arrasta em alguns momentos e esses momentos (poucos ok) não justificam o arrastar, não evoluem a historia nem os personagens, são apenas um suspense gratuito que não dá recompensa. O filme é reflexivo sim, é profundo e melancólico, mas.... Não é essa obra prima que estão pintando, pode parecer reduzir o mesmo mas, o objetivo final, a lição final e q o levou à ela, é meio rasa, simples, se realmente analisarmos com mais frieza e precisão. Sem falar que esse objetivo se perde na jornada pessoal da protagonista, deixando o "objetivo principal, a resposta pra pergunta, o porque de tudo aquilo" não ter tanto impacto e ainda ter uma "explicação" rápida demais. O filme se arrasta onde não deve e na hora de dar um tempinho a mais ele corre para seu final. nota 8

Caraca mano, Hessel vc tá chato pra C.....

E amiga também, rs... tenho uma aqui ao meu lado que acha a série Westworld "fraca", kkk

Acho que a ideia do amor, mais especificamente o discurso da personagem da Anne, não é a explicação "real". O livro do Kip Thorne que fala sobre a ciencia de Interstelar dá explicações científicas pros eventos do filme. Não tem nada de amor nele. O amor é a teoria da Brand que assumidamente fala que o sentimento dela pode interferir em seu julgamento. O Cooper acaba comprando essa teoria, quando dentro do tessseract consegue entrar em contato com a filha. Mas é a explicação do personagem. Não quer dizer que seja o que realmente aconteceu.

Sou fã do Hessel e gosto da visão que ele tem sobre certos filmes. Ele sempre tenta olhar por um outro ângulo e tenta interpretar a linguagem dos filmes de uma maneira não simplista. Isso é bem legal. Mas já está ficando chato no ponto em que ele tenta ver TODOS os filmes por esse 'outro ângulo'.... Vi 'A chegada' e adorei! Um filme com Aliens, que fala sobre o tempo e da desunião dos povos na terra de uma maneira bem legal. O filme foi muito bem executado, tipo, nesse filme os humanos se preocuparam em usar roupas anti-contaminação né? rs.... E, apesar da complexidade das revelações no final do filme, eu posso sentar com meus sobrinhos gordos de 10 e 12 anos e ver esse filme agora no fim do ano....

vi no dvd e gostei muito... uma viagem pela origem e morte do planeta Terra...

Sou um "defensor" do Hessel aqui no forum do site, mas essas críticas dele ao filme não sou culpa do filme, sã culpa dele. Ele é responsável pelas próprias expectativas. Não acho que A Chegada tenha prometido ser uma espécie de 2001. O filme é perfeito naquilo que se propõe a fazer.

Uma curiosidade é de como seria o veredito do Marcelo Hessel se tivesse o Channing Tatum no filme?

Marcelo Hessel deu 5 ovos para Magic Mike. Paro por aqui.

Como sempre, fecho com o Borgo e tchauzinho pro Hessel. Ô sujeito chato...

Discuta aqui no site Discuta aqui

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

blog comments powered by Disqus