Assista Agora

Crítica: Preciosa - Uma História de Esperança

Drama merece todas as suas seis indicações ao Oscar 2010

Marcelo Forlani
11 de Fevereiro de 2010

Preciosa - Uma História de Esperança

Preciosa - Uma História de Esperança

Precious: Based on the Book "Push" by Sapphire
EUA , 2009 - 110 minutos
Drama

Direção:
Lee Daniels

Roteiro:
Damien Paul

Elenco:
Gabourey "Gabbie" Sidibe, Mo'Nique, Paula Patton, Lenny Kravitz, Mariah Carey, Sherri Shepherd

Ótimo
Preciosa – Uma História de Esperança
Preciosa – Uma História de Esperança

Se você acha que a vida é injusta só porque aquele namorico da praia não subiu a serra ou porque engordou uns quilinhos durante as festas de fim de ano, ou seja, se é por frescura, veja Preciosa - Uma História de Esperança (Precious: Based on the Book "Push" by Sapphire, 2009). Em menos de 10 minutos de filme você vai entender que os seus problemas não são nada perto do que realmente sofrem algumas pessoas mundo afora.

Tentando revelar o mínimo possível do que é a vida da protagonista Claireece Preciosa Jones (Gabourey Sidibe), é bom você entrar no cinema sabendo que ela é obesa, negra, mora no Harlem de Nova York durante os anos 80 e sofre com tudo isso e por muitos outros motivos que ela nem sabe por quê. E, claro, esses abusos têm suas consequências, como a falta de auto-estima que a faz se esconder do mundo e encobrir, por exemplo, o fato de não saber ler ou escrever.

O nome do meio, Preciosa, é a prova maior da ironia. Sua mãe (Mo'Nique), que não se cansa de tratá-la mal física e verbalmente, vive do auxílio desemprego e a pensão que deveria ser usada para cuidar da sua primeira neta. E esse "conforto" (com muitas aspas) agora também está sob risco, o que coloca a protagonista ainda mais na mira da sua megera matriarca. Tudo porque Preciosa está grávida de novo e, por motivos que é melhor nem comentar aqui, é convidada a ir para uma escola especial.

A menina se protege do mundo exterior de cara fechada, sem cruzar olhares com ninguém, tentando ser o mais invisível possível. Seu único refúgio são pequenos devaneios, geralmente sonhando com a possibilidade de ter um namorado branco e endinheirado e viver entre o glamour e o amor que faltam na sua realidade. Quem começa a mudar isso é sua nova professora, Sra. Blu Rain (Paula Patton), que com muita paciência vai ensinando Preciosa e suas colegas muito mais do que colocar as letras em ordem para ler e escrever.

Mas não ache que o longa vai cair no lugar-comum da professora que vai levar suas alunas a enxergar que estão desperdiçando suas vidas e colocá-las na linha. O papel da Sra. Rain é o de ensinar a Preciosa a exteriorar seus sentimentos, o que vai ajudá-la a exorcizar alguns de seus demônios. Tudo o que ela antes guardava para si, passa para as páginas do seu diário.

Tecnicamente, o diretor Lee Daniels opta por uma câmera na mão, que dá lugar a algo mais clássico apenas nas cenas em que Preciosa está sonhando. Mas tudo isso passa a ser perfumaria perto das atuações irretocáveis de todos os envolvidos. Você vai sentir na pele o que Preciosa sofre e ficar com muita raiva de sua mãe. Se emocionar, sofrer, sorrir e chorar. Muito!

Seja para acompanhar as já premiadas atuações, para tomar uma porrada da dura realidade de algumas pessoas ou simplesmente para comparar os seus problemas com o de outras pessoas, vá ver Preciosa - Uma História de Esperança. Mas leve uma caixinha de lenços de papel e óculos escuros para a saída do cinema. Essa frescura, tudo bem.

Saiba onde o filme está passando



Publicidade

Comentários (11)

O Omelete disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site. Por favor respeite e siga nossas regras para participar.
Partilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas.

Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

sem avatar Valdeci (18/01/2011 18:13:30)   2 0
Por uma cruel ironia era conhecida por todos como preciosa. Claireece Preciosa Jones foi assim batizada por sua mãe porque era assim que esta mulher queria que sua filha fosse conhecida e, certamente, era assim que a considerava quando seu bebê nasceu. Uma criança que tem no próprio nome um adjetivo tão comovente deveria ser tratada com todo amor e carinho por seus pais. Deveria... Mas não foi o que aconteceu com Claireece “Preciosa” Jones que jamais conheceu (ou sentiu) o significado que seu nome transmitia. Teve uma infância sofrida por inúmeros abusos sexuais praticados pelo pai com a conivência da mãe; uma adolescência ainda mais cruel pelo tratamento de escrava que a própria genitora impunha e, acima de tudo, a grande solidão de viver cercada por tanto ódio, descaso e sofrimento. Preciosa jamais usufruiu, em sua curta existência, a beleza do próprio nome. Não até o momento em que “aprendeu” a rebelar-se contra este tratamento desumano praticado por seus pais.

Preciosa tinha auto-estima em grau zero. Sua realidade em preto-e-branco era por demais cruel para permitir-lhe ser feliz. Aliás, felicidade era uma palavra que não constava em seu dicionário. Até porque, semi-analfabeta, não tinha ciência da própria ignorância e da sua condição de ser humano. Não saberia mesmo soletrar felicidade, quanto mais senti-la e muito menos ter consciência que todo ser humano merece ser feliz. Em seus sonhos sentia-se poderosa, amada por seu homem branco (aqui uma alusão ao preconceito e a sua dura realidade de negra/mulher/gorda) rodeada de muita cor e luxo. Um dia Preciosa aprendeu que também tinha lá seus direitos e que igualmente mereceria sentir a tal felicidade e vivenciá-la plenamente além de seus delírios cor-de-rosa.

Interessante perceber que o diretor Lee Daniels neste brilhante filme Preciosa – Uma História de Esperança nos mostra o caminho percorrido por Preciosa para sair de sua prisão domiciliar e deixar de sofrer as humilhações e maus tratos da mãe. Quando era uma menina que não tinha “conhecimento” e era uma completa ignorante no sentindo mais abrangente da palavra aceitou seu destino resignadamente. Até porque, não tinha parâmetros para comparar com sua triste situação. Acreditava, sinceramente, que o mundo era assim mesmo, que sua vida deveria igualmente ser de sofrimento e dor. Normal para uma mulher negra, gorda e mãe de duas crianças geradas com o próprio pai. Quando percebeu que a “palavra” (no caso o conhecimento) a libertaria de sua sina correu atrás de sua liberdade e resolveu cortar o cordão umbilical e buscar outras palavras para o seu dicionário. Quando finalmente entende sua condição de ser humano e o conhecimento a alcança sua auto-estima melhora, sua confiança em si própria aumenta sente-se então forte para enfrentar a mãe dominadora. Na sala de aula aprende muito mais que soletrar e entender os significados das palavras ela os escreve em seu diário e, a partir desta arte de escrever exorciza seus medos, angústias e esperanças. Ao ser reconhecida como uma boa aluna percebe que está no caminho certo e, a partir deste momento, sente-se forte para recomeçar uma nova vida e finalmente ser feliz.

A interpretação de Gabourey Sidibe como Preciosa é convincente e comovente. Seu olhar distante e sua aparente apatia perante o mundo nos mostram uma pessoa sofrida que usa estes artifícios como escudo para proteger-se e manter-se incógnita. Mas quem rouba a cena mesmo é a atriz Mo’Nique como a vilã mãe da protagonista. Uma interpretação visceral, incrivelmente comovente e assustadoramente real. Não tem quem não sinta uma raiva atroz por esta mãe e não tenha vontade de esganá-la na primeira oportunidade. Vale cada cena em que contracena com Gabourey. Não pense tratar-se de mais um daqueles filmes cheios de clichês com heroínas sofridas que dão a volta por cima e coisa e tal. Não é um filme fácil e simplista a este extremo. O realismo é chocante, as interpretações convincentes e a direção competente. Um filme para quem realmente quer aprender um pouco sobre esperança e como conquistar a felicidade. Preciosa desejava ser uma pessoa que, além de ter esta palavra em seu próprio nome, ser um ser uma mulher realmente Preciosa. Provavelmente foi com seus filhos...

Meu blog: http://maisde140caracteres.wordpress.com



Felipe Felipe (18/12/2010 02:18:45)   5 0
Muito bom o filme... Essa atriz Mo'Nique, para mim ARREBENTOU na atuação, muito merecido o Oscar a ela!!! Filme monótono como a maioria dos filmes "cult", porém indispensável!



Heripídio Heripídio (15/12/2010 18:35:55)   -20 0
A palavra "estória" já está em desuso há muito tempo. A maioria dos gramáticos já consideram que "história" já pode ser utilizada abrangendo todos os sentidos possíveis.
Já é, por exemplo, aceita em concursos públicos e vestibulares oficiais.



Heverton Heverton (08/11/2010 13:52:09)   5 0
Mesmo um pouco atrasado, queria deixar meu comentário.
O filme é muito bom. Não sei se mereceria o Oscar de melhor filme, como foi dito, visto que concorreu com Avatar e Bastardos Inglórios (é, não gostei do Guerra ao Terror). Mas com certeza a atuação de Sidibe merecia o Oscar de melhor atriz, foi muito melhor que o que a Sandra Bullock fez em 'Um sonho possível', muito melhor mesmo (não que a Sandra tenha ido mal, muito pelo contrário, mas a Gabourey realmente foi muitíssimo bem).
Analizando o filme, friamente, só não gostei muito das telas escuras, que tiram um pouco a fluidez do filme, e a fotografia, pelo ambiente onde o filme se passa, achei que poderia ser melhor (não está ruim, mas poderia ser bem melhor). Agora a Estória (isso mesmo, sem H) é ótima. Faz pensar, e mesmo inconscientemente, logo após já muda sua forma de tratar as pessoas, principalmente filhos.
Adorei o filme, vai para minha videoteca pessoal com certeza.



G. brucew G. brucew (27/07/2010 19:27:51)   1951 -1
facil a vida dela, é só arrumar um emprego, dá uma malhada e pronto! ta resolvido o problema!



sem avatar Fábio (05/07/2010 18:10:16)   0 0
Um belo filme! Quanto ao oscar de atriz codjuvante quem concorreu e levou o premio foi a Mo'Nique que faz o papel da mãe da Protagonista.



R@finha R@finha (05/07/2010 10:09:10)   20 0
Vei essa mina sofre dimais!!!
Achei o filme legal,não curti agulns devaneios, mas acho que era uma valvula de escape para Preciosa e para as cenas mais pesadas!!!!

Preciosa Rules!!!!!



alexandre alexandre (23/06/2010 20:46:19)   10 0
Um grande filme, que mostra o problema de uma garota, que não tem o apoio da mãe e se sente excluída do meio e tenta se refugiar nos sonhos. Chorei e como os companheiros comentaram, é um soco no estômago das pessoas que nunca passaram por essas situações. Merecia o oscar de melhor filme, sem sombra de dúvida. Não entendo porque a Mariah ganhou um prêmio como atriz coajuvante. O papel dela foi mínimo.



sem avatar Matheus (09/05/2010 23:13:10)   0 0
O filme realmente é emocionante, Uma análise superficial, ainda por cima.
Uma história de muito sofrimento, mas que moralisa o fato de que poucas alegrias podem se tornar infinitas, e que "um pouco de amor é o manto que cobre a multidão dos pecados".

Parabéns Marcelo pela visão e crítica deste filme que como disse, nos faz sairmos otimistas em situações corriqueiras do cotidiano.



Clint Clint (23/03/2010 13:44:41)   0 0
Para mim, eis quem deveria ter levado a estatueta de Melhor Filme.



Publicidade
sem avatar Renata Andrezza (18/03/2010 12:56:01)   0 0
O filme "Preciosa, uma história de esperança" é um "soco no estômago". A vida dela é muito sofrida e quando começa a melhorar um pouco vem mais alguma coisa pra piorar tudo. Mas ainda assim é uma história muito bonita, que nos faz ver que mesmo quando tudo parece perdido ainda há uma esperança, por mais difícil que possa parecer. O filme é maravilhoso, os atores excelentes e a direção foi perfeita porque conseguiu transmitir com sutileza e, em alguns momentos, com dureza tudo que a personagem passou. Vale a pena ser visto.




Omeletop : cinema

Cinema

Os filmes em cartaz, a programação das salas de cinema, bilheterias, trailers, criticas de filmes, cartazes, entrevistas com astros e as novidades de Hollywood.

Séries e TV

As séries de televisão dos EUA, minisséries, os destaques da TV e as novidades na programação.

Música

Os shows que vem por aí no Brasil, os lançamentos musicais, novos álbuns e música grátis para download.

Games

Os novos games, críticas de jogos, trailers, imagens e mais novidades do mundo dos videogames.

Quadrinhos

As novidades das histórias em quadrinhos no Brasil e no mundo, previews de HQs e críticas de lançamentos nas bancas e livrarias.